Coluna Gustavo Almeida
  • 18 de agosto 2018

    sexta, 17 de agosto de 2018, às 15:22h

    Haddad fala que decisão tem força de lei (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica)

    O ex-ministro e candidato a vice-presidente na chapa de Lula (PT), Fernando Haddad, cumpre agenda política nesta sexta-feira (17) em Teresina. Em entrevista coletiva no começo da tarde, Haddad falou que a decisão da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmando que o ex-presidente Lula tem direito de disputar as eleições presidenciais precisa ser cumprida.

    De acordo com Haddad, nome escalado pelo PT para ser candidato caso a candidatura de Lula seja impugnada, a decisão da ONU tem força de lei no Brasil, já que o país é signatário da organização. Para ele, se o entendimento internacional é uma decisão histórica e se ele for descumprido, mais uma vez a democracia brasileira estará sendo desrespeitada.

    "Não é só uma impressão. É uma decisão internacional e com força de lei no Brasil. Não é um palpite, não é uma recomendação. É lei", sentenciou o petista.

    Wellington cobra cumprimento da decisão (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica)

    WELLINGTON REFORÇA
    Ao lado de Haddad, o governador Wellington Dias (PT) lembrou que a posição da ONU se sobrepõe a qualquer instância da Justiça brasileira e por isso deve ser respeitada. Ele também lembrou que o Brasil é signatário de pactos na ONU e por isso precisa seguir regras.

    "Qual é a interpretação disso? Aqui, o Supremo está acima de um Tribunal Superior Eleitoral. A ONU é instância superior ao Supremo, é uma instância superior às instâncias do Brasil. Ou seja, a legislação brasileira coloca a liberdade do país ser signatário ou não da ONU. O Brasil quis ser signatário e ao ser signatário a ONU tem regras e elas devem ser prioritariamente cumpridas", falou o governador cobrando a direito de Lula ser candidato.

    Haddad cumpre agenda política no Piauí (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

    ENTENDA
    O Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas identificou a existência de ''possível dano irreparável'' para os direitos políticos do ex-presidente Lula (PT) e demandou que o Estado brasileiro garanta que ele participe das eleições deste ano, com acesso à mídia e a seu partido, mesmo preso, enquanto não se esgotarem seus recursos quanto à condenação.

    Em documento divulgado nesta sexta (17), o comitê pediu que o Brasil tome todas as medidas necessárias para assegurar os direitos políticos de Lula enquanto ele estiver na prisão. O texto, que não traz assinaturas, e está apenas datado e com um visto. 

    ITAMARATY CONTESTA
    O Ministério das Relações Exteriores divulgou nota à imprensa nesta sexta-feira (17) na qual diz que as conclusões do comitê de Direitos Humanos da ONU sobre a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) "têm caráter de recomendação", ao contrário da defesa de Lula, que diz que "essa decisão deve ser cumprida, é mandatória e não comporta qualquer tipo de questionamento”.

    Para o Itamaraty, portanto, a deliberação "não possui efeito juridicamente vinculante" (não passa a valer obrigatoriamente), mas o seu teor será encaminhado ao Judiciário brasileiro.

    Com informações do UOL

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • sexta, 17 de agosto de 2018, às 12:17h

    O ministro, com o copo de água na mão, não quis tomar da cajuína que lhe foi oferecida durante visita ao HGV (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, cumpre agenda nesta sexta-feira (17) em Teresina. Pela manhã, ele fez uma visita ao Hospital Getúlio Vargas (HGV).

    Durante a visita, foi oferecida cajuína típica do Piauí ao ministro. Apesar de uma mesa cheia do produto bem a sua frente, Occhi não quis. Preferiu pegar um copo com água e beber.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • sexta, 17 de agosto de 2018, às 11:56h

    Firmino avalia que Luciano se saiu bem (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), comentou nesta sexta-feira (17) o desempenho dos candidatos a governador no debate realizado pela TV Meio Norte na noite da quinta-feira (16). Para o prefeito, seu colega de partido Luciano Nunes foi o grande vencedor do confronto.

    "O Luciano foi vencedor, claramente. Surpreendeu a todos que não o conheciam, está ficando cada vez mais conhecido e bem conhecido, mostrou postura, atitude, conhecimento e presença de espírito. Foi o primeiro debate da vida do Luciano. É difícil até imaginar que ele pudesse ter um desempenho melhor do que aquele", avaliou.

    O candidato Luciano durante o debate na TV Meio Norte (Foto: Efrém Ribeiro/MN)

    Na avaliação de Firmino, praticamente todos os outros candidatos já têm larga experiência em debates eleitorais e por isso o desempenho do tucano foi visto como bastante positivo. "Ele, participando com outros candidatos que têm muita experiência, teve um desempenho muito bom. Nas mídias sociais a gente viu claramente que ele foi o mais bem posicionado".

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • sexta, 17 de agosto de 2018, às 5:47h

    Candidato do PSC não aliviou para W. Dias (Foto: Marcos Melo/PoliticaDinamica.com)

    No debate realizado na noite desta quinta-feira (16) pela TV Meio Norte com sete dos 10 candidatos ao governo do Piauí, o governador Wellington Dias (PT), que concorre à reeleição, foi o principal alvo dos adversários. E o candidato Valter Alencar (PSC), que disputa pela primeira vez um cargo eletivo, foi o que adotou postura mais dura contra o petista, fazendo as críticas mais contundentes à gestão estadual.

    Valter mencionou escândalos ocorridos no governo e criticou a condução da administração estadual. Em alguns momentos, acusou a gestão de desviar recursos que deveriam ser aplicados em obras. Ele lembrou que as suspeitas são levantadas pelo Ministério Público e que a Justiça Federal mantém bloqueada a liberação da segunda parcela do empréstimo de R$ 600 milhões junto à Caixa por entender que as suspeitas são relevantes.

    Foi ele também o único a falar, de forma direta, sobre o escândalo na educação no Piauí. Apesar de não ter pronunciado a expressão "operação Topique", Valter lembrou que a Polícia Federal bateu às portas da Seduc e prendeu várias pessoas suspeitas de envolvimento no esquema de desvio de dinheiro do transporte escolar. "Foi quase um ônibus de pessoas sendo levadas", falou o candidato se referindo às 23 pessoas presas pela PF.

    Os candidatos pouco antes do início do debate (Foto: Marcos Melo/PoliticaDinamica.com)

    Valter ainda chamou atenção ao perguntar em que planeta os atuais gestores do Piauí vivem. Em um dos questionamentos feitos diretamente ao governador, o candidato do PSC perguntou ao petista sobre como combater os desvios. Numa das respostas, Wellington mencionou a educação que recebeu dos pais e se defendeu dizendo que uma das coisas que aprendeu foi não desviar o que é alheio. Em grande parte do debate, ele teve que se defender.

    Apesar de praticamente todos os candidatos terem mirado no governador, foi Valter Alencar o que mais colocou o dedo nas feridas do governo. Luciano Nunes (PSDB), Fábio Sérvio (PSL), Elmano Férrer (Podemos) e Dr. Pessoa (SD) também apontaram suas artilharias para o atual governante,mas Valter foi o que, sem dúvida, tirou o sossego do petista. Na reta final do confronto, Valter disse que é preciso tirar do poder os "políticos com cupim na cara".

    O DEBATE
    O debate eleitoral da TV Meio Norte foi o primeiro das eleições de 2018 no Piauí. Participam os candidatos Dr. Pessoa (SD), Luciano Nunes (PSDB), Wellington Dias (PT), Fábio Sérvio (PSL), Elmano Férrer (Podemos), Valter Alencar (PSC) e Sueli Rodrigues (PSOL). 

    Os candidatos Romualdo Sena (DC), Luciane Santos (PSTU) e Lourdes Melo (PCO) não foram convidados pois, conforme o TSE, as emissoras não são obrigadas a chamar candidatos cujos partidos não têm pelo menos cinco representantes no Congresso Nacional.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • quinta, 16 de agosto de 2018, às 22:29h

    Elmano defende redução da máquina pública (Marcos Melo/PoliticaDinamica.com)

    No debate eleitoral da TV Meio Norte, realizado na noite desta quinta-feira (16), a maioria dos candidatos de oposição criticou o inchaço da máquina pública na atual gestão. Elmano Férrer (Podemos) condenou o fato de dezenas de unidades gestoras terem finalidade irrestrita, sendo que praticamente todas fazem até mesmo obras de calçamento.

    Elmano promete que, se eleito for, vai acabar com estruturas desnecessárias no governo e montar uma equipe formada em sua maioria por quadros técnicos. Segundo ele, não se pode manter a atual máquina inchada e por isso entende ser necessário por fim em vários órgãos criados na gestão do governador e candidato à reeleição Wellington Dias (PT).

    No entanto, o candidato petista promete manter todas as estruturas e defendeu a importância delas. Com quase 70 unidades gestoras dentro do governo, Wellington avalia que não existe inchaço da máquina pública e por isso, ao contrário dos adversários na corrida pelo Karnak, garante que é preciso manter o atual tamanho da estrutura de governo.

    O DEBATE
    O debate eleitoral da TV Meio Norte é o primeiro das eleições de 2018 no Piauí. Participam os candidatos Dr. Pessoa (SD), Luciano Nunes (PSDB), Wellington Dias (PT), Fábio Sérvio (PSL), Elmano Férrer (Podemos), Valter Alencar (PSC) e Sueli Rodrigues (PSOL). 

    Os candidatos Romualdo Sena (DC), Luciane Santos (PSTU) e Lourdes Melo (PCO) não foram convidados pois, conforme o TSE, as emissoras não são obrigadas a chamar candidatos cujos partidos não têm pelo menos cinco representantes no Congresso Nacional.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • quinta, 16 de agosto de 2018, às 10:11h

    Arroz fala que prefeito não honrou promessa (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    Desde que deixou de fazer parte da base aliada do prefeito Firmino Filho (PSDB), o vereador Joaquim do Arroz (PRP) tem feito duras críticas à gestão do tucano. Na sessão da quarta-feira (15) na Câmara de Teresina, ele insinuou que a verba que seria usada para o asfaltamento da estrada dos povoados Estaca Zero/Lagoinha teve finalidade desviada.

    Segundo Joaquim, há exatamente um ano, no aniversário de Teresina de 2017, o prefeito inaugurou uma Unidade Básica de Saúde no local e na solenidade de inauguração prometeu asfaltar a estrada, pois o dinheiro já estava à disposição do Executivo Municipal. A via passa na frente da UBS. A promessa era que no aniversário da capital em 2018 os moradores já estariam usando a estrada asfaltada, o que não virou realidade.

    "Ele disse que iria fazer aquele asfalto e que no dia do aniversário de Teresina deste ano o asfalto estaria sendo utilizado pela comunidade. Calote! Lá só tem poeira. Se não fosse o calçamento que o governador Wellington Dias concedeu a este vereador para aplicar na comunidade, a nossa Estaca Zero, nesse próximo período chuvoso, ainda ia estar trafegando na lama. Então eu deixo aqui o meu repúdio ao prefeito", desabafou o vereador.

    Nas redes sociais, moradores postaram um vídeo com o discurso do prefeito onde ele assegurou que nesta quinta-feira, 16 de agosto de 2018, a pavimentação asfáltica estaria pronta. "Esse asfalto é um débito pessoal e eu quero honrar esse débito na sequência da Boa Hora [obra que estava em andamento]. Ano que vem, quando estivermos aqui celebrando essa data do aniversário de Teresina, esse asfalto já tem que estar feito", falou na ocasião.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • quarta, 15 de agosto de 2018, às 16:05h

    Robert quer CPI para apurar escândalo (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado estadual Robert Rios (DEM) está propondo a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o escândalo de corrupção no transporte escolar do governo do Estado revelado pela operação Topique, da Polícia Federal. Para que a comissão seja instaurada, são necessárias assinaturas de pelo menos 10 deputados. 

    Atualmente,a oposição possui exatamente 10 deputados, se considerados os parlamentares dos partidos que estão aliados à candidaturas de oposição ao governador Wellington Dias (PT). Além do próprio Robert, os deputados estaduais Gustavo Neiva (PSB), Rubem Martins (PSB), Marden Menezes (PSDB), Luciano Nunes (PSDB), Edson Ferreira (PSDB), Juliana Falcão (PSB), Dr. Pessoa (SD), Evaldo Gomes (PTC) e Gessivaldo Isaías (PRB). 

    Robert disse que já deixou o espaço para todos esses deputados assinarem e espera conseguir a adesão deles. "A oposição, teoricamente, tem 10 pessoas. Eu coloquei os 10 nomes da oposição e nós temos tentando coletar essas assinaturas. Na hora que elas forem concluídas, nós vamos apresentar ao presidente Themístocles Filho e aí a comissão vai estar instalada. Não de precisa de aprovação do plenário", explicou.

    O parlamentar de oposição avaliação que o escândalo revelado pela operação Topique é muito grave e precisa ser devidamente apurado, tanto pela Polícia Federal, que já conduz as investigações no âmbito policial, quanto pela Assembleia. 

    "Foi a maior operação já ocorrida em solo piauiense. Nós estamos com uma educação em greve e várias cidades com os alunos sem transporte escolar. Então essa Casa tem que investigar o que exatamente houve nas contas da Educação. Que dinheiro foi desviado, como foi desviado e quem são os culpados", cobrou.

    DÚVIDA
    Dos 10 deputados estaduais que, teoricamente, hoje são oposição, a maior incógnita é com relação a Gessivaldo Isaías (PRB). O partido dele rompeu com o governador Wellington Dias na semana das convenções e formou coligação com o candidato Dr.Pessoa (SD). No entanto, Gessivaldo tem evitado criticar a gestão estadual, pois afirma ter ajudado a construí-la enquanto secretário de Trabalho de Wellington até o começo de abril deste ano.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • quarta, 15 de agosto de 2018, às 14:17h

    Atrito entre Jeová e Firmino volta à tona (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador Jeová Alencar (PSDB), falou nesta quarta-feira (15) que a Prefeitura da capital excluiu o poder legislativo das comemorações do aniversário de 166 anos da cidade. De acordo com o tucano, em todos os aniversários acontece uma solenidade na Câmara, dentro do calendário alusivo às comemorações, mas este ano a Casa foi deixada de fora pela equipe do Palácio da Cidade.

    "A gente tomou conhecimento essa semana. Nós já tínhamos até preparado a solenidade, convidado historiador para vir e ficamos sabendo que a Câmara Municipal de Teresina está fora do calendário oficial da prefeitura. A gente lamenta, mas respeita. O prefeito é quem define suas prioridades e acha o que é importante. Pelos menos de 40 anos para cá, acho que é a primeira vez que não vai ter essa solenidade na Câmara", falou o presidente.

    Jeová é taxativo ao dizer que o Poder Legislativo Municipal foi excluído e que não existe outra definição para a situação. "A Câmara foi excluída. A palavra é essa. A Câmara, como sempre fez parte em todos os anos, teria aqui uma solenidade pelo aniversário de Teresina e fomos excluídos. Mas deve ser questão de prioridade", desabafou Jeová Alencar.

    Líder do prefeito defendeu gestão municipal (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    LÍDER DO PREFEITO ESTRANHA
    A vereadora Graça Amorim (PMB), líder do prefeito Firmino Filho na Câmara, evitou entrar na confusão, mas ressaltou que a solenidade é feita pela Câmara Municipal. Graça disse estranhar o fato da Casa não realizar o evento este ano. Segundo ela, a prefeitura é apenas convidada pela presidência da Câmara para participar da solenidade.

    "Esse evento é da casa e eu estou estranhando porque não será realizado. Estranho não ocorrer essa solenidade. Me disseram que é porque não foi colocado no calendário de eventos da prefeitura. Esse evento é feito pela Câmara e eu estranho ela não realizar essa sessão solene em homenagem aos 166 de Teresina porque esse evento não é da Prefeitura. A prefeitura vem e participa. O convite é feito pela presidência da Câmara", falou.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • terça, 14 de agosto de 2018, às 13:22h

    Vereador demonstra certa insatisfação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vereador de Teresina, major Paulo Roberto (Solidariedade), deixou transparecer nesta terça-feira (14) uma certa insatisfação com o candidato a governador Dr. Pessoa, do mesmo partido dele. Questionado se vai apoiar a candidatura de Pessoa, o parlamentar municipal garantiu que vota no colega de partido, mas que apoiar é diferente.

    "Eu vou votar em Dr. Pessoa. Sobre o apoio, eu estou esperando ainda ele vir conversar. Vou votar nele, pois nosso partido tem candidato e eu sou fiel ao meu partido. Agora, quanto ao meu grupo, eu tenho que conversar com o candidato ao governo. Se for importante, ele vem conversar comigo ainda", falou o vereador.

    A escolha do vereador Jeová Alencar (PSDB) como coordenador da campanha de Pessoa em Teresina parece que não foi vista com bons olhos pelo major, sobretudo porque ele não participou das conversas. Paulo Roberto fez questão de destacar que não tem nada contra Jeová e reiterou que se Dr. Pessoa quiser seu apoio, terá que procurá-lo para conversar.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • segunda, 13 de agosto de 2018, às 23:36h

    Drama causado pela seca é uma sina no PI (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica)

    Chegamos a mais um período de campanha. O assunto da vez é tão somente a eleição que vai eleger nossos próximos representantes a nível de estado e de país. Nos programas jornalísticos, nas redes sociais e nas rodas de conversa, a disputa eleitoral é o tema principal. Candidatos de toda espécie, como de praxe, se apresentam aos montes, andam pelos interiores, vestem roupas de vaqueiro e tentam se passar por redentores de um estado que nunca conseguiu deixar as primeiras colocações nos índices de pobreza no Brasil.

    No entanto, chega eleição e passa eleição e o Piauí segue sendo um estado refém da falta de compromisso, porque não dizer da irresponsabilidade, de grande parte da classe política, principalmente dos que passaram pelo Poder Executivo. Nos rincões desta terra querida, ainda reinam atrasos seculares que os governantes nunca conseguiram, ou melhor, nunca fizeram um esforço verdadeiro para resolver. Nesse artigo, chamo atenção para a problemática decorrente da seca no semiárido piauiense.

    Historicamente, nosso estado ganhou destaque na mídia nacional com cenas dramáticas de sertanejos sofrendo com escassez de água. Ano após ano, as cenas se repetem. As dificuldades impostas pela seca são um dos problemas mais graves do Piauí. E a pergunta que se faz é: por que nunca se resolveu um dos mais graves gargalos que trava o desenvolvimento do estado e inferioriza a qualidade de vida dos nossos irmãos do semiárido?

    É óbvio que houve avanços, afinal, não podemos comparar a realidade atual com aquela dos anos 50, quando a presença do estado nas brenhas do sertão era quase nula. No entanto, é inadmissível que um estado ainda abasteça boa parte de sua gente à base de carros-pipa. É mais inadmissível ainda que se faça propaganda dos feitos de uma Operação Pipa ou de ações emergenciais, como se essas saídas paliativas da qual nunca conseguimos nos desvencilhar fossem motivo para vanglórias.

    Em qualquer lugar sério do mundo, uma terra como o Piauí não conviveria secularmente com esse drama. Temos um dos mais ricos lençóis freáticos e, além disso, rios imponentes que passam bem perto de regiões onde o sertanejo sofre para ter água. O desprestígio nosso na cena nacional tem sido tão grande que canais da transposição do rio São Francisco rasgam o sertão nordestino por centenas de quilômetros até a Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Enquanto isso, cidades do Piauí a pouco mais de 80 km do rio vivem com pouca água.

    O município de Dom Inocêncio, por exemplo, fica a pouco mais de 80 km do maior manancial da América Latina, a barragem de Sobradinho-BA, que represa na vizinha cidade de Remanso. No entanto, é um dos municípios mais castigados pela seca no Piauí, onde até mesmo a zona urbana depende do abastecimento feito por carros-pipa. É revoltante saber que sertanejos nascem e morrem convivendo com a dificuldade de conseguir água e não se tenha no Piauí governos sérios, que pensem grande e sem complexo de vira lata.

    Moradores ainda sofrem no semiárido (Foto: Francisco Gilásio/Diário do Povo)

    Se os governantes desse estado tivessem a bravura dos rurícolas que trabalham de sol a sol no sertão, certamente viveríamos num Piauí mais digno. Infelizmente, temos tido gestores que não assumem o poder pensando em mudar, pra valer, a nossa realidade. A pequenez é tamanha que ser vice-campeão em pobreza é visto como troféu pelo fato de termos conseguido deixar a última colocação. Já diz o ditado: ser melhor do que zero, basta ser um.

    Nesse tempo de eleição, aparecem candidatos prometendo coisas que, se formos avaliar ao pé da letra, não vão tirar o Piauí do atraso histórico, nem mesmo se forem totalmente cumpridas. É preciso atacar os grandes problemas, mexer com coisas grandiosas, ter vontade de entrar para a história como alguém que causou impacto num Piauí historicamente ridicularizado. Não queremos gestores que se acham habilidosos por conseguirem pagar salário de servidor público ou por aumentarem um dígito no índice do Ideb.

    Queremos gestores que sejam capazes de colocar o Piauí entre os grandes e que façam esse estado dar um salto, não apenas para deixar de passar vergonha, mas para ser orgulho. Queremos gestores que solucionem o drama secular de abastecimento no semiárido. Muitas vezes, é fácil para um comissionado, para um jornalista chapa branca ou outro ser qualquer puxar o saco de um governo com uma opinião enfincada na capital. Difícil é conhecer os rincões desse estado, suas peculiaridades e os dramas da sua gente.

    Quem conhece sabe que ainda somos reféns da inoperância daqueles que tem governado o Piauí ao longo dos anos. E dessa inoperância histórica, todos nós somos vítimas. Infelizmente!

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • segunda, 13 de agosto de 2018, às 16:52h

    Frank diz que vai andar todo o Piauí com Dr. Pessoa (Foto: Divulgação/Site Oficial)

    O cantor e candidato a senador pelo Piauí, Frank Aguiar (PRB), falou com a reportagem do Política Dinâmica na tarde desta segunda-feira (13) sobre o "chamamento" que o candidato a governador Dr. Pessoa (SD) fez a ele durante a manhã numa entrevista na Assembleia Legislativa. Pessoa foi questionado a respeito da ausência de Frank nas primeiras agendas de viagem pelo interior depois da homologação da chapa majoritária na convenção do dia 4.

    Esbanjando bom humor, Frank explicou que ele e Dr. Pessoa sentem falta um do outro devido à grande sintonia que estabeleceram e, por isso, qualquer tempo afastados já provoca chamamentos de ambos os lados, como fez Dr. Pessoa. O cantor está de volta ao Piauí após ter passado o dia dos pais com os filhos fora do estado. Quando falou com a reportagem, às 16h20, estava indo para uma vaquejada em Água Branca, a 100 km de Teresina.

    "Na verdade, eu também sinto falta dele e ele sente falta de mim, porque nós estamos acostumados a estar sempre juntos. Eu e o Dr. Pessoa nos identificamos muito e quando eu deixo de estar um dia, aí a nossa ausência um do outro é notória. Na verdade, eu fui passar o dia dos pais com meus filhos, mas já estou aqui desde ontem à noite. Já estou na estrada e a gente não vai parar. É que a campanha oficialmente dita começa a partir do dia 16. Temos uma agenda intensa para rodar o estado todo. Eu, Dr. Pessoa e os colegas da chapa", falou.

    Dr. Pessoa quer Frank junto com ele no interior (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    O candidato a senador do PRB, partido que deixou a base do governador Wellington Dias (PT) para apoiar Dr. Pessoa na disputa pelo governo do estado, garantiu que o grupo vai visitar todo o Piauí durante a campanha atendendo ao chamamento do povo. Ele demonstrou confiança na vitória e reafirmou o carinho que sente por Dr. Pessoa. "Ele é lindo! Gosto muito de estar perto dele. Sinto também a falta dele quando não estamos juntos", falou o cantor.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • segunda, 13 de agosto de 2018, às 15:40h

    Deputado reuniu a família e correligionários (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado estadual Edson Ferreira (PSDB) é o único dos 30 parlamentares estaduais piauienses que não vai disputar nenhum cargo nas eleições deste ano. Na última sexta-feira (10), ele reuniu familiares e correligionários em São Raimundo Nonato, sua cidade natal, para anunciar que vai apoiar a reeleição do deputado estadual Themístocles Filho (MDB).

    Nesta segunda (13), Edson confirmou ao Política Dinâmica a realização do encontro e o apoio ao presidente da Assembleia. A decisão de Edson conta com o aval da maior parte da família Ferreira, inclusive da matriarca, dona Teresinha de Castro Ferreira. O irmão e ex-deputado estadual Ferreira Neto também acompanha a decisão política de Edson.

    Themístocles terá apoio de Edson Ferreira (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Um dos poucos que não vai seguir o deputado é Avelar Ferreira (DEM), ex-prefeito da cidade de São Raimundo Nonato e irmão de Edson. Diferente do restante da família, ele promete apoio para o candidato a deputado estadual Oliveira Neto (PPS), filho do prefeito de Miguel Alves, Oliveira Júnior (PT). Avelar já foi prefeito três vezes.

    O deputado estadual Edson Ferreira está no quinto mandato consecutivo e decidiu não disputar a reeleição. No entanto, garantiu aos presentes no encontro da sexta-feira que não está saindo da política, mas apenas optando por não disputar em 2018. Segundo ele, é normal que um político não se candidate numa eleição e volte a concorrer em outros pleitos.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • segunda, 13 de agosto de 2018, às 15:05h

    Lourdes não acredita na lisura das eleições (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A candidata do PCO ao governo do Piauí, Lourdes Melo, afirmou nesta segunda-feira (13) que o processo eleitoral de 2018 é um jogo de cartas marcadas e que a disputa já começa fraudada. Mais uma vez na corrida pelo governo do estado, ela diz que seu principal foco de campanha em 2018 será lutar contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    "A nossa luta é todo dia e nestas eleições o nosso foco de campanha é a defesa do Lula, é a liberdade do Lula e a solidariedade ao Lula. A luta para que o Lula saia da cadeia e principalmente para que ele seja candidato. Essas eleições são fraudadas por si só, pois o candidato com mais intenções de voto no Brasil está preso", afirmou.

    Lourdes e uma caravana de simpatizantes do petista viajam nesta segunda para Brasília, onde vão defender o registro da candidatura de Lula na quarta-feira (15) no TSE. Questionada sobre o porquê de participar de uma eleição que considera fraudulenta, Lourdes explicou que a candidatura objetiva alcançar espaços na mídia para denunciar as fraudes.

    "Nós ocupamos o espaço, sempre dando entrevistas, para a gente denunciar o processo fraudulento que são as eleições. São desiguais. É um jogo de cartas marcadas para quem tem dinheiro. Nós somos candidatas sim e vamos usar esse tempo que está reduzido de 45 dias de campanha", explicou a professora e candidata ao governo do Piauí.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • segunda, 13 de agosto de 2018, às 14:21h

    Pessoa diz que Frank é muito importante (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado estadual e candidato a governador do Piauí, Dr. Pessoa (SD), foi questionado nesta segunda-feira (13) sobre a ausência, até aqui, do candidato a senador Frank Aguiar (PRB) em suas agendas pelo interior. Diante da pergunta, Pessoa disse que está esperando o cantor entrar na campanha e fez um chamamento para que ele inicie as andanças.

    "O Frank Aguiar é uma pessoa que está enfincada aqui na região precordial esquerda, do lado do ventrículo esquerdo, que é a parte mais importante do funcionamento cardíaco. Eu faço esse chamamento sem crítica: Frank Aguiar, venha! Nós estamos esperando", convocou.

    No entanto, Dr. Pessoa acredita que o artista e companheiro de chapa majoritária ainda não começou a percorrer o Piauí por conta das agendas definidas antes da homologação da candidatura dele ao Senado. Para o candidato a governador, a presença de Frank Aguiar nas andanças pelo interior do estado é muito importante para a campanha como um todo.

    "Eu respeito isso [questão das agendas dele]. Mas ele é tão importante na nossa caminhada, tão importante na nossa luta, tão importante para que cheguemos juntos ao governo do estado do Piauí. Por isso, eu estou chamando nos meios de comunicação pela importância que ele tem nesse processo", explicou o candidato.

    Frank é candidato na chapa de Dr. Pessoa (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

    AUSÊNCIA
    Desde que foi homologado como candidato a senador na chapa de Dr. Pessoa no dia 4, o cantor Frank Aguiar ainda não começou a andar pelo interior do Piauí. Enquanto a candidata a vice-governadora Vanessa Tapety (PTC) e o outro candidato a senador Marcos Vinícius (PTC) têm acompanhado Dr. Pessoa em viagens nos municípios, Frank ainda não apareceu.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner
  • sexta, 10 de agosto de 2018, às 15:21h

    Emedebista diz que ainda vai decidir (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O vice-prefeito de Teresina Luiz Júnior (MDB) disse nesta sexta-feira (10) que ainda não definiu o candidato a governador que vai apoiar. Apesar do partido dele estar na base aliada do governador Wellington Dias (PT), o político não parece muito disposto a votar na reeleição do petista. Ele falou em "frustração" no processo de escolha do candidato a vice.

    "Ainda não [defini]. Eu estou exatamente como o deputado Themístocles Filho, aguardando um pouco, deixando baixar a poeira. Foi frustrada a nossa expectativa, pois o MDB estava lutando para o deputado Themístocles ser candidato a vice, mas aconteceu o que aconteceu. Estou aguardando e tão logo tomemos essa decisão nós vamos anunciar", falou.

    Luiz Júnior disse que está conversando e ouvindo algumas pessoas sobre as eleições deste ano. Questionado se vai seguir a decisão de Themístocles Filho ou se vai acompanhar o prefeito Firmino Filho (PSDB), ele falou que mantém conversas com os dois. 

    "Estou conversando com todo mundo. Com o prefeito, alguns candidatos e com o deputado [Themístocles]. Eu vou tomar uma decisão e vou definir qual candidato apoiar", garantiu.

    • THIAGO GARCIA IMOBILIÁRIA - RECANTO DOS IpÊS
    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
    • Full banner


voltar para 'Política Dinâmica'