Coluna Gustavo Almeida
  • 15 de dezembro 2018

    sexta, 14 de dezembro de 2018, às 14:49h

    Justiça Eleitoral está preparada para diplomação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    Conforme foi definido em outubro pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI), os eleitos este ano no Piauí serão diplomados na próxima segunda-feira (17). A solenidade vai acontecer no auditório do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), às 19h.

    O número de políticos diplomados na solenidade pode chegar a 83, isso porque o TRE-PI decidiu fazer a diplomação de até cinco suplentes de cada coligação.

    De acordo com o presidente do TRE-PI, desembargador Sebastião Ribeiro Martins, se até o quinto suplente aparecer na cerimônia, o diploma será entregue a ele pela Justiça Eleitoral.

    "Nós colocamos de três até cinco suplentes. Então, se comparecer até o quinto suplente, receberá o diploma na solenidade", explicou o desembargador.

    A quantidade de eleitos a serem diplomados é de 48, sendo 30 deputados estaduais, 10 deputados federais, 2 senadores, 4 suplentes de senador [2 de cada senador], o governador Wellington Dias (PT) e a vice-governadora Regina Sousa (PT).

    O governador Wellington Dias e o presidente do TRE-PI, desembargador Sebastião Ribeiro Martins (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Os demais 35 diplomas são para os suplentes que resolverem dar as caras na solenidade. Ao todo, foram preparados diplomas para 20 suplentes de deputado estadual [5 para cada uma das quatro coligações que elegeram deputados estaduais] e 15 diplomas para suplentes de deputado federal [5 para cada uma das três coligações que elegeram federais].

    A cerimônia de diplomação atesta que os eleitos cumpriram todas as formalidades previstas na legislação eleitoral e a entrega dos diplomas confirma que os eleitos estão aptos a tomar posse nos mandatos para os quais foram eleitos nos termos da Constituição Federal. Para receber o diploma, é necessário que eleitos e suplentes estejam com o registro de candidatura deferido e as contas de campanha julgadas, não necessariamente aprovadas.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta, 14 de dezembro de 2018, às 13:05h

    Vereador criticou ausência da empresa (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Nenhum representante da Celebração Eventos apareceu na audiência pública realizada pela Câmara Municipal de Teresina nesta sexta-feira (14) para discutir o pedido de falência da empresa. A audiência foi proposta pelo vereador Joaquim do Arroz (PRP). Milhares de estudantes se dizem prejudicados com o pedido de falência da empresa após terem pago pela realização de festas de formatura que seriam organizadas pela Celebração Eventos.

    Dezenas de estudantes, advogados de turma e até um vereador do município de Demerval Lobão compareceram, mas a empresa apenas mandou um e-mail com alegações para justificar o não comparecimento de nenhum representante. O vereador Joaquim do Arroz disse que a empresa tentou esvaziar a audiência e lamentou a situação.

    "A empresa Celebração Eventos tentou esvaziar a audiência com sua ausência, mandando apenas um e-mail muito chulo, até deselegante. A nossa ideia era trazer a empresa para um diálogo, para um consenso com as turmas, não para colocar faca no pescoço de ninguém. Mas com essa atitude ela está mostrando que está de má fé. Mas a gente vai estar com a Celebração Eventos no dia 11 de janeiro no Procon, junto com os jovens. Teve alguns jovens aqui que choraram na audiência, uma tristeza muito grande", relatou o parlamentar.

    Parlamentar foi o propositor da audiência (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Joaquim informou que a Câmara vai encaminhar um documento para a Prefeitura de Teresina pedindo ao Executivo que não conceda mais nenhum alvará para os sócios da empresa, tornando-a inidônea junto com seus sócios. "É o que a gente pode fazer. A priori, a gente estava com um trabalho de querer somar, ajudar a conciliar e achar uma solução. Mas eles mostraram que não querem solução e sim dar o calote em 108 turmas de formandos em Teresina. Nós não podemos nos furtar de intervir numa calamidade dessas", encerrou.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta, 14 de dezembro de 2018, às 12:13h

    Zé Santana tomou posse no Senado Federal (Foto: Divulgação/Assessoria)

    O deputado estadual reeleito Zé Santana (MDB) tomou posse na manhã desta sexta-feira (14) em Brasília como senador da República pelo Piauí. Ele assume o mandato em virtude da renúncia antecipada da senadora Regina Sousa (PT), que deixou o cargo para assumir o posto de vice-governadora do Piauí no dia 1º de janeiro.

    Zé Santana ficará no Senado apenas por 45 dias, já que o mandato atual [ele foi eleito suplente em 2010] se encerra em 1º de fevereiro. Na mesma data, ele tomará posse do novo mandato de deputado estadual no Piauí, para o qual foi reeleito das eleições deste ano. Nas redes sociais, Santana celebrou o momento político protagonizado nesta data.

    Ato de posse no Senado Federal ocorreu nesta sexta (Foto: Divulgação/Assessoria)

    "Começamos hoje mais uma importante, porém rápida, etapa de nossa trajetória política. Tomamos posse como senador da República, sempre com a mesma humildade e seriedade que nos fizeram ser o seu amigo de verdade", escreveu o político.

    A posse contou com a presença da senadora Regina Sousa, do presidente da Assembleia Legislativa do Piauí Themístocles Filho (MDB), do senador eleito Marcelo Castro (MDB), do senador Ciro Nogueira (Progressistas), do deputado estadual eleito Henrique Pires (MDB), do deputado estadual eleito Oliveira Neto (PPS) e familiares de Zé Santana.

    Zé Santana vai ficar 45 dias como senador da República (Foto: Divulgação/Assessoria)

    O emedebista era o segundo suplente de senador de Wellington Dias (PT). Com a posse do petista no governo do Piauí em 2015, Regina, que era a primeira suplente, assumiu a titularidade do mandato. Agora, com a renúncia de Regina, chegou a vez de Santana.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 13 de dezembro de 2018, às 18:24h

    Senador Ciro Nogueira, o governador e ministro em evento do Avançar Cidades na APPM, em 3 de julho de 2018 (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    No dia 3 de julho, o senador Ciro Nogueira (Progressistas) recebeu o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, e o presidente da Caixa Econômica Federal, Nelson Antônio de Souza, numa badalada solenidade com dezenas de prefeitos de todo o Piauí na APPM. Na ocasião, foram anunciados mais de R$ 750 milhões em investimentos para mobilidade em 70 municípios.

    Eram recursos do programa Avançar Cidades. Entre os beneficiados, estava o município de Queimada Nova, no semiárido piauiense. Ocorre que os recursos do programa são financiamentos, ou seja, as prefeituras terão que pagar. Não é dado, é emprestado! Como se trata de operação de crédito, era preciso passar pelas Câmaras Municipais. Em Queimada Nova, cujo prefeito Raimundo Júlio é do partido de Ciro, os vereadores derrubaram o projeto.

    Prefeito Raimundo Júlio, da cidade de Queimada Nova, no evento da APPM em 3 de julho de 2018 (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Em sessão realizada esta semana, a oposição aproveitou que tinha maioria e rejeitou o projeto encaminhado pelo prefeito. O financiamento com dinheiro do Avançar Cidades beneficiaria o município com obras de asfaltamento. Três aliados do prefeito votaram a favor e os vereadores Carlos Amorim, Marcelino Gomes, Vadinho e George votaram contra.

    Com o placar de 4 votos a 3, o projeto foi rejeitado. O vereador Adilson Coelho (PT) não compareceu e a presidente Joseane Ramos (PR) só votaria em caso de empate.

    Em entrevista ao Política Dinâmica, o vereador Carlos Amorim (PSD), um dos que votou contra, explicou que não se trata de investimento, mas sim de endividamento. O parlamentar argumentou que o projeto enviado pela prefeitura não informava as taxas de juros aplicadas e nem sequer o valor das parcelas que seriam pagas pelo município à Caixa Econômica.

    Câmara Municipal de Queimada Nova rejeito projeto (Foto: Portal AudiOnline)

    Amorim disse que os recursos seriam pagos em 20 anos, o que só ajudaria a endividar a prefeitura. Ao todo, Queimada Nova receberia R$ 3 milhões do Avançar Cidades. O vereador ainda destacou que as ruas previstas para receberem pavimentação não são consideradas principais na cidade e que, embora o calçamento nelas também seja bem-vindo, não vale a pena tomar um financiamento nessas condições para pavimentá-las.

    "É um valor muito alto para o município arcar. O projeto diz que era para ser pago em 20 anos, podendo ser prorrogado por mais quatro. O problema é o endividamento que causa ao município, um município que não tem segurança e a polícia vive com o golzinho, onde os ônibus do transporte escolar da rede municipal andam com os bancos mostrando a espuma. Se o município não está podendo fazer nada para amenizar isso, como é que pode fazer um endividamento desse tamanho?", questionou o vereador do PSD.

    Prefeito assinou adesão, mas Câmara barrou (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    O parlamentar disse que a Câmara não poderia aprovar um projeto dessa natureza, sob pena de dar um tiro no escuro. "Nós já temos financiamento aqui junto à Eletrobras, de administrações passadas. E mais: a proposta da Caixa é em carácter irrevogável. A segurança é o desconto direto no FPM. Ou seja, se não pagar, desconta automaticamente. É como se fosse um empréstimo consignado. Queimada Nova é um município 0.6 no FPM", lembrou.

    No município de Acauã, a 463 km de Teresina, a maioria dos vereadores também rejeitou projeto da prefeitura para obtenção do financiamento do Avançar Cidades.

    O Política Dinâmica não conseguiu contato com o prefeito Raimundo Júlio, da cidade de Queimada Nova, para ele comentar as declarações do vereador Carlos Amorim.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 13 de dezembro de 2018, às 16:22h

    Luiz Lobão alerta para situação da via (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A situação degradante da linha férrea de Teresina em diversos pontos da via chamou atenção do vereador Luiz Lobão (MDB). O parlamentar atendeu a pedidos de moradores da região Sudeste da capital e está propondo discutir soluções para o problema. A primeira medida será a realização de uma audiência pública na segunda-feira (17) sobre o assunto.

    Além dos riscos ao funcionamento do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) por conta da péssima conservação da linha férrea, moradores da região também reclamam do acúmulo de lixo e até mesmo dos casos de insegurança nos entornos da via, já que criminosos se utilizam de uma mureta que protege a linha férrea para praticar delitos contra a população da área.

    "Naquela região do Renascença são vários problemas. Existem problemas com lixo, com insegurança, já que delinquentes se escondem atrás do muro de proteção do metrô e já teve casos de estupros, agressões e lesões corporais graves. Também existem problemas na própria linha, pois jogam lixo e a Companhia Metropolitana não limpa. A SDU só limpa se tiver fora do espaço da Companhia e fica esse jogo de empurra-empurra. Como ninguém limpa, a população toca fogo. Esse fogo é altamente prejudicial porque, além dos problemas de saúde, queima os dormentes de sustentação dos trilhos", descreveu Lobão.

    Lobão quer discutir soluções para o problema (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    De acordo com o parlamentar, a população da área também se queixa da falta de poda das árvores no espaço que é de responsabilidade da Companhia Metropolitana. A linha férrea de Teresina é bastante antiga, foi construída em 1926 e, conforme o vereador, praticamente nunca passou por uma manutenção para melhorar as condições de funcionamento da via.

    "Na minha lembrança, eu não conheço manutenção nesses trilhos. São dormentes de madeira que aguentam vários anos em contato com a terra. Tem madeira centenária ali. Então ela se torna muito seca, desidratada e quando se coloca fogo próximo, logo passa para os dormentes. Tem lugar que existem três ou quatro dormentes queimados. Quando o VLT passa dá uma movimentação de desnível para um lado ou para outro", alertou.

    A audiência pública será realizada na própria comunidade, às 15h da segunda-feira (17), no Espaço MJ Eventos, na Rua Francisco de Sousa, nº 5251, próximo à Estação do Metrô. Foram convidados membros da Companhia Metropolitana de Teresina, da Secretaria Estadual de Transportes, do Ministério Público do Estadual, da SDU Sudeste, OAB-PI e outras entidades.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 13 de dezembro de 2018, às 15:11h

    W.Dias quer que haja entendimento na Alepi (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O governador Wellington Dias (PT) afirmou nesta quinta-feira (13), ao participar de evento no Centro de Formação da Fetag, que vai buscar um consenso na disputa pela presidência da Assembleia Legislativa do Piauí. Atualmente, despontam como prováveis candidatos os deputados estaduais Hélio Isaías (Progressistas) e Themístocles Filho (MDB).

    Para o governador, a melhor saída é um entendimento, já que os dois parlamentares são da sua base aliada no Parlamento. O petista citou o exemplo da eleição da Associação Piauiense de Municípios (APPM), onde acabou havendo um consenso e apenas um nome vai concorrer.

    "Vamos dar um exemplo bom. Na APPM nós tínhamos inicialmente seis candidaturas. E é legítimo que as pessoas se apresentem. Mas eu fiquei feliz em ver um entendimento em torno do prefeito Jonas [de Água Branca], que coloca uma chapa única. Na Assembleia também tínhamos mais nomes num primeiro momento e agora, pelo que eu sei, são dois nomes. Então vamos trabalhar para a gente fazer também um entendimento", informou.

    AGENDA COM CIRO
    Wellington confirmou que terá agenda com o senador Ciro Nogueira (Progressistas) no fim de semana. A informação é que no encontro Ciro vai apresentar oficialmente ao petista o nome do deputado Hélio Isaías como candidato do partido à presidência da Assembleia. 

    "Tá sim [agendado]. Com todo prazer farei essa agenda", disse ao ser perguntado.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 12 de dezembro de 2018, às 22:16h

    Jailson recebe cheque pela primeira colocação em prêmio de jornalismo

    O repórter fotográfico Jailson Soares, do Política Dinâmica e do Jornal O Dia, foi o grande vencedor do 1º Prêmio Águas de Teresina de Jornalismo Ambiental, na categoria fotojornalismo. Jailson conquistou o prêmio de R$ 4 mil com uma foto publicada em reportagem especial do jornal O Dia na edição de 17 e 18 de novembro deste ano.

    A fotografia campeã foi tirada no Parque Vitória, na Zona Sul de Teresina, e mostrou uma criança em situação de vulnerabilidade por conta da falta de saneamento básico na região. Teresina é a última entre as capitais do Nordeste no quesito Saneamento Básico. A matéria e a foto da criança foram manchete do jornal na ocasião.

    Jailson Ferreira Soares tem 10 anos de profissão como repórter fotográfico e ao longo desse tempo atuou em grandes coberturas jornalísticas, tanto no jornal O Dia quanto no Política Dinâmica. Feliz com o prêmio, o jovem profissional fez questão de compartilhar a conquista com toda a equipe que atuou na produção da reportagem.

    Foto campeã foi destaque na capa do jornal O Dia (Foto: Reprodução/O Dia)

    “É muita alegria, pois é um reconhecimento. E eu não coloco apenas eu, mas também o motorista que nos levou ao local, o diagramador da página que finalizou a capa, o editor que colocou a foto, a repórter que foi pra pauta comigo. Destaco esse ponto porque quem ganhou não foi apenas o Jailson Soares. Eu também devo muito à equipe”, falou.

    Além da melhor foto, a empresa Águas de Teresina também premiou jornalistas nas categorias telejornalismo, webjornalismo, radiojornalismo, jornalismo impresso e jornalismo universitário. A premiação aconteceu na noite deste quarta-feira (12) em Teresina.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 12 de dezembro de 2018, às 14:40h

    Vereadores sonham com aliança entre eles (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Vitorioso e derrotado na eleição de 2016 em Teresina juntos no mesmo palanque em 2020. É o que deseja um grupo de vereadores da base aliada do prefeito Firmino Filho (PSDB).

    Nesta quarta-feira (12), eles foram até o gabinete de Dr. Pessoa convidar o deputado para se filiar ao Patriota, partido que vai fundir com o PRP. Estiveram no encontro os vereadores Gustavo de Carvalho, Fábio Dourado, Valdemir Virgino, Pedro Fernandes e Neto do Angelim.

    O convite visa a disputa municipal em 2020 e, se depender da vontade deles, Dr. Pessoa pode até ser aliado do prefeito numa eventual nova candidatura ao Palácio da Cidade. Em 2016, Dr. Pessoa perdeu para Firmino, que não terá mais direito à reeleição.

    "Dr. Pessoa é uma grande liderança, uma pessoa muito querida politicamente. Quem sabe não estaremos juntos numa aliança com o prefeito Firmino Filho, uma vez que nós somos da base do prefeito?", previu o vereador Gustavo de Carvalho.

    Derrotado por Firmino naquela ocasião, Dr. Pessoa lembrou que não é inimigo do prefeito, a quem muitas vezes chamou de Fifi, apelido atribuído a Firmino numa lista de supostas doações da Odebrecht. Pessoa ressaltou que é somente adversário do prefeito.

    "Eu fui adversário do Firmino. Não estou mandando beijos pra ele, mas não sou inimigo. Fui adversário respeitoso e sozinho tive 40% dos votos de Teresina. Em todo lugar que ele me encontra ele me cumprimenta e eu o cumprimento ele. Então não sou inimigo", destacou.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 12 de dezembro de 2018, às 14:01h

    Vereadores foram fazer convite a Dr. Pessoa (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Cinco vereadores de Teresina foram até o gabinete do deputado estadual Dr. Pessoa na manhã desta quarta-feira (12). Os parlamentares municipais fizeram o convite para que o médico se filie ao Patriota, partido que vai se fundir com o PRP. O objetivo em atrair Dr. Pessoa, segundo os vereadores, visa a eleição municipal de 2020.

    Os vereadores Valdemir Virgino e Pedro Fernandes, do PRP; Fábio Dourado e Gustavo de Carvalho, do Patriota, e Neto do Angelim (PSDC) são aliados do prefeito Firmino Filho (PSDB), mas não descartam a possibilidade de ter Dr. Pessoa numa eventual disputa pela Prefeitura em 2020. Eles acreditam, inclusive, numa possível aliança entre Firmino e Pessoa.

    Questionado se vai aceitar, Dr. Pessoa deixou aberta a possibilidade e se disse feliz com o convite. "Quem é o cidadão que não se sente honrado com o partido Patriota, com seus representantes legítimos, virem aqui me convidar? Eu estou feliz. É honroso para mim receber esse grupo de parlamentares me convidando para ingressar no partido", afirmou.

    Dr. Pessoa, que atualmente está no Solidariedade, assegurou que vai deixar o partido. Ele alega ter sido desrespeitado pelo presidente nacional, o deputado federal paulista Paulinho da Força. O destino não está definido, mas o convite dos vereadores foi visto com bons olhos.

    ALIADOS DE FIRMINO
    Sobre o fato dos vereadores serem da base aliada do prefeito Firmino Filho, Dr. Pessoa lembrou que foi adversário do tucano em 2016, mas nunca um inimigo. 

    "Eu fui adversário do Firmino Filho. Não estou mandando beijos pra ele, mas não sou inimigo dele. Fui adversário respeitoso e sozinho tive 40% dos votos de Teresina. O povo de Teresina é generoso. Em todo lugar que ele me encontra ele me cumprimenta e eu o cumprimento sempre também. Então não sou inimigo dele", destacou.

    Gustavo de Carvalho lidera articulação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    VEREADOR LIDERA O GRUPO
    O vereador Gustavo de Carvalho, que lidera as articulações do grupo, lembrou que Dr. Pessoa teve um bom desempenho eleitoral tanto na eleição municipal de 2016 quanto na disputa pelo governo do Estado este ano, quando ficou na segunda colocação. Para ele, o médico seria muito bem-vindo e agregaria bastante na fusão entre Patriota e PRP.

    "Acho que o caminho é esse. Como ele mesmo colocou, não tem nenhum problema em conversar, em sentar. Dr. Pessoa é uma grande liderança, uma pessoa muito querida politicamente. E nada mais do que justo, PRP e Patriota virem juntos, se tornando uma bancada muito forte na Câmara. Quem sabe não estaremos juntos [com Dr. Pessoa] numa aliança com o prefeito Firmino, uma vez que nós somos da base do prefeito?", indagou.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 11 de dezembro de 2018, às 23:54h

    Nove vereadores foram contra a limitação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador Deolindo Moura (PT) foi o único a votar contra o projeto de regulamentação do serviço de transporte por aplicativo em Teresina? Em parte, sim, mas é importante saber que não foi somente ele a se posicionar e votar de forma contrária aos pontos mais polêmicos da proposta. É necessário entender o contexto da votação para saber que outros parlamentares também estiveram ao lado dos motoristas de Uber e contra o que a Prefeitura queria.

    Durante a discussão do projeto, diversas emendas [alterações] foram apresentadas para mudar o texto original encaminhado pela Prefeitura. Algumas dessas emendas foram apresentadas a pedido dos próprios motoristas do Uber e modificaram a proposta do prefeito. A limitação do número de motoristas, considerado o ponto mais polêmico e que revoltou os operadores do aplicativo, recebeu o voto contrário de nove vereadores.

    Ou seja, o ponto que fez com que motoristas do Uber saíssem da Câmara Municipal revoltados foi, na verdade, rejeitado por nove parlamentares. Uma emenda foi apresentada apenas tratar dessa tal limitação e, além de Deolindo Moura, outros oito vereadores também foram contra a medida. Eles discordaram totalmente do limite proposto pela Prefeitura de Teresina, no entanto, foram derrotados pelo placar de 14 a 9 na votação dessa emenda.

    Parlamentares foram contra a limitação (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Em outros pontos, os vereadores apresentaram emendas que foram aprovadas e beneficiaram os Ubers. É o caso da idade dos veículos. O projeto da prefeitura estipulava idade de seis anos, o que desagradava os motoristas do aplicativo. Foi aí que vereadores como Enzo Samuel (PC do B), Gustavo Gaioso (PTC), Dr. Lázaro (PPS) e outros interviram e conseguiram mudar a situação. Eles propuseram uma emenda para elevar o tempo de vida útil para 8 anos, proposta que foi aprovada.

    Outro ponto em que a maioria dos vereadores discordou da Prefeitura foi com relação à cidade da placa dos veículos. A prefeitura exigia que a placa fosse de Teresina, outro ponto que causava descontentamento dos motoristas do Uber. Os mesmos vereadores que foram contra a limitação apresentaram uma emenda colocando um prazo de até 1 ano para que eles façam a adaptação. A emenda foi aprovada, conforme acordo firmado entre os vereadores e os motoristas do Uber.

    O MOMENTO DE VOTAR "O TODO"
    Ao final de todas essas discussões e dessas mudanças, o projeto inteiro foi votado. Foi aí que a maioria dos vereadores votou a favor, já que muitos pontos que alguns deles propuseram mudar foram atendidos com a aprovação das emendas. Se eles votassem contra o projeto inteiro, como fez o vereador Deolindo Moura, estariam votando contra as próprias emendas que eles apresentaram e que foram aprovadas em conformidade com os motoristas do Uber.

    Vereadores que também foram contra a limitação (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    Votar contra, na prática, é como se eles tivessem conseguido encher um cesto inteiro de maçãs perfeitas e depois jogassem todo o cesto no lixo por conta de apenas uma maçã que não está perfeita e que eles não conseguiram separar. Na avaliação dos nove parlamentares, houve conquistas durante as discussões do projeto e por isso nem tudo deveria ser jogado fora. Se não fosse a atuação deles, a revolta dos motoristas de Uber teria sido maior.

    O voto contrário de Deolindo Moura a todo o Projeto de Lei 190/2018 anulou algumas emendas que ele mesmo apresentou e votou a favor durante as discussões. Na prática, é como se o petista tivesse conseguido 90% do que queria, mas rejeitou o projeto inteiro por conta dos 10% que não conseguiu aprovar. O voto contrário de Deolindo, na votação final, contrariou, portanto, votos que ele mesmo deu a favor de algumas emendas.

    Parlamentares discordam de repercussão (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    CHATEADOS
    A repercussão da votação na imprensa e nas redes sociais tem chateado os outros vereadores que dialogaram com os motoristas de Uber durante meses, que contrariaram boa parte dos pontos do projeto enviado pela Prefeitura e que conseguiram diversos avanços. Jogá-los na mesma vala daqueles que "deram amém" para a Prefeitura é uma injustiça.

    "Estão dando destaque somente para a segunda votação e apenas para um voto contrário do Deolindo, quando outros pares divergiram da votação no tocante à limitação. Foram 9 votos contrários. Como fomos votos vencidos no quesito limitação, mas apresentamos emendas que foram aprovadas por unanimidade na Casa, inclusive com autoria do próprio Deolindo, entendo que não poderíamos votar contra nossa própria emenda na segunda votação, já que votaríamos o projeto como um todo", explicou o vereador Gustavo Gaioso.

    O vereador Enzo Samuel também fez questão de explicar a situação e destaca que eles não podem ser injustamente interpretados. "As emendas que os representantes dos aplicativos mais queriam foram de nossa autoria e foram aprovadas. Sobre o adesivo removível, prazo de um ano para a placa e idade de 8 anos para o veículo. Se não fosse de autoria de vereadores da base aliada do prefeito, como nós, não teria passado. Só não conseguimos quanto à limitação, mas mesmo assim fomos contra esse ponto", esclareceu o parlamentar.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 11 de dezembro de 2018, às 15:04h

    Vereador resistiu ao projeto da Prefeitura (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador Deolindo Moura (PT) foi o único a votar contra o Projeto de Lei de autoria da Prefeitura que regulamenta o serviço de transporte por aplicativo em Teresina. Perdeu de goleada, mas assegura que votou com a consciência de que estava lutando em defesa de uma categoria que caiu no gosto da população. O placar foi 20 a 1. Houve três abstenções.

    "Vencer ou perder, tem que ser no meio do povo. Não tem outro jeito. Nós temos pontos de vista no que diz respeito a esse projeto de regulamentação [...] Esse é um projeto muito danoso e busca interromper o fornecimento de um trabalho. Votei tranquilo conforme a minha consciência", argumentou o jovem vereador petista.

    Deolindo foi na contramão até mesmo do seu companheiro de partido e líder da oposição na Câmara, o vereador Dudu (PT). Por incrível que pareça, Dudu votou a favor do projeto enviado pelo prefeito Firmino Filho (PSDB), algo que não é fácil de acontecer no Parlamento Municipal. Com a aprovação, o número de Ubers na capital ficou limitado em 2.040 motoristas.

    Placar da votação terminou em 20 a 1 (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    "Essa limitação não aconteceu em nenhum lugar do Brasil. Houve uma tentativa por parte de São Paulo, mas caiu na Justiça. Aonde foi tentada essa limitação, ela caiu na Justiça. Então, mesmo eu tendo proposto emendas, aquilo que é fator crucial no projeto [a limitação] eu discordava. Por isso votei contrário", pontuou Deolindo.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 11 de dezembro de 2018, às 14:04h

    Motoristas de Uber protestaram na Câmara (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Teve galerias lotadas, confusão, gritaria, vaias, aplausos e reforço policial no plenário. Mas depois de intenso debate e propostas de emendas apresentadas durante a sessão, a Câmara Municipal de Teresina aprovou nesta terça-feira (11) o Projeto de Lei 190/2018, conhecido como "Lei do Uber", que regulamenta a atividade do transporte por aplicativo em Teresina e impõe normas ao serviço. No final, taxistas saíram comemorando a aprovação e os motoristas de Uber protestando muito contra a decisão tomada pelo Parlamento Municipal.

    Ao todo, 20 vereadores foram favoráveis ao projeto, três se abstiveram e apenas Deolindo Moura (PT) votou contra a proposta. Quatro parlamentares não compareceram à sessão.

    Em diversos aspectos, vereadores que eram críticos do projeto passaram a ser favoráveis depois de terem emendas aprovadas durante a sessão. No entanto, o ponto mais polêmico defendido pela prefeitura e criticado pelos operadores do aplicativo acabou sendo aprovado: a limitação do número de veículos do Uber em circulação. Ficou definida a quantidade proporcional ao número de táxis existentes na cidade, algo em torno de 2.040 veículos.

    Deolindo foi o único a votar contra o PL (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Único a votar contra o PL, o vereador Deolindo Moura (PT) argumentou que a limitação compromete todo o projeto. Ele reconhece que a Prefeitura cedeu em alguns aspectos, mas sustenta que não poderia votar a favor da proposta se dentro dela havia a limitação. Para ele, a medida é inconstitucional e não foi adotada em nenhum lugar do Brasil onde o transporte por aplicativo foi regulamento. O petista acredita que o caso vai parar na Justiça.

    "Eu acho que esse projeto vai seguir para a Justiça, porque tanto as empresas quanto os motoristas por aplicativo vão ajuizar ações. É um projeto muito danoso e busca interromper o fornecimento do trabalho [dos motoristas de Uber]. A limitação, que era o ponto mais crítico, não aconteceu em nenhum lugar do Brasil. Houve uma tentativa em São Paulo, mas caiu na Justiça. Eu votei conforme a minha consciência de que, mesmo tendo proposto emendas, aquilo que era fator crucial no projeto, eu discordava. Então votei contrário", explicou.

    Painel mostra como votou cada vereador (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A vereadora Graça Amorim (PMB), líder do prefeito, avaliou que mesmo havendo divergências, o projeto aprovado foi bom para as duas categorias. Ela esclarece que a limitação do número de Ubers ocorreu porque a Prefeitura não tem dados sobre a quantidade de Ubers em Teresina. Segundo ela, conforme a plataforma indique esses números, a prefeitura pode ampliar a quantidade, tal como ficou definido em um parágrafo no projeto.

    "No momento em que a plataforma apresentar os dados de quantos operadores por aplicativo existem na cidade de Teresina, a prefeitura está autorizada a fazer a ampliação. Então cabe à plataforma e a eles motoristas pressionarem para que a empresa forneça esses dados à Prefeitura. No projeto prevê prazos e tudo. Ao contrário do que diziam, vereadores não são contra o Uber. Apenas tramitava nesta Casa uma regulamentação para criar regras e normas, até porque é um serviço que será prestado ao povo de Teresina", justificou.

    Graça Amorim comemorou aprovação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O presidente da Câmara, vereador Jeová Alencar (PSDB), avaliou como natural os ânimos exaltados durante a sessão. Segundo ele, a Câmara não pode se furtar de discutir temas importantes. Jeová entende que o projeto acabou sendo bom para as duas categorias.

    "É natural os ânimos acirrados. Cada categoria defende seus interesses e isso é legítimo. Essa casa não pode se furtar dessas discussões. Buscamos o reforço policial porque os ânimos ficaram exaltados, mas se você analisar direitinho o projeto, todos saíram ganhando", falou.

    Protestos ocorreram dentro e fora da Câmara (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Como foram duas sessões seguidas nesta terça (11), a proposta já obteve aprovação em duas votações e agora segue para sanção do prefeito Firmino Filho (PSDB).

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 11 de dezembro de 2018, às 7:49h

    W.Dias terá influência na eleição da Alepi (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    VAI SE METER
    Os discursos de alguns emedebistas afirmando que o governador Wellington Dias (PT) não deve se meter na eleição da Assembleia são uma pura balela. Ele vai se meter, sim! Sempre foi assim e dessa vez não será diferente. Quem tiver o apoio dele, terá o voto de vários deputados. Se esses vários serão suficientes para eleger alguém, aí é outra questão.

    PRA BOI DORMIR
    Até mesmo o governador tem dito que não vai se meter no processo caso haja, de fato, uma disputa entre dois candidatos. Enquanto isso, quase todos os deputados da sua base dizem que vão ouvi-lo antes de decidir o voto. Todos estão esperando Wellington. A verdade é que ninguém espera por quem não fez trato. Só mesmo quem depende do Rodoviária Circular II.

    Senador admite influência de Wellington (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    CIRO FALOU A VERDADE
    Nessa história, só mesmo o senador Ciro Nogueira falou a verdade. Para ele, é impensável achar que um governador de estado não vai influenciar na eleição de uma Assembleia Legislativa, onde seus projetos e proposições são aprovados. Tudo bem que essa verdade é muito interessante para Ciro e seus partidários, mas que é verdade, é.

    WELLINGTON CAMPEÃO
    O governador Wellington Dias (PT) é um vencedor na política. Só para o governo, levou quatro eleições no 1º turno. Mas liderança para ele não é só isso. Ontem (10), durante inauguração do novo Fórum Eleitoral de Teresina, ele, o diretor do Fórum e o presidente do TRE-PI hastearam bandeiras. A bandeira hasteada pelo petista foi a primeira a chegar no topo. Liderou a subida do início ao fim.

    Margarete era a única mulher na mesa (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    ÚNICA MULHER
    Na mesma solenidade de inauguração do Fórum, a vice-governadora Margarete Coelho era a única mulher na mesa de honra em meio a tantos ternos masculinos elegantes, como ela mesma relatou em uma rede social. Margarete veio lá do sertão e sertanejo dos bons é assim mesmo, atrevido. Conquista espaço e ainda tem a audácia de ser protagonista.

    REMEXEU NO TÚMULO
    Durante a sessão solene que celebrou o centenário do ex-governador Alberto Silva há duas semanas na Alepi, um ex-deputado, importante braço-direito do saudoso político, não foi incluído na lista de homenageados, mas compareceu para assistir. Ficou espantado com certos nomes condecorados com a Medalha Alberto Silva e quando alguns eram anunciados ele dizia pro colega que estava ao lado: "Vixe, agora o Alberto remexeu no túmulo".

    Dr. Pessoa adverte jornalistas (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    VIÉS POLÍTICO
    Nas últimas entrevistas que concedeu na Assembleia, o deputado estadual Dr. Pessoa (SD) tem advertido os jornalistas antes de começar a gravar. "Só falarei sobre o viés político. Portanto não me perguntem nada do viés pessoal". Feito o alerta, liguem-se os gravadores.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 10 de dezembro de 2018, às 20:48h

    Wellington (de costas) conversou ao pé do ouvido com Themístocles após solenidade (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Ao final da solenidade de inauguração da nova sede do Fórum Eleitoral de Teresina nesta segunda-feira (10), o deputado estadual Themístocles Filho (MDB) teve uma breve conversa de pé de ouvido com o governador Wellington Dias (PT). Jornalistas esperaram o fim do diálogo e logo em seguida ambos foram questionados sobre a eleição na Assembleia.

    Bem humorado, Themístocles evitou o assunto e pediu para os jornalistas deixarem de tanta agoniação em torno da sucessão do Parlamento Estadual. "Tudo isso eu só respondo em janeiro. Eu tô resolvendo outros assuntos e isso aí em janeiro a gente fala. Para que essa agoniação toda?", reagiu em tom descontraído.

    Wellington também preferiu não se aprofundar no assunto, mas disse que ainda acredita em um consenso para evitar o confronto entre dois candidatos da sua base aliada. Ele acredita que somente em janeiro tudo será definido em torno de candidaturas e adiantou que vai dialogar sobre o tema, mas jogou para os deputados a palavra final.

    "O diálogo nós teremos. Agora a palavra final é de cada um dos 30 parlamentares que têm direito ao exercício do voto. A escolha soberana será feita pelos 30 deputados e deputadas estaduais do parlamento piauiense", ressaltou o petista.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 10 de dezembro de 2018, às 15:05h

    Bandeiras foram hasteadas na inauguração (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A Justiça Eleitoral do Piauí inaugurou nesta segunda-feira (10) a nova sede do Fórum Eleitoral de Teresina. A estrutura localizada na avenida Marechal Castelo Branco, próximo ao antigo CFAP, começou a ser construída em 2016, na gestão do desembargador Edvaldo Moura como presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI).

    De acordo com o atual presidente do TRE-PI, desembargador Sebastião Ribeiro Martins, a nova sede trará uma economia de R$ 800 mil por ano. O local vai abrigar serviços que atualmente funcionam em prédios alugados e, além disso, também abrigará urnas eletrônicas que ficam guardadas no interior, o que demanda custo com segurança armada.

    W.Dias com os presidentes do TJ e do TRE-PI (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    "O Tribunal a partir de agora vai fazer economia, pois temos alguns prédios alugados que virão pra cá. E mais: temos nove polos de urnas eletrônicas no interior do Estado e elas também virão todas para cá, o que fará com que nós economizemos com segurança no interior. Com segurança armada e alugueis teremos uma economia em torno de R$ 800 mil por ano. Isso é bastante significativo", falou o desembargador.

    Nova sede do Fórum Eleitoral de Teresina (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O novo prédio tem quatro andares, um auditório espaçoso com capacidade para 250 pessoas e recebeu o nome de "Fórum Eleitoral Juiz Francisco de Sousa Martins". A obra custou R$ 17 milhões. Ao todo, cinco zonas eleitorais vão funcionar no local. 

    A solenidade de inauguração foi prestigiada por dezenas de autoridades da política e do judiciário. O governador Wellington Dias (PT), a vice Margarete Coelho (Progressistas), o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB), o presidente da Assembleia Themístocles Filho (MDB) e o presidente do Tribunal de Justiça do Piauí Erivan Lopes participaram do evento.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados


voltar para 'Política Dinâmica'