Coluna Marcos Melo
  • 25 de maio 2019

    quarta ,22 de maio de 2019, às 11:05h

    A moeda mais importante na política é a confiança. Não tem estrutura que se sustente em campanha ou governo sem que antes de qualquer coisa haja confiança entre os envolvidos. E pelo que parece,  não é só dinheiro que está faltando ao Governo do Piauí.

    A desconfiança generalizada tomou conta da base da gestão de Wellington Dias (PT). Em 2018, os deputados estaduais que diziam apoiar o governador somaram mais de 1.400.000 de votos. O petista foi eleito com pouco mais de 966.000 votos.

    E como tem gente demais para governo de menos na hora de repartir secretarias e acomodar suplentes na Assembleia, chegou a hora de encontrar culpados.

    Quem foram os responsáveis pela "quebra" de quase 500 mil votos que Wellington deixou de receber? Um deles, segundo o PT, foi o deputado estadual B.Sá, de Oeiras.

    Seria bom para os progressistas se o senador Ciro Nogueira abrisse bem os olhos! Quem não conhece o governador pode achar que ele não quer mais o PP por perto... e quem conhece, tem certeza disso.

    Veja o vídeo!


    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • quinta ,16 de maio de 2019, às 22:05h

    Uma pedra no sapato de Wellington Dias: TCE aponta que farra dos comissionados pode ter sido irregular (fotos: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    É preto no branco. Na última segunda-feira (13), a Diretoria de Fiscalização da Administração Estadual (DFAE) apontou que o Governo do Estado supostamente descumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal ao nomear de uma só vez quase mil comissionados. A farra pode ter sido boa do ponto de vista político, mas está em desacordo com a Lei.

    Boa parte do pessoal é comissionado exclusivo pendurado em cabide de emprego. Um caso emblemático é o da irmã da deputada Margarete Coelho, Nailer Castro, que foi exonerada depois que a imprensa mostrou que ela ganhava salário na Secretaria de Governo em Teresina mesmo morando e dando expediente em São Raimundo Nonato (distante mais de 530km da capital), onde sua irmã é prefeita e ela é secretária municipal.

    Pois bem, no memorando 72/2019, endereçado ao presidente do Tribunal de Contas do Estado, a DFAE explica ao conselheiro Abelardo Pio Vilanova que todas as nomeações do primeiro quadrimestre de 2019 podem estar irregulares, uma vez que a gestão de Wellington Dias já ultrapassou o limite prudencial com gastos de pessoal.

    Veja:

    O parâmetro utilizado para o cálculo são os últimos 4 meses de 2018, no qual segundo a DFAE Wellington Dias já gastava 48,52% dos recursos do Estado com pessoal. O limite prudencial é de 46,55%.

    A LRF veda contratações, criação de cargos, empregos, funções e chegou a ser a desculpa utilizada pelo próprio Governo do Estado para não conceder aumento para algumas classes de servidores. A exceção desta regra reside apenas na reposição de pessoal em decorrência de aposentadoria ou falecimento nas áreas de saúde, educação e segurança pública.

    Assim, os fantasmas, mesmo encarnados, são irregulares.

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • quinta ,16 de maio de 2019, às 20:05h

    Nel afirma que Ministério Público já deveria ter se manifestado em caso de comissionados fantasmas no Karnak (foto: Marcos Melo | politicaDinamica.com)

    Na última semana o Política Dinâmica fez algumas contas simples e apontou que a professora Nailer Castro recebeu R$ 173 mil reais de salário no Governo do Estado entre janeiro de 2017 e março de 2019. E agora o empresário Manoel Lopes, filiado ao PSL, diz que vai entrar na Justiça para que esse dinheiro volte aos cofres públicos.

    Nailer virou um ícone do funcionalismo fantasma no Governo. Ela estava à disposição da Secretaria de Governo do Piauí em Teresina desde 2015. Acontece que em janeiro de 2017 ela passou a morar em tempo integral no município de São Raimundo Nonato, onde desde então passou a ser secretária municipal, primeiro de Educação, depois de Administração.

    Veja o vídeo da entrevista com Nel!

    “O Ministério Público já deveria ter pedido a devolução desse dinheiro. Esse dinheiro poderia ser utilizado para outras necessidades do Estado, mas foi parar indevidamente no bolso dessa senhora”, alega o empresário, que também faz parte do movimento Avança Piauí.

    Veja o vídeo sobre o caso citado na matéria!

    Nailer é, aliás, irmã da prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro, e também da deputada federal Margarete Coelho (Progressistas). Outra irmã sua, Sádia Castro, foi recentemente nomeada secretária de Meio Ambiente do Piauí, numa indicação que teve também a influência de seu cunhado, o deputado estadual Hélio Isaías (Progressistas).

    Curiosamente, Margarete, que é relatora do Projeto Anticrime do ministro Sérgio Moro na Câmara Federal, não se pronunciou sobre o caso até o momento.


    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • sábado ,11 de maio de 2019, às 20:05h

    Evaldo aproveitou a visita ao prefeito para reforçar o convite de filiação de Mão Santa ao Solidariedade (foto: reprodução)

    A eleição para prefeito de Parnaíba é mais do que simbólica para o Piauí. Não apenas por sua história, mas pelo presente: ao derrotar o PT em 2016, o atual prefeito Mão Santa marcou uma trincheira e iniciou um sentimento na população. E é de olho em 2020 que o deputado estadual Evaldo Gomes — presidente estadual do Solidariedade — está em sintonia com Mão Santa.

    Neste sábado (11) o parlamentar foi homenageado pelo parnaibano. Recebeu uma medalha e um diploma de mérito municipal pela, mãos do prefeito.

    Mão Santa está atualmente sem filiação partidária e parece estar escolhendo seu futuro entre o DEM e o Solidariedade. “Ele disse que tem tempo e quer aguardar um pouco. O que posso dizer é que a porta está aberta e vamos continuar conversando”, comentou Evaldo Gomes ao Política Dinâmica.


    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • sexta ,03 de maio de 2019, às 22:05h

    Todas as pastas com alguma relevância de gestão e orçamento estão sob o comando de petistas declarados ou disfarçados (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    “Primeiro eu, segundo eu, terceiro eu!”. Não se sabe ao certo que critérios o governador Wellington Dias (PT) utilizou para sair distribuindo as secretarias de sua 4ª gestão. Mas dá pra imaginar o que ele pensou na hora de fatiar o governo. O fato é que os petistas levaram enorme vantagem em cima dos aliados. Nada menos que 66,38% do orçamento será comandado por petistas.

    O Orçamento Geral do Estado previsto para este ano de 2019 é de R$ 10,9 bilhões. Deste total, R$ 9,6 bilhões é o orçamento do poder Executivo, ou seja, o bolo que Wellington Dias partilhou com sua base. E quem se deu muito bem foi o PT, claro.

    Os petistas comandam os 3 principais orçamentos do Estado: Administração, Educação e Saúde. Cinco entre as dez maiores secretarias estão com o PT.

    Aliados como o MDB e o Progressistas ficam cada um com apenas uma pasta dentre estas 10 maiores, perdendo para o PR, o “mais petista” dentre os aliados, que possui 3 de suas 4 pastas entre os 10 maiores orçamentos do Estado.

    Veja a lista:

    E estamos falando apenas do 1º e 2º escalões. Entram nesta conta a Secretaria Da Administração E Previdência (Merlong Solano), Secretaria Da Educação (indicação de Rejane Dias), Secretaria Da Saúde (Florentino Neto), Secretaria Da Fazenda (Rafael Fonteles), Secretaria Da Agricultura Familiar [antiga SDR] (indicação de Francisco Limma), Secretaria Do Planejamento (Antônio Neto), Secretaria De Cultura (indicação de Fábio Novo), a Coordenadoria De Comunicação Social (Allisson Bacelar), Secretaria Estadual Para Inclusão Da Pessoa Com Deficiência (indicação de Rejane Dias), o Emater (Francisco Guedes), Imepi (indicação de Dudu), Emgerpi (Décio Solano), Instituto De Águas, a Agespisa (indicação de Assis Carvalho), a ADH (indicação de Flora Izabel), o Interpi e a Secretaria de Governo (Osmar Júnior) que responde pela própria Governadoria Do Estado (Wellington Dias).

    Veja o vídeo!

    Ficaram de fora da conta as pastas do PR que são petistas também: a Segurança de Fábio Abreu, a Justiça de Daniel Oliveira/Dr. Hélio/Rejane Dias, e a Polícia Militar do Coronel Carlos Augusto.

    Também não estamos trabalhando aqui com as indicações de 3º escalão, que terminam sendo basicamente do PT também.

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • sexta ,03 de maio de 2019, às 21:05h

    Wellington passa por cima de Ciro e controla metade da bancada do PP (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Antes de mais nada, oficialmente, o Progressistas em palavras de seus presidentes estadual e nacional se disse satisfeito com o espaço que Wellington Dias (PT) lhe concedeu na montagem de seu novo governo. A ressalva ficou “apenas” na indicação da Secretaria de Meio Ambiente, que tanto o deputado Júlio Arcoverde quanto o senador Ciro Nogueira consideram “cota pessoal do governador” e não um espaço do PP.

    Dito isto, as explicações e análises são nossas. E vamos partir daí: a indicação da SEMAR. O golpe que Wellington Dias deu no PP não foi pequeno. O governador havia dito ao PP que a pasta do Meio Ambiente seria deles. O nome escolhido pelo partido foi o o suplente de deputado federal e presidente municipal da sigla Mainha.

    Ao indicar a irmã sem consultar seu partido, Margarete Coelho também ajudou a enfraquecer a figura do senador Ciro Nogueira (imagem: reprodução)

    Mas ignorando a indicação, Wellington ofereceu o espaço para a deputada federal Margarete Coelho, que foi sua vice na última gestão. Sem qualquer consulta ao partido, Margarete indicou a irmã Sádia Castro. Uma crise interna que o governador plantou no PP.

    Veja o vídeo!


    RECONHECIMENTO

    Pode-se dizer muita coisa do senador Ciro Nogueira, menos que ele não foi fundamental para o governo e a campanha de Wellington Dias nos últimos 4 anos.

    O PP teve a segunda maior votação proporcional em 2018, ficando atrás apenas do PT. Foi surfando inclusive na campanha de Ciro Nogueira que Wellington Dias foi eleito e o MDB também fez seu senador, Marcelo Castro.  

    Mas o reconhecimento disso não acontece se você olhar com cuidado para a montagem do governo de Wellington Dias.

    PROPORÇÃO

    O PP entrou no governo passado com 1 deputado estadual, Júlio Arcoverde, uma deputada federal, Iracema Portela, e um senador, Ciro Nogueira. Aos progressistas foram entregue o Detran e a SETRANS.

    Agora, com 5 deputados estaduais, 2 deputadas federais e 1 senador, o PP, além do Detran e STRANS, recebeu a Mineração, ADAPI e Meio Ambiente.

    O PP só tem uma pasta entre as 10 maiores do estado, e é a última desse ranking (imagem: reprodução | PoliticaDInamica.com)Já sabemos que o Meio Ambiente não é encarado como cota do partido, mas indicação pessoal do governador. E embora neguem oficialmente, também se sabe que a indicação do deputado Wilson Brandão para a Mineração e a entrega da ADAPI nas mãos do deputado Firmino Paulo foi um acerto de Wellington Dias no “varejo”.

    No final das contas, a SETRANS deixou, inclusive, de ser uma indicação de Ciro Nogueira e Iracema para ser do deputado Hélio Isaías. Assim, ao negociar direto com os deputados, Wellington Dias diminuiu a influência de Ciro sobre eles. Uma movimentação política para o futuro, claro.

    TAMANHO X ESPAÇO

    O PR não tem nem a metade da bancada do PP e comanda duas vezes mais orçamento que progressistas e emedebistas juntos

    De todo modo, deixando a política de lado, também podemos ver que a matemática não é a das melhores para os progressistas. Dentre as 10 maiores pastas do governo, apenas uma é do PP, exatamente a SETRANS, que não é mais indicação de Ciro.

    O PP teve 16,02% dos votos válidos para deputado estadual; 14,79% dos votos válidos para deputado federal e o senador eleito com mais votos, 29,92% dos votos válidos.

    O MDB teve menos: 15,72% dos votos válidos para deputado estadual; apenas 5,75% dos votos válidos para deputado federal e o senador eleito em segundo lugar com 27,06% dos votos válidos.

    Pois bem, o Departamento de Estradas e Rodagens que é indicação do senador Marcelo Castro tem, sozinho, orçamento quase igual ao que todas as pastas do Progressistas possuem juntas. Em 2019, o DER tem orçamento de R$ 233 milhões. Os Progressistas vão ordenar despesas de R$ 261 milhões. Tirando o Meio Ambiente que o PP não considera cota do partido, o valor cai para R$ 232 milhões. O MDB unido terá um orçamento de R$ 472 milhões no Governo do Estado.

    Outra comparação? Pois bem, com apenas 3 deputados estaduais e um federal, o PR comanda duas vezes mais orçamento que PP e MDB juntos.  O Progressistas estão acomodados num modesto 4º lugar no ranking dos partidos apaniguados por Wellington Dias.

    Se você lembrar do balão que Wellington Dias deu em Ciro Nogueira quando não entrou na disputa pelo comando da Assembleia, a situação chega a ser humilhante.

    O estranho é por muito menos, bem menos que isso, Ciro rompeu com Wilson Martins (PSB) em 2013.

    Mas vai entender, né?

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • quarta ,01 de maio de 2019, às 23:05h

    Wellington escapou do julgamento por homicídio culposo, mas MPF ainda quer o julgamento pelo dano ao meio ambiente (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    Há alguns meses, um feliz governador Wellington Dias (PT) anunciou à imprensa que estava livre do processo que respondia por homicídio culposo no caso do rompimento da Barragem de Algodões. Dez anos após a tragédia daquele 27 de maio de 2009, o crime prescreveu sem que Wellington Dias fosse a julgamento. Mas a responsabilidade por outros supostos crimes ainda podem ser um problema na vida do petista.

    Está marcada para o próximo dia 15 de maio de 2019 o retorno à pauta de julgamento do Superior Tribunal de Justiça a APn 874/DF. Esta é a ação penal que apura a suposta prática dos crimes de dano em Unidades de Conservação (art. 40 da Lei 9.605/98) e de poluição, com resultado de tornar área imprópria para a ocupação humana e de interromper o abastecimento público de água de uma comunidade (art. 54, § 2o, I e III, da Lei 9.605/98), em decorrência do rompimento da Barragem de Algodões.

    Além de Wellington Dias figurar como réu, a ex-presidente da EMGERPI Lucile Moura era corré na ação penal. Mas por falta de foro privilegiado, a parte do processo que trata das responsabilidades de Lucile Moura no episódio foi desmembrada e remetida à Justiça Comum do Estado do Piauí.

    Espera-se que, desta vez, haja pelo menos um julgamento que os declare inocentes ou culpados.

    Os artigos pelos quais Wellington e Lucile são acusados são os seguintes:

    Art. 40. Causar dano direto ou indireto às Unidades de Conservação e às áreas de que trata o art. 27 do Decreto nº 99.274, de 6 de junho de 1990, independentemente de sua localização:

    Pena - reclusão, de um a cinco anos.

    Art. 54. Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora:

    Pena - reclusão, de um a quatro anos, e multa.

    § 2º Se o crime:

    I - tornar uma área, urbana ou rural, imprópria para a ocupação humana;

    III - causar poluição hídrica que torne necessária a interrupção do abastecimento público de água de uma comunidade;

    Pena - reclusão, de um a cinco anos.

    O QUE DIZEM OS CITADOS

    O Política Dinâmica entrou em contato com o advogado Germano Tavares, que faz parte da banca de advogados que defende o governador Wellington Dias. Ele diz que “nos processos que tenha como parte o senhor José Wellington Barroso de Araujo Dias, a defesa só irá se manifestar nos autos do processo e/ou quando houver o trânsito em julgado da ação”.

    Não conseguimos contato com a defesa de Lucile Moura. O espaço está aberto para manifestações.


    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • segunda ,29 de abril de 2019, às 21:04h

    Há alguns dias, circulou a informação de que o ex-deputado federal Paes Landim estaria insatisfeito no PTB e pensando seriamente em sair da sigla. Pode ter sido um rompante no momento, mas de maneira nenhuma uma decisão. Se sair do partido sem motivo, ele perde a segunda suplência que ocupa na fila dos deputados federais que apoiaram a reeleição de Wellington Dias (PT) ao Governo do Estado.

    Segundo suplente da coligação Paes Landim só depende da boa vontade de Wellington Dias para voltar a ser deputado federal, mas não pode sair do PTB (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Depois que o petista Merlong Solano assumiu a cadeira de deputado no lugar do deputado federal Fábio Abreu (PR), Paes Landim ficou na beira do campo e está doido para entrar no jogo. Uma desfiliação do PTB poderia ser questionada pelo suplente seguinte, o progressista Mainha. Se não for o PP a questionar, pode ser o Ministério Público. E com a grande perspectiva de que Merlong volte a ocupar um cargo no governo, quem iria correr o risco de perder um gabinete em Brasília?

    Ainda que emprestado, gabinete é gabinete.

    Sem falar que o motivo de “falta de consideração” alegado por Paes Landim não consta na legislação vigente como justificativa para a saída do partido.

    Jurista experiente e conhecedor dos corredores das instâncias superiores da capital federal, Landim certamente sabe disso.

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • segunda ,29 de abril de 2019, às 12:04h

    #ServiçoPorco feito pela #ÁguasDeTeresina em frente ao Riverside põe em risco pedestres, ciclistas e motoristas (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    Pedestres, ciclistas e condutores de veículos em geral estão diariamente correndo risco de acidentes provocados pela irresponsabilidade e falta de compromisso da Águas de Teresina. São dezenas as vias destruídas pela empresa, que após abrir buracos, não faz o reparo devido e de qualidade em ruas e avenidas da capital.

    O Política Dinâmica, então, inicia agora uma campanha para que a Águas de Teresina faça um trabalho que preste. E você pode colaborar com as hashtags #ÁguasDeTeresina e #ServiçoPorco.  

    Veja o vídeo!

    Quando em 2016 a AEGEA venceu a licitação da subconcessão dos serviços da AGESPISA, era de se esperar que a vida do teresinense não iria ficar mais fácil. Dito e feito. Como o trabalho dela está sendo questionado na Justiça — a AEGEA ainda pode perder a subconcessão — parece que a ordem é ganhar o máximo de dinheiro e fazer o mínimo de serviço até que haja uma decisão final do Poder Judiciário.

    Até lá, o cidadão sai penalizado. Mas é possível virar a mesa. Para isso, basta que a sociedade se engaje numa campanha simples. Tirando fotos e gravando vídeos e postando em suas próprias redes sociais com essas duas hashtags: #ÁguasDeTeresina e #ServiçoPorco. É importante, também, marcar o endereço de onde está localizado o problema.

    Contribuinte está pagando duas vezes por um serviço pior em Teresina (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    Contestando a propaganda oficial, o cidadão pode evitar pagar a mesma conta duas vezes. Afinal quando o poder público asfalta uma via, o cidadão está pagando. Quando essa via é destruída e a #ÁguasDeTeresina faz esse #ServiçoPorco, o cidadão está pagando outra vez, por um produto sem a menor qualidade e ainda é obrigado a ver publicidade dizendo que está tudo bem.

    Veja esse outro vídeo!


    Está na hora de agir.

    Compartilhe!

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • sexta ,26 de abril de 2019, às 11:04h

    Franzé é o nome do PT que pode bater chapa com tucanos de igual para igual (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    “Esqueça essa de Dudu. O nome é o do Franzé!”, me exclamou um petista esta semana. Obviamente, seu nome será preservado — ele não quer ter que explicar no Karnak o porquê de suas palavras estarem no Política Dinâmica —, mas a lógica dos seus argumentos merecem respeito.

    O PT sempre teve candidato em Teresina. E sua bancada vinha crescendo. Em 2008, Nazareno Fonteles teve 100 mil votos e o PT fez 2 vereadores. Em 2012, Wellington Dias teve 59 mil votos, e a bancada saiu de 2 para 3 vereadores. “Em 2016 não tivemos candidato pela primeira vez, e nossa bancada recuou. Esse erro não podemos mais cometer”, argumentou o petista.

    Faz sentido? Faz, claro. Um candidato do partido, por pior que seja, ainda é um bom palanque, afinal, obriga o governador a entrar minimamente na campanha, o que não aconteceu em 2016 com Amadeu Campos (PTB), que foi largado por Wellington Dias. O governador na época foi passear em Barra Grande no dia do lançamento da campanha de Amadeu a prefeito. Que apoio!

    Deputado, técnico, do núcleo duro do Governo do Estado e amigo do governador Wellington Dias; Franzé é o caminho do PT em Teresina (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    O PT vai ter muitos candidatos a vereador. Alguns deles, ex-deputados, como Cícero Magalhães e João de Deus. Outros, ex-secretários, como João Rodrigues, que pode tentar uma vaga na Câmara depois de ser posto para fora da CCOM e ter torrado R$ 120 milhões em propaganda durante o 3º mandato de Wellington Dias. 

    Numa eleição que promete ser muito disputada, ter o controle de sua campanha majoritária é fundamental.

    E onde entra Franzé? “Diferente do Dudu, Franzé tem experiência de gestão. De verdade. É do núcleo de decisões do governador. De verdade. E tem um perfil técnico. De verdade. O Dudu é alguém importante pra gente ter na campanha e na Câmara. Sabemos da boa vontade dele e tudo o que ele faz pelo partido durante seu mandato. Mas o Franzé teria suporte partidário e político incontestável. E ele pode bater de frente com o argumento dos tucanos de que ‘Teresina gosta de técnicos na Prefeitura’. Ora, ele tem resultados atuais da gestão dele pra mostrar”, debulhou nossa fonte.

    “E faz sentido isso, Marcos?”, você, leitor, pode me perguntar.

    Sinceramente? Faz!

    Mas dar certo, aí são outros 500.

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • quinta ,25 de abril de 2019, às 20:04h

    Deputada garante que continua dando suporte ao prefeito Firmino Filho e que amizade com Themístocles Filho não atrapalha a política municipal em Teresina (foto: Marcos Melo | politicaDInamica.com)

    Se o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) e o presidente da Alepi Themístocles Filho (MDB) têm lá suas diferenças, não é a deputada Teresa Britto que vai ficar no meio da confusão. Ao Política Dinâmica ela lamentou que adversários do prefeito estejam plantando notícias falsas na imprensa e garante: o PV continua na base da atual gestão da PMT.

    “Infelizmente, quem recebeu essa informação não nos procurou para saber a verdade”, lamentou. A parlamentar, que é oposição à gestão de Wellington Dias (PT) no Governo do Estado aponta que adversários do prefeito devem estar por trás das fake news.

    Teresa Lamenta que jornalistas não tenham ligado pra ela para apurar a informação antes de divulgarem notícia falsa (foto: Marcos Melo | politicaDinamica.com)

    “Sou amiga do presidente Themístocles, mas vamos continuar na base do prefeito Firmino”, garante.

    Veja o vídeo!


    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • segunda ,22 de abril de 2019, às 21:04h

    O deputado Henrique Pires se dispôs a contestar as declarações do Dr. Pessoa sobre o tal “calundu” emedebista. E garantiu: o MDB vai ter candidato a prefeito da capital, podendo ele mesmo ir para a disputa.

    Henrique comentou que um partido do tamanho do MDB (com 5 deputados estaduais, um federal e um senador) não iria ficar fazendo pré-campanha para o Dr. Pessoa sem que ele esteja filiado. “Não tem nem sentido isso. Nem essa história de calundu. O que acontece é que ele [Dr. Pessoa] é uma grande liderança, e estando filiado ao MDB, é quase 100% de certeza que o nosso candidato seja ele. Mas até que ele esteja devidamente filiado, o MDB não vai ficar promovendo o nome dele”, argumentou.

    Sem candidato, o MDB não fica: Henrique Pires assegura que pode ser candidato a prefeito caso Dr Pessoa não se filie ao MDB (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    E claro, há lógica nisso. Do jeito que Pessoa desconfia que o MDB pode lhe negar a legenda às vésperas das convenções, o MDB desconfia que Dr. Pessoa pode ficar usando o partido para esquentar seu nome e se filiar a outra sigla mais adiante.

    E se Dr. Pessoa não se filiar? Bem, neste caso o próprio Henrique pode ir pra disputa. “Sem candidato, o MDB não fica. Aliás, eu já votei duas vezes no prefeito Firmino Filho e duas vezes no governador Wellington Dias. Talvez seja a hora dos dois votarem em mim. O meu nome pode ser o que vai unificar essas duas lideranças”, pondera Henrique.

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • segunda ,22 de abril de 2019, às 21:04h

    Tem gente no MDB que vai ficar de lado na hora da partilha do primeiro escalão de Wellington Dias (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Às vésperas da partilha dos cargos do Governo Estadual, ainda não se sabe ao certo o que passa pela cabeça do governador Wellington Dias (PT). Já no segundo principal partido da base aliada, o clima é de expectativa: quem vai ficar com o quê? E quem vai decidir isso?

    O MDB tem 5 deputados estaduais: Severo Eulálio (47.175 votos), Zé Santana (45.813 votos), Themístocles Filho (42.773 votos), Henrique Pires (38.391 votos), Pablo Santos (38.177 votos) e João Mádison (30.118 votos). Tem um deputado federal, Marcos Aurélio Sampaio (73.302 votos); e um senador, o presidente estadual do partido, Marcelo Castro (812.213 votos).

    Nos bastidores do Karnak, a história é a de que Severo, Zé Santana, Pablo e Marcelo Castro devem ganhar — ou manter — grandes secretarias “de porteira fechada”.

    Themístocles já estaria bem agraciado com a própria Assembleia Legislativa — onde ele se tornou presidente pela oitava vez num consenso entre os aliados de Wellington —, e para João Mádison e Marco Aurélio ficariam com alguma “pastinha” de segundo escalão para movimentarem suas próprias emendas parlamentares. Henrique Pires, nessa avaliação do Karnak, ficaria com algo ainda menor: nada.

    Importante aliado durante o governo federal de Michel Temer, o emedebista Henrique Pires deve ficar sem qualquer indicação rocusta no governo de Wellington Dias (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Acontece que, teoricamente, o acordo feito entre o governador era para que Wellington destinasse os espaços ao MDB e, internamente, seus integrantes fizessem a divisão.

    Mas se os cargos já saírem do Karnak destinados a parlamentares específicos, quem ganhar mais não vai dividir, que tiver menos — ou não tiver nada —, também não terá como equilibrar a balança.

    Wellington Dias sabe dividir para conquistar.

    O senador Marcelo Castro não foi encontrado para comentar a questão.

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • segunda ,22 de abril de 2019, às 12:04h

    Wilson martins pode disputar uma vaga de vereador em 2020 em Teresina (foto: Marcos Melo | politicaDInamica.com)

    Depois de duas derrotas seguidas em disputas majoritárias para o Senado da República, o ex-governador Wilson Martins admitiu pela primeira vez ao Política Dinâmica que pode disputar uma vaga na Câmara Municipal de Teresina em 2020. E apesar de reconhecer que seu partido tem encolhido nos últimos anos, assegura que vai permanecer no PSB.

    Wilson nos recebeu em seu consultório após uma manhã inteira de consultas. Questionado sobre uma possível mudança de partido, o ex-governador falou sobre a sondagem feita pelo DEM. “Sim, fomos sondados pelo Democratas”, disse, revelando que, curiosamente, a investida partiu de um integrante do MDB nacional, o atual senador pelo estado de Pernambuco, Fernando Bezerra Coelho, líder do governo federal no senado.

    “Temos uma boa relação com o Rodrigo Maia (integrante do DEM e presidente da Câmara Federal), com o (ex) deputado Heráclito Fortes, inclusive. Ficamos agradecidos pelo convite, mas temos a satisfação de pertencer e continuar no PSB”, assegurou.

    CÂMARA E PREFEITURA

    Wilson reconhece que suas duas derrotas seguidas em disputas para o senado enfraqueceram o PSB, mas enxerga um lado bom nisso. “O bom é que depuramos, estão ficando aqueles que tem a filosofia do partido e que tem em mente aquilo que Eduardo Campos nos ensinou: não podemos desistir do Brasil nem do Piauí”.

    Se a Câmara de Teresina seria um ponto de recomeço, o ex-governador não fez arrodeios. “Não é recomeço, temos uma história de luta pelo bem do povo do Piauí. Não se apaga isso. Agora, claro que é necessário ter a humildade de continuar trilhando novos caminhos”, avaliou.

    Wilson diz que sua prioridade é fazer uma chapa para lançar novas lideranças em Teresina (foto: Marcos Melo | politicaDInamica.com)

    Mas segundo Wilson, sua candidatura não é a prioridade. “Estamos preparando o partido para as eleições municipais, com um olhar especial para Teresina. A prioridade é estabelecer uma chapa que traga novas lideranças, dê chance para que Teresina conheça gente nova mesmo”.

    Nesse sentido, Wilson diz que uma possível candidatura sua seria avaliada apenas no ano que vem. Se a expectativa for a de que ele pode conseguir uma votação acima do quociente eleitoral — algo em torno de 15 mil votos, em projeções para 2020 em Teresina — então ele estaria colocando mais votos na chapa e ajudando a eleger alguém que poderia ficar de fora. Se pesquisas apontarem que essa meta não seria atingida, para preservar a renovação de lideranças, Wilson ficaria de fora da disputa.

    De todo modo, Wilson diz que a chapa proporcional é a prioridade. E apenas depois de montá-la é que seus integrantes vão avaliar que candidato a prefeito merece seu apoio. “Coisa que só deve acontecer lá pro final de março do ano que vem”, conta.

    Veja um trecho da entrevista!


    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina
  • sábado ,20 de abril de 2019, às 17:04h

    Há poucos dias, Pessoa foi ao encontro de Silvio Mendes e do deputado estadual Marden Menezes, do PSDB; o encontro gerou muitas especulações sobre as eleições de 2020 (foto: Redes Sociais)

    Nos últimos dias o ex-deputado estadual Dr. Pessoa (SD) passou por uma maratona de encontros políticos disfarçados de cortesia. Esteve com o ex-prefeito Silvio Mendes e, também, com o atual prefeito da capital, Firmino Filho (PSDB). Segundo o próprio Dr. Pessoa, essas e outras lideranças estão aproveitando uma grande brecha deixada pelo MDB.

    “A primeira coisa que eu quero dizer é que o Dr. Pessoa não tem inimigos. Fomos adversários políticos em campanha de algumas lideranças, mas sem rancor, sem ódio no coração”, disse Pessoa ao Política Dinâmica para justificar o ar de conforto exibido nas imagens de todas essas reuniões.

    Pessoa avalia que Firmino provocou a conversa aproveitando o "calundu" do MDB (foto: Lucas Pereira | Teresina Diário)

    Ele explica que depois de duas eleições majoritárias em que caminhou praticamente sozinho — as disputas de prefeito de Teresina em 2016; e de governador do Piauí, em 2018 —, teve que parar e refletir sobre participar de um grupo político maior. Nesse caminho, o MDB se apresentava como boa opção. “Mas eles lá queriam que eu me filiasse imediatamente. E quem tem tempo, não precisa ter pressa”, frisou.

    Foi aí, que segundo Pessoa, o grupo do atual presidente da Alepi, deputado estadual Themístocles Filho, ficou de “calundu”, uma maneira bem popular de dizer que os emedebistas ficaram irritados e mal humorados sem motivo aparente.

    No evento em que o MDB queria que Dr. Pessoa se filiasse ao partido, os deputados da sigla se preocuparam mais em projetar o nome de Marcelo castro para a disputa de governo em 2022 (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica.com)

    Na conversa com o Política Dinâmica, Dr. Pessoa assegurou que ainda tem pique para disputas majoritárias e expôs um receio em relação ao MDB. “Eles não deixaram o João Henrique Sousa ser candidato ao Governo do Estado, mesmo sendo um homem honrado e viajando pelo Piauí inteiro”, pontuou, com certa desconfiança a respeito do “pragmatismo” partidário do MDB.

    Para quem observa um pouco mais de perto o cenário, é fácil imaginar o que pode passar pela cabeça do Dr. Pessoa. Neste exato momento, o PT quer uma candidatura própria em Teresina -- o nome do deputado estadual Franzé Silva tem sido o mais cotado -- e o MDB pode se ver obrigado a apoiá-lo em 2020 para cobrar apoio a Marcelo Castro em 2022. Ou seja: o projeto do presidente estadual é maior que o de qualquer novo filiado. 

    Faz todo o sentido. 

    • Maio Amarelo - Teresina 2
    • Maio Amarelo - Teresina


voltar para 'Política Dinâmica'