Coluna Marcos Melo
  • 17 de julho 2019

    quarta ,17 de julho de 2019, às 04:07h

    Wellington mais uma vez vai colocar servidores e fornecedores para pagar as contas da sua (falta) de gestão (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    Você já ouviu falar que alguém, pra receber dinheiro do Governo do Estado, teve que abrir mão de 10, 20, 30 ou até mesmo 40% do que deveria ser pago? Pois bem, agora é oficial. Pelo menos no que diz respeito aos precatórios. A equipe de “engenharia econômica” de Wellington Dias (PT) achou uma maneira de pegar empréstimo, pagar menos a quem deve e fazer sobrar dinheiro para gastar de qualquer jeito, tudo de uma só vez.

    TOQUE DE CAIXA

    A velocidade com a qual Wellington Dias fez sua base tramitar e aprovar o projeto de lei do empréstimo na Assembleia Legislativa já é por si só um indício de que a intenção pode não ser das melhores. Afinal, os dois últimos empréstimos — Finisa I e II — ainda são objeto de auditoria e investigação na Justiça e nos Tribunais de Contas.

    Nem o relator soube explicar direito o que havia no projeto de lei aprovado na Alepi (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    Mas a matéria passou tão rápido pela Alepi que imprensa, deputados, todos foram induzidos ao erro de, primeiro, achar que o empréstimo seria para pagar imediatamente a dívida e, segundo, estimar que a dívida do Estado com precatórios chegava perto desses R$ 1,5 bilhão. Nem um, nem outro.

    O TAMANHO DA DÍVIDA

    Segundo documento assinado pelo secretário de Fazenda Rafael Fonteles, o “estoque” da dívida de precatórios era, em janeiro de 2019, de R$ 439.856.781,18. É tudo o que o Piauí tem que pagar, obrigatoriamente, por força da Emenda Constitucional 99/2017 até o dia 31 de dezembro de 2024. Sim, tudo deve ser quitado em 5 anos e meio. Agora Wellington Dias vai pegar esse valor em empréstimo, e, ao contrário do que se pode pensar, não vai pagar a dívida de uma vez. Vai “pechinchar”.

    OS 40% DO GOVERNO

    Digamos que alguma empresa ou pessoa física ganhou uma causa contra o Estado no valor de R$ 100 mil. Para receber tudo, talvez tenha que esperar até 2024. Mas se quiser receber imediatamente, vai ter que abrir mão de parte do dinheiro. Quanto mais o coitado deixar na mão do governo, mais rápido vai receber o que sobrar. Isso já existe, todos sabem. Mas agora a escala é outra!

    Sem pena: planejamento de economia realizado por Rafael Fonteles é economizar até 40% em cima do dinheiro que servidores e fornecedores tem para receber do Estado em precatórios (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    Pela experiência e previsão do secretário Rafael Fonteles, o Estado vai conseguir fazer acordo com pelo menos metade da dívida e, na média, vai conseguir que os credores abram mão de 40% de tudo o que o governo deveria lhes pagar.

    Os cálculos foram enviados ao Tribunal de Justiça em fevereiro deste ano. E já nesse documento o TJ era informado sobre proposição de lei com o objetivo de regulamentar a “conciliação”, que por sí só não seria possível na escala planejada pelo Estado sem o tal empréstimo.

    SERVIDOR PREJUDICADO

    Só para constar: segundo o Relatório Contábil do Governo do Estado referente ao ano de 2018, mais de 73% dos precatórios são dívidas do Estado com servidores. A “economia” que Wellington pretender fazer com esse empréstimo vai ser dar às custas das perdas que servidores estiverem dispostos a aceitar.

    A PERGUNTA QUE NINGUÉM RESPONDE

    Agora, presta atenção: se a dívida é hoje de pouco mais de R$ 400 milhões e o governo vai pegar R$ 1,5 bilhão emprestado para pagar os credores com descontos e ainda parcelado, o excedente vai passar de R$ 1 bilhão.

    E o que vai ser feito com esse dinheiro?

    Só pelos documentos que você viu acima e as entrevistas que você vê logo abaixo, o Ministério Público já deveria intervir.

    Veja!


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça ,16 de julho de 2019, às 20:07h

    Ex-adversários: vestido de vermelho, Dr. Pessoa vai à casa de Wellington beijar a mão de petista (foto: divulgação)

    Desde a Segurança Pública até a Saúde, que é sua área de trabalho, o Dr. Pessoa não poupou críticas durante a campanha de 2018 ao atacar a gestão de Wellington Dias (PT). Mas a política, como se sabe, é dinâmica. Às vezes, no Piauí, bem mais que em outros lugares. Assim, já é possível ver o Dr. Pessoa caracterizado de petista, afinal, a campanha agora é outra: a de prefeito em 2020.

    Levado pelo deputado estadual Themístocles Filho, presidente da Assembleia Legislativa, e acompanhado pelo vereador Jeová Alencar (PSDB), presidente da Câmara Municipal de Teresina, Dr. Pessoa foi tomar café com Wellington na manhã desta terça-feira (16) na residência oficial.

    Pode até ter sido coincidência: vestir uma camisa vermelho PT para ir até a casa do governador petista. Mas pareceu bem oportuno, isso pareceu.

    Aliás, Wellington Dias confirmou: a visita de Pessoa o agradou muito.

    O que eles conversaram?

     Veja no vídeo!


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta ,11 de julho de 2019, às 13:07h

    Robert Rios aponta necessidade de políticos envolvidos em supostos crimes de proteger seu futuro fora da cadeia (Foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    A defesa da impunidade penal para quem se faz valer de Caixa 2 em campanhas eleitorais não caiu bem para o senador Marcelo Castro (MDB). Nesta quinta-feira (11) o delegado aposentado da Polícia Federal e ex-deputado estadual Robert Rios (DEM) “foi no rumo” do emedebista e disparou: “ele não é obrigado a legislar contra si”.

    Em entrevista ao Política Dinâmica na FM O DIA 92,7, Robert não ficou apenas na ironia. “Ele [Marcelo] é investigado por supostamente ter recebido um milhão de reais do [ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara Federal] Eduardo Cunha”, frisou.

    Veja o vídeo!


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta ,19 de junho de 2019, às 00:06h

    Por um triz: o encontro de Pessoa e Luiz Lobão foi constrangedor e crise só não foi maior pela presença de Jeová Alencar descontraindo o momento (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica.com)

    De um lado, Dr. Pessoa buscando manter a porta do MDB aberta para a sua candidatura a Prefeito de Teresina em 2020. Do outro, o vereador Luiz Lobão reivindicando o direito de disputar a indicação em convenção. Os dois se encontraram nesta terça-feira (18) na Câmara Municipal de Teresina e o constrangimento está no vídeo abaixo.

    Pessoa não está filiado ao partido. Nem o interlocutor de sua possível filiação — o presidente da CMT Jeová Alencar — o é ainda. Mas a conversa estava autorizada em nome do deputado estadual Themístocles Filho, presidente municipal do MDB. E quando essa conversa estava acabando, chegou o vereador Luiz Lobão, emedebista da cota do senador Marcelo Castro, presidente estadual da sigla.

    Pode ter sido até ansiedade, mas a reação de Pessoa à abordagem de Lobão não foi o melhor recado que ele poderia dar aos emedebistas de quem quer apoio (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica.com)

    Pessoa e Lobão querem disputar a Prefeitura. Então não deu outra. O ex-deputado recebeu o vereador de braços abertos mas já dizendo que se o abraço fosse sincero, estava bom, “mas se for abraço de tamanduá, pode ir pra lá”. E continuou: “Meu colega médico, meu amigo, mas eu não sei porque que a alma dele não se aproxima da minha”, apontou Pessoa diante de câmeras e microfones.

    Talvez pela presença da imprensa -- e certamente pela postura descontraída de Jeová Alencar ao lado de ambos --, Luiz Lobão se conteve, até tentou emendar com uma brincadeira. Mas inevitavelmente o clima pesou quando os dois foram questionados sobre a tal candidatura majoritária. 

    Lobão disse que vai pra convenção disputar a indicação do MDB. Pessoa foi enfático ao alegar que a escolha seria unilateral de Themístocles.

    Veja o vídeo!

    Os grupos de Themístocles e Marcelo Castro, interna e inegavelmente divergem e disputam poder no MDB. Basta olhar para 2018 e constatar que para Marcelo entrar na chapa de Wellington Dias (PT) como senador, Themístocles teve que ser colocado pra fora da vaga de vice. Cada um cuidando de seus interesses. É da política. A mesma política onde quem quer ser prefeito, não divide partido.

    Segundos depois, Pessoa refez a frase, dizendo que “o MDB vai decidir”. De todo modo, o estrago já estava feito.

    Quem é que manda mesmo nessa indicação? Themístocles ou Marcelo?

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda ,17 de junho de 2019, às 23:06h

    Wellington Dias agora se mostrou preocupado com o rombo nas contas públicas; ainda assim, mandou mais dois suplentes para a ALEPI (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica.com)

    “Nossa bancada é bastante atenta” e “Sempre defendi reforma ampla com Estados, Municípios, setor público e privado”. Com estas duas frases o governador Wellington Dias mandou o recado: a bancada deve aprovar a reforma da Previdência.

    Por trás de toda firula ideológica, surgiu agora alguém preocupado com o rombo que a Previdência está causando no Piauí. Talvez menos por competência administrativa e preocupação com o desenvolvimento do estado, e mais ansioso por salvar alguns milhões para ordens de serviços eleitoreiras — já visando uma candidatura de senador em 2022 — e, quem sabe, não atrasar salário pra não atrapalhar a campanha.

    Ainda assim, preocupado. Mas vamos ver até onde vai essa preocupação observando os votos que ele tem dentro de casa: Rejane Dias e Assis Carvalho, ambos do PT e parentes do petista. Como eles vão votar?

    Veja o vídeo!

    MAIS SUPLENTES

    A entrevista de Wellington Dias aconteceu nesta segunda-feira (17) na Assembleia Legislativa do Piauí, para onde ele mandou mais duas suplentes: Belê Medeiros (PP) e Elisângela Moura (PCdoB). Já são meia dúzia aumentando os gastos com gabinetes e etc. E se isso contradiz a reforma administrativa que pregava austeridade e economia? De jeito nenhum, segundo o governador!

    EM DIA

    Aliás, sobre empréstimos, especula-se a possibilidade de o Governo do Estado do Piauí conseguir algo em torno de R$ 1 bilhão junto ao Banco Mundial. Dinheiro pra desafogar o caixa e tocar projetos sociais e de desenvolvimento. Extra-oficialmente há informações sobre a impossibilidade dessa operação de crédito: o Estado estaria devendo parcelas de empréstimo anterior.

    Questionado sobre dívidas com o Banco Mundial, Wellington mudou de feição diante da câmera (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    Mas apesar de mudar completamente de feição ao ser questionado no vídeo, Wellington cravou: tais dívidas não existem.

    Anotem.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • domingo ,16 de junho de 2019, às 22:06h

    Major Diego alega que o Comando da PMPI tem muitas explicações a dar sobre "25 licitações suspeitas", segundo ele (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    São milhões de reais pagando nada menos que 25 licitações que a Associação dos Oficiais Militares do Piauí (AMEPI) considera suspeitas e uma denúncia feita ao Tribunal de Contas do Estado do Piauí. Segundo o presidente da entidade, major Diego Melo, o Comando-Geral da Polícia Militar protelou por quase dois anos a entrega de documentos para análise e essa atitude já dá o tom da polêmica.

    Por meio de sua assessoria de imprensa, o agora deputado estadual Carlos Augusto (PL) — comandante da PMPI à época das licitações — informou que suas contas já foram aprovadas pelo TCE e não há mais investigações em curso. “Na verdade essas contas já foram julgadas e aprovadas, pelo próprio TCE, e não existe decisão do TCE nesse sentido, pelo menos nunca fui notificado, mas todas as informações estão no site da transparência e o sistema Weber, não tenho nenhuma pendência nas minhas contas nos 12 anos de gestão”.

    De todo modo, o TCE determinou a entrega da documentação sobre as licitações para a AMEPI. 

    E o Major Diego acredita que ainda existe muita explicação a ser dada.

    Veja no vídeo!



    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • domingo ,16 de junho de 2019, às 22:06h

    Evaldo diz que volta à base acreditando na gestão de Wellington, mas também para fiscalizar o governo petista (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    Em entrevista na última semana, o deputado estadual Evaldo Gomes explicou ao Política Dinâmica como se deu o retorno de seu grupo político à base governista. De partido novo e presidindo agora o Solidariedade, Evaldo garantiu em alto e bom som diante dos microfones da FM O Dia que acredita que Wellington Dias (PT) tem condições de fazer um governo melhor nos próximos 4 anos do que fez nos últimos 3.

    E garante: vai fiscalizar!

    Veja o vídeo!


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta ,14 de junho de 2019, às 00:06h

    O atraso atinge os que não votaram em Wellington Dias e, também, os que fizeram campanha para o petista (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    Que Wellington Dias não liga para o atraso de salários de funcionários terceirizados, todos já sabem. Os coitados não entram na conta quando o petista e sua trupe repetem o discurso do “salário em dia”. Mas a conta do descontrole do governo agora já chegou para parte dos aposentados também.

    Quase mil servidores inativos da Assembleia Legislativa do Piauí ainda não receberam o dinheiro de suas aposentadorias referente ao mês de maio de 2019. O montante devido não foi revelado, mas fontes acreditam que o valor chegue perto dos R$ 5 milhões.

    “O que acontece é que quando a gente se aposenta, deixa de receber pela ALEPI e passa a receber pelo IAPEP. Até o início do ano recebíamos [a aposentadoria] junto com os [salários dos] servidores da ativa. Mas não é mais assim. Agora é sofrimento. Não tenho dinheiro para comprar meus remédios”, relatou um aposentado que, alegando sentir-se humilhado, não quis se identificar.

    O Política Dinâmica confirmou o atraso com fontes da ALEPI e do Governo do Estado. Os aposentados da Assembleia, de fato, ao se tornarem inativos, passam a receber pelo IAPEP. Mas até o mês de fevereiro deste ano, a ALEPI fazia um “favor” ao Governo do Estado: pagava com recursos próprios os inativos e esperava o ressarcimento. Os salários na ALEPI são pagos todo dia 11 de cada mês. 

    “Mas o Estado começou a atrasar demais, e isso estava colocando em risco os compromissos e obrigações da própria ALEPI. Então agora a folha dos aposentados só vai para o banco quando o IAPEP deposita o dinheiro”, explicou a fonte da ALEPI.

    “Sim, os salários estão atrasados. Mas aqui no Governo [do Estado], a ordem é tratar como um caso isolado. Dezenas e dezenas de aposentados já ligaram e vieram aqui. Alguns bastante desesperados. Parece que arrumaram aí um dinheiro para pagar [o atrasado] nesta sexta-feira [dia 14 de junho]”, alega uma fonte dentro do IAPEP.

    A mesma pessoa, em tom de desabafo, continuou falando sobre o tema. “Acho até que vão usar essas manchetes sobre a queda do FPM para justificar. Mas estou aqui há mais de 15 anos e essas variações do Fundo de Participação [dos Estados] são as mesmas desde sempre. Previsíveis como um relógio. Aqui tá é bagunçado mesmo. O Estado está no fundo do poço para bancar as eleições desse povo que manda aí. Quando sobra pra campanha, falta pra salário mesmo”.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça ,11 de junho de 2019, às 15:06h

    Wellington promete sorrindo aquilo que sabe que não vai cumprir (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Enganando aliados e vendendo falsas esperanças ao povo, Wellington Dias e sua equipe colocaram o Piauí em estado de euforia por mais um empréstimo. Fala-se em R$ 2 bilhões a serem contratados. Mas um detalhe que o governo esconde impede a farra neste momento: segundo o Tesouro Nacional, as inadimplências da gestão de Wellington Dias impedem a contratação de empréstimos.

    Se essa dinheirama toda não fosse utilizada para encher os bolsos de empresas suspeitas que ganham licitações de obras mais suspeitas ainda, seria um bom impulso para a economia do Piauí. Mas se alguém aí ouviu promessa com esse dinheiro, pro bem ou pro mal, esqueça. Pelo menos por enquanto, não passam de enrolação do petista.

    Um dos itens listados no sistema do Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias -- mais conhecido como CAUC -- do Tesouro Nacional aponta que a gestão de Wellington Dias deixou de prestar contas de recursos federais recebidos anteriormente. Neste caso não foram empréstimos, mas transferências voluntárias do Governo Federal. Segundo o SIAFI, o Governo do Piauí não executou totalmente programas sociais vinculados aos recursos recebidos.

    Ainda segundo o Tesouro Nacional, o governo de Wellington Dias deixou de prestar informações no SIOPE, o  Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação. Os dados são bimestrais e não foram mais atualizados desde o último bimestre de 2018. Estão faltando três relatórios e as informações dos gastos em Educação dos últimos 7 meses. Na prática, Wellington Dias deixou de informar as receitas e despesas com manutenção e desenvolvimento do Ensino ao Governo Federal.

    Aliás, ainda sobre a Educação, outro problema: Wellington Dias não conseguiu provar ainda ao Governo Federal que gastou o mínimo de 25% na área de Educação. E esta é uma obrigação que consta na Constituição Federal, em seu artigo 212.

    Assim, novos empréstimos ficam impedidos pela própria ineficiência e falta de gestão do governo de Wellington Dias.

    E o mais grave: o governo de Wellington já não está conseguindo pagar as parcelas dos empréstimos que já pegou. Em 2018, por exemplo, foram quase 1 bilhão de reais em empréstimos, mas a União teve que pagar R$ 126 milhões em parcelas atrasadas por Wellington Dias, como mostram os dados do Relatório de Garantias Honradas pela União em Operações de Crédito, publicado no último mês de maio. Isso aí a propaganda oficial não mostra!

    E se novos empréstimos estão prejudicados por isso, imaginem, então, os antigos: não há qualquer previsão de que os recursos do FINISA, bloqueados pela Justiça Federal, sejam liberados.

    Aliás, a Justiça espera o resultado de 5 tomadas de contas especiais — auditorias na utilização dos recursos já liberados —, que repousa em gaveta localizada no gabinete do conselheiro Kennedy Barros, no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta ,22 de maio de 2019, às 11:05h

    A moeda mais importante na política é a confiança. Não tem estrutura que se sustente em campanha ou governo sem que antes de qualquer coisa haja confiança entre os envolvidos. E pelo que parece,  não é só dinheiro que está faltando ao Governo do Piauí.

    A desconfiança generalizada tomou conta da base da gestão de Wellington Dias (PT). Em 2018, os deputados estaduais que diziam apoiar o governador somaram mais de 1.400.000 de votos. O petista foi eleito com pouco mais de 966.000 votos.

    E como tem gente demais para governo de menos na hora de repartir secretarias e acomodar suplentes na Assembleia, chegou a hora de encontrar culpados.

    Quem foram os responsáveis pela "quebra" de quase 500 mil votos que Wellington deixou de receber? Um deles, segundo o PT, foi o deputado estadual B.Sá, de Oeiras.

    Seria bom para os progressistas se o senador Ciro Nogueira abrisse bem os olhos! Quem não conhece o governador pode achar que ele não quer mais o PP por perto... e quem conhece, tem certeza disso.

    Veja o vídeo!


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta ,16 de maio de 2019, às 22:05h

    Uma pedra no sapato de Wellington Dias: TCE aponta que farra dos comissionados pode ter sido irregular (fotos: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    É preto no branco. Na última segunda-feira (13), a Diretoria de Fiscalização da Administração Estadual (DFAE) apontou que o Governo do Estado supostamente descumpriu a Lei de Responsabilidade Fiscal ao nomear de uma só vez quase mil comissionados. A farra pode ter sido boa do ponto de vista político, mas está em desacordo com a Lei.

    Boa parte do pessoal é comissionado exclusivo pendurado em cabide de emprego. Um caso emblemático é o da irmã da deputada Margarete Coelho, Nailer Castro, que foi exonerada depois que a imprensa mostrou que ela ganhava salário na Secretaria de Governo em Teresina mesmo morando e dando expediente em São Raimundo Nonato (distante mais de 530km da capital), onde sua irmã é prefeita e ela é secretária municipal.

    Pois bem, no memorando 72/2019, endereçado ao presidente do Tribunal de Contas do Estado, a DFAE explica ao conselheiro Abelardo Pio Vilanova que todas as nomeações do primeiro quadrimestre de 2019 podem estar irregulares, uma vez que a gestão de Wellington Dias já ultrapassou o limite prudencial com gastos de pessoal.

    Veja:

    O parâmetro utilizado para o cálculo são os últimos 4 meses de 2018, no qual segundo a DFAE Wellington Dias já gastava 48,52% dos recursos do Estado com pessoal. O limite prudencial é de 46,55%.

    A LRF veda contratações, criação de cargos, empregos, funções e chegou a ser a desculpa utilizada pelo próprio Governo do Estado para não conceder aumento para algumas classes de servidores. A exceção desta regra reside apenas na reposição de pessoal em decorrência de aposentadoria ou falecimento nas áreas de saúde, educação e segurança pública.

    Assim, os fantasmas, mesmo encarnados, são irregulares.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta ,16 de maio de 2019, às 20:05h

    Nel afirma que Ministério Público já deveria ter se manifestado em caso de comissionados fantasmas no Karnak (foto: Marcos Melo | politicaDinamica.com)

    Na última semana o Política Dinâmica fez algumas contas simples e apontou que a professora Nailer Castro recebeu R$ 173 mil reais de salário no Governo do Estado entre janeiro de 2017 e março de 2019. E agora o empresário Manoel Lopes, filiado ao PSL, diz que vai entrar na Justiça para que esse dinheiro volte aos cofres públicos.

    Nailer virou um ícone do funcionalismo fantasma no Governo. Ela estava à disposição da Secretaria de Governo do Piauí em Teresina desde 2015. Acontece que em janeiro de 2017 ela passou a morar em tempo integral no município de São Raimundo Nonato, onde desde então passou a ser secretária municipal, primeiro de Educação, depois de Administração.

    Veja o vídeo da entrevista com Nel!

    “O Ministério Público já deveria ter pedido a devolução desse dinheiro. Esse dinheiro poderia ser utilizado para outras necessidades do Estado, mas foi parar indevidamente no bolso dessa senhora”, alega o empresário, que também faz parte do movimento Avança Piauí.

    Veja o vídeo sobre o caso citado na matéria!

    Nailer é, aliás, irmã da prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro, e também da deputada federal Margarete Coelho (Progressistas). Outra irmã sua, Sádia Castro, foi recentemente nomeada secretária de Meio Ambiente do Piauí, numa indicação que teve também a influência de seu cunhado, o deputado estadual Hélio Isaías (Progressistas).

    Curiosamente, Margarete, que é relatora do Projeto Anticrime do ministro Sérgio Moro na Câmara Federal, não se pronunciou sobre o caso até o momento.


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sábado ,11 de maio de 2019, às 20:05h

    Evaldo aproveitou a visita ao prefeito para reforçar o convite de filiação de Mão Santa ao Solidariedade (foto: reprodução)

    A eleição para prefeito de Parnaíba é mais do que simbólica para o Piauí. Não apenas por sua história, mas pelo presente: ao derrotar o PT em 2016, o atual prefeito Mão Santa marcou uma trincheira e iniciou um sentimento na população. E é de olho em 2020 que o deputado estadual Evaldo Gomes — presidente estadual do Solidariedade — está em sintonia com Mão Santa.

    Neste sábado (11) o parlamentar foi homenageado pelo parnaibano. Recebeu uma medalha e um diploma de mérito municipal pela, mãos do prefeito.

    Mão Santa está atualmente sem filiação partidária e parece estar escolhendo seu futuro entre o DEM e o Solidariedade. “Ele disse que tem tempo e quer aguardar um pouco. O que posso dizer é que a porta está aberta e vamos continuar conversando”, comentou Evaldo Gomes ao Política Dinâmica.


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta ,03 de maio de 2019, às 22:05h

    Todas as pastas com alguma relevância de gestão e orçamento estão sob o comando de petistas declarados ou disfarçados (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    “Primeiro eu, segundo eu, terceiro eu!”. Não se sabe ao certo que critérios o governador Wellington Dias (PT) utilizou para sair distribuindo as secretarias de sua 4ª gestão. Mas dá pra imaginar o que ele pensou na hora de fatiar o governo. O fato é que os petistas levaram enorme vantagem em cima dos aliados. Nada menos que 66,38% do orçamento será comandado por petistas.

    O Orçamento Geral do Estado previsto para este ano de 2019 é de R$ 10,9 bilhões. Deste total, R$ 9,6 bilhões é o orçamento do poder Executivo, ou seja, o bolo que Wellington Dias partilhou com sua base. E quem se deu muito bem foi o PT, claro.

    Os petistas comandam os 3 principais orçamentos do Estado: Administração, Educação e Saúde. Cinco entre as dez maiores secretarias estão com o PT.

    Aliados como o MDB e o Progressistas ficam cada um com apenas uma pasta dentre estas 10 maiores, perdendo para o PR, o “mais petista” dentre os aliados, que possui 3 de suas 4 pastas entre os 10 maiores orçamentos do Estado.

    Veja a lista:

    E estamos falando apenas do 1º e 2º escalões. Entram nesta conta a Secretaria Da Administração E Previdência (Merlong Solano), Secretaria Da Educação (indicação de Rejane Dias), Secretaria Da Saúde (Florentino Neto), Secretaria Da Fazenda (Rafael Fonteles), Secretaria Da Agricultura Familiar [antiga SDR] (indicação de Francisco Limma), Secretaria Do Planejamento (Antônio Neto), Secretaria De Cultura (indicação de Fábio Novo), a Coordenadoria De Comunicação Social (Allisson Bacelar), Secretaria Estadual Para Inclusão Da Pessoa Com Deficiência (indicação de Rejane Dias), o Emater (Francisco Guedes), Imepi (indicação de Dudu), Emgerpi (Décio Solano), Instituto De Águas, a Agespisa (indicação de Assis Carvalho), a ADH (indicação de Flora Izabel), o Interpi e a Secretaria de Governo (Osmar Júnior) que responde pela própria Governadoria Do Estado (Wellington Dias).

    Veja o vídeo!

    Ficaram de fora da conta as pastas do PR que são petistas também: a Segurança de Fábio Abreu, a Justiça de Daniel Oliveira/Dr. Hélio/Rejane Dias, e a Polícia Militar do Coronel Carlos Augusto.

    Também não estamos trabalhando aqui com as indicações de 3º escalão, que terminam sendo basicamente do PT também.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta ,03 de maio de 2019, às 21:05h

    Wellington passa por cima de Ciro e controla metade da bancada do PP (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Antes de mais nada, oficialmente, o Progressistas em palavras de seus presidentes estadual e nacional se disse satisfeito com o espaço que Wellington Dias (PT) lhe concedeu na montagem de seu novo governo. A ressalva ficou “apenas” na indicação da Secretaria de Meio Ambiente, que tanto o deputado Júlio Arcoverde quanto o senador Ciro Nogueira consideram “cota pessoal do governador” e não um espaço do PP.

    Dito isto, as explicações e análises são nossas. E vamos partir daí: a indicação da SEMAR. O golpe que Wellington Dias deu no PP não foi pequeno. O governador havia dito ao PP que a pasta do Meio Ambiente seria deles. O nome escolhido pelo partido foi o o suplente de deputado federal e presidente municipal da sigla Mainha.

    Ao indicar a irmã sem consultar seu partido, Margarete Coelho também ajudou a enfraquecer a figura do senador Ciro Nogueira (imagem: reprodução)

    Mas ignorando a indicação, Wellington ofereceu o espaço para a deputada federal Margarete Coelho, que foi sua vice na última gestão. Sem qualquer consulta ao partido, Margarete indicou a irmã Sádia Castro. Uma crise interna que o governador plantou no PP.

    Veja o vídeo!


    RECONHECIMENTO

    Pode-se dizer muita coisa do senador Ciro Nogueira, menos que ele não foi fundamental para o governo e a campanha de Wellington Dias nos últimos 4 anos.

    O PP teve a segunda maior votação proporcional em 2018, ficando atrás apenas do PT. Foi surfando inclusive na campanha de Ciro Nogueira que Wellington Dias foi eleito e o MDB também fez seu senador, Marcelo Castro.  

    Mas o reconhecimento disso não acontece se você olhar com cuidado para a montagem do governo de Wellington Dias.

    PROPORÇÃO

    O PP entrou no governo passado com 1 deputado estadual, Júlio Arcoverde, uma deputada federal, Iracema Portela, e um senador, Ciro Nogueira. Aos progressistas foram entregue o Detran e a SETRANS.

    Agora, com 5 deputados estaduais, 2 deputadas federais e 1 senador, o PP, além do Detran e STRANS, recebeu a Mineração, ADAPI e Meio Ambiente.

    O PP só tem uma pasta entre as 10 maiores do estado, e é a última desse ranking (imagem: reprodução | PoliticaDInamica.com)Já sabemos que o Meio Ambiente não é encarado como cota do partido, mas indicação pessoal do governador. E embora neguem oficialmente, também se sabe que a indicação do deputado Wilson Brandão para a Mineração e a entrega da ADAPI nas mãos do deputado Firmino Paulo foi um acerto de Wellington Dias no “varejo”.

    No final das contas, a SETRANS deixou, inclusive, de ser uma indicação de Ciro Nogueira e Iracema para ser do deputado Hélio Isaías. Assim, ao negociar direto com os deputados, Wellington Dias diminuiu a influência de Ciro sobre eles. Uma movimentação política para o futuro, claro.

    TAMANHO X ESPAÇO

    O PR não tem nem a metade da bancada do PP e comanda duas vezes mais orçamento que progressistas e emedebistas juntos

    De todo modo, deixando a política de lado, também podemos ver que a matemática não é a das melhores para os progressistas. Dentre as 10 maiores pastas do governo, apenas uma é do PP, exatamente a SETRANS, que não é mais indicação de Ciro.

    O PP teve 16,02% dos votos válidos para deputado estadual; 14,79% dos votos válidos para deputado federal e o senador eleito com mais votos, 29,92% dos votos válidos.

    O MDB teve menos: 15,72% dos votos válidos para deputado estadual; apenas 5,75% dos votos válidos para deputado federal e o senador eleito em segundo lugar com 27,06% dos votos válidos.

    Pois bem, o Departamento de Estradas e Rodagens que é indicação do senador Marcelo Castro tem, sozinho, orçamento quase igual ao que todas as pastas do Progressistas possuem juntas. Em 2019, o DER tem orçamento de R$ 233 milhões. Os Progressistas vão ordenar despesas de R$ 261 milhões. Tirando o Meio Ambiente que o PP não considera cota do partido, o valor cai para R$ 232 milhões. O MDB unido terá um orçamento de R$ 472 milhões no Governo do Estado.

    Outra comparação? Pois bem, com apenas 3 deputados estaduais e um federal, o PR comanda duas vezes mais orçamento que PP e MDB juntos.  O Progressistas estão acomodados num modesto 4º lugar no ranking dos partidos apaniguados por Wellington Dias.

    Se você lembrar do balão que Wellington Dias deu em Ciro Nogueira quando não entrou na disputa pelo comando da Assembleia, a situação chega a ser humilhante.

    O estranho é por muito menos, bem menos que isso, Ciro rompeu com Wilson Martins (PSB) em 2013.

    Mas vai entender, né?

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados


voltar para 'Política Dinâmica'