Coluna Gustavo Almeida
  • 28 de janeiro 2020

    segunda, 27 de janeiro de 2020, às 15:15h

    Ciro concorda com posição de Firmino Filho (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O senador Ciro Nogueira está do lado do prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB) na discussão sobre o repasse do cofinanciamento da saúde aos municípios. O tema voltou a ser pauta semana passada quando uma discussão entre prefeitos repercutiu nas redes sociais. Na ocasião, Firmino discordou da proposta do governo estadual e levantou a polêmica.

    A gestão de Wellington Dias (PT) propõe pagar de forma parcelada todos os valores atrasados e cessar os pagamentos do presente durante esse período. Para Firmino, esse tipo de proposta beira ao calote. Ciro não usou o mesmo termo, mas concorda com o prefeito da capital. Para ele, o Estado deve e quem deve tem obrigação de pagar.

    "Acho que tem que ter bom senso. O Governo do Estado deve e quem deve tem que pagar. Se eu chegar lá na Secretaria de Fazenda e dizer que não vou pagar meus débitos, eu sei que o Estado vai reclamar. É preciso que cheguem num denominador comum e o Estado pague o que deve porque esses recursos são fundamentais para a saúde no interior", opinou.

    O cofinanciamento da saúde é um repasse feito pelo Governo do Estado para ajudar a prefeitura a custear serviços de saúde. A gestão de Wellington Dias está com vários meses atrasados e os prefeitos cobram solução. Somente para a prefeitura de Teresina já são mais de R$ 30 milhões que o governo estadual deve e alguns acordos já foram descumpridos.

    Firmino diz que proposta beira o calote (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    FIRMINO IRONIZA PROPOSTA DE ACORDO

    O prefeito Firmino Filho cobra a regularização dos repasses e não concorda com a última tentativa de acordo proposta pela gestão de Wellington Dias. Ele explica que, basicamente, a proposta consiste no parcelamento de todo o débito passado durante, [já chega a 25 meses], mas enquanto isso pausaria os pagamentos do presente. Firmino ironiza a proposta.

    "Que proposta é essa? O governo parcelaria todo o débito passado durante esses 25 ou 26 meses. Só que ele pagaria o atrasado e deixaria de pagar o presente. Ou seja, ele vai pagar o passado e esquece do presente e do futuro. É como se você fizesse um acordo com uma pessoa que está com o salário atrasado seis meses e dissesse assim: 'eu vou te pagar [o atrasado] pelos próximos seis meses, mas só que o salário que você ia ganhar nos próximos seis meses você não vai ganhar'. Uma coisa muito próxima do calote", finaliza.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 27 de janeiro de 2020, às 12:56h

    Ciro voltou a falar da relação com Wellington (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O senador Ciro Nogueira (Progressistas) voltou a reconhecer nesta segunda-feira (27) que existem divergências entre ele e o governador Wellington Dias (PT). Ele também afirmou que só o tempo dirá até quando a aliança política resistirá a esses conflitos. Questionado pelo Política Dinâmica se apoia a gestão de Wellington porque aprova o jeito do petista governar, Ciro disse que está aliado ao petista pelo amor que tem ao estado do Piauí.

    "Tem algumas divergências, eu não vou negar. Somos partidos diferentes. O PT é um partido de extrema esquerda e o Progressistas um partido de centro. Nós temos visões diferentes de gestão, de tamanho do estado, mas o que nos une é o amor por esse Estado. Eu acho que uma divisão minha e do governador hoje vai prejudicar o Piauí e eu não quero isso. O que me une ao governador, muito mais que minhas divergências, é meu amor pelo Piauí", falou.

    Amor ao Piauí sustenta a aliança, garante Ciro (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Ao falar sobre disputas municipais onde os dois estarão em lados opostos, Ciro admitiu que os conflitos existem e colocou dúvida sobre o futuro da aliança com o PT no Piauí.

    "Nós temos que saber conduzir o processo político. É uma eleição municipal, tanto que nós já tivemos separados nas eleições municipais passadas e tivemos juntos pelo Governo do Estado. Não quer dizer que estaremos separados. Tem alguns conflitos, eu não vou negar. Cabe ao tempo dizer se nós vamos estar juntos ou não", comentou o senador.

    Ciro diz que se tivesse rompido com Wellington lá atrás o Piauí estaria hoje numa situação muito difícil. Ele ainda se auto-intitulou "o grande homem que trouxe recursos para o Piauí". Para ele, é preciso apoiar Wellington mesmo nos momentos em que o petista está mal.

    "O que seria do Estado se eu tivesse rompido com o Wellington lá atrás? O estado estaria hoje com as contas muito difíceis. Eu fui o grande homem que trouxe recursos para o Piauí. Tenho que ter responsabilidade quanto a isso. Não é só fazer oposição. As vezes o governador está mal em alguma situação e eu vou sair atirando? Isso não é justo. Tenho responsabilidade com a gestão também, porque fui para os palanques pedir voto pra ele", lembrou.

    Ciro cumpriu agenda com Firmino em Teresina (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Nesta segunda-feira (27), Ciro visitou bairros da Zona Sudeste de Teresina acompanhado do prefeito Firmino Filho (PSDB). Ele reforçou a aliança com o tucano na capital e disse que o Progressistas apoia qualquer nome que for escolhido por Firmino para disputar a prefeitura.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 27 de janeiro de 2020, às 11:57h

    Firmino crê na conquista de Wilson e Robert (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O prefeito Firmino Filho (PSDB) ainda não desistiu de contar com o apoio do ex-governador Wilson Martins (PSB) e do ex-deputado estadual Robert Rios. O tucano afirmou nesta segunda-feira (27) que mantém bom relacionamento pessoal com os dois e por isso ainda espera tê-los no palanque do seu candidato a prefeito de Teresina nas eleições deste ano.

    "O PSB é um partido aliado nosso. Esteve conosco na eleição passada e tenho um bom relacionamento pessoal com o Wilson Martins e com o próprio delegado Robert Rios. A gente vai continuar a buscar o apoio do PSB", informou o prefeito.

    Robert Rios, que vai se filiar ao PSB, é atualmente pré-candidato a vice-prefeito de Dr. Pessoa (MDB) e tem feito críticas a Firmino, embora reconheça que Teresina foi bem administrada nas gestões do tucano. Wilson Martins, presidente estadual do PSB, já disse que será Robert quem vai decidir as posições do partido no processo eleitoral da capital.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 27 de janeiro de 2020, às 11:25h

    Firmino alfinetou gestão de Wellington Dias (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), voltou a criticar o Governo do Estado. Ao visitar nesta segunda-feira (27) o assentamento Nova Esperança, na Zona Sudeste, acompanhado do senador Ciro Nogueira, o tucano disse que a gestão de Wellington Dias (PT) não faz nada em Teresina e que a prefeitura tem feito o que, em outras épocas, o estado fazia.

    "Nós estamos fazendo aquelas obras pequenas que tradicionalmente caracterizaram a prefeitura, mas a prefeitura também está fazendo grandes obras que antigamente só o governo do Estado fazia. O governo do Estado não faz nada em Teresina e a prefeitura está fazendo. Fazendo pontes, como a do Dirceu, avenidas, viadutos, como o da Barão de Gurgueia. A prefeitura é um canteiro de obras, não apenas de pequenas obras como calçamento, asfalto, creches, unidades básicas de saúde, mas também grandes obras", falou.

    Firmino e Ciro visitaram Zona Sudeste (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    ELOGIOS A ALBERTO E WILSON

    Segundo o prefeito, o governador que fez muitas obras em Teresina foi Alberto Silva, tradição que foi resgatada pelo ex-governador Wilson Martins, entre 2010 a 2014.

    "Tradicionalmente, o governador que fez muitas obras em Teresina foi o doutor Alberto Silva, lá na década de 70. O governador Wilson Martins tentou resgatar um pouco dessa tradição. É até um elogio que deve ser feito para o Wilson. Ele tentou trazer o governo do estado de volta para Teresina. Mas ele não teve muito tempo para terminar a maioria das obras que ele começou. E agora o governador Wellington Dias está aí tentando ver se termina essas obras que o Wilsão começou", falou o prefeito.

    Para Firmino, a quantidade de obras da prefeitura tem incomodado a oposição. "A oposição está meio que perdida. Uma parte diz que a prefeitura faz apenas o feijão com arroz, outra diz que a prefeitura só está fazendo grandes obras. Então a prefeitura está muitas grandes obras e muitas obras pequenas. A oposição está perdida na crítica que faz", disse.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta, 24 de janeiro de 2020, às 14:01h

    Georgiano e Fábio Sérvio conversaram (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Nas últimas semanas surgiram informações em torno de uma suposta filiação de Fábio Sérvio ao PSD. O que parecia improvável ganhou algum sentido depois que Sérvio e o deputado estadual Georgiano Neto tiveram um encontro. Ambos são pré-candidatos a prefeito de Teresina. Sérvio pelo PROS, partido que ele preside na capital, e Georgiano pelo PSD.

    Nesta sexta-feira (24) o Política Dinâmica entrou em contato com os dois. Georgiano admitiu ter conversado com Sérvio enquanto membro da oposição em Teresina, condição que ambos têm em comum. Apesar da conversa, o deputado disse que não existiu convite para que Sérvio se filiasse ao PSD e fosse candidato a prefeito da capital pelo partido.

    "Tivemos uma conversa como membros da oposição. Eu sou pré-candidato a prefeito pelo PSD e ele pelo PROS", disse Georgiano ao negar que tenham tratado de filiação.

    O QUE DIZ FÁBIO SÉRVIO?

    Do outro lado, o discurso é o mesmo. Fábio Sérvio, que disputou o governo do Piauí em 2018 pelo PSL, disse que conversou com Georgiano sobre política, 2020 e oposição. Sobre o encontro, Sérvio tece elogios ao deputado. "Nunca havia conversado com ele. Tem muito conhecimento e uma lógica política muito boa", conta.

    O presidente municipal do PROS garante que não falaram sobre filiação ou pré-candidatura e disse que no encontro Georgiano reafirmou sua condição de pré-candidato. No entanto, uma ala de pré-candidatos a vereador do PSD quer a filiação de Sérvio, fato que ele reconhece.

    "Tenho recebido muitas mensagens nos últimos dias de pessoas perguntando sobre o PSD, mas não houve esse convite para me filiar. Parece que há uma ala no partido que gostaria de ter nossa filiação. Alguns pré-candidatos a vereador", revelou.

    Sérvio disputou o governo do Piauí em 2018 (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    NO FUNDO, NÃO DESCARTA

    Sérvio conta que Georgiano foi o primeiro político a conversar com ele sobre a eleição deste ano. Embora os dois mantenham o discurso de que não existe essa história de filiação, Fábio Sérvio dá a entender que isso não é algo descartado. Ele até lembrou que o avô já foi do PSD.

    "Mas, política é como nuvem, já dizia Magalhães Pinto. Respeito o PSD, a história de nomes como Hugo Napoleão e Júlio César. E por coincidência, meu avô, Jehú Sérvio, ao lado de outro parente, Leônidas Melo, ambos da minha família, foram da sigla na década de 50. Então, fico feliz de ser lembrado por membros do PSD", externou.

    ESTRUTURAÇÃO DO PROS

    Presidente do PROS em Teresina, Fábio Sérvio diz que o partido já está em mais de 30 cidades do Piauí e que deverá ter candidato a prefeito e a vice em pelo menos 20 delas. Ele destaca que tem mantido forte parceria com Marilene Aguiar e o cantor Frank Aguiar.

    "Qualquer decisão de aliança será conversada com eles", finalizou.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta, 24 de janeiro de 2020, às 10:53h

    Flávio Nogueira fez crítica em sua rede social (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado federal Flávio Nogueira (PDT-PI) criticou nesta sexta-feira (24) o que considera ser uma indiferença prejudicial na relação entre os poderes constituídos da República.

    Sem citar o ministro do STF Luiz Fux, mas claramente se referindo à decisão do magistrado que vetou a implementação do juiz de garantias, Nogueira condenou o fato de uma "canetada solitária" tornar nula uma lei votada no Congresso Nacional e sancionada pelo presidente da República. O tema constantemente gera crítica de congressistas.

    "Os poderes da República são (pra ser) harmônicos, mas não independentes no sentido da expressão. Eles são na verdade interdependentes. Teriam independência uns em relação aos outros. Mas em constante interação, jamais indiferença, para que os abusos de uns pudessem ser retificados pela ação dos outros. Em nosso país, um ministro do STF, com uma 'canetada solitária' torna nula uma lei, sine die, que foi votada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo presidente da República", escreveu o deputado.

    Na última quarta-feira (22), o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), vetou por tempo indeterminado a implementação da figura do juiz de garantias. A implementação foi aprovada no Congresso Nacional em 2019 e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta, 24 de janeiro de 2020, às 9:40h

    Líder da oposição ainda fez críticas ao governo (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado estadual Gustavo Neiva (PSB) afirmou nesta quinta-feira (23) que a bancada da oposição estará ao lado do professores na cobrança para que o governo estadual repasse o mesmo percentual de reajuste do piso do magistério anunciado pelo governo federal. A categoria quer que o governador Wellington Dias (PT) conceda os mesmos 12,84%.

    Em nota enviada ao Política Dinâmica esta semana, o governo disse que ainda vai discutir o assunto, mas adiantou que dará um reajuste “dentro das possibilidades do estado”.

    Para Gustavo Neiva, o governo do Piauí deve valorizar o trabalho dos professores e dar o mesmo aumento de 12,84%. Ele argumenta que a gestão de Wellington Dias poderia ter cortado gorduras e reduzido gastos, o que não fez. Agora, sustenta o deputado, não é justo o governo deixar de repassar o aumento integral aos professores.

    "A gente espera que o governo cumpra a lei. O governador deveria cortar gorduras que não cortou. Teve a reforma administrativa que ele ensaiou fazer e não fez, mandou mensagem para extinguir órgãos e não extinguiu, tem nomeação excessiva de cargos comissionados. Eu acho que o governador deveria economizar, tirar as gorduras e valorizar a educação", falou.

    Neiva lembra que em 2019 o governo estadual já não cumpriu como deveria o reajuste e avisa que a oposição fará cobranças sobre o tema na Assembleia Legislativa do Piauí.

    "Nós estaremos ao lado dos professores, porque entendemos que somente a educação transforma uma realidade e pode fazer com que o Estado cresça. Os professores têm direito a esse reajuste e nós estaremos aqui cobrando do governo que ele cumpra a legislação e dê na totalidade o reajuste a que eles têm direito", finalizou.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 23 de janeiro de 2020, às 16:23h

    Marcelo Castro sai em defesa de aliado (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O senador Marcelo Castro, presidente regional do MDB, disse nesta quinta-feira (23) a aliados no Diretório Regional do partido que o vereador de Teresina Luiz Lobão não sai da legenda, como quer o deputado estadual Themístocles Filho, presidente municipal da sigla.

    "O Lobão não sai", sentenciou Marcelo já depois das declarações de Themístocles dadas no final da manhã a jornalistas na Assembleia Legislativa. Uma fonte no MDB presenciou a fala do senador. Marcelo deu expediente nesta manhã na sede do Diretório.

    Publicamente, o senador também já se manifestou contra a expulsão de Lobão do partido por considerar que não existe lógica em expulsá-lo com base na perspectiva de que ele não votará em Dr. Pessoa para prefeito. Para ele, Lobão só sairá do partido se quiser.

    Luiz Lobão é defendido por Marcelo Castro (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador foi coordenador da campanha de Marcelo Castro para o Senado em Teresina nas eleições de 2018 e desde então eles tem tido grande proximidade. Lobão sempre afirma que Marcelo é muito grato pelo trabalho que ele fez em sua campanha.

    Enquanto Marcelo defende e considera Lobão um grande aliado, Themístocles diz que o vereador é um infiltrado do prefeito Firmino Filho (PSDB) que atua contra o partido. O atrito entre os dois caciques é visível e a polêmica em torno do assunto só tende a aumentar.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 23 de janeiro de 2020, às 14:48h

    Prefeito Antõnio Ditoso recorreu à Justiça (Foto: Reprodução/Portal Lagoa Online)

    O juiz de direito Juscelino Norberto da Silva Neto, da Vara Cível da Comarca de Valença do Piauí, a 210 km de Teresina, determinou que o Facebook retire do ar publicações de um perfil anônimo criado para atacar o prefeito de Lagoa do Sítio, Antônio Ditoso (Progressistas). A decisão é de quarta-feira (22) e o Facebook tem cinco dias após a notificação para cumprir.

    O pedido de liminar foi movido pelo prefeito Antônio Ditoso no final de 2019. Um perfil denominado "Chico Lagoa" foi criado em 20 de setembro de 2019 apenas para fazer postagens de ataque ao gestor e sua família. O mesmo perfil "Chico Lagoa" administra um grupo intitulado "Lagoa do Sítio de Verdade", que também dissemina ataques contra o gestor.

    Publicações atribuíam atos de corrupção ao prefeito (Foto: Reprodução/Petição)

    Na pedido de liminar, a defesa do prefeito pedia a retirada do perfil do ar e também que o Facebook identificasse quem são os autores por trás dele. Na decisão, o juiz acolheu parcialmente os pedidos. Ele determinou a retirada das publicações do ar e encaminhou para o Ministério Público Estadual e a Polícia Civil apurarem os possíveis crimes.

    Na decisão, o magistrado destacou que 2020 é um ano eleitoral e apontou os riscos que informações caluniosas na internet podem causar. "Trata-se de ano eleitoral, onde há grandes possibilidades de criação de contextos no mundo real ocasionados por possíveis crises políticas, o que resulta em um cenário de grandes manifestações e indagações, inclusive de revoltas explanadas nas redes sociais", diz um trecho da decisão.

    Advogados de Valença assinam pedido de liminar (Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)

    A maioria das postagens dizia que o prefeito é corrupto. Lagoa do Sítio tem cerca de 5 mil habitantes e fica a 240 km de Teresina. Os advogados do gestor foram Wallyson Soares e Luís Francivando Rosa, os mesmos que moveram a ação pioneira que resultou na cassação de seis vereadores de Valença do Piauí por fraude na cota feminina nas eleições de 2016.

    Leia a Decisão

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 23 de janeiro de 2020, às 13:22h

    Themístocles quer Lobão fora do MDB (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado estadual Themístocles Filho (MDB) perdeu a paciência com o vereador de Teresina Luiz Lobão, seu colega de partido. Nesta quinta-feira (23), o deputado disse que Lobão poderá ser candidato a vereador por qualquer partido, menos pelo MDB. Conforme Themístocles, o vereador está infiltrado no partido e trabalhando contra a sigla.

    "Pergunte ao Lobão onde ele está. Só cego não vê. Ele está ao lado do prefeito da capital, trabalha na prefeitura, vota com o PSDB, atende às ordens do prefeito, todo mundo sabe. Contra fatos não tem argumentos. Pergunte quantos cargos o Lobão tem na prefeitura. Como nós vamos trabalhar para um prefeito com um cidadão infiltrado dentro do nosso partido trabalhando para o outro candidato? Isso é ilusão. O cidadão fala, mas na verdade trabalha contra. Os fatos provam por si só. Ele segue religiosamente o prefeito", disse.

    O MDB prepara um processo de expulsão do vereador, embora o presidente estadual do partido, senador Marcelo Castro, não concorde com essa atitude. Lobão foi coordenador da campanha de Castro em Teresina e desde então eles mantêm relação de proximidade. Apesar disso, Themístocles garante que no MDB o "infiltrado Lobão" não fica.

    "Ele pode ser candidato por qualquer partido, agora no MDB não será não. Não tem interferência de diretório estadual", assegurou Themístocles demonstrando irritação.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 22 de janeiro de 2020, às 16:30h

    Hélio quer ser candidato de W.Dias em Parnaíba (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica)

    O Partido Liberal (PL) trabalha para conquistar a prefeitura das duas maiores cidades do Piauí: Teresina e Parnaíba. Se na capital o deputado federal Fábio Abreu oficializou a pré-candidatura, em Parnaíba o deputado estadual Dr. Hélio se mantém como pré-candidato.

    "Eu tenho facilidade de diálogo com todo mundo em Parnaíba. Temos lá mais de um grupo no raio de apoio ao governador e temos a capacidade de dialogar, buscar uma convergência. Não sendo possível, Parnaíba é uma cidade grande, de 150 mil habitantes, politizada, acho que comporta projetos tanto do PT, do PL e do próprio atual gestor municipal", falou.

    Dr. Hélio foi o deputado estadual mais votado em Parnaíba e não retira a pré-candidatura a prefeito. Dentro da base do governador Wellington Dias (PT), ele enfrenta a concorrência do também pré-candidato Zé Hamilton (PTB), ex-prefeito do município. Dr. Hélio diz estar disposto a dialogar com o ex-gestor, mas lembra que o PL quer sua candidatura.

    "É um partido que quer crescer ainda mais. Da mesma forma que tem como objetivo administrar Teresina, que é a maior cidade, seria muito importante para o PL ter possibilidade de mostrar sua capacidade gerencial numa cidade como Parnaíba, com tantos desafios, mas tão importante e significativa no contexto socioeconômico do Piauí", disse.

    Embora seja a segunda maior cidade do Piauí, Parnaíba não tem segundo turno. Esse fator aponta para que apenas um nome da base do governador seja candidato contra o atual prefeito Mão Santa (DEM). Dr. Hélio e Zé Hamilton concorrem para ver quem será o escolhido, já que a divisão da oposição seria uma colher de chá para a reeleição de Mão Santa.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 22 de janeiro de 2020, às 13:02h

    Daniel Oliveira prestigiou evento no PL (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

    Filiado ao PT, o ex-secretário de Justiça do Piauí, Daniel Oliveira, prestigiou o lançamento da pré-candidatura de Fábio Abreu (PL) a prefeito de Teresina. Para ele, existe um sentimento de mudança na capital e por isso entende que a candidatura de Abreu é animadora. Daniel é sobrinho do deputado estadual Dr. Hélio, pré-candidato do PL a prefeito de Parnaíba.

    "A candidatura do Fábio Abreu é uma candidatura que anima muito a militância do PL. Com certeza a militância está muito animada em relação a essa pré-candidatura do Fábio em Teresina, como também de outros pré-candidatos que aqui estão, como o Dr. Hélio, pré-candidato a prefeito de Parnaíba e outras lideranças de todo o estado do Piauí", falou.

    Daniel Oliveira acredita que haverá um entendimento construído pelo governador Wellington Dias (PT) sobre as pré-candidaturas de sua base em Teresina.

    "Esse entendimento vai ser construído pelo governador. O governador é a liderança maior da base do governo do estado e hoje existem três pré-candidaturas postas, todas bem posicionadas. Eu acredito que a cidade de Teresina está com esse sentimento de mudança e vamos acompanhar o sentimento do povo", afirmou o ex-secretário.

    Sobre pretensões políticas, Daniel garantiu que em 2020 seu foco são os trabalhos jurídicos, já que é advogado. Em 2019, o nome de Daniel chegou a ser cotado como possível candidato do PT a prefeito de Teresina, possibilidade que foi retirada após acordo no partido.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 22 de janeiro de 2020, às 12:19h

    Fábio Abreu agora é oficialmente pré-candidato (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado federal e secretário de Segurança Pública do Piauí, capitão Fábio Abreu (PL), lançou oficialmente na manhã desta quarta-feira (22) sua pré-candidatura a prefeito de Teresina. O lançamento aconteceu na nova sede do PL, inaugurada também nesta quarta. Aliado do governador Wellington Dias (PT), Abreu criticou o prefeito Firmino Filho (PSDB).

    Segundo ele, recentes falas do tucano sobre pré-candidatos aliados de Wellington são desrespeitosas e deselegantes. Ele se refere às declarações em que o prefeito chamou pré-candidatos da oposição de laranjas e que os opositores seriam coordenados pelo Palácio de Karnak. Fábio Abreu disse que não é candidato do Karnak, mas sim do povo.

    "Sou um candidato do PL, um candidato da população de Teresina. Isso é inquestionável e as pesquisas tem mostrado. O meu dia-a-dia é o que mais tem mostrado, as pessoas se aproximando de mim. Essa é a resposta que eu dou. Não existe essa história [de ser candidato do Karnak] e até acho que é um desrespeito rotular uma oposição por inteiro como sendo candidatos laranjas. Isso aí não faz parte de uma política justa, correta e que a população merece. Eu considero como deselegante uma afirmação dessa", falou.

    Evento reuniu lideranças de outros partidos (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Abreu disse que vai evitar fazer campanha de ataque ao grupo político do prefeito Firmino Filho e garantiu que fará uma disputa eleitoral baseada em propostas. 

    "Não vamos fazer uma campanha apenas de combater ou criticar sem apontarmos soluções. Aquilo que estiver sendo executado da forma correta nós vamos melhorar. Esse é o meu objetivo e não passar o período da campanha atacando a gestão do prefeito Firmino ou qualquer outra gestão. Meu objetivo é apresentar propostas", disse.

    Correligionários festejaram Fábio Abreu (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Questionado se já tem em mente algumas ideias para o plano de governo, ele respondeu que o plano de governo deverá ser feito a partir de agora e não apontou nenhuma proposta. 

    "Plano de governo ele deve ser feito principalmente a partir desse momento. Nós vamos estar ouvindo as pessoas e ao final dessa pré-campanha e na própria campanha, que é o momento correto de apresentar o plano governo à Justiça Eleitoral, é que nós vamos apresentar", disse.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 22 de janeiro de 2020, às 7:30h

    A presidente do Sinte/PI, Paulina Almeida (Foto: Marcos Melo/PoliticaDinamica.com)

    O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí (Sinte) vai cobrar do governador Wellington Dias (PT) reajuste igual ao que foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro na semana passada. A presidente do Sinte-PI, Paulina Almeida, avisa que a categoria não abre mão do mesmo reajuste e vai exigir que a gestão estadual repasse o aumento de 12,84%.

    Além disso, o Sinte ainda vai exigir mais. A categoria também quer 4,17% do reajuste de 2019 para os aposentados e cobra que seja colocado em forma de vencimento os 4,17% que foi dado naquele mesmo para os ativos. O reajuste do piso do professores está previsto na Lei 11.738 /2008, que estabelece aumento anual no mês de janeiro. No entanto, todo ano o percentual a ser dado vira uma verdadeira batalha em alguns estados, como no Piauí.

    "Temos posição. Queremos 12,84% referente a 2020 e os 4,17% de 2019 para os aposentados. E ainda colocar em forma de vencimento os 4,17% que foi dado para os ativos. Queremos dialogar com o governo estadual. Já expedimos ofício solicitando audiência e primamos pelo debate. Mas sem diálogo não dá", disse Paulina Almeida ao Política Dinâmica.

    Na segunda-feira (20), o Governo do Piauí disse que vai dar aumento, mas sinalizou que não seguirá o reajuste anunciado pelo governo federal. Por meio de nota enviada ao Política Dinâmica, a gestão de Wellington Dias informou que ainda vai sentar com o Sinte para ouvir a categoria e adiantou que o reajuste será "dentro das possibilidades do estado".

    Governo do Piauí sinaliza que aumento será menor (Foto: Charge/Jônatas/PoliticaDinamica)

    Nesta quarta (22), o Sinte/PI inicia um congresso de trabalhadores em educação na capital. Cerca de 800 delegados estarão no encontro, onde será discutida a conjuntura educacional. Em Teresina, a prefeitura, que já paga bem acima do piso, estuda o reajuste para 2020.

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 21 de janeiro de 2020, às 15:07h

    Senador se reuniu com coronel Viana em Teresina (Foto: Divulgação/Assessoria Ciro)

    O coronel Edwaldo Viana se reuniu nesta terça-feira (21) com o senador Ciro Nogueira, presidente nacional do Progressistas. No encontro na casa do senador em Teresina, Viana assegurou que estará junto com Ciro na oposição ao grupo político do atual prefeito Padre Walmir Lima (PT). Ele pode, inclusive, ser o candidato de Ciro a prefeito de Picos.

    Em entrevista ao Política Dinâmica, Viana disse que o candidato será ele ou Gil Paraibano (Progressistas). Segundo o coronel, a definição de qual dos dois será o cabeça de chapa vai acontecer nos próximos meses. O militar assegura, no entanto, que estarão unidos e que o objetivo nesse momento é somar forças para derrotar o grupo político do PT em Picos.

    "Toda a oposição vai caminhar junta. Quem serão os cabeças? Ou eu ou o Gil. Quem tiver o melhor desempenho daqui para março, será o cabeça. Quem tiver melhor. Isso ficou acertado com o senador. Na política só tem uma palavra: é somar. Dividir nunca", afirmou Viana.

    Coronel diz que ficou acertada participação na chapa (Foto: Divulgação/Assessoria Ciro)

    Ele não acertou filiação ao Progressistas, mas o partido é mais um que ele analisa a possibilidade de ingressar. O militar também tem conversas com Solidariedade e PSDB.

    "Nós já tivemos convites de alguns outros partidos e a nossa conversa sempre foi essa. Toda a oposição vai caminhar junta em Picos. O cabeça [de chapa] será definido com o transcorrer do tempo. Quem tiver melhor vai para a cabeça. Ou eu ou o Gil", disse o coronel.

    CIRO FALA EM UNIÃO

    Numa rede social, o senador Ciro Nogueira postou fotos do encontro e confirmou que Coronel Viana e Gil Paraibano estarão unidos na eleição municipal em Picos.

    "Recebi o Coronel Edwaldo Viana e tratamos sobre o futuro da nossa querida cidade de Picos. Figura respeitada pelos picoenses, coronel Edwaldo, assim como eu e Gil Paraibano, concordamos com a nossa união para mudar realidade sofrida hoje de Picos por uma gestão alinhada com os anseios da população e finalmente acompanharmos o crescimento e desenvolvimento da nossa Cidade Modelo", escreveu o senador.

    Viana ganhou popularidade na região de Picos (Foto: Reprodução/Instagram)

    EXONERAÇÃO

    Viana foi exonerado do comando do Batalhão da Polícia Militar em Picos no início do mês após defender que bandidos "descessem as cordas", gíria policial sobre a morte de bandidos. Após a exoneração assinada pelo governador Wellington Dias (PT), ele disse ser alvo de perseguição política e lançou pré-candidatura a prefeito de Picos, onde é muito respeitado.

    Na ocasião, a deputada estadual Belê Medeiros (Progressistas), sobrinha do ex-prefeito Gil Paraibano, lamentou a exoneração do coronel. Numa rede social, Belê parabenizou Viana pelo "belíssimo trabalho desenvolvido em Picos" e disse que "o estilo destemido e arrojado do militar imprimiu na população picoense um sentimento de confiança".

    • InthegrARTE
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados


voltar para 'Política Dinâmica'