Coluna Marcos Melo
  • quinta ,25 de abril de 2019, às 20:04h

    Deputada garante que continua dando suporte ao prefeito Firmino Filho e que amizade com Themístocles Filho não atrapalha a política municipal em Teresina (foto: Marcos Melo | politicaDInamica.com)

    Se o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) e o presidente da Alepi Themístocles Filho (MDB) têm lá suas diferenças, não é a deputada Teresa Britto que vai ficar no meio da confusão. Ao Política Dinâmica ela lamentou que adversários do prefeito estejam plantando notícias falsas na imprensa e garante: o PV continua na base da atual gestão da PMT.

    “Infelizmente, quem recebeu essa informação não nos procurou para saber a verdade”, lamentou. A parlamentar, que é oposição à gestão de Wellington Dias (PT) no Governo do Estado aponta que adversários do prefeito devem estar por trás das fake news.

    Teresa Lamenta que jornalistas não tenham ligado pra ela para apurar a informação antes de divulgarem notícia falsa (foto: Marcos Melo | politicaDinamica.com)

    “Sou amiga do presidente Themístocles, mas vamos continuar na base do prefeito Firmino”, garante.

    Veja o vídeo!


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda ,22 de abril de 2019, às 21:04h

    O deputado Henrique Pires se dispôs a contestar as declarações do Dr. Pessoa sobre o tal “calundu” emedebista. E garantiu: o MDB vai ter candidato a prefeito da capital, podendo ele mesmo ir para a disputa.

    Henrique comentou que um partido do tamanho do MDB (com 5 deputados estaduais, um federal e um senador) não iria ficar fazendo pré-campanha para o Dr. Pessoa sem que ele esteja filiado. “Não tem nem sentido isso. Nem essa história de calundu. O que acontece é que ele [Dr. Pessoa] é uma grande liderança, e estando filiado ao MDB, é quase 100% de certeza que o nosso candidato seja ele. Mas até que ele esteja devidamente filiado, o MDB não vai ficar promovendo o nome dele”, argumentou.

    Sem candidato, o MDB não fica: Henrique Pires assegura que pode ser candidato a prefeito caso Dr Pessoa não se filie ao MDB (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    E claro, há lógica nisso. Do jeito que Pessoa desconfia que o MDB pode lhe negar a legenda às vésperas das convenções, o MDB desconfia que Dr. Pessoa pode ficar usando o partido para esquentar seu nome e se filiar a outra sigla mais adiante.

    E se Dr. Pessoa não se filiar? Bem, neste caso o próprio Henrique pode ir pra disputa. “Sem candidato, o MDB não fica. Aliás, eu já votei duas vezes no prefeito Firmino Filho e duas vezes no governador Wellington Dias. Talvez seja a hora dos dois votarem em mim. O meu nome pode ser o que vai unificar essas duas lideranças”, pondera Henrique.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda ,22 de abril de 2019, às 21:04h

    Tem gente no MDB que vai ficar de lado na hora da partilha do primeiro escalão de Wellington Dias (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Às vésperas da partilha dos cargos do Governo Estadual, ainda não se sabe ao certo o que passa pela cabeça do governador Wellington Dias (PT). Já no segundo principal partido da base aliada, o clima é de expectativa: quem vai ficar com o quê? E quem vai decidir isso?

    O MDB tem 5 deputados estaduais: Severo Eulálio (47.175 votos), Zé Santana (45.813 votos), Themístocles Filho (42.773 votos), Henrique Pires (38.391 votos), Pablo Santos (38.177 votos) e João Mádison (30.118 votos). Tem um deputado federal, Marcos Aurélio Sampaio (73.302 votos); e um senador, o presidente estadual do partido, Marcelo Castro (812.213 votos).

    Nos bastidores do Karnak, a história é a de que Severo, Zé Santana, Pablo e Marcelo Castro devem ganhar — ou manter — grandes secretarias “de porteira fechada”.

    Themístocles já estaria bem agraciado com a própria Assembleia Legislativa — onde ele se tornou presidente pela oitava vez num consenso entre os aliados de Wellington —, e para João Mádison e Marco Aurélio ficariam com alguma “pastinha” de segundo escalão para movimentarem suas próprias emendas parlamentares. Henrique Pires, nessa avaliação do Karnak, ficaria com algo ainda menor: nada.

    Importante aliado durante o governo federal de Michel Temer, o emedebista Henrique Pires deve ficar sem qualquer indicação rocusta no governo de Wellington Dias (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica.com)

    Acontece que, teoricamente, o acordo feito entre o governador era para que Wellington destinasse os espaços ao MDB e, internamente, seus integrantes fizessem a divisão.

    Mas se os cargos já saírem do Karnak destinados a parlamentares específicos, quem ganhar mais não vai dividir, que tiver menos — ou não tiver nada —, também não terá como equilibrar a balança.

    Wellington Dias sabe dividir para conquistar.

    O senador Marcelo Castro não foi encontrado para comentar a questão.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda ,22 de abril de 2019, às 12:04h

    Wilson martins pode disputar uma vaga de vereador em 2020 em Teresina (foto: Marcos Melo | politicaDInamica.com)

    Depois de duas derrotas seguidas em disputas majoritárias para o Senado da República, o ex-governador Wilson Martins admitiu pela primeira vez ao Política Dinâmica que pode disputar uma vaga na Câmara Municipal de Teresina em 2020. E apesar de reconhecer que seu partido tem encolhido nos últimos anos, assegura que vai permanecer no PSB.

    Wilson nos recebeu em seu consultório após uma manhã inteira de consultas. Questionado sobre uma possível mudança de partido, o ex-governador falou sobre a sondagem feita pelo DEM. “Sim, fomos sondados pelo Democratas”, disse, revelando que, curiosamente, a investida partiu de um integrante do MDB nacional, o atual senador pelo estado de Pernambuco, Fernando Bezerra Coelho, líder do governo federal no senado.

    “Temos uma boa relação com o Rodrigo Maia (integrante do DEM e presidente da Câmara Federal), com o (ex) deputado Heráclito Fortes, inclusive. Ficamos agradecidos pelo convite, mas temos a satisfação de pertencer e continuar no PSB”, assegurou.

    CÂMARA E PREFEITURA

    Wilson reconhece que suas duas derrotas seguidas em disputas para o senado enfraqueceram o PSB, mas enxerga um lado bom nisso. “O bom é que depuramos, estão ficando aqueles que tem a filosofia do partido e que tem em mente aquilo que Eduardo Campos nos ensinou: não podemos desistir do Brasil nem do Piauí”.

    Se a Câmara de Teresina seria um ponto de recomeço, o ex-governador não fez arrodeios. “Não é recomeço, temos uma história de luta pelo bem do povo do Piauí. Não se apaga isso. Agora, claro que é necessário ter a humildade de continuar trilhando novos caminhos”, avaliou.

    Wilson diz que sua prioridade é fazer uma chapa para lançar novas lideranças em Teresina (foto: Marcos Melo | politicaDInamica.com)

    Mas segundo Wilson, sua candidatura não é a prioridade. “Estamos preparando o partido para as eleições municipais, com um olhar especial para Teresina. A prioridade é estabelecer uma chapa que traga novas lideranças, dê chance para que Teresina conheça gente nova mesmo”.

    Nesse sentido, Wilson diz que uma possível candidatura sua seria avaliada apenas no ano que vem. Se a expectativa for a de que ele pode conseguir uma votação acima do quociente eleitoral — algo em torno de 15 mil votos, em projeções para 2020 em Teresina — então ele estaria colocando mais votos na chapa e ajudando a eleger alguém que poderia ficar de fora. Se pesquisas apontarem que essa meta não seria atingida, para preservar a renovação de lideranças, Wilson ficaria de fora da disputa.

    De todo modo, Wilson diz que a chapa proporcional é a prioridade. E apenas depois de montá-la é que seus integrantes vão avaliar que candidato a prefeito merece seu apoio. “Coisa que só deve acontecer lá pro final de março do ano que vem”, conta.

    Veja um trecho da entrevista!


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sábado ,20 de abril de 2019, às 17:04h

    Há poucos dias, Pessoa foi ao encontro de Silvio Mendes e do deputado estadual Marden Menezes, do PSDB; o encontro gerou muitas especulações sobre as eleições de 2020 (foto: Redes Sociais)

    Nos últimos dias o ex-deputado estadual Dr. Pessoa (SD) passou por uma maratona de encontros políticos disfarçados de cortesia. Esteve com o ex-prefeito Silvio Mendes e, também, com o atual prefeito da capital, Firmino Filho (PSDB). Segundo o próprio Dr. Pessoa, essas e outras lideranças estão aproveitando uma grande brecha deixada pelo MDB.

    “A primeira coisa que eu quero dizer é que o Dr. Pessoa não tem inimigos. Fomos adversários políticos em campanha de algumas lideranças, mas sem rancor, sem ódio no coração”, disse Pessoa ao Política Dinâmica para justificar o ar de conforto exibido nas imagens de todas essas reuniões.

    Pessoa avalia que Firmino provocou a conversa aproveitando o "calundu" do MDB (foto: Lucas Pereira | Teresina Diário)

    Ele explica que depois de duas eleições majoritárias em que caminhou praticamente sozinho — as disputas de prefeito de Teresina em 2016; e de governador do Piauí, em 2018 —, teve que parar e refletir sobre participar de um grupo político maior. Nesse caminho, o MDB se apresentava como boa opção. “Mas eles lá queriam que eu me filiasse imediatamente. E quem tem tempo, não precisa ter pressa”, frisou.

    Foi aí, que segundo Pessoa, o grupo do atual presidente da Alepi, deputado estadual Themístocles Filho, ficou de “calundu”, uma maneira bem popular de dizer que os emedebistas ficaram irritados e mal humorados sem motivo aparente.

    No evento em que o MDB queria que Dr. Pessoa se filiasse ao partido, os deputados da sigla se preocuparam mais em projetar o nome de Marcelo castro para a disputa de governo em 2022 (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica.com)

    Na conversa com o Política Dinâmica, Dr. Pessoa assegurou que ainda tem pique para disputas majoritárias e expôs um receio em relação ao MDB. “Eles não deixaram o João Henrique Sousa ser candidato ao Governo do Estado, mesmo sendo um homem honrado e viajando pelo Piauí inteiro”, pontuou, com certa desconfiança a respeito do “pragmatismo” partidário do MDB.

    Para quem observa um pouco mais de perto o cenário, é fácil imaginar o que pode passar pela cabeça do Dr. Pessoa. Neste exato momento, o PT quer uma candidatura própria em Teresina -- o nome do deputado estadual Franzé Silva tem sido o mais cotado -- e o MDB pode se ver obrigado a apoiá-lo em 2020 para cobrar apoio a Marcelo Castro em 2022. Ou seja: o projeto do presidente estadual é maior que o de qualquer novo filiado. 

    Faz todo o sentido. 

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sábado ,20 de abril de 2019, às 16:04h

    Pessoa e Firmino tiveram uma conversa amistosa, num ato que segundo o ex-deputado foi de humildade do prefeito da capital (foto: Lucas Pereira | Teresina Diário)

    O prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) foi quem fez a ligação. Segundo o Dr. Pessoa, o tucano queria conversar pessoalmente. A única imposição do ex-deputado: que não fosse na Prefeitura de Teresina. Nenhum obstáculo para que os dois se encontrassem na casa do próprio Dr. Pessoa, na zona Sul da capital.

    Ao Política Dinâmica, o prefeito Firmino disse que a conversa foi muito boa e madura, entre duas pessoas que já estiveram juntas em outras oportunidades políticas. O Dr. Pessoa confirmou, avaliando o bate-papo como “bom não, ótimo”, principalmente pela humildade do prefeito ir ao seu encontro.

    À imprensa, Pessoa confirmou que apesar das divergências políticas, ele e Firmino tiveram uma boa conversa (foto: Lucas Pereira | Teresina Diário)

    Ambos frisaram que existem mais momentos de convergência que divergência política entre os dois, que foram, num momento específico de 2016, adversários políticos, mas que não são inimigos pessoais. Firmino e Pessoa, por exemplo, contestaram Wellington Dias em campanhas de reeleição vencidas pelo petista. Só aí já tem assunto para muita conversa.

    Firmino avalia que não é hora de falar de disputas eleitorais futuras, mas de reestabelecer diálogos pensando no Piauí. Já Pessoa, acredita que ainda tem gás para disputar cargos majoritários, não esconde a vontade de disputar a Prefeitura de Teresina mais uma vez, mas sabe que isso só pode ser feito dentro de um grupo político fortalecido.

    Fotógrafos pediram que os dois apertassem as mãos para uma foto; pessoa disse que um abraço era maior que o aperto de mão (foto: Lucas Pereira | politicaDInamica.com)

    A possibilidade de futuras alianças entre os dois não foi confirmada — nem descartada — por nenhum deles como pauta do diálogo.

    Mas os dois frisaram que esta foi a primeira — não a última — conversa entre eles.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta ,17 de abril de 2019, às 18:04h

    JVC vai concentrar esforços nos municípios em que o PTB já possui viabilidade eleitoral e numa chapa proporcional forte em Teresina (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica.com)

    Ele acredita que é cedo para falar das eleições de 2020. Mas retornando ao comando do PTB, o empresário João Vicente Claudino assegura que vai participar ativamente da disputa política no ano que vem. 

    Seja organizando o partido no interior, seja debatendo as soluções possíveis para os problemas de Teresina. Para JVC é preciso ser, a partir de agora, mais pragmático no campo partidário, concentrando esforços onde o PTB já tem alguma musculatura. Por isso, descarta sair por aí espalhando diretórios municipais apenas para fazer número. "Temos que ver onde existe e onde não existe viabilidade de uma boa chapa de vereador ou candidatura majoritária de prefeito e vice", frisou. 

    Ele diz que pode ser uma opção de candidatura majoritária na capital, mas que este não é o melhor momento para tratar do assunto. Comentou a visita que fez juntamente com o prefeito Firmino Filho (PSDB) à praça da Pedra, que fica ao lado do estádio Verdão. "O que o governo fez ali foi uma injustiça. Uma ação injusta com aqueles trabalhadores. Eu fui lá como amigo dos corretores, e o Firmino como mandatário da cidade, garantindo a legalidade do trabalho daquelas pessoas", explicou, falando da PPP em que o governo vendeu um estádio e deu de brinde um estacionamento a uma empresa de eventos. 

    JVC diz que tem bom entendimento com o prefeito Firmino Filho e que a hora, agora, é de conversar sobre solução para os problemas da capital (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    Nos bastidores, JVC tem sido visto como alguém com perfil adequado para o cargo de prefeito num momento delicado pelo qual passa o país. Sem arestas políticas e com bom trânsito em Brasília, a avaliação de lideranças políticas é a de que ele poderia ser um elo entre o Governo Federal e o Piauí, uma vez que a relação entre a gestão de Wellington Dias (PT) e a gestão de Jair Bolsonaro (PSL) varia numa escala que vai de "nula" a "péssima perspectiva". 

    Veja a entrevista!

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta ,11 de abril de 2019, às 23:04h

    O melhor resumo do quem tem sido o governo de Wellington Dias neste início de 4º mandato não poderia ser melhor resumido do que nestas palavras do deputado estadual Gustavo Neiva (PSB).

    Veja o vídeo e diga se concorda ou discorda.


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta ,11 de abril de 2019, às 21:04h

    O vereador de Teresina publicou imagens do descaso em suas redes sociais (foto: reprodução)

    Quando a empresa Águas de Teresina venceu a licitação da subconcessão dos serviços da AGESPISA e o Tribunal de Contas do Estado contestou a vitória da empresa, não o fez à toa. Na época se chamando AEGEA, ela estava pagando R$ 21 milhões a menos e apresentando um atestado técnico de um município de apenas 4 mil habitantes. Para quem não sabe, a capital do Piauí tem mais de 850 mil habitantes. Agora, até vereador do PT reclama do serviço da empresa que foi escolhida, à força de liminar, pelo governo petista de Wellington Dias.

    É um contrato de R$ 1,7 bilhão. E 30 anos de serviço pra frente.

    Dudu do PT fez este vídeo nesta quinta-feira (11), na zona Sul de Teresina, região da Vila Irmã Dulce. Ele denunciou que há 4 meses a comunidade do Morro dos Cegos que é composta por mais de 500 famílias sofre com o descaso da falta de água. Indignado, o vereador questiona a falta de água em pleno período mais chuvoso do ano na capital.

    O petista ainda classificou a situação como um descaso e apontou que o Ministério Público deve ser acionado.

    Veja:

    Também nesta quinta-feira, a TV Clube, afiliada da Rede Globo, denunciou que falta água, mas não falta boleto de conta.

    Moradores estão tendo que tomar banho e lavar roupa na casa de parentes em outros bairros. E garantem que mesmo sem água, se o contador ficar ligado, a Águas de Teresina cobra pelo vento que passa nos canos.

    Veja:


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sábado ,06 de abril de 2019, às 20:04h

    JVC discursou ao lado de Firmino, elogiou postura do tucano e desempenho da administração de Teresina e ambos deixaram no ar a possibilidade de dobradinha em 2020 (foto: PoliticaDInmica.com)

    Foi um evento informal de devolução de uma praça ao seu dono de direito: o povo. Depois de mandar derrubar as grades que estavam cercando a Praça da Pedra na última sexta-feira, neste sábado (6) pela manhã o prefeito Firmino Filho (PSDB) esteve no local para conversar com os trabalhadores que ganham a vida ali. 

    Entre críticas ao governo estadual e promessas de trabalho, Firmino e JVC trocaram elogios diante dos trabalhadores da Pedra (foto: PoliticaDinamica.com)

    Não foi só. Estava com a deputada estadual Lucy Soares (PP) e o vereador Luiz Lobão (MDB). Mas chamou a atenção outro integrante da "comitiva". O ex-senador João Vicente Claudino (PTB). 

    Veja o vídeo!


    Ambos discursaram. A afinação e os elogios trocados entre os dois não deixou dúvidas sobre o alinhamento politico. 

    Será dobradinha para 2020?

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sábado ,06 de abril de 2019, às 20:04h

    Viviane Moura, Ranieri Pinto e Paulo Martins jogaram o barro na parede: corretores de carros iriam bancar as parcelas mensais do contrato da PPP do Verdão (imagem: Marcos Melo e Youtube | politicaDinamica.com)

    O governo fez mais uma dessas parcerias público-privadas suspeitas. Desta vez, a esperteza estava instalada na concessão do estádio Verdão, no Centro de Teresina.

    Veja o vídeo!


    Com apoio da superintendente Viviane Moura — que responde pelas PPPs do Governo do Estado — o empresário Ranieri Pinto mandou cercar uma praça pública ao lado do estádio.

    A praça — que não é objeto do contrato — é utilizada de maneira livre há mais de 25 anos por corretores cadastrados e também independentes. O local foi destinado para este comércio pelo então prefeito Raimundo Wall Ferraz.

    Corretores iriam pagar pela praça pública mais do que está previsto em contrato que Ranieri Pinto pague pelo Verdão inteiro em 20 anos (foto: SUPARC)

    O contrato da PPP, que é assinado pelo presidente da Fundação do Esporte do Piauí — suplente de deputado estadual e ex-prefeito de Campo Maior — Paulo Martins (PT) prevê que em 20 anos, Ranieri pague ao Estado do Piauí um valor de R$ 6.815.388,34 pelo uso do espaço do Verdão. A média, então, é de R$ 28.400,00 por mês.

    Ao cercar a praça, o empresário e a superintendente queriam cobrar de cada corretor, filiado ou não, uma taxa mensal de R$ 110,00 para uso do espaço.

    Ora, se cada um dos 300 filiados do sindicato pagasse esse valor, seriam pelo menos R$ 33.000,00 por mês no bolso de Ranieri Pinto. Daria para pagar o Governo do Estado usando dinheiro de trabalhadores e explorando uma área pública não prevista no contrato. E ainda sobraria um troco de quase R$ 5.000,00.

    O prefeito Firmino Filho acabou com a molecagem nesta sexta-feira, e mandou derrubar as cercas.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta ,05 de abril de 2019, às 13:04h

    Em 2016, o Governo do Estado do Piauí pagou uma viagem de jatinho e hospedagem em hotel de luxo no litoral para o filho de Wellington Dias (foto: Jailson Soares | politicaDinamica.com)

    O médico Vinícius Ribeiro Dias, filho do governador Wellington Dias (PT) virou réu num processo de improbidade administrativa movido pelo Ministério Público Estadual. Estão no mesmo processo o major Francisco José de Almeida Viana e o coronel da Polícia Militar José Denilson do Rêgo Marques. O processo trata da utilização de jatinho e hospedagem em pousada de luxo pagas com recursos públicos sem previsão legal.

    O juiz é bem claro ao dizer que esta decisão específica de tornar Vinícius, o major e o coronel réus não significa que foram condenados. Mas justifica o recebimento da denúncia do Ministério Público alegando que a prova documental apresentada pelo MPPI é um “indício veemente de ocorrência de ilícito administrativo”. E por este motivo o processo deve continuar para a elucidação dos fatos.

    Veja a decisão aqui!

    O coronel Denilson Marques é o chefe do Gabinete Militar do governo de Wellington Dias desde sua posse para o terceiro mandato, em 2015.

    Na imagem, Denilson Marques é o cidadão à direita do fuzil do secretário de Segurança Fábio Abreu (foto: reprodução)

    Vinícius Dias e o major Viana já foram condenados em outro processo, uma ação civil pública, em que já foram condenados a ressarcir os cofres públicos em R$ 17 mil reais. Atualmente, eles recorrem desta decisão.

    A IMPORTÂNCIA DA IMPRENSA

    Na oferta da denúncia, o Ministério Público do Estado foi claro ao alegar que se viu obrigado a investigar o caso após a viagem de Vinícius Dias para a praia de Barra Grande num jatinho e sua hospedagem em hotel de luxo pagas pelo Governo do Estado terem sido noticiada em veículos de comunicação.

    Segundo o MPPI, tanto o coronel Denilson Marques quanto o major Francisco Viana erraram ao permitir a viagem do filho do governador bancada com recursos públicos por dois motivos: o primeiro é que Vinícius Dias não participaria ali de nenhum evento oficial; o segundo, Vinícius não acompanhava o pai, Wellington Dias, mas viajou em nave própria.

    PEDIDO DO MPPI

    Ao final do processo, se a Justiça entender que os três réus são culpados, o MPPI pede que eles sejam condenados à perda da função pública que ocuparem ao tempo do julgamento; a suspensão dos direitos políticos de 3 (três) a 5 (cinco) anos; o pagamento de multa civil de até 100 (cem) vezes o valor da remuneração percebida e a proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de 3 (três) anos.

    SILÊNCIO DA DEFESA

    Germano tavares não quis comentar o caso (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    O Política Dinâmica entrou em contato com o advogado Germano Tavares, que defende Vinícius, Denilson e Viana neste processo. Apesar disso, a defesa não quis se manifestar até o momento da postagem desta matéria.

    O espaço continua aberto às explicações dos réus.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça ,02 de abril de 2019, às 23:04h

    Chegou a dizer no plenário que está bastante decepcionado com Wellington Dias: "Não cumpre promessas"(foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    Nesta terça-feira (2) o vereador Ítalo Barros (PTC) liderou o coro dos insatisfeitos com promessas de campanha não cumpridas pelo governador Wellington Dias (PT) em 2018. Ano passado o petista prometeu a parlamentares municipais que o apoiaram na reeleição uma cota de R$ 500 mil em obras a serem indicadas por eles em Teresina. E agora descobriram que o que Wellington diz, não se escreve.

    “Me sinto injustiçado”, disse Ítalo ao Política Dinâmica. O vereador contrariou o posicionamento de seu partido — que fez campanha contra Wellington — para apoiar o petista em Teresina.

    Uma Justiça um pouco mais proativa poderia entender que houve no episódio abuso de poder político e econômico para a compra de apoio dos vereadores. Algum comissionado exclusivo do governo pode até se sentir na obrigação de contestar esse ponto de vista, fazendo por merecer a gratificação.

    Mas o fato é que balão é balão.

    De todo modo, é bom cada um assistir o vídeo abaixo e tirar suas próprias conclusões.


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sábado ,30 de março de 2019, às 22:03h

    O fuzil vai dar o tom dessa nova administração de Fábio Abreu na Segurança Pública? (foto: Marcos Melo | politicaDInamica.com)

    Ao tomar posse como secretário de Segurança do Piauí mais uma vez, o deputado federal Fábio Abreu (PR) protagonizou uma polêmica. Diante de centenas de pessoas, políticos e imprensa, brincou com um fuzil, no melhor estilo Bolsonaro.

    Talvez seja uma estratégia do governo petista de Wellington Dias para se aproximar do Governo Federal. Uma maneira de fazer um aceno, para apoiadores, eleitores e participantes de quem, agora, dá as cartas em Brasília.

    Se não há conexões políticas entre o governador e o presidente Jair Bolsonaro (PSL), quem sabe agora um secretário com fuzil possa ser a ponte. Um, capitão do Exercito Brasileiro; o outro, capitão da Polícia Militar do Piauí. Já dá pra começar uma conversa com o presidente dizendo que ele tem seus fãs no governo.

    Veja o vídeo!

    Ou essa cena constrangedora pode ter sido apenas uma gracinha midiática de quem quer esquentar o nome para disputar a prefeitura de Teresina.

    Seja como for, condenável. Sem a menor necessidade. E de uma irresponsabilidade enorme. Ao pegar o equipamento, ele não sabia se a arma estava carregada. O fuzil estava apontado para baixo. Ao virar o cano para cima, o movimento brusco revela a desconfiança sobre o equipamento desmuniciado.

    Mas teve quem batesse palmas. Dentro do Karnak, sempre há uma platéia pronta para aplaudir o que quer que seja.

    Ao receber o fuzil para fazer poses para a imprensa, Fábio Abreu não tinha nenhuma garantia de que a arma estava sem munição (foto: Marcos Melo | politicaDinamica.com)

    Fábio abriu um precedente perigoso e deu um péssimo exemplo inclusive para as crianças que fazem parte do Projeto Mirím Cidadão, do qual ele fala tanto.

    Vamos torcer para que a brincadeira de mal gosto do secretário não estimule policiais militares ou civis a saírem por aí imponto respeito em qualquer lugar à base desse tipo de exibicionismo irresponsável.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sábado ,30 de março de 2019, às 11:03h

    Acabou! Fecharam o espaço da obra para do Centro de Convenções que gerava emprego e renda, ao fechar o estacionamento, empresa ainda ameaçou empregados e flanelinhas (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

    Sobrou coragem para o representante da empresa SOFERRO que esta semana foi ao canteiro de obras do Centro de Convenções de Teresina ameaçar empregados e flanelinhas. Repercutiu bastante o vídeo em que nós denunciamos a falta de pagamento dos funcionários e a obra parada, mesmo depois de enterrados ali mais de R$ 35 milhões.

    Há uma semana, alguém — não se sabe quem ao certo — abriu o portão da obra. Pode ter sido um empregado, pode ter sido um motorista que se viu sem lugar pra estacionar perto da Assembleia Legislativa do Piauí.

    Com seus salários atrasados, funcionários da empresa que deveria estar reformando o local ficaram só observando enquanto flanelinhas na Avenida Marechal Castelo Branco recebiam os trocados de quem estacionava ali.

    O retrato do Estado.

    Depois que o vídeo do Política Dinâmica circulou, apareceu por lá alguém em nome da empresa SOFERRO. E ameaçou chamar a polícia para prender o pessoal humilde que estava querendo ganhar o dinheiro do almoço.

    Veja nosso vídeo!


    Será lá quem for, certamente não tem coragem de chamar a Polícia Federal (tem ali dinheiro do Ministério do Turismo e também do FINISA) para denunciar membros do Governo do Estado. O dinheiro chegou no Piauí, mas a obra não acaba. Já são 12 anos de desculpas.

    Se a obra está parada, quem não está pagando é a turma de colarinho branco (ou será vermelho?) do primeiro escalão de Wellington Dias.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados


voltar para 'Política Dinâmica'