Coluna Marcos Melo
  • segunda ,15 de fevereiro de 2021, às 19:02h

    Em entrevista à TV Cidade Verde, hoje (15) o atual prefeito de Teresina afirmou que a pandemia do novo coronavírus é, em parte, um "castigo" divino.

    Na visão de Doutor Pessoa (MDB) é como se Deus -- que ele citou várias vezes em sua fala -- estivesse punindo as pessoas pela "falta de humanidade".

    Mortes por covid-19 podem ter sido castigo de Deus? Pessoa acredita que sim, pelo menos em parte (foto: reprodução)

    "Estamos pagando aqui na terra o que fizemos e estamos fazendo de mal para a Mãe Natureza, para aquilo que Deus nos deu, que foi os 'planeta', o universo", frisou.

    Médico, Pessoa se diz um "homem da ciência", mas entende que a pandemia veio recheada de castigo.

    Veja o vídeo:

    A capital do Piauí totaliza nesta segunda-feira 58.981 casos de infectados e 1.314 óbitos por conta da pandemia.

    O prefeito não explicou os "critérios técnicos" que levam Deus a escolher os doentes que morrem e as famílias que sofrem com isso.

    • R&G Feet
  • quinta ,11 de fevereiro de 2021, às 11:02h

    Quando o governador Wellington Dias (PT) e o seu secretário de Fazenda, Rafael Fonteles (PT), entregaram 246 viaturas para a Polícia Militar há duas semanas, muita percebeu que na foto de propaganda faltou o deputado federal Fábio Abreu (PL). Sabe-se, agora, que não esqueceram de convidá-lo: havia o propósito de que ele não estivesse na festa. O espetáculo das viaturas marca o distanciamento do Governo do Estado do desgaste que a campanha eleitoral de 2020 em Teresina colou na imagem de Abreu.Acabou Secretaria de Segurança para Fábio Abreu: Wellington e Rafael querem renovar a imagem do setor para a campanha de 2022 (fotos: Jailson Soares | Ascom GovPI | PoliticaDinamica.com)

    Aliás, o ex-secretário deve continuar ex-secretário. Informações do Karnak dão conta de que Wellington Dias há um bom tempo não via a hora de tirar Fábio Abreu da Secretaria de Segurança Pública e por isso o incentivou a ser candidato a prefeito de Teresina. Não foi falta de aviso, foi excesso de vaidade. E Wellington sabe trabalhar com essa matéria-prima. Chega a ser irônico que, meses atrás, o próprio Abreu comentasse nos bastidores que seria até o sucessor do governador em 2022, ao mesmo tempo em que o petista começava a esquentar a chapa para fritar Fábio. 

    Agora o governador quer alguém em que possa confiar, que seja técnico e discreto e sem intenção de usar a Segurança em campanha eleitoral (que não seja a dele próprio, claro), a exemplo do que já acontece no Comando da Polícia Militar. O nome já estaria escolhido.

    EITA!

    Não ter sido convidado a sair na foto das viaturas não foi o pior para Fábio Abreu. O contrato de locação dos veículos em si é que foi baque para a reeleição do deputado.

    A estratégia é mostrar Rafael Fonteles como alguém além da Secretaria de Fazenda e imprimir nele a imagem de gestor eficiente. E em nome dessa construção, algumas “torneiras” vão ser fechadas.

    Fingiu que nem viu: Fábio Abreu quis voltar para a Segurança indicando também o Comando da PMPI, mas para desilusão do deputado, Wellington não deu nem o cabimento (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    De acordo com o documento, a manutenção dos carros fica a cargo da locadora. Segundo fontes dentro do Propiauí (o programa de “retomada econômica” que serve de promoção para Rafael na pré-campanha de governador), as oficinas que prestam serviço para a Segurança são “um buraco sem fundo, que dinheiro nenhum no mundo é capaz de encher”.

    Para ninguém achar que é exagero, antes de assinar o novo contrato de aluguel, a equipe do Propiauí analisou os contratos e as despesas existentes na Segurança. Arredondando para melhorar o exemplo: tinha carro alugado a R$ 3.000,00 por mês cujo gasto mensal médio em manutenção girava em torno de R$ 4.000,00. É, NÃo Estado estava pagando mais em oficina do que em aluguel de carro. O “economista” por trás dessa fórmula seria um famoso Daniel, que o governo agora quer longe.As imagens que ninguém esquece de viaturas sucateadas e falta de combustível vão ficar associadas apenas à gestão de Fábio Abreu (fotos: Redes sociais | Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Por fim, o Propiauí deve revisar contratos de abastecimento. Para facilitar a mudança, uma denúncia deve chegar em breve ao Ministério Público. Nesse caso, é um tal e “Junior do posto” que vai ter que arrumar outro serviço. E um bom advogado.

    Não dá pra brincar com Wellington e Rafael. 

    • R&G Feet
  • sábado ,06 de fevereiro de 2021, às 16:02h

    O sistema de transporte público urbano da capital vai parar e a população mais uma vez vai sofrer.  Cobradores e motoristas querem que a Prefeitura honre um acordo feito na Justiça do Trabalho e querem reajuste salarial. O prefeito Doutor Pessoa (MDB) diz que não paga. E as empresas dizem que não conseguem negociar reajuste sem que a PMT faça sua parte: repassar (em dia!) o que é devido ao sistema.

    Um prefeito perdido: Pessoa não sabe o que fazer para arrumar o sistema de transporte público de Teresina (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    Quando assumiu o cargo de prefeito, Pessoa disse que iria arrumar o sistema em 100 dias. Faltam 65 e ele não sabe para onde vai. E a gente vai aqui explicar em linhas gerais o que está acontecendo.

    Confira aí!


    • R&G Feet
  • terça ,02 de fevereiro de 2021, às 17:02h

    Muita gente sempre reclamou que o ex-prefeito Firmino Filho (PSDB) -- assim tal qual todos os tucanos que passaram pela Prefeitura de Teresina -- governava sempre com a mesma "panelinha". A maioria das pessoas que reclamavam disso, trabalharam contra Kleber Montezuma (PSDB) em 2020 e ajudaram Doutor Pessoa (MDB) a se tornar prefeito. Vereadores, inclusive, na expectativa de que Pessoa pudesse fazer na PMT o que Wellington Dias (PT) sempre fez com o Governo do Estado, dividindo tudo com deputados estaduais e federais.
    E é o que pessoa está fazendo: deputados estaduais e federais é que ficaram com a PMT. Aos vereadores, nada além das migalhas que o próprio ex-prefeito dava. 

    É sempre bom ter cuidado com o que se pede, pois uma hora o desejo pode ser realizado. 

    • R&G Feet
  • segunda ,01 de fevereiro de 2021, às 11:02h

    Que o senador Ciro Nogueira (PP) está sendo cotado para ser vice de Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2022, todo mundo já sabe. A articulação é do próprio senador, aliás. Mas a novidade que pode tornar o cenário inusitado é a informação de que o ex-presidente Lula (PT) estaria articulando com o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), a indicação de Wellington Dias (PT) para ser seu vice na mesma disputa.

    Esse seria um dos motivos pelos quais Wellington pediu desculpas a João Dória por ter reclamado no grupo de Whatsapp dos governadores a respeito da primeira vacinação feita no Brasil feita pelo tucano. O petista já deu entrevista afirmado que já está “de boa” com Dória.  

    Será? Ciro e Wellington podem se enfrentar na disputa presidencial de 2022 (foto: Jailson Soares | Instagram | PoliticaDinamica)

    É no mínimo curiosa a possibilidade de que Ciro e Wellington se enfrentem em uma disputa nacional e que o Piauí tenha um amplo protagonismo na disputa pela Presidência da República. Seria a oportunidade perfeita para colocar na balança o que cada um já fez pelo Piauí.

    E faria, inclusive, muito bem ao Piauí, seja lá qual for o vitorioso. Afinal, campanhas dessa envergadura costumam jogar luz sobre esquemas dos adversários.

    Muito deputado desse estado iria virar manchete nacional. E o Brasil iria descobrir que o Piauí é um pobre estado onde os laranjas são ricos. Muito ricos.

    Já pensou?

    • R&G Feet
  • sexta ,29 de janeiro de 2021, às 19:01h

    Não haverá uma viva alma recebendo propina no Governo do Estado no dia que botar dinheiro em time de futebol do Piauí for investimento bom. Mas quando o dinheiro é surrupiado, ninguém tem pena de gastar. E 2021 promete ser ano de bons patrocínios para um clube piauiense que tem xará com história de campeão da libertadores. 

    Nos corredores de duas poderosas secretarias de Estado comenta-se que um grande fornecedor do governo vai bancar até R$ 500 mil por mês em patrocínio ao clube. Vai ter até reforma de centro de treinamento. Nada de paixão, "just business".

    É bom desconfiar de muito dinheiro entrando em time de futebol do Piauí... (foto: reprodução)

    Impostos à parte, o acordo é o clube ficar com 20% do valor, "prestar contas" de 100% e devolver 80% em "cash". Uma operação para lavar dinheiro a ser distribuído tão logo seja anunciado oficialmente o candidato do governo à sucessão de Wellington Dias (PT).

    Aí você, leitor, se pergunta: “E se até o Política Dinâmica já está sabendo disso, o pessoal não tem medo de que algum policial ou promotor fique sabendo e investigue?

    A resposta é... Não!

    Só para lembrar: há pouco mais de duas semanas, a Polícia Federal entrou na casa do empresário Jadyel Alencar, dono da Distribuidora Dimensão e suspeito de fraudar R$ 20 milhões em compras num esquema com o secretário de Saúde do Piauí, Florentino Neto (PT).

    A PF foi lá cumprir mandados de busca e apreensão na Operação Onzena e, no dia seguinte, ele estava postando vídeos dentro de seu jatinho, ao som de Byafra cantando Sonho de Ícaro, nos Stories do seu perfil no Instagram.

    Alguém acha que o resto vai se abalar com a Polícia Civil ou o Ministério Público do Piauí?

    De jeito nenhum!

    Bola pra frente!

    • R&G Feet
  • domingo ,24 de janeiro de 2021, às 15:01h

    Tem algo de estranho quando o [vice] prefeito Robert Rios (PSB) diz que a Prefeitura de Teresina está "falida" ou "quebrada". Acontece que ao invés de economizar, a nova gestão da PMT está tornando dinheiro desnecessariamente e aumentando a estrutura administrativa para agradar aliados políticos do Doutor Pessoa (MDB).

    Veja nosso comentário aqui:


    • R&G Feet
  • sexta ,22 de janeiro de 2021, às 11:01h

    Assis Carvalho era uma "grife" petista e o governador Wellington Dias quer esse patrimônio político ativo em 2022 (foto: Jailson Soares | politicaDinamica)

    Ninguém foi mais a cara do PT que o falecido deputado federal Assis Carvalho. Sua morte repentina em 2020 deixou uma lacuna muito grande dentro da sigla e na política, onde espaços vazios não ficam assim por mais do que alguns segundos. Nos bastidores, a família dele já decidiu: um de seus filhos vai seguir o caminho da política.

    Iago e Isla: herança política de Assis Carvalho será de um deles em 2022 (fotos: facebook)

    Assis tinha três filhos: Iago, Ícaro e Isla. Mas é apenas entre dois deles a dúvida sobre quem vai disputar uma vaga de deputado estadual em 2022. Sim, porque o trabalho de deputado federal já está sendo feito por Francisco Costa (PT), atual deputado federal que era apoiado por Assis.

    Isla tem ido mais às solenidades lembrando o legado do pai, mas o governador Wellington Dias prefere que Iago seja o candidato (foto: facebook)

    Isla é advogada e tem, frequentemente,  representado a memória do em solenidades onde a presença de Assis Carvalho seria certa: entrega de veículos,  assinatura de ordens de serviços, vistoria de obras, tudo o que tenha sido objeto de trabalho e destinação de emendas parlamentares de Assis em vida. Seria a preferência de Francisco Costa para a dobradinha em 2022.

    Voltar da Suíça para der deputado no Piauí: esse pode ser o caminho de Iago (foto: facebook)

    Iago é engenheiro mecatrônico, com vida estabelecida na Europa. É a escolha preferida do governador Wellington Dias (PT), que já conversou com ele. E Iago, conta-se, relutante no início, já vê a oportunidade com certa empolgação.

    Ser deputado no Piauí deve mesmo ser coisa muito boa, afinal, trocar a vida na Suíça por um gabinete na Assembleia Legislativa tem que valer a pena.

    • R&G Feet
  • terça ,19 de janeiro de 2021, às 21:01h

    Já é bastante significativa a diferença que o mandato de Doutor Pessoa (MDB) já implantou no Palácio da Cidade, sede da Prefeitura Municipal de Teresina. Nas últimas décadas, só um vice-prefeito mandou igual a prefeito na capital: Elmano Ferrer (à época no PTB) quando Silvio Mendes (PSDB) deixou o cargo para ser candidato. Na atual gestão, o vice Robert Rios (PSB) já manda mais que Pessoa, e olha que são apenas três semanas de gestão.

    Ter boa intenção não significa ser bom gestor: adversários e aliados avaliam que Pessoa pode até ser mais simpático, mas é Robert quem tem sido o prefeito até aqui (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Claro que a caneta é do Doutor. Mas quem sabe o que ela tem ou não tem que assinar é Robert. Hoje ele é mais que vice, mais até que secretário de Finanças. Robert é o único da chapa que desceu do palanque e começou a fazer o que um prefeito tem que fazer.

    Tem tido a noção administrativa para traçar o caminho da Prefeitura, a humildade de pedir ajuda a quem for necessário e possui sabedoria política para não deixar o MDB fazer na PMT o que faz no Governo do Estado.

    Themístocles não manda em Robert: nos bastidores a informação é de que Robert não queria entregar tantos espaços ao MDB e fazer um gestão mais técnica do que Pessoa escolheu (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    A avaliação de adversários políticos é de que Rios tomou as rédeas da Prefeitura -- na medida que lhe é permitido fazer -- para que os serviços mais básicos não sejam interrompidos. Do contrário, o colapso já estaria à porta.

    O protagonismo em mais algumas semanas será inevitável, uma vez que tem ocupado espaços administrativos que Pessoa não alcança e tomado cuidados políticos que o prefeito não toma . Já os aliados admitem: Pessoa conversa, Robert faz. Um, prefeito na foto, o outro, prefeito de fato.

    Diferente de Robert, Pessoa nomeou parentes e tem relutado em diminuir tamanho da máquina pública; vice quer mais austeridade e defendia enxugamento de estruturas (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    É possível, inclusive, que a história lá de trás (entre Silvio e Elmano) se repita e, em breve, Robert Rios assuma a Prefeitura. Afinal, o gosto de Pessoa pelo palanque ainda parece ser tão grande, que é como se ele quisesse disputar o Governo do Estado em 2022, emendando uma eleição na outra.

    Não dá para duvidar. 

    Mas lá na frente vai ser outra eleição, onde o fenômeno de 2020 não é mais novidade. E se é Robert quem está dando resultado hoje, talvez seja o nome dele que o povo vai querer governador amanhã.

    • R&G Feet
  • terça ,19 de janeiro de 2021, às 18:01h

    Show da vacina: o espetáculo da primeira vacinação no Piauí ainda não fez ninguém esquecer que a Polícia Federal investiga a gestão de Wellington sobre os recursos federais que podem ter sido desviados do combate à pandemia (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    O que o governador Wellington Dias (PT) tem feito para melhorar a transparência no uso dos recursos para o combate à pandemia depois que a Polícia Federal visitou seu governo duas vezes na mesma semana?

    O que ele achou das investigações?

    E agora que a vacina chegou, mas não tem pra todo mundo, como garantir que pessoas influentes dentro do Governo não furem a fila?

    São perguntas que você só o Política Dinâmica vai fazer numa coletiva de imprensa.

    E a resposta está aí no vídeo!

    Veja:


    • R&G Feet
  • segunda ,18 de janeiro de 2021, às 18:01h

    Ele sempre se encontra no discurso de vitimismo. É uma trincheira onde se esconde inclusive de investigações policiais. Mas não dá para se enganar quando a questão é mais do que prática. O governador Wellington Dias, do PT passou semanas cobrando o Governo Federal sobre um plano de vacinação contra a Covid-19. Em nome de outros governadores do Nordeste, deu entrevistas e publicou notas sobre o assunto. Quando finalmente outro governador – João Dória (PSDB), de São Paulo – inicia a vacinação por lá, o petista também reclama.

    Se roendo: Wellington não gostou de ter perdido protagonismo para João Dória na corrida pelas vacinas (foto? Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Segundo reportagem de UOL, em um grupo de Whatsapp que reúne governadores de todo o país, lá foi Wellington politizar a questão: “O entendimento sempre foi o Brasil numa mesma data. Um estado coloca os demais como de segunda categoria”, teria escrito. 

    É possível que nem o próprio governador do Piauí acredite nas coisas que diz e escreve. 

    Wellington sofre de uma "esquizofrenia política" que sempre distorce a realidade em favor de qualquer que seja seu discurso. 

    É como se, inclusive, a Polícia Federal não tivesse visitado seu governo duas vezes na mesma semana, apurando corrupção com dinheiro de combate à pandemia de covid-19.

    • R&G Feet
  • domingo ,17 de janeiro de 2021, às 16:01h

    Em breve teremos a reforma administrativa de Wellington Dias (PT). O governador vai preparar o rolo compressor do Governo do Estado para as eleições de 2022. E nos bastidores a briga grande é pela secretaria de Educação. Rejane Dias e Rafael Fonteles disputam a indicação. A mulher do governador quer o ex-prefeito de São João do Piauí, o médico Gil Carlos no cargo; o secretário de Fazenda quer o amigo Chico Lucas, advogado. Cada um com seus esqueletos no armário e nenhum deles parecendo bom caminho pro Piauí.Gil e Chico: ambos estão querendo entrar no mesmo elevador para chegar num andar bem acima do que se encontram hoje na política; resta saber quem vai sair sorrindo de dentro dele (fotos: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    Rejane saiu da Secretaria de Educação porque foi na gestão dela que aconteceu o maior desvio de recursos públicos comprovados da história do Piauí. Petistas roubando dinheiro de transporte escolar num esquema que se espalhou por prefeituras e outras secretarias de Estado. Todas as pessoas mais próximas a Rejane já se tornaram réus por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Mais dia, menos dia, vai ser a vez dela.

    E quem ela quer que seja secretário? Um ex-prefeito que também participava do esquema. Gil contratou e aditou contratos dos mais suspeitos possíveis em São João Do Piauí. Também não deve tardar para o nome dele aparecer em processos da Operação Topique. Rejane é apegada demais.

    Gil é o preferido de Rejane Dias para ocupar SEDUC (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    Chico Lucas, ex-presidente da Ordem dos Advogados do Piauí -Seccional Piauí conseguiu quebrar as finanças da instituição em 3 anos de gestão. Ao mesmo tempo, empresas e escritórios de seus amigos de diretoria tiveram uma evolução positiva de lucros e clientes digna da melhor fase da economia chinesa. Chico faz parte do atual grupo que manda na OAB e é o atual presidente do Interpi (Instituto de Terras do Piauí). Chico é amigo íntimo de Rafael, que busca a indicação de Wellington para sua sucessão no governo.

    Em favor de Chico, além da amizade com Rafael, está o network que ele tem nos tribunais onde os processos de corrupção dentro da SEDUC estão tramitando (foto: Jailson Soares | PoliticaDInamica.com)

    O que está em jogo nessa disputa é o controle de centenas de milhões de reais destinados a obras de reforma de unidades escolares, daqui até a véspera das eleições de 2022. É o dinheiro do precatório do FUNDEF, mais de um bilhão de reais recebidos por Wellington Dias em julho de 2020, no meio da pandemia e que deve ter seu gasto bastante acelerado este ano. Para Rejane, pode significar mais prefeitos votando nela; para Rafael, mais deputados pedindo por ele.

    OAB ajuda: Celso Barros também fala nos bastidores em favor da indicação de Chico Lucas, tal qual fez com Aurélio Lobão, indicado por ele para a PGM da Prefeitura de Teresina; na foto, atual presidente da OAB-PI recebe condecoração das mãos do ex-prefeito Ribinha, do PT de Campo Maior; a Operação Topique teve início após denúncia de que Ribinha pagou transporte escolar com nota de merenda após desviar todo o dinheiro do transporte das crianças da cidade (foto: Instagram)

    Tem mais: tanto Gil quanto Chico querem mais do que ser secretário de Educação. Querem chegar com força e estrutura suficiente para disputar vaga de deputado federal em 2022.

    Aí não tem nenhum santo querendo o bem das criancinhas do Piauí.

    • R&G Feet
  • quinta ,14 de janeiro de 2021, às 09:01h

    [Matéria atualizada às 07h02min - com informações oficiais da Assessoria de Comunicação da PF]

    A Polícia Federal acaba de confirma mais uma ação do Covidão do Piauí. A Operação Onzena também investiga fraudes em licitação e, agora, além da Secretaria de Saúde, também investiga a Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), sob o comando do deputado estadual Pablo Santos, do MDB. 

    Veja o comunicado oficial da PF:

    OPERAÇÃO ONZENA

    PF deflagra Operação "Onzena" e em ação conjunta com a CGU, apura irregularidades em contratações de equipamentos de proteção individual (EPIs) e de testes rápidos para detecção da Covid-19. Prejuízo efetivo já identificado aos cofres públicos é da ordem de R$ 19 milhões.

    Teresina/PI: A Polícia Federal, em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU/PI), deflagrou na manhã desta quinta-feira (14/01) a Operação "Onzena" decorrente de investigação policial que apura fraude em processos licitatórios e superfaturamento em contratos públicos firmados pela Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (FEPISERH), Secretaria de Saúde do Estado do Piauí (SESAPI), dentre outras instituições públicas, destinados ao combate do novo coronavírus (COVID-19) e custeados com recursos públicos federais repassados pelo Fundo Nacional de Saúde (FNS).

    A investigação teve início após ampla divulgação pela mídia local e trabalhos de auditoria realizados pelo TCE/PI e CGU/PI acerca de contratações superfaturadas realizadas pela FEPISERH, no valor de aproximadamente R$ 5,5 milhões, e SESAPI na ordem de R$ 30 milhões beneficiando uma empresa específica do Estado do Piauí.

    No curso das investigações foram analisados processos licitatórios, contratos, processos de pagamentos, notas fiscais, dentre outras diligências, que alinhados apontam um prejuízo efetivo ao erário federal de quase R$ 20 milhões decorrentes de contratos firmados pela FEPISERH e SESAPI. 

    A título de exemplo, a empresa sob investigação realizou a venda a entes públicos de itens como máscara N95, máscara cirúrgica descartável, dentre outros, em percentual de até 500% superior ao definido na nota técnica 05 da CGE/PI como o praticado no mercado mesmo em período da pandemia provocada pela COVID-19. Ainda durante auditoria realizada pelo TCE/PI na sede da SESAPI foi constatada aquisição de testes rápidos para detecção da COVID-19 classificados como “não conformes" pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

    Nesta fase da investigação estão sendo mobilizados 70 policiais federais e 8 auditores/técnicos da CGU/PI para o cumprimento de 17 mandados de busca e apreensão nos estados do Piauí e Maranhão, expedidos pela Justiça Federal do Estado do Piauí. O objetivo do cumprimento das medidas judiciais é colher elementos de prova que ratifiquem a tese de superfaturamento em contratações públicas realizadas pela FEPISERH e SESAPI no intuito de favorecer empresas específicas, dentre outras práticas criminosas.

    Os investigados poderão responder, na medida de suas culpabilidades, pelos crimes de associação criminosa (art. 288 do CP), fraude a licitação (art.89 da lei 8.666/93) e desvio de recursos públicos (art. 312 do CP) cujas penas somadas podem chegar a 20 anos de reclusão.

    A palavra “onzena” significa juros exorbitante/excessivo e faz referência aos contratos exorbitantes e superfaturados firmados entre entes públicos e empresa com forte atuação nos estados do Piauí e Maranhão.

    [Fim da Atualização]

    Na manhã desta quinta-feira (14), agentes da Polícia Federal amanheceram em frente à Dimensão Distribuidora, na Avenida Industrial Gil Martins. A empresa distribuidora de medicamentos e produtos hospitalares pertence ao empresário Jadyel Alencar, que em 2017 foi condenado por compra e venda de soro fisiológico roubado de dentro da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí.

    O covidão no Piauí ganhou outra dimensão: o empresário celebridade Jadyel Alencar está sendo investigado (foto: Colaboração popular via Whatsapp | Facebook)

    Ainda não há maiores informações sobre a operação. Mas em busca rápida no portal da transparência do Governo do Piauí, é possível encontrar pelo menos R$ 38 milhões de reais empenhados por meio de dispensa de licitação. Em apenas um dos empenhos para pagamento, o valor é de R$ 13 milhões de reais.


    • R&G Feet
  • quarta ,13 de janeiro de 2021, às 20:01h

    Quando em 2018 a Polícia Federal foi à secretaria de Educação por força da Operação Topique, o governador Wellington Dias (PT) disse que era um “espetáculo” com objetivo de prejudicar sua campanha de reeleição. Agora, em 2021, ano que não tem eleição, o petista fala a mesma coisa sobre a Operação Campanile, que investiga fraudes em licitações dentro da Secretaria de Saúde envolvendo recursos federais para o enfrentamento da pandemia de Covid-19.

    Covidão: Wellington Dias criticou operação da PF ao lado do prefeito Doutor Pessoa em visita feita na manhã desta quarta-feira (13) (foto: Jailson Soares | Politica DInamica)

    O governador garante que o Estado fez tudo dentro da legalidade. E contou uma piada: “É lamentável que, pra poder pegar um celular, pegar um computador, [coisa que] poderia ter sido requerida, não é, e com toda a facilidade ser entregue”.  

    Sim, imaginem um ofício da Polícia Federal assim:

    “Senhor secretário Florentino Neto, suspeito de fraudar contratos do governo.

    A Polícia Federal está investigando o senhor há meses, mas neste momento precisamos de sua colaboração. Chegou o momento em que gostaríamos que o senhor nos entregasse seu celular e documentos que possam ligar o senhor ao suposto esquema.

    Solicitamos, também, que o senhor também possa nos disponibilizar os computadores de trabalho e equipamentos pessoais que possam conter outras informações sobre como se formou a quadrilha que pode estar assaltando os cofres públicos neste momento.

    Por fim, seria de grande ajuda que o senhor pudesse entrar em contato com os demais integrantes da suposta organização criminosa e solicitasse que eles, de boa vontade, também entreguem celulares e notebooks.

    Confiantes de que o governador Wellington Dias e sua equipe sempre estão disponíveis para colaborar no que for necessário, agradecemos desde já o pronto atendimento deste pedido.

    O dia e a hora para a entrega do material solicitado ficam a seu critério.

    Nos perdoe por qualquer incômodo.

    Atenciosamente,

    Equipe de Investigação da Polícia Federal”

    Na cabeça do governador Wellington Dias, talvez o ofício devesse ser impresso, inclusive, em papel de carta perfumado.

    Veja as declarações de Wellington no vídeo abaixo:

    Lamentável mesmo é ter que desconfiar de um governo em cada ato porque, de alguma maneira, a corrupção se instalou dentro dele, ao que parece, de maneira generalizada.

    O dinheiro federal que chegou ao Piauí e já foi gasto no combate à pandemia chega a um volume de R$ 530 milhões. Os R$ 33 milhões investigados pela Operação Campanile não chegam a ser 10% desses recursos.

    Nos bastidores da política, quem conhece a gestão de Wellington Dias sabe que isso aí tem tudo para ser apenas a ponta do iceberg. Afinal, a porcentagem com a qual trabalha esse governo é bem maior.  

    • R&G Feet
  • terça ,12 de janeiro de 2021, às 11:01h

    Na manhã desta terça-feira (12) a Polícia Federal visitou a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí. A SESAPI é comandada pelo ex-prefeito de Parnaíba, Florentino Neto, dentro do governo de Wellington Dias, ambos do PT. Uma centena de agentes da PF cumpriram 18 mandados de busca e apreensão em Teresina, Parnaíba, Joca Marques e, fora do Piauí, em Pelotas-RS e São Paulo-SP. Denominada de Operação Campanile, a ação também contou com a participação de auditores da Controladoria-Geral da União.Wellington e Florentino: a gestão petista da Saúde do Piauí na mira da Polícia Federal (foto: Instagram)

    FRAUDE, FALSIDADE E ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

    As ordens judiciais cumpridas hoje foram expedidas pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (o mesmo tribunal que autorizou as investigações da Operação Topique) e denotam a prática de crimes de fraude à licitação por ajuste que inviabiliza o caráter competitivo e por elevação arbitrária dos preços, falsidade ideológica e organização criminosa e têm o intuito de aprofundar as investigações acerca de irregularidade nos processos de dispensa de licitação bem como de execução dos contratos.

    A PF estacionou foi cedo na SESAPI, investigada em contratos suspeitos de fraude (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    A PF está buscando mais informações sobre o pagamento de R$ 33.725.000,00 por meio de dispensa de licitação a apenas 3 empresas fornecedoras de equipamentos hospitalares, medicamentos, insumos e estruturas modulares para a instalação de hospitais de campanha (temporários). Os contratos foram custeados com recursos do Fundo Nacional de Saúde e Ministério da Saúde desde a decretação do estado de calamidade em razão da pandemia de Covid-19.

    PF E CGU: agentes e auditores estiveram no gabinete do secretário Florentino Neto; no detalhe, a foto de um governador sorridente (foto: ASCOM PF)

    ESQUEMA NA SESAPI: GASTOS EXCESSIVOS

    Desde o início da emergência sanitária da pandemia de coronavírus, a PF e a CGU perceberam contratos suspeitos sendo assinados dentro da Secretaria de Saúde do Piauí. Inclusive com empresas que não possuem condições técnicas de atender as necessidades da secretaria. A dispensa de licitação na SESAPI deixou de ser exceção para ser a regra dentro da pasta. E, ainda assim, os processos administrativos estariam divergindo da legislação específica para este momento de crise, inclusive, sem a devida publicidade.

    As empresas contratadas pela SESAPI não possuíam quantidade de produtos para atender a demanda nem produtos que atendessem as especificações ou o prazo especificado. Em alguns casos, nem eram reconhecidas como fornecedoras desses produtos específicos.

    Também foi identificado um preço bem maior que o de mercado, implicando em gastos excessivos pela SESAPI.

    "Campanile" é uma palavra de origem italiana. Em seu sentido literal significa torre que contém sinos. No sentido figurado é "interesse de pequeno grupo de indivíduos” em alusão aos núcleos organizacional e empresarial investigados.

    • R&G Feet


voltar para 'Política Dinâmica'