Coluna Gustavo Almeida
  • sexta, 09 de agosto de 2019, às 17:01h

    Júlio César apoiou papel em coluna (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Poucos parlamentares no Brasil entendem de economia, pacto federativo e municipalismo como o deputado piauiense Júlio César (PSD), coordenador da bancada do Nordeste no Congresso Nacional. Isso não é rasgação de seda para ele, mas sim uma constatação, independentemente de quem gosta dele ou não, de quem aprova seu mandato ou não.

    Chamado por muitos colegas de "homem dos números", Júlio coloca tudo na ponta do lápis. Para todo argumento costuma apresentar dados, falar de percentuais, valores e números. Esta semana, ele tomou posse mais uma vez como presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Piauí (Faepi). Antes da solenidade, andava inquieto atrás de uma caneta e, depois de achar, procurou uma coluna para apoiar um papel e poder escrever.

    A imagem é peculiar, típica de quem não desapega das letras e, muito menos, dos números.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 08 de agosto de 2019, às 16:04h

    Polêmicas da política e do Judiciário dominam o Brasil (Sputnik/Ramil Sitdikov)

    O Brasil é um país muito distante de ser desenvolvido, com desigualdades sociais gritantes e graves problemas em áreas como educação, saúde e segurança. Somos uma nação onde as grandes deficiências são negligenciadas pela maioria dos políticos e por grande parte dos empresários que concentram o poderio econômico e financeiro. O Brasil do século XXI é melhor que o Brasil do século XX, mas está muito longe de ser bom.

    Enquanto milhões de brasileiros padecem diante do desemprego, dos salários miseráveis, do analfabetismo, da violência e da saúde pública precária, as discussões em voga na classe política são outras. De uns anos para cá, o que se vê nos noticiários são intensas discussões que caminham totalmente na contramão dos verdadeiros problemas do povo brasileiro. O fato é que hoje o debate político no Brasil não é voltado para a resolução das nossas mazelas.

    A alta cúpula do poder político no Brasil se concentra numa pauta que, do ponto de vista prático, não muda em nada a vida daquele rurícola que sofre nos sertões, nem a vida dos jovens sem oportunidades nas periferias e nem a dor de quem agoniza nos corredores das emergências dos hospitais brasileiros. Os verdadeiros problemas da nossa gente estão fora da órbita da maioria dos políticos. A pauta deles não é a pauta de quem sofre.

    Desigualdades ainda são marcas do Brasil (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

    Quando ligamos a TV, ouvimos rádio ou lemos na internet, vemos um embate infindável sobre a atuação de um ex-juiz, sobre a legitimidade de um procurador, a parcialidade da Justiça ou sobre a legalidade de uma operação policial. Vemos intenso debate sobre esquerda e direita, sobre situação e oposição, sobre o fulano preso e o cicrano solto. Assistimos a uma incessante discussão sobre mensagens vazadas e sobre um presidente desbocado.

    Estas, obviamente, são pautas que precisam ser discutidas, no entanto, um país não deve adotá-las como cerne do debate nacional de modo tão duradouro, repetitivo e persistente. Enquanto o núcleo político do Brasil não consegue tirar o foco de pautas que só mudam a realidade dele mesmo, os problemas do nosso povo jamais serão resolvidos. Não é o protagonismo do debate ideológico da esquerda e da direita que vai salvar o povo brasileiro.

    Um sujeito que está há dois meses esperando por uma cirurgia num corredor de hospital não está nem se lixando para o conteúdo de mensagens vazadas ou para certas asneiras trocadas entre políticos de esquerda e direita dentro do Congresso Nacional. Quem perdeu toda a plantação em decorrência da seca no sertão nordestino não está interessado em saber se o deputado A foi visto conversando com político B em um restaurante requintado de Brasília.

    Briga esquerda x direita não faz país crescer (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica)

    Enquanto a pauta central do Brasil for o conflito entre judiciário e classe política e a guerra imbecil entre esquerda e direita, o povo continuará sofrendo. Nas brenhas do país, faltam ambulâncias, falta contingente policial e sobra miséria, desemprego e violência. Falta água potável nos rincões, falta escola de qualidade, faltam medicamentos nos postos de saúde. Nas grandes cidades, aumentam os pedintes nas ruas e crescem as desigualdades.

    Um país com essa realidade não pode se dar ao luxo de focar numa pauta que interessa prioritariamente aos políticos, aos homens de toga ou poderosos desse entorno. É preciso lembrar que existe Brasil além de Brasília, que existe gente sofrendo enquanto políticos se engalfinham ou encampam uma tal "resistência" em nome de poucas figuras. O Brasil precisa resistir é contra os problemas do seu povo. À essa resistência, poucos querem aderir.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 08 de agosto de 2019, às 13:47h

    Wellington Dias recebeu doação da Itaipava (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O Governo do Piauí enviou à imprensa uma explicação sobre a generosa isenção fiscal concedida pelo governador Wellington Dias (PT) à cervejaria Itaipava, do Grupo Petrópolis. O caso voltou à tona essa semana após o dono do grupo se entregar à Polícia Federal.

    Matéria repercutida do site O Antagonista na última terça-feira (6) dá conta de que a Operação Lava Jato ronda o governador do Piauí por conta da relação com a cervejaria. A empresa foi doadora da campanha de Wellington em 2014 e recebeu a bondosa isenção fiscal no Piauí já no primeiro mês da terceira gestão do petista, em janeiro de 2015.

    Na nota enviada ao Política Dinâmica, o Governo do Estado disse que o benefício à cervejaria Itaipava foi concedido ainda no governo de Wilson Martins (PSB) e que em 2015, já na gestão de Wellington Dias, houve apenas uma alteração no decreto governamental. 

    Confira, na íntegra, a nota do governo.

    "O Governo do Estado informa que o benefício fiscal à Cervejaria Itaipava foi concedido ainda no governo Wilson Martins. A portaria chegou a ser alterada no governo Zé Filho, onde foi concedido outro benefício fiscal para a cervejaria. No governo Wellington Dias houve alteração no decreto que, posteriormente, foi revogado para que o Governo avaliasse o impacto da concessão do benefício. Por decisão judicial, o benefício foi restabelecido. Hoje, em virtude da Lei complementar 160/17, todo o histórico de benefícios foi legalmente convalidado".

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 07 de agosto de 2019, às 18:12h

    Júlio destaca ações do governo para o Nordeste (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado federal e coordenador da Bancada do Nordeste, Júlio César (PSD), minimizou nesta quarta-feira (7) as polêmicas do presidente Bolsonaro com governadores do Nordeste, se referindo à afirmação do mandatário da República de que os gestores querem dividir o Nordeste do país. Segundo o deputado, trata-se apenas de uma colocação do presidente, mas ninguém gostaria de dividir o país. Júlio entende que Bolsonaro está ajudando a região.

    "Nós estamos muito bem sintonizados com o presidente Bolsonaro. Ele é um homem que está ajudando, inclusive, a fomentar as coisas do Nordeste. Sou o coordenador da bancada. Melhoraram, por exemplo, o atendimento dos que recebem atenção do Dnocs, da Sudene. [Sobre dividir] eu acho que é apenas uma colocação dele. Nós jamais gostaríamos de dividir o país, principalmente o Nordeste que é a região mais pobre entre as cinco do país", falou.

    Júlio César é um dos deputados nordestinos mais alinhados com o presidente. Desde o início da gestão, ele tem defendido as ações de Bolsonaro. O posto de coordenador da bancada do Nordeste faz o piauiense ter ainda mais visibilidade junto ao Palácio do Planalto.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 07 de agosto de 2019, às 16:58h

    Freitas Neto defende importância de viagens (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O ex-governador do Piauí, Freitas Neto (PSDB), comentou nesta quarta-feira (7) sobre as rotineiras viagens do governador Wellington Dias (PT) ao exterior. Na avaliação de Freitas, as viagens são importantes, mas desde que tragam resultados efetivos para o Estado. O tucano lembrou que quando administrou o Piauí também fez viagens internacionais e disse que um governador não pode ficar paralisado dentro do Palácio de Karnak.

    "Às vezes as viagens são importantes sim. O importante é que os resultados cheguem. Eu não sou contra as viagens. Se são viagens efetivas onde vai se tratar de algum assunto importante, eu acho interessante para o Estado, afinal de contas o governador não pode ficar paralisado aqui no palácio. Ele tem que andar no interior para conhecer a realidade do Estado e tem que andar também fora do Estado, em Brasília, em São Paulo vendendo bem a imagem do estado e também no exterior", avaliou o ex-governador.

    ELE TROUXE RESULTADOS
    Freitas destacou que as viagens que fez quando era governador na década de 1990 trouxeram resultados relevantes para o Piauí. Ele mencionou idas ao exterior para buscar recursos no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e no Banco Mundial.

    "Eu, quando fui governador, fiz viagens, principalmente para os bancos multilaterais como o BID e o Banco Mundial. Conseguimos muitos recursos para um grande programa de construção de estradas e tive que ir lá mais de uma vez. Consegui também um grande programa de turismo que é o Prodetur, que ainda hoje faz efeito e podia ter feito mais se tivesse sido melhor tocado. Fui ao BID também mais de uma vez, de modo que essas viagens são naturais. Agora é preciso que se traga os resultados", pontuou.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 07 de agosto de 2019, às 15:51h

    Zé considera falha não chamar governador (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O ex-governador Zé Filho (PSDB) lamentou nesta quarta-feira (7) que a equipe de Jair Bolsonaro ainda não tenha convidado o governador Wellington Dias (PT) para a agenda que o presidente vai cumprir este mês em Parnaíba, no litoral piauiense. Na avaliação de Zé Filho, Wellington Dias é o governador de todos os piauienses, da mesma forma que Bolsonaro é o presidente de todos os brasileiros e, por isso, entende que deveria haver o convite.

    "Eu lamento, porque ele [Wellington] é o governador do Estado e acho que deveria estar presente. Eu acho que é uma falha, mas está tendo esse problema do presidente com os governadores. Não só com o governador Wellington Dias, mas com todos os governadores do Nordeste. Eu acho que nós nesse momento temos que esquecer essa questão partidária. O governador é o governador dos piauienses, como o governador do Maranhão é dos maranhenses e o presidente é o presidente dos brasileiros", falou.

    Segundo Zé Filho, o momento é de união e por isso é importante deixar de lado as questões partidárias. "Para tudo aquilo que for possível ser feito para melhorar a vida do povo brasileiro, eu acho que temos que unir e esquecer um pouco essa questão partidária", disse.

    Até a semana passada, antes de viajar para a China, o governador Wellington Dias informou que não tinha sido convidado para a agenda com o presidente Jair Bolsonaro em Parnaíba no dia 14 deste mês. Desde então, o Governo do Piauí não falou mais sobre o tema.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 06 de agosto de 2019, às 20:26h

    Nogueira quis saber razão de empresas terem quebrado (Foto: Reprodução/TV Câmara)

    O empresário Eike Batista foi ouvido nesta terça-feira (6) na CPI do BNDES, na Câmara dos Deputados. O depoimento dele foi tomado após requerimento de autoria do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP). Eike foi chamado para falar sobre os financiamentos bilionários firmados entre a EBX, empresa criada por ele, e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) — um total de R$ 10 bilhões em sete anos, de 2005 e 2012.

    Entre os deputados que fizeram questionamentos ao empresário estava Flávio Nogueira, do Piauí. Ele quis saber de Eike a razão das empresas dele terem quebrado embora tenha havido grande relação com o banco público. O deputado lembrou, inclusive, que a mineradora MMX, de Eike, gerou muitas expectativas no Piauí com a exploração de minério de ferro em municípios como São Raimundo Nonato, Avelino Lopes, Paulistana e Curral Novo.

    — Afinal de contas, o que foi que quebrou mesmo o senhor? Foi o banco, foi o governo ou foram as doações de campanha? — indagou Nogueira.

    Eike, que poderia ficar em silêncio por autorização do Supremo, respondeu o parlamentar.

    — Nas seis empresas listadas, a maior delas era a empresa de petróleo, onde 100% dos recursos eram de investidores estrangeiros e meu. Eu tinha muito dinheiro dentro dela, com 60% da companhia, o que também é raro numa empresa de petróleo alguém ficar com uma participação tão grande. Mas como a gente acreditava no que os geólogos diziam, que tudo era fantástico... Mas enfim, não foi. Quando uma empresa num conglomerado desse quebra e perde a confiança, você começa a perder valor dessas empresas apesar delas terem laços extraordinários. O que eu fiz? Rapidamente chamei novos sócios para continuar esses projetos e vendi esses ativos a, literalmente, 10 centavos ou 1 real, 90% mais baratos. Eu precisava captar recursos para continuar injetando nela e eles absolverem as dívidas com o BNDES. A cascata da queda é essa. É que uma derruba cinco. É um efeito dominó. Foi uma falha estratégica minha ter seis empresas listadas —, argumentou.

    O empresário Eike Batista, alvo de investigação (Foto: Reprodução/TV Câmara)

    Ainda respondendo ao questionamento de Flávio Nogueira, Eike disse que o governo federal tirou da licitação, 15 dias antes, os blocos do pré-sal que ele sustenta que ganharia.

    — O governo tirou. Eu tinha dinheiro para furar esses blocos, mas 15 dias antes, o governo, sabendo que a gente iria para o leilão e iria ganhar alguns desses blocos, ele tirou. Mas tudo bem, é a vida. Hoje entregaram para os estrangeiros. Aconteceu. —, falou.

    E A EXTRAÇÃO NO PIAUÍ?
    Para encerrar os questionamentos ao empresário, Flávio perguntou se acabou de vez a extração de minério no Piauí por parte das empresas dele. — Agora, eu estou cultivando 10 novos unicórnios. Me esperem. —, respondeu Eike sorrindo e arrancando risos na comissão.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 06 de agosto de 2019, às 19:11h

    Advogados lançam pré-candidatura para 2020 (Foto: Arquivo Pessoal/Luis Francivando)

    O advogado Luis Francivando Rosa (PSOL) lançou pré-candidatura a prefeito do município de Valença do Piauí, a 210 km de Teresina. O pré-candidato a vice é o também advogado e ex-vereador Wallyson Soares, do mesmo partido. Francivando Rosa é o presidente municipal do PSOL em Valença e concorreu ao cargo de deputado estadual nas eleições de 2018.

    "A ideia é mostrarmos um novo projeto de gestão para a cidade, projeto que está sendo elaborado e será submetido à população. Estamos lançando já as pré-candidaturas do partido a prefeito e a vice. É um espaço que o PSOL busca preencher no diálogo com a população. Colocamos nosso nome para ser avaliado pela população de forma legítima. É um direito que assiste ao nosso partido e a nós enquanto cidadãos. Vamos fazer um grande projeto para o município e vamos dialogar com a população. Isso é democracia", falou.

    Luís Francivando vai disputar prefeitura (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Francivando Rosa e Wallyson Soares foram autores de uma ação eleitoral que resultou, em 2017, na cassação de uma coligação inteira, inclusive de seis vereadores de Valença. A cassação com base em fraude na cota feminina foi confirmada no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí e está sendo julgada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Um pedido de vista tirou o caso da pauta e a expectativa é que o julgamento da ação seja retomado ainda este mês.

    CRÍTICAS À ATUAL GESTÃO
    Agora pré-candidato a prefeito, Francivando Rosa faz duras críticas à atual gestão em Valença, comandada pela prefeita Ceiça Dias (Solidariedade). Para o advogado, é preciso romper a tradição e tirar do poder o grupo político que está há anos no poder.

    "Temos uma gestão hoje em Valença de um grupo político que se perpetua no poder há anos. Uma gestão pífia, com visão provinciana e medíocre da política. Sabemos das dificuldades de se fazer política em um ambiente onde falta consciência por grande parte do eleitorado, onde cada um só quer saber de si e as prioridades de alguns políticos são o mero apadrinhamento dos seus grupinhos. Essa é a triste realidade da política no interior do país", afirma.

    Advogados filiados ao PSOL em Valença do PI (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Francivando Rosa e Wallyson Soares são advogados eleitoralistas e mantêm escritório em Brasília, Teresina e Valença. Eles são advogados do PSOL no estado do Piauí.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 06 de agosto de 2019, às 17:00h

    Sede própria do Detran está sem utilidade (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Em fevereiro deste ano, o Governo do Piauí mudou a sede da 4ª Ciretran de Picos, a 306 km de Teresina. Tirou de um prédio próprio situado no bairro Junco e colocou em um espaço no Piauí Shopping, empreendimento inaugurado em 2018, de propriedade do empresário Francisco da Costa Araújo Filho, o Araujinho, sogro do secretário estadual de Fazenda Rafael Fonteles. A mudança divide opiniões e gera reclamações. No prédio antigo, nada funciona.

    A principal reclamação parte de comerciantes do entorno da antiga sede, além de usuários. Quem trabalha na área não entende porque o governo tirou os serviços de um prédio próprio e levou para um espaço dentro de um empreendimento privado, onde a permanência depende do pagamento de aluguel. O Política Dinâmica foi até Picos e ouviu tanto os que não se conformam com a mudança quanto representantes do Detran, que discordam das críticas.

    Comerciante relata prejuízos causados (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O experiente comerciante Manoel Alves, proprietário de uma autoescola em frente a antiga sede, afirma que não há como compreender a atitude do governo de tirar o Detran da sede própria e levar para o shopping. Segundo ele, a gestão estadual descobriu um santo para cobrir outro, situação agravada, na visão dele, pelo fato de não ter sido levado em conta todo o comércio de uma região, mas apenas a vontade de beneficiar um empreendimento privado.

    Veja o vídeo!

    "Pode levar o Detran para 'enes' lugares, não interessa. Pode levar para 10, 20 lugares, mas não pode tirar de um lugar e deixar o povo todo de uma região sem condições de fazer seus trabalhos. Ainda mais para levar para um único lugar para pagar aluguel, sendo que aqui é nosso, é do povo. Fizeram isso como se alguém tem na cabeça que nós iremos engolir. Jamais engoliremos. Levaram tudo pra lá como se o povo fosse um monte de idiota", desabafou.

    Ismael teve que dispensar funcionários (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O comerciante Ismael Dias possui uma pequena gráfica perto da antiga sede e relata que foi obrigado a demitir funcionários após a saída da 4ª Ciretran do bairro. "Aqui era eu e mais quatro funcionários. Depois que o Detran saiu eu tive que cortar gastos e demitir os meninos para poder continuar aberto. O prédio a vida toda sempre teve aqui e agora tiraram para levar para um espaço privado. A maioria das pessoas reclama justamente por isso", falou.

    No bairro Junco, algumas emplacadoras fecharam as portas após a mudança ou foram obrigadas a mudar endereço. Os que ainda permanecem no local reclamam bastante da situação. José Márcio trabalha como despachante na loja do pai, que está no ramo há cerca de 40 anos. Ele lembra que a 4ª Ciretran de Picos atende a vários municípios da região e que até mesmo os usuários que veem de outras cidades do entorno reclamam da mudança.

    "Não só eu, mas todos os outros comerciantes tiveram prejuízos. Nós trabalhamos com outros municípios e até para o pessoal que vem de fora ficou complicado. Como era vizinho aqui na BR, eles desciam das vans e já iam direto no Detran. Agora ficou mais distante porque algumas vans não vão até o shopping. Meu pai está com 40 anos que é despachante e aqui nesse ponto estamos há cerca de 20 anos. Infelizmente é questão política", lamentou.

    Estabelecimentos fecharam as portas em Picos (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A EXPLICAÇÃO DO COORDENADOR
    O PD foi até o novo espaço onde a 4ª Ciretran está funcionando, dentro do Piauí Shopping. Os serviços estão localizados no Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (CIAC), estrutura que, além do Detran, reúne órgãos como Emater, Junta Militar, Adapi e outros. Apesar da semelhança, o CIAC não é o mesmo Espaço da Cidadania, que em Picos fica em outro shopping. A reportagem foi recebida por Lindon Johnson, coordenador da 4ª Ciretran.

    Ele reconhece que a mudança prejudicou quem trabalhava no entorno da antiga sede, mas pontua que muita coisa melhorou depois que o órgão passou a funcionar no shopping. De acordo com Johnson, os usuários ganharam mais comodidade, amplo estacionamento e, além disso, têm à disposição vários órgãos do governo funcionando no mesmo espaço, o que facilita a vida de todos. Ele aponta que o único fator negativo foi a redução de funcionários.

    Lindon diz que não sabe quanto o governo paga (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    "Nós temos espaço para estacionamento, temos espaço para o cidadão que chega e pode ficar sentado com central de ar, coisa que não tínhamos no outro espaço. Lá era numa BR, o nosso estacionamento era horrível e não tinha onde o usuário estacionar. O que prejudicou um pouco a gente com a vinda para o shopping foi em relação aos funcionários. Teve aquela medida do governo de cortar funcionários terceirizados e a Ciretran de Picos perdeu quatro funcionários. Mas aqui estamos bem instalados, com equipamentos novos", falou.

    Sobre o gasto com aluguel no novo espaço no shopping, Lindon Johnson diz que não sabe o quanto o governo do Piauí paga, mas acredita que seja mais compensatório o Estado pagar pelo aluguel de um espaço integrado do que manter vários prédios próprios. "Eu não sei quanto o governo paga, mas acho que para o governo manter um monte de prédio desses que ele tinha deve ser mais caro. Ao reunir todos os órgãos num só lugar, tanto facilita para o cidadão quanto para o governo em termos de custos", avaliou.

    4ª Ciretran agora funciona em um shopping (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    DIREÇÃO GERAL FALA EM ECONOMIA
    Procurada pelo Política Dinâmica, a direção geral do Detran no Piauí informou que a 4ª Ciretran de Picos teve alteração de endereço dentro de uma política do Estado de minimizar custos e melhorar a qualidade da prestação dos serviços à sociedade. A direção do Detran informou que não é o próprio órgão que paga o aluguel do espaço, já que ele integra o CIAC, espaço viabilizado pelo Governo do Estado para acomodar algumas de suas estruturas.

    Mesmo assim, a direção argumenta que o Detran economiza com a mudança, já que não precisa, por exemplo, contratar serviços de segurança para o novo espaço. O Detran-PI garante ainda que existe ganho na qualidade das acomodações e nos acessos dos usuários.


    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 06 de agosto de 2019, às 15:47h

    Ciro apareceu de barba após o recesso parlamentar (Foto: Reprodução/Facebook Ciro)

    O senador piauiense Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas, resolveu mudar de visual e agora está usando barba. Pelo menos foi assim que ele apareceu esta semana para participar de uma reunião com senadores do seu partido em Brasília. 

    No encontro estiveram alguns senadores, entre eles Esperidião Amin e Daniella Ribeiro. Após o recesso parlamentar, Ciro decidiu voltar diferente para o Congresso Nacional. 

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 06 de agosto de 2019, às 14:54h

    Vereador também vê Firmino como nome ideal (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Após a primeira-dama e deputada estadual Lucy Soares (Progressistas) dizer que o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) é o nome ideal para ser candidato a governador em 2022, o vereador Edson Melo, aliado do tucano, reafirmou a ideia. 

    O parlamentar municipal considera não ser o tempo ideal para se falar em candidatura, mas considera Firmino o candidato a governador natural pela oposição em 2022.

    "Eu acho que é um assunto que não deve ser tratado agora, mas eu também afirmo, isso por intuição, que o Firmino é o candidato a governador em 2022 e é o melhor candidato, inclusive o de maior expressão na oposição ao atual governo", afirmou o vereador.

    Conforme o parlamentar, Firmino é o nome capaz de reunir a oposição, embora ache que tudo vai depender do trabalho que ele fará no período pré-eleitoral de 2022. 

    "Ele até agora está cuidando de administrar Teresina. Não está trabalhando nem a sua sucessão municipal, quanto mais para governo do Estado em 2022. É um pouco fora de tempo, mas ele é o candidato natural a governador", finalizou.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 05 de agosto de 2019, às 15:29h

    Deputada mantém linha crítica com o governo (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A deputada estadual Lucy Soares (Progressistas) afirmou nesta segunda-feira (5) que falta tudo no Piauí e que o interior do estado carece de uma gestão como a de Firmino Filho (PSDB) na capital. Segundo ela, falta educação, falta saúde e não sobram problemas no Estado.

    Diante da afirmação, o Política Dinâmica questionou Lucy sobre o porquê, então, do governo estadual possuir uma base aliada tão grande e que vive elogiando a gestão do governador Wellington Dias (PT). Aliás, o próprio partido de Lucy, o Progressistas, é aliado do petista.

    Para a deputada, cabe aos profissionais da imprensa buscarem a resposta. "Acho que vocês que fazem o jornalismo também têm que buscar essa resposta. Eu posso falar por mim enquanto representante do povo piauiense. Eu tenho esse olhar de gente e compromisso com o povo. Fui eleita para defendê-los. Vai ser sempre assim o meu mandato", falou.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 05 de agosto de 2019, às 14:22h

    Tucano falou da relação com a gestão Bolsonaro (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    O prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) falou nesta segunda-feira (5) que a relação da Prefeitura da capital com o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) é boa. Ele destacou que, do ponto de vista administrativo, nunca houve problema com a nova gestão e que a administração do presidente da República só pode ser avaliada ao final dos quatro anos.

    "Todo governo novo, especialmente quando é uma mudança de orientação política, leva a uma modificação da máquina administrativa. Então, esse ano acredito que é um ano de mudança do estilo que existia no governo anterior e da consolidação da nova equipe, dos novos projetos e dos novos programas. Existem, portanto, questões que são inerentes a uma mudança de governo. Agora, é importante perceber que o governo só pode ser avaliado ao final dos quatro anos. Todo governo tem começo, meio e fim", disse Firmino.

    O tucano destacou que todos os programas dos governos anteriores estão sendo continuados e que a administração municipal tem boa relação institucional com o governo federal. "Até agora, o diálogo que tem tido com Teresina tem sido bastante institucional e muito respeitoso. Os programas dos governos anteriores tem tido continuidade. Do ponto de vista institucional, não tenho tido nenhum tipo de problema", garantiu o gestor.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 05 de agosto de 2019, às 13:21h

    Para Lucy, Firmino Filho está preparado (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A deputada estadual Lucy Soares (Progressistas) afirmou nesta segunda-feira (5) que seu marido, o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB), é o nome ideal para concorrer ao governo do Piauí em 2022. Segundo ela, o tucano está preparado para gerir o Estado e levar o modelo de administração desenvolvido por ele na capital para todo o Piauí.

    "Todos sabemos que sim [que Firmino está preparado para ser governador]. Ele é a pessoa correta para gerir o nosso Estado. Tem experiência, tem conhecimento e conhece o Estado. Eu sou uma pessoa suspeita para falar, mas me orgulho muito de tê-lo como esposo, uma pessoa que tem compromisso com nosso Estado e com nossa gente", falou a deputada.

    Questionada por um jornalista se Firmino é o nome ideal para disputar a eleição de 2022, ela disse que sim, no entanto, ponderou que ainda é cedo para se pensar numa eleição que está tão distante. "Com certeza [ele é o nome ideal]. Mas não é o momento da gente falar sobre política. É o momento da gente trabalhar e mostrar os resultados, mostrar como se faz uma boa política e como a política transforma a vida das pessoas", afirmou.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • domingo, 04 de agosto de 2019, às 19:11h

    Carmen Gean vence eleição em Brasileira (Foto: Reprodução/TV Clube)

    A candidata do Progressistas venceu neste domingo (4) a eleição suplementar no município de Brasileira, a 172 km de Teresina. Carmen Gean Veras de Menezes derrotou o prefeito interino e presidente da Câmara de Vereadores, Alan Juciê de Menezes, do PSD. A disputa foi acirrada e Carmem saiu vitoriosa com uma diferença de apenas 202 votos.

    Com 100% das urnas apuradas por volta das 18h30, Carmen teve 2.848 votos (51,84%) contra 2.646 (48,16%) de Alan Juciê. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI), foram contabilizados 5.494 votos válidos e 1.055 abstenções, o que representa 15,76% do eleitorado do município. Foram registrados ainda 48 votos brancos (0,85%) e 96 nulos (1,7%).

    TINHA PERDIDO POR 8 VOTOS
    Em 2016, Carmen Jean disputou a prefeitura de Brasileira com a empresária Paula Araújo (PSD), que venceu por uma diferença de apenas oito votos. No entanto, a gestora que na ocasião foi reeleita teve o mandato cassado em maio deste ano por decisão colegiada do TRE-PI, sendo novas eleições foram determinadas. Alan Juciê era aliado da prefeita cassada.

    DIPLOMAÇÃO E POSSE
    De acordo com o TRE-PI, Carmen Gean deve ser diplomada até 23 de agosto. Já a definição da data da posse dela compete à Câmara Municipal e será definida nos próximos dias. A nova prefeita fica no cargo até 31 de dezembro de 2020, quando se encerra o mandato.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados


voltar para 'Política Dinâmica'