Coluna Gustavo Almeida
  • quinta, 27 de agosto de 2020, às 11:53h

    Robert Freitas é pré-candidato a prefeito de José de Freitas (Foto: Reprodução/Facebook)

    O ex-deputado estadual e ex-prefeito de José de Freitas, Robert Freitas (MDB), fez uma consulta ao Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI). Incomodado com adversários que afirmam na cidade que ele está inelegível para as eleições deste ano, o ex-prefeito e pré-candidato queria um parecer do TRE-PI atestando as suas condições de elegibilidade.

    “(...) o Sr. Robert vem recebendo ataques de populares que se opõe a sua candidatura, veiculando em sites que o mesmo estaria inelegível, situação esta que levou o mesmo a fazer tal consulta.”, diz um trecho do pedido protocolado no TRE-PI. 

    A consulta foi distribuída ao juiz Thiago de Almeida Férrer. No entanto, o pedido não foi sequer reconhecido pelo TRE-PI. Em sua decisão que negou o conhecimento da consulta, Thiago Férrer explicou que compete ao Tribunal responder sobre matéria eleitoral e consultas que lhe forem feitas, em tese, por autoridade pública ou partido político. 

    No entanto, Thiago considerou que o ex-deputado por quatro mandatos e ex-prefeito não é autoridade pública e por isso o TRE-PI não deve sequer ter o trabalho de respondê-lo.

    “Verifica-se que a consulta não merece ser conhecida, eis que o consulente não é parte legítima (autoridade pública ou partido político), bem como versa a mesma sobre caso concreto, qual seja, existência de condições de elegibilidade do consulente para concorrer a cargo eletivo nas eleições vindouras.”, diz a decisão do juiz.

    O magistrado aponta que Robert Freitas consta na lista de inelegíveis do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), mas ressalta que a Constituição Federal dá ao poder legislativo municipal, ou seja, às Câmaras de Vereadores, o poder de definir a inelegibilidade.

    A decisão é da última terça-feira (25). Pelo visto, Robert Freitas ainda vai ter que aturar os adversários dizendo que ele está inelegível.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 27 de agosto de 2020, às 10:30h

    Flávio Nogueira defende aprovação de reformas (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado federal Flávio Nogueira (PDT) é o único parlamentar piauiense na Frente Mista da Reforma Administrativa no Congresso Nacional, grupo que reúne deputados federais e senadores. Para Nogueira, o Brasil precisa urgente da aprovação da reforma administrativa, cuja proposta ainda será enviada pelo Governo Federal ao Congresso.

    “O governo Bolsonaro, quando assumiu, disse que era um governo de reformas. E todo aquele parlamentar que deseja um Brasil reformado acompanha, portanto, o projeto dessas reformas, independente de qualquer sigla partidária. Importante é que o Brasil faça, de fato, as suas reformas. Nós pedimos pressa ao Governo para que mande a reforma, para que possamos começar a discuti-la, pois nós parlamentares não temos o poder de começar a reforma. Nós temos que ser provocados pelo Poder Executivo”, explicou.

    Nogueira lembrou que todos os governos prometeram e até começaram algumas reformas, mas todas elas ficaram pelo caminho. Na visão do deputado, se as principais reformas tivessem sido feitas de forma ampla, o Brasil estaria hoje em um patamar mais avançado. Ele defende que não se perca mais tempo, pois já passou da hora do Brasil se modernizar. 

    “Todo governo quer fazer as suas reformas, mas sempre começa e nunca termina. O Lula teve parcialmente fazendo reforma, o Fernando Henrique lá atrás também, o Michel Temer também. O Temer, se tivesse continuado, depois da Previdência, logo em seguida a Tributária e Administrativa, nós estaríamos muito mais longe. Há uma morosidade por parte do governo de mandar para o Congresso as reformas, para que elas possam ser discutidas”, apontou.

    O deputado defende que é preciso bom diálogo entre Congresso e Poder Executivo para fazer as reformas avançarem e se tornarem realidade. Nesse sentido, ele lembra que crises políticas acabam prejudicando as discussões e emperrando as reformas que o país precisa. 

    “Tem que ter um bom diálogo. Em todas as nações do mundo, o Congresso é o local onde se travam as grandes discussões. Não pode haver autoritarismo nem por parte do Executivo e nem um protagonismo do Congresso que atrapalhe o diálogo. Crises políticas atrapalham o andamento das reformas. O governo Temer, por exemplo, até que estava andando bem com suas reformas, mas aí houve aquele problema com a JBS e atrapalhou tudo.”, lembrou.

    DIÁLOGO COM A POPULAÇÃO

    Além do diálogo entre Congresso e Poder Executivo, Flávio Nogueira destaca que é preciso deixar a população informada das discussões para que os cidadãos entendam, de fato, o que são as reformas e qual a importância delas para o dia-a-dia do país.

    “Tem que ter uma comunicação com a população, explicar para a sociedade o que é reforma, para que ela servirá. Nós não podemos fazer reforma se não tem o apoio da sociedade. Por isso que as reformas precisam chegar, ter andamento nas comissões, conversar com diversos setores da sociedade civil. Por isso precisa ter um governo que saiba dialogar com o Congresso Nacional e esse Congresso, principalmente a Câmara, tem contribuído muito para o governo Bolsonaro. Está sempre disposto a trabalhar, principalmente com relação às reformas”, contou. 

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 26 de agosto de 2020, às 17:08h

    Jôve é adversária política da família de Marden (Fotos: Reprodução | Jailson Soares/PD)

    A pré-candidata a prefeita de Piripiri, Jôve Oliveira (PTB), que tomou posse como deputada estadual na terça-feira (25), vai ter que apagar das suas redes sociais vídeos com ofensas ao deputado estadual Marden Menezes (PSDB). A decisão é da juíza Gláucia Mendes de Macedo, do Juizado Especial Cível e Criminal da Zona Leste de Teresina.

    Na ação, Marden Menezes alegou que Jôve publicou vídeos com injustas ofensas contra ele. Nas gravações, a pré-candidata e hoje deputada menciona que Marden era o responsável por uma pesquisa eleitoral que ela diz ter sido fraudada. Jôve vai disputar a prefeitura de Piripiri contra o pai de Marden, o atual prefeito Luiz Menezes (Progressistas).

    “Em análise aos autos, observo que as alegações trazidas pela parte autora encontram-se comprovadas por meios dos vídeos apresentados juntamente com a petição inicial, os quais, são suficientes para que seja deferido o pleito liminar, uma vez que, permanecendo mantidas as mencionadas publicações, os efeitos das ofensas poderão ser potencializados e perpetrados no tempo, tendo em vista ser o conteúdo de livre acesso a qualquer pessoa, acarretando prejuízos a vida pessoal e profissional do autor”, diz a decisão.

    A juíza deu o prazo de cinco dias, a contar da notificação, para que Jôve retire os vídeos.

    RIVALIDADE E CLIMA ACIRRADO

    A campanha eleitoral pela prefeitura de Piripiri promete ter ânimos exaltados e disputa acirrada. Jôve é a candidata do governador Wellington Dias (PT) e Luiz Menezes tenta se reeleger, dessa vez no Progressistas, partido do senador Ciro Nogueira.

    Os dois vão repetir a disputa que ocorreu na eleição de 2016. Naquele ano, Luiz Menezes venceu Jôve por uma diferença de apenas 0,63% dos votos válidos. O atual prefeito, à época filiado no MDB, teve 17.956 votos, enquanto Jôve teve 17.729. Desde então, a rivalidade só aumentou.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 26 de agosto de 2020, às 12:28h

    Wellington Dias e a vice Regina Sousa (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Quando assumiu o Governo do Estado para o quarto mandato em janeiro de 2019, o governador Wellington Dias (PT) prometeu que não iria repetir o festival da convocação de suplentes na Assembleia Legislativa do Piauí. Defendendo austeridade na gestão pública, ele apontou que chamaria no máximo três suplentes para o parlamento estadual.

    A vice-governadora Regina Sousa (PT) foi no mesmo caminho. Declarou à imprensa que era preciso acabar com tantos suplentes convocados, pois, segundo ela mesma reconheceu, cada suplente empossado era mais gasto para o Estado. “Vamos diminuir aí a chamada de deputados, pois é despesa. Cada vez que você chama um deputado e um suplente entra, é mais despesa que você aumenta.”, disse a vice-governadora em maio de 2019.

    Passados alguns meses, o governador Wellington Dias parece não ver mais a necessidade de austeridade. Já chamou nove suplentes para a Assembleia Legislativa. É o triplo do que ele considerava ideal no começo da gestão, quando sugeriu que chamaria no máximo três.

    Regina Sousa não fez nenhuma crítica pública ao fato do governador ter descumprido o que disse e chamado nove suplentes em 20 meses. É quase um suplente convocado a cada dois meses. A última empossada foi a radialista Jôve Oliveira (PTB), que ficou na 10ª suplência da coligação governista em 2018. Com a efetivação do primeiro suplente Bessah (Progressistas) após a morte de Fernando Monteiro, ela é hoje a nona suplente.

    Poucos meses se passaram e o festival continua. Tudo como dantes no quartel de Abrantes.

    LEIA TAMBÉM:
    Piauí: é feliz quem é suplente aqui

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 26 de agosto de 2020, às 11:17h

    Parlamentar diz que imagens registraram ação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Em discurso na tribuna da Câmara Municipal de Teresina nesta quarta-feira (26), a vereadora Graça Amorim (Progressistas) denunciou atentado a tiros ocorrido na noite do último sábado (22) contra o seu sítio localizado no povoado Santa Luz, zona rural de Teresina.

    Segundo Graça Amorim, a caixa d’água do sítio foi alvo de seis tiros que apavoraram os caseiros. Os funcionários imediatamente entraram em contato com a parlamentar. Graça acionou a Polícia Militar, através do 190 e policiais militares foram até a localidade.

    “Sou defensora do meio ambiente, sempre denuncio pessoas que fazem desmatamento, derrubam árvores de forma ilegal. Tenho esse sítio há 23 anos e no sábado sofri este atentado. Esta foi a primeira vez que sofri isso. A única coisa que posso imaginar como causa são as denúncias que faço contra crimes ambientais. Meu sítio é todo equipado com câmeras e toda a movimentação que aconteceu na noite de sábado foi gravada”, disse.

    A vereadora afirma que há alguns meses percebe a morte dos cães de guarda do sítio. Eles morriam por envenenamento e ela acreditava que seriam cobras ou outros animais peçonhentos. Mas, diante dos fatos, Graça acredita que os envenenamentos podem ter outras causas. “As câmeras registraram a movimentação de veículos na porta do meu sítio horas antes do atentado. Também temos as imagens de quem atirou.”, avisou.

    A vereadora havia feito denúncia ao Ministério Público sobre queimadas e desmatamento ilegais referentes ao sítio vizinho, de propriedade de um advogado que recebeu a intimação para comparecer ao órgão, na semana passada. O advogado teria feito intimidações, através de recados com moradores de sítios vizinhos, de que o esposo de Graça pisou em ‘rabo de cobra’. 

    “Vamos procurar resolver todo este problema na Justiça e não na bala, como fizeram na minha casa”, afirmou Graça na tribuna da Câmara.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 26 de agosto de 2020, às 10:41h

    Wellington Dias e o secretário Hélio Isaías (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O Diário Oficial do Estado do Piauí (DOE) da terça-feira (25) trouxe uma verdadeira festa de prorrogação de contratos na Secretaria de Transportes (Setrans). Alguns deles foram firmados em 2016 e tinham prazo inicial de vigência de um ano. No entanto, os contratos vem sendo prorrogados ano após ano. Praticamente todos eles são para obras de pavimentação de ruas e reforma de estradas em municípios do interior do Estado.

    Na edição da terça-feira do DOE, foram oito contratos prorrogados pelo secretário de Transportes Hélio Isaías (Progressistas). Em Piripiri, por exemplo, o governo estadual pretende fazer serviços de urbanização e recapear uma avenida. Os serviços estavam previstos no contrato firmado em 2016. Curiosamente, aquele era ano eleitoral, assim como agora. 

    Em 2016, a Setrans firmou o contrato 86/2016 com a Pac Engenharia Ltda para execução dos serviços de urbanização e recapeamento da Avenida Aderson Ferreira, em Piripiri-PI. Agora, quatro anos depois, o secretário Hélio Isaías prorrogou o contrato até 31 de julho de 2021. Esse já é o quarto aditamento do contrato que previa o recapeamento da via.

    Alguns dos contratos que foram prorrogados (Foto: Reprodução/Diário Oficial Piauí)

    Em Campo Maior, a 80 km de Teresina, a Setrans pavimentou diversas ruas em 2016. Em 23 de setembro daquele ano, poucos dias antes da eleição, o site do Governo do Piauí dava a notícia intitulada “Setrans pavimenta novas vias no município de Campo Maior”. Tratava-se do contrato 60/2016 firmado com a Oásis Construções e Consultoria Ltda. O objeto era a pavimentação em paralelepípedo em vários bairros da zona urbana de Campo Maior. 

    Agora, esse mesmo contrato para pavimentação de ruas em Campo Maior foi novamente prorrogado até 31 de julho de 2021. As prorrogações também ocorreram em contratos de obras de pavimentação nas cidades de São Julião, Teresina, Castelo do Piauí, Buriti dos Lopes, Luís Correia, Ilha Grande, Padre Marcos, Buriti dos Montes e Avelino Lopes. Esses são apenas os publicados na edição de terça-feira (25) no Diário Oficial do Estado.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 25 de agosto de 2020, às 18:11h

    Técnicos do TCE-PI durante fiscalização no interior (Foto: Divulgação/TCE-PI)

    O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) retomou na semana passada as inspeções em obras públicas no interior do Piauí. A Diretora de Fiscalização de Obras e Serviços de Engenharia (DFENG) realizou inspeção in loco em objetos de restauração e construção de estradas vicinais nos municípios de São João do Piauí, Eliseu Martins e Guadalupe, na região Sul do Estado.

    A inspeção foi realizada no período de 17 a 21 de agosto e faz parte do Plano Anual de Controle externo do Tribunal de Contas do Estado do Piauí. As três obras somam um montante de mais de R$ 3 milhões e são realizadas por secretarias estaduais e pela prefeitura de Guadalupe.

    A equipe de auditoria fez análise sobre a quantidade e a qualidade do material utilizado nas vias. Para isso, foi utilizado o Dynamic Cone Penetration (DCP), ferramenta de avaliação das características físicas da obra, além das ferramentas já utilizadas em auditoria de obras.

    O DCP permite análise de suporte de camadas de infraestrutura de vias pavimentadas e não pavimentadas, quando estão previstos, ou não, serviços de compactação do solo. A ferramenta, adquirida pelo TCE-PI em 2019, fortalece as auditorias de obras públicas.

    Inspeções verificam qualidade das obras públicas (Foto: Divulgação/TCE-PI)

    A inspeção com o equipamento pode ser realizada tanto antes quanto após a execução dos serviços. Em ambos os casos, o DCP permite extrair dados que posteriormente serão comparados com as informações de projeto e das medições na fase de execução, como por exemplo, a espessura da via e o grau de compactação.

    As inspeções têm por objetivo verificar a qualidade das obras públicas e identificar fraudes na execução delas. Um dos pontos mais inspecionados é a qualidade do material usado. A intenção é evitar que gestores públicos usem materiais de qualidade duvidosa ou em quantidade insuficiente. Na prática, o TCE-PI tenta evitar o chamado “serviço porco” nas obras.

    Com informações da assessoria do TCE-PI

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 25 de agosto de 2020, às 17:13h

    Governador Wellington já chamou 9 suplentes (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A ida dos deputados estaduais Nerinho (PTB) e Franzé Silva (PT) para secretarias no Governo do Piauí abriu vaga para as suplentes Liziê Coelho (MDB) e Jôve Oliveira (PTB) na Assembleia Legislativa do Piauí. Jôve ficou na 10ª suplência da coligação governista ao obter apenas 14.199 votos nas eleições de 2018. Oficialmente, ela é hoje a 9ª suplente na Casa, já que o primeiro suplente Bessah (PP) foi efetivado após a morte do deputado Fernando Monteiro.

    No Piauí, ser suplente é uma condição bastante vantajosa se o sujeito for da coligação governista. Às vezes, embora mais raro, até nomes que eram de coligações adversárias ao governo podem tirar vantagem, como é o caso dos que se aliam à gestão após as eleições.

    Nesta década, a farra dos suplentes passou a ser comum na Assembleia Legislativa do Piauí. Quase sempre, os objetivos do governador ao abrir vaga para quem não foi eleito são claros: acomodar aliados, garantir uma Assembleia obediente e, às vezes, formar novas alianças. 

    Na legislatura anterior, a quantidade de suplentes convocados ao longo dos quatro anos chegou a 15, número que representa metade da composição do Parlamento Estadual. Cada suplente é mais gasto para o Estado e o cidadão piauiense é obrigado a pagar a conta. Na prática, a Assembleia praticamente paga dois deputados: o titular que sai e o suplente que assume.

    Com a posse de Jôve Oliveira, o próximo da fila é o jovem Floro Mauel, ex-PC do B e hoje no PDT. Ele teve 7.249 votos nas eleições de 2018 e ficou na 11ª suplência da coligação de partidos que apoiou o governador Wellington Dias. Se considerarmos que a atual legislatura não chegou nem a metade, Floro tem motivos de sobra para sonhar com o dia da sua posse na Assembleia.

    Floro Mauel é o próximo na fila dos suplentes (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Além disso, dois deputados titulares disputam mandatos de prefeito este ano. Fábio Novo (PT) em Teresina e Dr. Hélio (PL) em Parnaíba. A tarefa deles na eleição é muito árdua, mas se algum se tornar prefeito, mais vagas deverão ser abertas na Assembleia. E mais: a própria Jôve, recém-empossada, se ganhar a eleição em Piripiri, abrirá vaga para outro suplente.

    No ritmo que vai, o piauiense ainda poderá ver a posse de deputados estaduais que não tiveram sequer 5 mil votos. Por incrível que pareça, não está longe disso acontecer. Se Wellington Dias mantiver os atuais suplentes e chamar pelo menos outros três, essa situação se tornará realidade. Está perto de termos deputado de 4 mil votos na Assembleia. 

    Para um governador que chamou nove suplentes em um ano e oito meses sem nenhuma cerimônia, não é difícil acreditar que ele vai chamar mais três nos próximos dois anos e quatro meses. Pela sequência, os próximos da fila são Floro Mauel (PDT), Joãozinho da Unimagem (PRTB) e o vereador de Floriano, Bilú (MDB), que teve apenas 4.238 nas eleições de 2018.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 25 de agosto de 2020, às 12:06h

    Jôve faz juramento de posse na Assembleia Legislativa (Foto: Divulgação/Assembleia)

    Um dia depois da Assembleia Legislativa do Piauí empossar a suplente Liziê Coelho (MDB), chegou a vez de mais uma suplente ser empossada. Na manhã desta terça-feira (25), Jôve Oliveira (PTB), que ficou na 10ª suplência da coligação governista em 2018, ganhou de presente do governador Wellington Dias (PT) um mandato de deputada estadual.

    Embora tenha ficado na 10ª suplência, oficialmente ela é hoje a 9ª suplente por causa da efetivação do deputado B.Sá (Progressistas) após a morte de Fernando Monteiro.

    A posse de Jôve aconteceu no gabinete da presidência da Assembleia. Ela foi beneficiada com a saída dos deputados titulares Nerinho (PTB) e Franzé Silva (PT) para secretarias na gestão estadual. A nova deputada teve 14.199 votos nas eleições de 2018. 

    Jôve é pré-candidata a prefeita de Piripiri, no Norte do Piauí, com o apoio do governador Wellington Dias. Na cidade, ela vai enfrentar o atual prefeito Luiz Menezes (Progressistas), pai do deputado estadual Marden Menezes (PSDB). Pai e filho são fortes opositores do governador.

    O objetivo de Wellington acomodar Jôve na Assembleia Legislativa é justamente fortalecer a campanha da petebista rumo à prefeitura de Piripiri, uma das principais cidades do Piauí.

    LEIA TAMBÉM:
    Liziê Coelho é empossada na Assembleia

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 24 de agosto de 2020, às 15:11h

    Deputada do Rio é apontada como mandante de assassinato (Foto: Célia Viana/Câmara)

    Ao apontar que a deputada federal Flordelis (PSD-RJ) foi a mandante do assassinato do próprio marido e denunciá-la pelo crime, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro também afirmou que ela tentou envenenar o companheiro ao menos seis vezes. O marido dela, Anderson do Carmo, foi morto com mais de 30 tiros em 16 de junho de 2019.

    Mas, antes disso, a deputada teria tentado outras formas de assassiná-lo. Com a ajuda dos filhos, foram ao menos seis tentativas de envenenamento. Flordelis, seis filhos e uma neta foram denunciados nesta segunda-feira (24) pelo assassinato e vão responder também por tentativa de homicídio qualificado, falsidade ideológica e associação criminosa.

    Na denúncia apresentada contra ela, a neta e os filhos, o MP afirma que Anderson só não morreu envenenado em outras ocasiões porque teve pronto atendimento médico. Segundo o MP, as tentativas de Flordelis e dos filhos de matar Anderson começaram em maio de 2018.

    Após a denúncia do MP, o PSD abriu processo de expulsão de Flordelis do partido.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 24 de agosto de 2020, às 13:31h

    Evandro Hidd mostra confiança na chapa do PDT (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador Evandro Hidd, presidente municipal do PDT em Teresina, disse nesta segunda-feira (24) que o partido tem potencial suficiente para eleger três vereadores na Câmara Municipal da capital. Em entrevista à rádio Teresina FM, ele disse que o partido montou uma chapa bastante competitiva e demonstrou confiança em conquistar três vagas.

    “Montamos uma chapa de vereadores bastante competitiva, com chances reais de fazermos três vereadores nessas eleições. Hoje nós temos 40 pré-candidatos a vereador, todos já empunhando suas bandeiras, levando para as suas comunidades o que desejam fazer. Vamos trabalhar nossa chapa, fortalecendo nossos candidatos e com certeza sairemos [da eleição] no dia 15 de novembro com três cadeiras na Câmara Municipal”, falou.

    Atualmente, o PDT tem dois vereadores na Câmara: o próprio Evandro e o vereador Enzo Samuel, que deixou o PC do B e se filiou ao partido em abril deste ano.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 24 de agosto de 2020, às 11:56h

    Liziê tomou posse no gabinete da presidência da Alepi (Foto: Divulgação/Assessoria Alepi)

    A Assembleia Legislativa do Piauí empossou nesta segunda-feira (24) a nona suplente da coligação do governador Wellington Dias (PT). Liziê Coelho (MDB) assume o mandato após o petista convocar os titulares Nerinho (PTB) e Franzé Silva (PT) para secretarias no governo estadual. Até quarta-feira a 10ª suplente Jôve Oliveira (PTB) também será empossada.

    Liziê Coelho tomou posse numa cerimônia rápida no gabinete da presidência da Assembleia. Ela mulher do ex-prefeito de Paulistana e ex-presidente da APPM, Luís Coelho. Nas eleições de 2018, teve apenas 18.318 votos, não conseguindo se reeleger e ficando na nona suplência. 

    "A expectativa é voltar e fazer o mesmo trabalho que eu sempre fiz para a nossa região do semiárido nordestino", disse a nova deputada que também é presidente do MDB Mulher.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 24 de agosto de 2020, às 9:31h

    Firmino diz que eleições de 2020 já focam em 2022 (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), fez um discurso duro no último sábado (22) em Parnaíba, no litoral do Piauí. Na ocasião, o tucano participou do evento de lançamento do pré-candidato a vice do atual prefeito Mão Santa (DEM) na cidade litorânea.

    Em sua fala, Firmino disse que as eleições deste ano são a base para as eleições de 2022, quando, segundo ele, será enfrentada uma guerra para derrotar o atual esquema político que governa o Piauí desde 2003, quando Wellington Dias (PT) chegou ao poder.

    “As eleições de 2020 aqui em Parnaíba já começam a delinear aquela luta, aquela guerra que nós vamos enfrentar em 2022. É fundamental que nós possamos resolver nossas questões menores para que possamos enfrentar aquele adversário maior, para que nós possamos ter aquela vitória maior em 2022.”, falou o prefeito ao lado de Mão Santa e do senador Ciro Nogueira.

    Prefeito de Teresina durante evento em Parnaíba (Foto: Reprodução/Vídeo/Redes Sociais)

    Firmino disse ser um admirador de Mão Santa e defendeu que a reeleição dele em Parnaíba será um importante passo para a oposição rumo às eleições de 2022.

    “Todo o Estado do Piauí olha para Parnaíba e todos nós esperamos uma vitória retumbante, bonita, massacrante do Mão Santa em Parnaíba. Porque essa vitória representa um passo fundamental para 2022.”, completou o gestor da capital.

    GESTÃO PREPOTENTE E ARCAICA

    Na mesma fala, Firmino afirmou que desde 2003 o Piauí experimenta um modelo de gestão prepotente e arcaico. Ele lembrou a façanha de Mão Santa ao derrotar a oligarquia em 1994 e disse que é preciso acabar com o que chamou de podridão na gestão estadual do Piauí.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sábado, 22 de agosto de 2020, às 12:46h

    Quando o MDB de Teresina decidiu lançar Beth Cuscuz como pré-candidata a vereadora, todos entenderam a estratégia logo de cara. A intenção é atrair votos para a chapa proporcional do partido se valendo da imagem cômica da fundadora e ex-dona do mais famoso cabaré do Piauí.

    O MDB quer usar a ex-cafetina, hoje uma senhora aposentada, com filhos e netos, para tentar repetir em Teresina algo parecido com o efeito Tiririca, eleito deputado federal três vezes pelo estado de São Paulo na base da molecagem, da piada, da gozação, da galhofa. 

    Ainda que essa estratégia seja pobre de civilidade, é válida. No entanto, parece que o MDB e seus aliados vão apelar mais fundo na eleição de Beth. Neste sábado (22), o ex-deputado estadual Robert Rios (PSB), pré-candidato a vice-prefeito de Dr. Pessoa (MDB), fez postagem nas redes sociais demonstrando como o MDB vai tratar a campanha da ex-empresária.

    Fazendo trocadilho com a atividade que a pré-candidata desempenhava no cabaré, Robert postou uma montagem com a foto de Beth e a frase: “Não vote nos filhos, vote na mãe”.

    Postagem feita por Robert Rios nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook/Robert)

    Todos, obviamente, entenderam a intenção da frase, afinal de contas, na política muitos são chamados de “filhos da p***”. Essa explicação até poderia ser dispensada.

    Robert Rios é um homem muito inteligente, com história no estado do Piauí, tanto na política quanto na Polícia Federal, onde foi exímio delegado e superintendente da corporação. Mas a postagem dele é de uma pobreza política descomunal, uma apelação rasa. 

    Elizabeth Lourdes Ferreira de Oliveira, a Beth Cuscuz, tem todo o direito de ser candidata e ninguém deve desrespeitá-la pelo seu passado. Porém, ela não deveria permitir que sua imagem fosse usada politicamente de forma tão chula e depreciativa pelo próprio grupo político que quer se aproveitar da sua “fama” para conseguir dividendos eleitorais.

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta, 21 de agosto de 2020, às 15:39h

    O juiz Maurício Machado, da 49º Zona Eleitoral de Porto, no Norte do Piauí, mandou o ex-prefeito de Nossa Senhora dos Remédios, Ronaldo Lages, excluir das redes sociais dele publicações com números de pesquisa eleitoral falsa. A decisão foi publicada nesta sexta-feira (21) no Diário Oficial do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI).

    De acordo com denúncia feita pelo PSD de Nossa Senhora dos Remédios, Ronaldo Lages divulgou no Facebook uma pesquisa que supostamente teria sido realizada no município. A pesquisa mostrava que os pré-candidatos a prefeito Dr. Fernando (PSD) e Pedro Filho (PSL) possuem, respectivamente, 34,93% e 25,64% das intenções de voto.

    No entanto, a pesquisa não constava no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e era falsa. Na decisão, o juiz Maurício Machado destacou que a divulgação de pesquisa falsa pode interferir ilegalmente no processo eleitoral, pois tem o poder de macular a opinião pública.

    “A divulgação de pesquisas falsas ou sem o devido registro na Justiça Eleitoral podem trazer graves prejuízos à sociedade, vez que possuem o condão de macular a opinião pública e influenciar no processo democrático”, aponta um trecho da decisão.

    O magistrado deu prazo de 24 horas para Ronaldo Lages apagar as publicações pertinentes a pesquisa eleitoral falsa, sob pena de aplicação de multa diária de R$ 10 mil reais. 

    • Teresina Legislação e Painel Covid 19 - PMT
    • Teresina Painel e Legislação - PMT
    • Hero Grill Self Service
    • Flores Da Casinha
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados


voltar para 'Política Dinâmica'