Coluna Marcos Melo
  • sábado ,10 de abril de 2021, às 13:04h

    Após o ministro Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal de Justiça determinar a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar supostas omissões do Governo Federal no combate à pandemia, a polêmica pode aumentar. O senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, entende que a oportunidade é boa para investigar, também, as denúncias contra governadores e prefeitos.

    Se a proposta de Ciro for adiante -- e deve ir --, seria a oportunidade de se abrir a caixa preta das compras sem licitações e da abertura e fechamento dos hospitais de campanha no Piauí, por exemplo (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Em entrevista concedida ao Estadão, Ciro afirmou que vai propor aos colegas que a CPI da Pandemia não deixe de fora governadores e prefeitos, muitos deles alvos de investigações da Polícia Federal em suas gestões por conta de supostos desvios de recursos federais para o combate à pandemia.

    A postura de Ciro é alinhada com a do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que ontem, sexta-feira (10), comentou em tom de crítica sobre a decisão do ministro Barroso. "Não quer saber dos bilhões desviados por alguns governadores e alguns poucos prefeitos".

    Então, com a força que possui hoje no Congresso, Ciro deve tornar realidade essa semana o que deve se transformar no maior pesadelo dessas "alguns governadores".

    CPI a gente sabe como começa, mas ninguém sabe como termina.

    • R&G Feet
  • sexta ,09 de abril de 2021, às 20:04h

    Na manhã desta sexta-feira (9) o delegado Samuel Silveira fez um boletim de ocorrência após uma série de áudios criminosos foram espalhados via Whatsapp. Nas mensagens constam narrativas caluniosas sobre a morte do ex-prefeito Firmino Filho e envolvem, também, os nomes de Samuel e da viúva, a deputada Lucy Soares.

    Além de perder um amigo, o delegado Samuel também tem que enfrentar as calúnias de adversários (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    "Além de enfrentar a dor da perda repentina do prefeito Firmino Filho, que era mais que um amigo, era um ídolo e um exemplo pra mim e milhares de pessoas no Piauí, lamentavelmente também temos que lidar com uma campanha difamatória em redes sociais", comentou Samuel Silveira ao Política Dinâmica.

    Veja o vídeo divulgado pelo delegado sobre o assunto:


    Samuel acredita que os ataques não são aleatórios e partem de adversários políticos que patrocinam há um bom tempo os ataques pessoais contra o ex-prefeito Firmino Filho e sua família.

    As mentiras divulgadas nos áudios, segundo Samuel, podem ter origem no que tem se tornado conhecido nos bastidores da política piauiense como "gabinete do ódio". É uma estrutura de produção e distribuição de calúnias com o objetivo de manchar reputações de figuras públicas, agredir psicologicamente adversários políticos e praticar outros crimes como a chantagem.  

    "Confiamos que a Polícia Civil vai chegar até os culpados por esses áudios. Com a tragédia da morte do ex-prefeito Firmino, penso que já passa da hora de impedirmos a continuidade desses crimes que estão se multiplicando pelas redes sociais", defendeu Samuel.

    Veja a homenagem que o delegado prestou a Firmino Filho em seu perfil no Instagram:


    • R&G Feet
  • quarta ,07 de abril de 2021, às 19:04h

    Em meio à dor da perda repentina, família de Firmino ainda tem que lidar com milícia digital e declarações desrespeitosas (foto: jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Declarações de Doutor Pessoa (MDB) que relativizaram a importância e o legado de Firmino Filho machucaram familiares e amigos do ex-prefeito, que morreu ontem (6). E causou reação. Quando o cortejo chegou em frente à Prefeitura de Teresina, a deputada Lucy Soares fez questão de marcar a diferença entre seu marido e políticos como o atual gestor da capital.

    "Ano passado, nenhum piauiense morreu por falta de leito", ressaltou Lucy. A frase, repetida duas vezes a jornalistas e populares, fez as pessoas lembrarem que há três semanas um idoso morreu no chão de uma unidade básica em Teresina, na gestão de Pessoa.

    Na fila de espera por uma UTI, um idoso de 86 anos morreu sem conseguir ao menos uma maca, perdeu a vida no chão e na gestão de Doutor Pessoa (foto: redes sociais)

    Investir todos os esforços da Prefeitura no combate às pandemia custou caro a Firmino Filho do ponto de vista político. Mas do ponto de vista administrativo e pessoal, o ex-prefeito era absolutamente certo de que suas decisões evitaram muitas mortes. Esse é um exemplo de como a gestão técnica -- acima dos interesses políticos -- é um dos muitos legados que Firmino deixa para Teresina.

    Lucy teve que defender memória de Firmino e seu trabalho após declarações do atual prefeito (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Lucy fez questão de resumir que Firmino Filho deixa para Teresina uma referência de postura e um conjunto de realizações que serão sempre lembrados. "A cidade perdeu um líder maravilhoso, um gestor honesto e um cidadão apaixonado por Teresina", reforçou.

    • R&G Feet
  • quarta ,07 de abril de 2021, às 18:04h

    O atual prefeito de Teresina esteve no velório do ex-prefeito Firmino Filho. Ao chegar na porta da funerária, não foi bem recebido pelos populares que foram até lá prestar suas últimas homenagens. "Carniça", "ratazana" e "inseto", foram alguns dos adjetivos direcionados a Pessoa. Ele não quis gravar entrevistas na chegada, mas falou durante sua saída.

    Poderia ter ficado calado.

    QUANDO A VAIDADE FALA MAIS ALTO

    A jornalista Solange Sousa, da TV Meio Norte, pediu um falasse, ao vivo, sobre o luto dos teresinenses nesse momento. "Doutor Pessoa, Teresina perde um grande homem hoje...", comentou a jornalista, abrindo espaço Pessoa continuar daí a seu comentário. Pessoa foi por outro caminho. Veja o vídeo distribuído pela militância digital da atual gestão da Prefeitura de Teresina!

    "Não. Vários outros que não tem a conotação do ex-prefeito Firmino também são cidadãos e cidadãs. Quando morrem devemos ter também tristeza. Mas a conotação maior aqui é que ele foi gestor aqui por quatro vezes na cidade de Teresina. Mas quantos humildes também estão aí, que perdem suas vidas e que nós deveríamos ter também atenção, como está tendo... como estão tendo com o prefeito, o ex-prefeito Firmino Filho", alegou.

    Vaidade além de tudo: comentário de Doutor Pessoa sobre Firmino pareceu desespero por atenção e causou constrangimento no local do velório e no cortejo do corpo do ex-prefeito de Teresina (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Acompanhado pelo secretário de Comunicação Lucas Pereira, o prefeito Doutor Pessoa relativizou a importância de Firmino e a grandeza de seu legado. Sugeriu que havia um exagero nas homenagens a Firmino só porque ele foi prefeito 4 vezes. E que outras pessoas que morrem merecem a mesma atenção, mesmo anônimas.

    Pessoa tem o absoluto direito pessoal de fazê-lo, mas dizer isso no velório de Firmino soou mais do que desrespeitoso. É como se disputasse atenção naquele momento com o ex-prefeito, diminuindo a história do adversário morto. Pareceu cruel diante da fragilidade emocional da família que recebia na homenagens a Firmino um mínimo de conforto.

    A viúva, deputada Lucy Soares, os três filhos, além de amigos e admiradores receberam receberam o vídeo dessa fala ainda durante o cortejo. O material foi distribuído rapidamente pela milícia digital que fez a campanha vitoriosa de Pessoa em 2020.


    • R&G Feet
  • terça ,06 de abril de 2021, às 23:04h

    Morreu na tarde desta terça-feira (6) o ex-prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB). O fato pegou a cidade de surpresa. Durante horas, as pessoas ainda duvidavam. Centenas foram ao local para ter certeza. Muito novo, aos 57 anos, prefeito por 4 vezes da capital, ex-vereador e ex-deputado estadual, até onde se poderia perceber, realizado.

    A história de Teresina se confunde com a própria gestão e dedicação de Firmino Filho ao longo de 4 mandatos de prefeito (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    A Prefeitura Municipal decretou luto oficial por três dias. A Assembleia Legislativa e o Governo do Estado também. A Câmara Municipal foi além, decretando o luto por 7 dias. Sessões do legislativo municipal só acontecem na quarta-feira da semana que vem.

    Firmino Filho deixa não apenas esposa e três filhos, mas um legado que será lembrado por todo o Piauí e que faz parte da história de Teresina.

    • R&G Feet
  • sexta ,02 de abril de 2021, às 15:04h

    Um alerta para a cidade: Arnaldo Ribeiro revela que o "verdadeiro" Doutor Pessoa não era o da campanha (fotos: Divulgação | Jailson Soares | politicaDinamica)

    Embora a vaidade do prefeito de Teresina o faça pensar que venceu sozinho as eleições de 2020, a verdade passa longe disso. O jornalista Arnaldo Ribeiro foi uma das muitas vozes que abriram caminho para a vitória de Doutor Pessoa (MDB). E umas das que falaram mais alto. Mas, ao que parece, consideração para o "Doutor do Povo" é coisa inversamente proporcional ao seu ego.

    Esta semana, Arnaldo Ribeiro expôs essa falta de consideração em seu programa, ao vivo na TV Antena 10. E sugeriu que Pessoa não passa de uma piada, um "meme" do qual as pessoas riem, mas em quem já não se pode acreditar.

    Também deixou no ar o "deslumbre" do secretário municipal de Comunicação, Lucas Pereira, com o poder. 

    Ingenuidade: se até o poderoso deputado Themístocles Filho, que bancou o cenário político que elegeu Dr. Pessoa não é respeitado nem considerado pelo atual prefeito, como é que um jornalista seria? (foto: divulgação da campanha de 2020)

    CIDADE, ALERTA!

    Fontes dentro da emissora e da PMT confirmaram ao Política Dinâmica que o prefeito ficou descontrolado ao assistir o deboche do jornalista. E teria ordenado que Lucas Pereira "pedisse a cabeça de Arnaldo numa bandeja", sob a ameaça de que a emissora não receberia mais pagamentos da Prefeitura. Pessoa também não iria mais aos programas da casa conceder entrevistas.

    Pessoa era gente boa enquanto precisava de ajuda para ser eleito, depois disso, assumiu o Palácio da Cidade o verdadeiro político, bem diferente do personagem criado para a campanha (foto: Instagram)

    O diretor executivo da tv, João Neto, estaria, segundo a fonte na emissora, buscando junto a PMT um desfecho alternativo, que passaria por um humilhante pedido de desculpas também ao vivo. 

    Não há propaganda que esconda quem as pessoas são por muito tempo. 

    Veja o que disse Arnaldo no vídeo abaixo:



    • R&G Feet
  • quinta ,25 de março de 2021, às 21:03h

    A pandemia descontrolada tornou urgente todas as aquisições de medicamentos e insumos. Isso não é novidade para nenhum gestor. Mas a Prefeitura de Teresina deixou faltar o básico nos estoques da Fundação Municipal de Saúde. Agora, o vice prefeito Robert Rios (PSB) anuncia que vai ter que fazer compras sem licitação. E quer que o Ministério Público, os Tribunais de Contas e a Câmara Municipal deem autorização para que ele e Doutor Pessoa possam ir à feira.

    Um se diz muito honesto, o outro faz sempre questão de dizer que é delegado da PF, mas o prefeito e o vice querem fazer compras sem licitação; a alegação é de "urgência" (fotos: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Na última terça-feira (23), o vice-prefeito deu uma entrevista ao jornalista Pedro Alcântara, sobre aquisição de testes para detecção de covid-19. os testes seriam, agora, parte de uma estratégia de testagem em massa para mapear a pandemia em Teresina. Mas, segundo Robert, a urgência da situação não combina com a demora de uma licitação, logo, a compra deveria ser feita de maneira direta, sem concorrência. Vai lá num fornecedor e compra logo, mesmo com sobrepreço.

    ATESTADO DE INCOMPETÊNCIA

    Três meses de gestão e a PMT não conseguiu fazer uma licitação para aquisição de testes de covid para testagem da população (foto: Ascom SECOM)

    Como Doutor Pessoa é muito honesto e Robert é ex-delegado da Polícia Federal, dá pra confiar... Tanto que Robert quer que os órgãos de controle e fiscalização autorizem e assinem junto com ele o pagamento. "A Secretaria de Finanças e o prefeito municipal só vão comprar esses testes com sobretaxa se for acompanhado pelo Tribunal de Contas, pelo Ministério Público, pela própria Polícia Federal. Também a Câmara Municipal, inclusive a oposição", salientou Robert. Ter o Brasão da PF numa máscara nunca foi tão simbólico.

    Veja o vídeo da entrevista:

    Vamos lembrar: já são 84 dias de gestão. A pandemia já existia antes de pessoa ser prefeito. Ele chegou na prefeitura e sua equipe não pensou em verificar os estoques da FMS ou iniciar uma licitação?

    Essa história de comprar testes sem licitação é um recibo que a gestão de Pessoa está passando de que o prefeito subestimou até aqui a gravidade da pandemia.

    CONVERSA ESTRANHA...

    Sem falar que o discurso de Robert flerta com a chantagem institucional e beira a coação pública. Os vereadores podem até aceitar essa conversa magra, quem sabe em troca de indicar um ou dois desses terceirizados ou comissionados que a primeira-dama Samara Conceição anda mandando demitir da Fundação Municipal de Saúde. Não dá pra duvidar que isso possa ocorrer.

    Mas que precedente estariam abrindo o Ministério Público do Estado ou o Federal, ou ainda os Tribunais de Contas do Estado e da União se aceitarem essa proposta? Todos os municípios vão poder fazer o mesmo, ou só aqueles premiados com uma dupla dinâmica igual a de Teresina? Será que a PF, por exemplo, assina com Robert um pagamento para a Dimensão Distribuidora -- empresa de Jadyel Alencar, investigado em pelo menos duas operações federais que apuram supostos esquemas criminosos de desvio de recursos de combate à pandemia --  se o preço dele for o melhor? 

    Seria, no mínimo, curioso. 

    De todo modo, também não tem como garantir que a compra não seja direcionada. Alguém mal intencionado já poderia ter sondado o mercado, mandado alguém visitar donos de distribuidoras e combinado comissão em caso de qualquer uma delas se tornar fornecedora.

    No Brasil do Covidão, desconfiar de coisas desse tipo é uma obrigação administrativa, legislativa, policial e jornalística.

    Nessa gestão de Teresina, o poste quer fazer xixi no cachorro.

    • R&G Feet
  • quarta ,17 de março de 2021, às 18:03h

    Luvas, máscaras e remédios. É o básico. E está faltando no sistema municipal de Saúde de Teresina. 

    O prefeito – que é médico! – está deixando faltar 34 itens básicos nos estoques da Fundação Municipal de Saúde de Teresina. Ao mesmo tempo, com lotação máxima em leitos de hospital, acha que não tem que é desnecessário impor isolamento.

    Sem foco na pandemia: Doutor Pessoa ainda não tem um plano estratégico para combate à pandemia em Teresina (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    A falta dos insumos foi confirmada pelo Política Dinâmica com servidores que trabalham na distribuição da FMS. Alguns deles relatam que terceirizados que trabalham no setor teriam sido, inclusive, ameaçados pela primeira-dama da capital, Samara Conceição, sobre o vazamento da informação de desabastecimento.

    Ameaças: servidores relataram ao PD que primeira-dama tem ameaçado fontes de jornalistas e terceirizados que confirmem falta de planejamento e desabastecimento na Saúde do Município (foto: ASCOM PMT)

    Samara é enfermeira e não tem cargo público oficial na Prefeitura. Ainda assim, segundo fontes no primeiro escalão do Doutor Pessoa, tem mais comando dentro da FMS que o próprio presidente da fundação, o médico Gilberto Albuquerque. Teria sido de Samara, por exemplo, a ideia de reduzir de 21 para 14 as Unidades Básicas de Saúde que atendiam exclusivamente doentes com síndrome gripal, ainda no mês de fevereiro.

    FMS NEGA DESABASTECIMENTO

    Oficialmente, a FMS que disse que luvas não estão em falta “no momento”, mas reconheceu que existe atualmente uma dificuldade no mercado para aquisição de alguns medicamentos e insumos. A FMS não informou quais insumos e remédios seriam esses. Apontou, ainda, que está sendo feito ainda processo licitatório para a compra destes produtos – não listados –, de forma a garantir o abastecimento das unidades de saúde do município.

    Gilberto contrariado: fontes apontam que presidente da FMS manda menos que primeira-dama na Saúde de Teresina (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    Extraoficialmente, segundo relatos de servidores da FMS, estaria faltando inclusive heparina. Esse é um medicamento anticoagulante utilizado em casos de trombose e para a prevenção da doença que acomete muitas pessoas durante e depois da infecção de covid-19. Outros medicamentos, como relaxantes musculares e sedativos – utilizados para intubar pacientes, por exemplo – também estariam em falta esta semana.

    Infelizmente, na lista das coisas que estão faltando, pode-se acrescentar outro item: prefeito.

    • R&G Feet
  • quarta ,10 de março de 2021, às 19:03h

    O piauiense é um povo acostumado com discursos que enganam. O piauiense, aliás, adora discursos que enganam. Nem é preciso fazer um grande esforço jornalístico para apontar eleições ganhas com discursos que enganam. Mas o de que uma eventual candidatura de Lula é coisa boa para o Brasil ou o Piauí, já é coisa que passa do limite de qualquer pessoa sensata. Tampouco é verdade que esse cenário prejudica qualquer caminho de oposição no estado.

    Ter Lula no cenário político pode ser um revés para Wellington e um estímulo para candidatura de Ciro Nogueira (fotos: Jailson Soares | PoliticaDinamica | FotosPublicas)

    Pensando bem, pode até ajudar.

    Lula elegível força a oposição do Piauí ser, de fato oposição, saindo da sombra do “meio termo”. 

    Talvez, mais do que ajudar planos de Wellington Dias (PT), então, tenhamos Lula estimulando o exército de Ciro Nogueira (PP). Sim, porque Ciro, hoje, tem um lado bem definido, embora muitos dos seus ainda não tenham.

    Se verão forçados a ter. 

    Os discursos contra Ciro -- tais quais aqueles contra Bolsonaro -- serão mais frequentes, serão mais ácidos, vão acirrar mais os ânimos. 

    Wellington sempre se beneficiou de cenários mornos e menos extremos; 2022 com um Lula virtual candidato, também fortalece a oposição (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Não que tenhamos, hoje, a maior referência no comando do Planalto. Longe. O atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) é o que temos por conta do que tivemos.

    Exatamente porque a era Lula descambou para uma farra da corrupção em governos “de” “e” ligados à esquerda, vivemos hoje um arremedo de direita travestida de honestidade sem saber muito o rumo de onde ir.

    E aí é que está: as pessoas podem até não saber muito para onde estão indo, mas o confronto com a imagem do que já se foi de ruim, ajuda a por em confronto uma imagem já construída do que não se quer outra vez.

    Lula candidato, ajuda Bolsonaro candidato. Caminhos alternativos que exijam ponderar o futuro ficam absolutamente prejudicados. Não que qualquer campanha seja “fácil”, mas o discurso dos extremos é simplificado, isso é inegável. 

    Ter ajudado o impeachment da esquerda lá em 2016, podem apostar, ainda será um troféu para o senador piauiense. 

    Como esse mundo gira!

    • R&G Feet
  • sexta ,05 de março de 2021, às 20:03h

    Fonte extremamente ligada ao deputado estadual Georgiano Neto e ao deputado federal Júlio Cézar Lima garantem que o PSD não abre mão de indicar um nome para vice na chapa governista para as eleições de 2022. E esse fato, segundo avaliação do partido, dá vantagem ao senador Marcelo Castro (MDB) diante do secretário e Fazenda Rafael Fonteles (PT) na disputa pela cabeça da chapa.

    Essa é a trinca que o PSD acredita que pode disputar as eleições de 2022 (fotos: Jailson Soares | politicaDinamica)

    CALCULANDO

    A conta é simples: hoje, os três maiores partidos da base de Wellington Dias são o PT do governador, o MDB de Marcelo e o PSD de Júlio Cézar. Se o PT já terá Wellington disputando o Senado e Júlio quer ser o vice, ao MDB só resta a cabeça de chapa -- ou ficar de fora dela, o que não se sustenta na lógica emedebista, convenhamos.

    ANTIPETISMO E RECONHECIMENTO

    Segundo a fonte, Júlio Cézar já teria comentado o cenário com outros políticos, apontando que ainda existe um problema de "antipetismo" que não pode ser subestimado. Na avaliação do deputado federal, o atual governador até teria condições plenas de disputar uma vaga de senador e ser vitorioso, mas apostar no PT para a cabeça da chapa é arriscar a chapa inteira.

    Não há cenário previsível que o PSD possa pintar que dê a Wellington Dias um caminho fácil pro Senado; não é só "antipestismo", mas um desgaste de 20 anos no poder e todo tipo de crise em suas gestões do Governo do Estado (foto: Jailson Soares | politicaDInamica.com)

    Nesse sentido, filiar Rafael Fonteles no MDB, por exemplo não faz do secretário de Fazenda mais candidato. "No MDB, eles querem um emedebista raiz. Olha aí o que aconteceu com o Doutor Pessoa. Se for neófito, ninguém quer, por isso a vantagem é de Marcelo", reforça a fonte.

    A postura de Marcelo Castro já se renovou nas redes sociais: mais ousado e discursivo (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    Talvez por esse prisma é que seja possível, inclusive, perceber uma nova postura política de Marcelo, que até aqui não se insinuava candidato, mas já começou trabalho de posicionamento em redes sociais. 

    O PROJETO DO PSD

    O PSD tem a certeza de que a vice vai ficar com a sigla. Se não for na chapa do governo, então será na de oposição. Júlio e Georgiano possuem 42 prefeitos fiéis ao projeto deles. Júlio quer ser vice, Georgiano federal e a atual vaga de deputado estadual da família seria preenchida ou pelo meio-irmão de Georgiano, o advogado Júlio Cézar Filho, ou por Simone Pereira, ex-candidata a prefeita de Teresina.

    Ao que parece, Júlio e Marcelo devem estar conversando mais que o normal nas últimas semanas: o projeto de um fortalece o projeto o outro (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    Inegavelmente, os prefeitos do PSD podem fazer a diferença numa campanha.

    E Ciro Nogueira, certamente, está de braços abertos para quem sobrar da disputa de vaidades governistas.

    • R&G Feet
  • segunda ,01 de março de 2021, às 19:03h

    Profissionais da Enfermagem do Município de Teresina ameaçam entrar em greve. O motivo é um corte em gratificações para aqueles que atuam na linha de frente do combate à pandemia. O prefeito de Teresina, Doutor Pessoa (MDB) – que é médico! – não conseguiu preparar sua gestão para esse momento e jogou pra cima do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), o problema. “Estamos com o ônus da responsabilidade de algumas coisas que deveriam ter sido sanadas ou continuadas pelo Governo Federal”, afirmou hoje durante uma solenidade.

    Não se planejou: ja flando em ser candidato ao Governo do Estado, Pessoa deixou que fossem cortados os salários de enfermeiros que estão no combate à pandemia (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    Os enfermeiros e técnicos de enfermagem vão se reunir nesta terça-feira (2) para deliberar sobre uma greve por tempo indeterminado. Em entrevista ao Política Dinâmica ainda no mês de janeiro, o atual presidente da Fundação Municipal de Saúde, o médico Gilberto Albuquerque, já apontava o mesmo indicador que culpa na direção do presidente Jair Bolsonaro.

    Veja:

    De todo modo, mais de um mês depois, a PMT não conseguiu encontrar um caminho de contornar o problema, mesmo alegando que tem economizado recursos em relação à gestão anterior. O atual secretário de Comunicação, Lucas Pereira, inclusive, anunciou uma licitação de R$ 20 milhões de reais para propaganda institucional.

    Alguns dos cortes em salários de enfermeiros passaram dos 50%. 

    Cada um com suas prioridades, né?

    • R&G Feet
  • sexta ,26 de fevereiro de 2021, às 13:02h

    Nesta quinta-feira (25) o Doutor Pessoa (MDB) finalmente reconheceu que a Prefeitura Municipal de Teresina tem uma dívida com as empresas responsáveis pelo sistema de transporte público urbano da capital. Essa é a primeira movimentação real da atual gestão da PMT para tentar colocar fim a greve de motoristas e cobradores que já alcança a marca de 20 dias.

    Em entrevista à jornalista Lídia Brito, do portal CidadeVerde.com, Pessoa assumiu que o débito existe de fato, que não foi gerado em sua gestão, mas é uma conta que a Prefeitura tem que pagar. Ele comentou que já autorizou o secretário de Finanças, Robert Rios (PSB), a iniciar uma negociação para pagamento fracionado. Neste momento, o que a PMT deve às empresas chega perto dos R$ 25 milhões e a ideia de Pessoa é parcelar isso em 20 ou 24 vezes.

    Prefeitura impessoal: Doutor Pessoa começou a entender que o dinheiro que a PMT deve às empresas não é favor nem esquema, é obrigação prevista em contrato (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    É um avanço. Até este momento, a PMT apenas jogava para a plateia a informação de que “os empresários querem mais dinheiro da Prefeitura”, como se esses recursos não fossem contratuais. E foi justamente a falta de pagamento por parte da Prefeitura que impediu que as empresas pudessem manter a frota adequada em circulação e honrar os pagamentos de salários de cobradores e motoristas.

    De toda maneira, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informou ao Política Dinâmica que recebeu uma proposta oficial de negociação até no da manhã desta sexta-feira (26).

    Falta agora a PMT planejar de maneira transparente o que será feito para que não se retorne à bola de neve que ocasionou a greve.

    • R&G Feet
  • quinta ,25 de fevereiro de 2021, às 14:02h

    Pessoa nem completou dois meses na Prefeitura e Robert já quer que ele entre em outra companha eleitoral; Teresina fica como? (foto: Instagram)

    Se engana bastante quem acha que tem alguém no comando da Prefeitura Municipal de Teresina pensando em resolver qualquer crise, seja ligada à pandemia, transporte público ou o que quer que seja. O vice-prefeito Robert Rios (PSB) revelou em reportagem do Jornal Meio Norte desta quinta-feira (25) que o que está na cabeça do pessoal no Palácio da Cidade são as eleições de 2022. E isso já explica por que o Doutor Pessoa (MDB) não desce do palanque montado para ele.

    Está faltando leito de UTI para tratar casos graves de Covid-19, mas é pior: faltam remédios e até luvas. Sem planejamento nenhum, a PMT deixou faltar o básico aos seus profissionais e à população da capital.

    Tá no Jornal Meio Norte a prova de que não tem ninguém pensando em outra coisa que não seja eleição na Prefeitura de Teresina (imagem: reprodução)

    “Em 55 dias não dá pra arrumar tudo, né?”, você pode ponderar. Mas nesse tempo, o vice Robert Rios – que manda de fato na Prefeitura – já conseguiu planejar uma maneira de se tornar prefeito de modo permanente: lançar Doutor Pessoa ao Governo do Estado. Sim, pois para disputar o novo cargo, Pessoa teria que renunciar seu cargo atual.

    Enquanto a capital vive de crises diárias, é em mais uma eleição que estão pensando aqueles que acabaram de assumir a Prefeitura. Robert coloca Pessoa como uma escolha equilibrada do eleitor que não quer nem o grupo do atual governador Wellington Dias (PT) nem o grupo do senador Ciro Nogueira (PP), que hoje lidera a oposição.

    Vem, meteoro!

    • R&G Feet
  • quarta ,24 de fevereiro de 2021, às 20:02h

    Fazer ou não fazer o “lockdown”? Eis a questão! A essa altura do campeonato da pandemia, não deveríamos mais estar falando nisso. A economia já sofreu demais até aqui. Em 2020 empresas fecharam, funcionários foram demitidos, profissionais autônomos passaram todo tipo de dificuldade. Mas infelizmente, fazer o lockdown não é uma opção, como pode parecer no início do parágrafo. É uma necessidade, consequência de incompetência e falta de planejamento.

    Segundo o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Gilberto Albuquerque, Teresina está com 100% de leitos de UTI ocupados. Isso significa que se hoje, quarta-feira (24), neste exato momento em que estas palavras estão sendo escritas, se uma única pessoa dentre as 900 mil que moram na capital tiver um quadro grave de infecção pelo novo coronavírus, vai precisar de improvisação para ser atendida. Se forem 10 pessoas, já teremos o caos.

    Um teve medo de decidir, outro teve medo de manter a decisão: o lockdown não deveria ser necessário, mas nesse exato momento, é! (foto: Jailson Soares | politicaDInamica.com)

    Fiscalizar vai dar jeito? Toque de recolher? O vírus é mais problemático entre onze horas da noite e cinco da manhã? Não, não é. A fiscalização prometida para os próximos dias não vai dar jeito na iminência do colapso.

    O fechamento deveria ser total. Lockdown completo até que se reinstalem leitos suficientes para atender a demanda, isolamento obrigatório para que se reduza a transmissão descontrolada que a fiscalização feita até aqui não impediu.

    TÁ FALTANDO O BÁSICO!

    Músicos, donos de restaurantes, de academias, qualquer comerciante ou prejudicado nos últimos meses já deve estar odiando este texto até aqui. Mas para estes e para os demais: não se pode negar o óbvio. O vice-prefeito de Teresina, Robert Rios (PSB), que é secretário de Finanças e prefeito de fato, disse hoje numa emissora de TV: a Prefeitura tem dinheiro, mas não tem material de proteção individual no mercado para ser vendido. É, não em luva pra médico e enfermeiro, e alguém acha que tem leito?

    A morte de uma única pessoa na fila das UTIs já seria uma tragédia, e evitar essa uma única morte, considerem que fosse alguém próximo, já não seria desculpa suficiente para o lockdown?

    O fechamento não deveria ser uma opção por outro motivo: a falta de necessidade. Se tivessem planejado, ia faltar luva? Luva! O cara que diz ser prefeito de Teresina, o tal do Doutor Pessoa (MDB), em tese, é médico!

    O governador Wellington Dias (PT) sabe que o certo é fechar. Fez um decreto que já era meia boca na segunda-feira. Por dez dias, escolas iam voltar pro virtual, comércios iam pro delivery e festas iam ser proibidas. Ainda assim, academias iam ficar abertas, restaurantes também. Já não seria suficiente. Mas ele cedeu, num efeito dominó de cobranças políticas e eleitorais de discursos feitos no ano passado e contrariados pelos fatos.

    Pessoa e Robert sabem que o lockdown era necessário. Sábado Robert colocou em seu grupo de whatsapp que estava preocupado. Pessoa nem quis ir para a reunião do Comitê de Operações Emergenciais porque ia ter que descer do palanque. As redes socias foram agressivas com o discurso incoerente deles. Mas Wellington não ouviu nada diferente do que já tinha ouvido até aqui. 

    Em 2020 o lockdown era inevitável pela surpresa da pandemia, que pegou os sistemas municipais e estaduais de saúde de calças curtas. Um ano depois, o lockdown é o retrato da incompetência de gestões que não souberam planejar, mas negar a necessidade urgente não é só um erro, é um crime doloso.

    MENSAGEM ERRADA

    “A culpa é da população”, aliás, não é argumento que se sustenta completamente. O que “a população” iria fazer depois de ver aglomerações de norte a sul nas eleições, que por aqui só terminaram no final de novembro? E vendo os hospitais sendo desmontados? “Acabou a pandemia!”, quem não iria pensar?

    Sem falar na festa da vacinação. Por aqui, a propaganda que se fez foi toda errada. Na ânsia e na vaidade de surfar na imunização, tanto a Prefeitura de Teresina quanto o Governo do Estado erraram nas manchetes. Ao invés de focar na necessidade das pessoas aceitarem a vacinação – pois existem os negacionistas –, as propagandas dão a entender que muitas pessoas já foram vacinadas.

    É só ver os vídeos que o secretário de Comunicação de Teresina, Lucas Pereira, espalhou nos veículos de comunicação, apresentadores dizendo que “já temos 25 mil vacinados”. Teresina, repito, tem 900 mil habitantes! Menos de 3% da população foi vacinada. Isso não representa nada do ponto de vista coletivo. Mas quem vê os jornalistas falando com aquela emoção toda pensa que tem vacina em todo posto pra qualquer um.

    Incoerência é mais letal que a covid.

    • R&G Feet
  • quinta ,18 de fevereiro de 2021, às 13:02h

    A reforma administrativa não estava na pauta programada de votações de ontem (17). Tampouco era aguardada a visita do prefeito ao Legislativo da capital. Mas para Doutor Pessoa (MDB) a quarta era dia de feira e ele foi às compras. Vereadores colocaram a reforma em pauta e aprovaram as mudanças por unanimidade. Mas cada voto teve seu valor e não foi preço de xepa: cada um ganhou “uma Unidade Básica de Saúde (UBS)”.

    A reforma administrativa não havia sido pautada nesta quarta-feira, segundo o site da própria CMT, mas após oferta de UBS, vereadores aprovaram de maneira unânime o projeto do prefeito (imagem: reprodução)

    É não tem cafezinho de graça. Nem o prefeito fez questão de esconder a vontade de comprar apoio político para a sua gestão. Disse com todas as letras que cada parlamentar da capital – todos eles, sem exceção – poderão indicar a direção de uma UBS na administração dele. O “loteamento” deve seguir a localização geográfica das bases eleitorais dos vereadores.

    Detalhe: na foto, é possível observar vários vereadores eleitos fazendo campanha contra Pessoa, como é o caso de Evandro Hidd, Valdemir Vigino, Neto do Angelim, Enzo Samuel e Venâncio Cardoso; todos calados diante da oferta de UBS em troca de apoio político (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    A informação da oferta de UBS para vereadores foi confirmada pelo Política Dinâmica junto a parlamentares com os quais Pessoa se reuniu. Pelo valor da gratificação que se recebe pela coordenadoria de uma UBS, os vereadores se venderam barato: o adicional de função fica entre R$ 970 e R$ 1.250. Mas não é isso que vale.

    Um parlamentar apontou que o que conta mesmo é o vereador ter para onde mandar seus eleitores de maneira direta, lembrando que toda UBS é porta de entrada para o Sistema Único de Saúde (SUS), que encaminha, inclusive, para média e alta complexidade. “Esse atendimento de saúde fideliza muitos eleitores, ainda mais se não precisar pegar fila e eu não precisar ficar pedindo favor toda hora pro 'Gilbertinho' [Gilberto Albuquerque, presidente da Fundação Municipal de Saúde]”, afirma o vereador.

    O jornalista Efrem Ribeiro, do Grupo Meio Norte de comunicação chegou a gravar um vídeo com o prefeito, no qual Pessoa reafirma a oferta. O vídeo foi exibido no programa da jornalista Cinthia Lages, na manhã desta quinta-feira.

    Não tem cafezinho de graça: Pessoa fez a feira na Câmara Municipal de Teresina (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Cinthia, aliás, fez uma das reflexões mais pertinentes sobre o caso: vereadores indicando direção de UBS em meio a uma pandemia? E a oferta é de um prefeito que é médico? É, sim, mais do que preocupante. Parece criminoso, coisa a ser apurada, inclusive, pelo Ministério Público, que deveria solicitar informações da Câmara Municipal e da Prefeitura.

    O “critério técnico” na montagem de sua equipe foi o primeiro discurso de campanha assassinado pelo atual prefeito.  

    • R&G Feet


voltar para 'Política Dinâmica'