Coluna Gustavo Almeida
  • 22 de setembro 2019

    quinta, 19 de setembro de 2019, às 17:00h

    Vaículo pau de arara lotado de estudantes (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A reportagem do Política Dinâmica percorreu esta semana cerca de 190 km até a cidade de Castelo do Piauí, na região Norte do Estado. Lá, estudantes da rede estadual de ensino são transportados em veículos abertos e de carroceria, os chamados "paus de arara".

    Passava das 17h quando a equipe do PD chegou à Unidade Escolar Estadual Francisco Sales Martins, instituição que recebe alunos da zona urbana e de comunidades rurais. Poucos minutos depois, começaram a chegar os carros do transporte escolar, entre eles os paus de arara. Em pelo menos dois veículos, uma cobertura foi improvisada na carroceria.

    Dezenas de alunos da zona rural começaram a subir. Abordado pela reportagem, o proprietário de um dos paus de arara, de nome Marlon, disse que o carro dele era o único de carroceria que fazia transporte escolar e estava lotado naquele dia porque outro veículo tinha quebrado. O trajeto feito por ele é de 40 km até uma localidade chamada Barreiro.

    Carro lotado de alunos na carroceria (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O proprietário, que também é motorista do pau de arara, ainda argumentou que o trajeto só pode ser feito por carros daquele tipo, já que três passagens molhadas ao longo da estrada impedem a circulação de ônibus. No entanto, as versões logo caíram por terra. Outros paus de arara chegaram à escola, mostrando que o carro dele não era o único.

    Veja o vídeo!


    Numa esquina da escola, outro pau de arara saiu com destino à zona rural lotado de alunos. A reportagem do Política Dinâmica seguiu um dos carros. Numa estrada de terra e com muita poeira, vários alunos se espremiam na carroceria da caminhonete D-20. Ao perceber que era seguido, o motorista dirigiu em alta velocidade para fugir da reportagem.

    Estudantes também sofrem com a poeira (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O PD seguiu o pau de arara lotado por cerca de 10 km, mas desistiu por conta do risco da velocidade e da poeira intensa que prejudicava a visibilidade. Apesar da poeira, as condições da estrada vicinal no trecho percorrido pela reportagem eram boas e qualquer veículo, inclusive ônibus, podem trafegar, diferente da versão de um dos motoristas.

    SEM TRANSPORTE, ALUNOS DESISTIRAM

    Pedindo para não ter a identidade revelada por medo de retaliação, uma funcionária da escola Francisco Sales Martins contou ao PD que a situação do transporte escolar só piorou ao longo dos últimos três anos. Segundo ela, em alguns períodos nem mesmo pau de arara para transportar os alunos teve e por isso alguns alunos desistiram de frequentar a escola.

    Estudantes da zona rural na carroceria do carro (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Ainda conforme a servidora, mais da metade dos alunos do período da tarde é transportada em paus de arara para as comunidades rurais de Castelo do Piauí.

    DIRETORA NÃO FALA

    Na escola, a reportagem do Política Dinâmica aguardou a chegada da diretora, de nome Fátima Damasceno. Somente por volta das 18h30 ela chegou à escola e recebeu a equipe na sala da diretoria. Questionada sobre a situação, ela admitiu o uso de veículos paus de arara no transporte dos estudantes, mas não quis gravar entrevista sobre o assunto.

    A escola Francisco Sales Martins, em Castelo (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Ao ser perguntada se gravaria, ela pediu um instante para ligar para um superior. Ao voltar, disse que não iria gravar e que o superior mandou a reportagem procurar a Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Segundo ela, a Seduc sabe da realidade vivida pelos estudantes de Castelo do Piauí.

    Veículo percorre vários quilômetros lotado (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    SEDUC PROMETE NOTIFICAR EMPRESA

    Por meio de nota, a Secretaria de Estado da Educação informou que a empresa responsável pelo transporte escolar da Unidade Francisco Sales Martins será notificada por não estar cumprindo as obrigações contratuais. [É a empresa que subcontrata donos de veículos no município para fazer o serviço, prática que foi condenada pela Controladoria Geral da União e pela Polícia Federal no âmbito da Operação Topique].

    A Seduc informou também que uma nova licitação de transporte escolar está em fase de finalização e irá beneficiar quase 50 mil alunos da rede pública. Conforme a secretaria, a nova licitação vai garantir transporte de qualidade, com acessibilidade e conforto, com todos os veículos equipados com GPS, de forma que as rotas sejam monitoradas.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 18 de setembro de 2019, às 16:17h

    Osmar promete apresentar relação de obras (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O secretário de Governo Osmar Júnior (PC do B) foi à Assembleia Legislativa do Piauí nesta quarta-feira (18) tratar sobre a tramitação dos pedidos de empréstimo. Questionado pelo Política Dinâmica se o governo tem uma lista das obras que vão receber os recursos, ele disse que o assunto ainda está sendo trabalhado, mas prometeu apresentar a relação.

    “O governo está trabalhando. Existe um conjunto de estudos que são feitos ao longo do ano. Ele vai apresentar um plano de investimentos e neste plano de investimentos estarão todas as obras”, falou o secretário ao deixar o gabinete da presidência da Assembleia.

    ESTRADAS VICINAIS
    Ainda conforme Osmar Júnior, uma parcela considerável do dinheiro emprestado vai para obras de recuperação de estradas, principalmente as rodovias estaduais asfaltadas. No entanto, também devem ser beneficiadas estradas vicinais, embora não sejam prioridade.

    “Olha, a prioridade são as PIs”, resumiu ao ser questionado sobre estradas vicinais.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 18 de setembro de 2019, às 15:06h

    Segundo Gessivaldo, nome de Silas é cotado (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado estadual Gessivaldo Isaías, presidente regional do PRB, que passou a se chamar Republicanos, falou nesta quarta-feira (18) que o partido estuda lançar o ex-deputado federal Silas Freire para disputar a Prefeitura de Teresina. De acordo com ele, a intenção da legenda é ter candidato em algumas das principais cidades do Piauí, inclusive a capital.

    Embora aponte o nome de Silas como o mais provável, caso realmente o partido venha a ter candidato próprio, Gessivaldo destaca que os nomes dele e do vereador Levino de Jesus também não estão descartados. No entanto, a preferência por Silas Freire se dá pelas grandes votações que o ex-deputado sempre teve em Teresina nas eleições que disputou.

    "Nós estamos trabalhando a definição dos nomes em Parnaíba, Teresina e Floriano. Nessas cidades vamos ter candidato a prefeito. Aqui nós temos alguns nomes. O meu nome, o do vereador Levino e o do ex-deputado Silas. De verdade, o ex-deputado Silas é o nome mais viável hoje para uma candidatura a prefeito de Teresina pelos Republicanos", falou.

    Gessivaldo ressaltou que uma candidatura dele mesmo é mais difícil pelo fato de ser presidente estadual do partido e ter que cuidar da eleição em outras cidades. Diante disso, acredita que a escolha deverá ser Silas Freire. "O nome do Silas é bom porque foi o segundo deputado federal mais votado da capital e agrega muitas pessoas ao redor da candidatura dele", explicou.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 18 de setembro de 2019, às 7:02h

    Franzé pediu processo por quebra de decoro (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    “Sujeito que expressa condescendência; que aceita as ordens, os desejos e as vontades de uma outra pessoa com facilidade”. “Sujeição servil à vontade alheia, submissão voluntária a alguém ou a alguma coisa; servilismo”. São esses os significados do termo subserviência.

    A palavra foi usada pela deputada estadual Teresa Britto (PV) para definir deputados da base do governador Wellington Dias (PT). Eles, para agradar o petista, rejeitaram a convocação do secretário Rafael Fonteles para a Assembleia. O objetivo era que Fonteles explicasse detalhes dos pedidos de empréstimo que tramitam na Casa.

    A palavra “subserviência”, usada por Teresa, irritou deputados governistas. Franzé Silva, o mais incomodado, pediu abertura de processo por quebra de decoro contra a deputada de oposição. Para ele, Teresa se excedeu na crítica e feriu normas de boa convivência no Parlamento.

    Talvez fosse o ideal Teresa usar o termo obediência. Na prática, seria parecido, mas não teria causado tanta irritação. Que os deputados da base são obedientes ao governador, ninguém pode negar. Alguns dicionários definem obediência como “ação de quem obedece, de quem é dócil. Disposição para obedecer. Ato pelo qual alguém se conforma com ordens recebidas”.

    Na Assembleia, é notória a obediência dos deputados da base ao governador. Isso eles não podem achar ruim, pois basta acompanhar a atuação deles para perceber.

    Às vezes, para não desagradar alguém, a gente diz com jeitinho: “Fulano, essa roupa não está legal, não ficou bem”. É quase o mesmo que dizer: “Fulano, essa roupa está feia em você”. A diferença é que a primeira forma não constrange, já a segunda soa indelicado e deselegante. Mas a verdade é que, na prática, ambas querem dizer algo bem parecido.

    Teresa Britto diz que Franzé quer calá-la (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    DEPUTADO MACHISTA

    A deputada estadual Teresa Britto (PV) reagiu ao pedido de abertura de processo por quebra de decoro parlamentar feito pelo deputado Franzé Silva (PT). Para Teresa, o petista quer calar a voz dela e aparecer na mídia. A deputada disse que Franzé conseguiu, de fato, aparecer, mas como um machista. Ela está valente com a atitude do petista.

    VAI FALAR NA CARA

    Teresa Britto garante que vai dizer isso para Franzé olhando na cara dele, do alto da tribuna da Assembleia. O clima entre os dois promete ficar ainda mais pesado. Franzé pediu abertura de processo por quebra de decoro após Teresa chamar deputados da base de “subservientes” ao governador. A constatação irritou os governistas.

    John Wallace, o "senador", será candidato em Teresina (Foto: Reprodução/Facebook)

    CANDIDATO A VEREADOR

    O jovem John Wallace (PT) será candidato a vereador em Teresina. Ele trabalha no Palácio de Karnak e é conhecido por lá como “senador”. O apelido é resultado de uma brincadeira criada na eleição de 2010, quando Wellington Dias disputou vaga no Senado. Na época, uma “candidatura de mentirinha” de John a senador foi lançada por amigos.

    CANDIDATO A VEREADOR 2

    Naquela ocasião, a brincadeira rendeu tanto que mandaram confeccionar um cartaz com o “candidato a senador” John Wallace. Dez anos depois, o petista agora trabalha para ser candidato de verdade em 2020, só que dessa vez a vereador. Bem relacionado com alguns políticos que circulam com frequência no Karnak, o “senador” sonha em ser vereador.

    Alunos são transportados em paus de arara (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    DESCASO NA EDUCAÇÃO

    A reportagem do Política Dinâmica pegou a estrada e foi até a região Norte do Piauí flagrar descasos na educação. Alunos da rede estadual transportados em paus de arara ainda são uma realidade no Estado onde milhões gastos com propaganda tentam esconder descasos. A matéria completa, em fotos e vídeos, você vai conferir aqui no PD.

    COMIDAS DE PORCA

    O deputado estadual Henrique Pires (MDB) postou foto numa rede social junto com Dr. Pessoa e Luiz Lobão, ambos pré-candidatos a prefeito de Teresina, assim como ele. Na postagem, alguns comentários: “Três comidas de porca”, disse um. Outro afirmava que “votar em Dr. Pessoa era motivo de chorar”, usando emoji de choro ao invés da palavra.

    Henrique Pires brinca com comentários em foto (Foto: Divulgação/Assessoria)

    COMIDAS DE PORCA 2

    Henrique fez questão de expor os comentários e ele próprio tirou onda da situação. “A turma não perdoa. Misericórdia”, postou o deputado na legenda da postagem. Embora Dr. Pessoa tenha sido colocado como pré-candidato oficial do partido por alguns membros, Henrique Pires e Lobão mantêm suas pré-candidaturas. Para eles, não existe definição.

    QUER NEM SABER DO TIO

    O deputado estadual Firmino Paulo (Progressistas) está cada vez mais ligado ao governador Wellington Dias (PT). Depois de ser colocado na política pelo tio, o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB), ele agora tá quase um petista. Embora não demonstre muito, o sobrinho tem sérias arestas com o tio. Diante disso, quer mostrar que está com Wellington para o que der e vier, inclusive nas eleições municipais de 2020.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 17 de setembro de 2019, às 17:15h

    Isadora nega intenção de deixar o PC do B (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    A jornalista Isadora Cortez, que se candidatou a deputada federal pelo PC do B em 2018 e é pré-candidata a vereadora de Teresina, usou as redes sociais nesta terça-feira (17) para afirmar que foi vítima de fake news. Alguns sites noticiaram que o presidente do partido, Osmar Júnior, teria tentado filiar Isadora no PT, mas que ela foi barrada. Isadora é sobrinha de Osmar.

    Em reação, Isadora desabafou nas redes sociais e classificou como grave a disseminação de notícias falsas. Na postagem, ela negou que Osmar Júnior tenha tido a intenção de filiá-la ao PT e fez questão de reafirmar seu vínculo com o PC do B, partido ao qual está filiada há 10 anos.

    “Eu assistia aula no mestrado quando fui surpreendida com uma notícia. Uma frase me chamou muita atenção: Isadora Cortez vetada no PT. Fiquei pensando sobre como é grave a disseminação de notícias falsas, as tão faladas fake news. Há 10 anos eu preenchi uma ficha, mas a relação que eu tenho com o PCdoB é de vida. Eu nasci nesse lugar e tenho um orgulho imenso de ter pais e tios aqui. Me surpreendi muito, pois nem no pior cenário possível cogitaria uma saída do meu partido”, escreveu a jornalista.

    Nas matérias divulgadas, a possível mudança de partido foi atribuída à dificuldade que o PC do B estaria tendo para montar a chapa proporcional em Teresina. Isadora também negou essa informação. “Eleição nenhuma me tiraria desse lugar, tenho responsabilidades com o PCdoB, além de depositar todas as minhas esperanças de um projeto de sociedade melhor. É ele que dá força, não só pra mim, mas pra todos os meus camaradas que estão espalhados por cada canto desse país para lutar contra as injustiças”, disse.

    Isadora afirma que a informação foi disseminada com o objetivo de desarticular e desestabilizar ela e seus aliados. “Eles não vão nos abater. Quem me conhece sabe que o PCdoB é a minha casa. Mais do que isso, sabe que carrego meu Partido comigo. Agradeço a todas as manifestações de carinho e de solidariedade. Eles não vão nos intimidar”, encerrou.

    Atualmente, Isadora ocupa o cargo de gerente de apoio institucional na Secretaria de Governo.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • terça, 17 de setembro de 2019, às 16:30h

    Em poucos meses, PT chega ao quarto nome (Fotos: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O Partido dos Trabalhadores está fazendo tudo certinho para perder mais uma eleição municipal em Teresina. Pelo menos é o que alguns dos seus líderes têm demonstrado com indecisões, acusações entre si e uma série de manobras erradas. Entre os partidos que se articulam para disputar a prefeitura da capital, o PT é o mais inconstante.

    O fato novo nesta terça-feira (17) é a desistência do vereador Dudu da pré-candidatura a prefeito. Embora a intenção dele de disputar a PMT sempre fosse vista com desconfiança por muita gente, Dudu decidiu sair. Ele sai, mas não deixa o espaço vazio. Resolveu apoiar o nome de Daniel Oliveira, o mais novo pré-candidato a prefeito no PT.

    Com essa mudança, o partido chega ao quarto pré-candidato colocado na pista em 2019, mesmo faltando pouco mais de um ano para a eleição. Até aqui, já foram pré-candidatos Franzé Silva, Dudu, Fábio Novo e agora Daniel Oliveira. Os dois primeiros recuaram e os dois últimos seguem pré-candidatos. No PT, a maioria defende candidatura própria.

    Com esse troca-troca constante de pré-candidatos, o PT demonstra que está fazendo tudo certinho para, mais uma vez, perder a eleição para a prefeitura da capital, onde nunca ganhou. O partido não sabe quem quer. E pior que isso: não sabe o que quer.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 16 de setembro de 2019, às 11:29h

    Marcelo Castro é contra instalação de CPI (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O senador Marcelo Castro (MDB) afirmou nesta segunda-feira (16) que os argumentos para a criação da CPI da Lava Toga são vagos. Na avaliação dele, a intenção dos que defendem a CPI não é investigar um fato, mas o Poder Judiciário. Para o senador, que já presidiu esse tipo de comissão, o objetivo de uma CPI deve sempre ser apurar um fato determinado.

    "A CPI é um instrumento que visa investigar um fato específico e o que surgiu até agora com a proposta de alguns senadores é investigar o Poder Judiciário, as ações. É vago, por isso que tem sido indeferidos os pedidos até agora. Pelo que tenho acompanhado, já que não participei pessoalmente, acho que esse é o sentimento [de que a CPI é vaga]", afirmou.

    Marcelo Castro lembrou que já foi presidente de uma CPI e que uma comissão desse tipo deve ter um foco específico de investigação. "Havendo um fato determinado para ser apurado [tudo bem]. Já fui presidente de uma CPI, que foi a CPI que mais deu resultado no Brasil, a CPI do Apagão Aéreo. É um instrumento das minorias, instrumento das democracias e havendo fato determinado deve ser apurado", explicou o senador.

    Até agora, Marcelo tem sido contra a instalação da CPI da Lava Toga e por isso não assinou nenhuma das três tentativas de criação da comissão no Senado. Ele entende que uma CPI para investigar todo o Poder Judiciário geraria uma crise e seria prejudicial. No entanto, garante que se a CPI fosse para apurar um fato determinado, ele seria a favor.

    "A gente tem que ver a questão da oportunidade e conveniência. Muitos acham que o momento não é conveniente para se instalar uma crise de investigar o Poder Judiciário de uma maneira geral. Fato determinado eu particularmente sou a favor", revelou.

    Dos três senadores do Piauí, apenas Elmano Férrer (Podemos) tem sido favorável à Lava Toga.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • segunda, 16 de setembro de 2019, às 7:25h

    Partidos renegam nomes com grande expectativa de votos (Foto: Nelson Jr/TSE)

    Que a política é dinâmica, todo mundo sabe. Mas às vezes esse dinamismo leva à situações um tanto embaraçosas e que vão contra a própria lógica da política. Um dos exemplos disso é o tal “teto de votos” que muitos partidos estão levando em conta na hora de montar suas chapas proporcionais. A lógica do teto pode até ser uma estratégia ideal para algumas legendas, mas desprestigia líderes e nivela a política por baixo.

    Antes, todo partido queria nomes que fossem bons de voto, figuras de peso capazes de conseguir expressivas votações. Era como um time de futebol que não media esforços para contratar um craque capaz de desequilibrar as partidas de futebol. Na política, a lógica do teto adotada por muitos partidos faz com que os “craques” não tenham valor e sejam preteridos em detrimento de “jogadores medianos” que não desequilibram.

    Faltando um ano para as eleições municipais, alguns partidos não aceitam políticos com expectativa de obter grandes votações e muitas vezes adotam como critério uma “previsão de votação” mais ou menos comum para todos seus candidatos. Se um nome de tradição quiser entrar na chapa proporcional, é rejeitado e visto como alguém que vai apenas usar os outros de escada. Quem tem eleição certa não é bem-vindo.

    Usando novamente o exemplo do futebol, é como se o craque não fosse bem-vindo porque ele vai fazer todos os gols da partida e os outros jogadores perderiam o protagonismo. Em Teresina, alguns partidos, sobretudo uns pequenos ou medianos, não querem líderes que cheguem com expectativa de votos acima de 4 mil, pois esse iria “papar” uma vaga. Assim, querem formar chapas proporcionais com nomes nivelados, por baixo, diga-se.

    Na Câmara de Teresina, alguns vereadores encontram dificuldades para pleitear filiação em determinados partidos (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Na política, o comum sempre foi ter um piso e não um teto para se pleitear candidatura. Hoje, essa lógica parece estar invertida. A tal estratégia do teto de votos não só desprestigia líderes com atuação reconhecida como também impede que novas lideranças de peso despontem e façam história na política. Ao nivelar as chapas por baixo e renegar quem tem muito voto, os partidos dificultam a formação de grandes homens públicos.

    A lógica do teto é tão controversa que o sujeito que se beneficia dela hoje pode ser penalizado por ela amanhã. Basta refletir: se um político inexpressivo se elege nessa estratégia, faz um grande mandato e se torna um líder de peso na política, é bem capaz de na eleição seguinte ele ser renegado em determinados partidos por ser considerado um “figurão”. Ou seja, a lógica do teto é inimiga de quem já é grande e de quem pode crescer.

    Além do mais, cabe chamar atenção para outro ponto nessa história. Se um líder político possui expectativa de obter uma grande votação, é porque, querendo ou não, existe algum reconhecimento pela atuação e pelo trabalho dele. Ao preterir nomes de peso, os partidos que adotam a lógica do teto de votos ignoram esse reconhecimento popular. É como se eles não quisessem lideranças políticas que o povo gostaria de eleger novamente.

    É claro que todo partido tem o direito de adotar a estratégia que quiser numa eleição proporcional, mas preterir grandes lideranças por conta de um teto eleitoral é um tanto controverso. Em outros tempos, nomes expressivos eram disputados por todos os partidos. Para os pequenos então, ter figurões era um sonho. Hoje, a realidade é outra. É como se o um clube da segunda divisão do Brasil não quisesse um craque europeu.

    A política é mesmo dinâmica.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • domingo, 15 de setembro de 2019, às 22:41h

    Gilmar Mendes ataca criação da Lava Toga (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

    O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, afirmou em entrevista à Folha de S. Paulo que se a CPI da Lava Toga for instalada, é provável que o próprio STF mande trancá-la. Para ele, a comissão parlamentar para apurar o ativismo  judicial é inconstitucional.

    "Acho que os próprios signatários, os principais líderes, sabem disso. Se essa CPI fosse instalada, produziria nenhum resultado. Certamente, o próprio Supremo mandaria trancá-la", afirmou.

    Um grupo de senadores tenta criar, pela terceira vez, a CPI da Lava Toga no Congresso. A comissão tem o objetivo de investigar abusos e o ativismo judicial de membros das cortes superiores. Do Piauí, só o senador Elmano Férrer assinou requerimento que pede a instalação.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • sexta, 13 de setembro de 2019, às 9:06h

    Átila foi expulso do PSB e acertou com o PP (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Ao anunciar filiação ao Progressistas, Átila seguiu uma lógica que tem sido muito comum na política do Piauí: a opção pela perspectiva de poder. Não é segredo para ninguém que Ciro Nogueira quer ser candidato a governador em 2022 e trabalha com esse foco dia e noite. Justamente por isso o Progressistas vem crescendo no Estado a todo vapor.

    Esse fenômeno é muito comum por aqui. Toda vez que uma grande liderança desponta com perspectivas de poder, vários políticos vão para o seu redor. Foi assim com o PTB, quando João Vicente Claudino era visto como nome forte para o Governo do Estado, e da mesma forma com o PSB de Wilson Martins, que em 2010 chegou ao Karnak.

    O que existe em comum nesses crescimentos vertiginosos é sempre a queda depois de algum tempo. Quando o partido deixa de ser a bola da vez, seja por terminar um governo ao qual chegou ou por não corresponder a perspectiva de conquistá-lo, começa o processo de esvaziamento. O poderoso Progressistas de hoje é o PTB e o PSB de ontem.

    MAIS UM NA CONTA

    Com a filiação ao Progressistas, Átila chega ao seu sétimo partido na carreira política. Ele já passou por MDB, Arena, PDS, PFL, PSDB e PSB. Foi somente a partir do PFL que despontou na cena política. Átila, juntamente com mais dois deputados, são recordistas de mandatos atualmente em exercício na Câmara. Em 2018, venceram a oitava eleição.

    Progressistas, o partido de Ciro, acerta filiação de Átila (Foto: Divulgação/Assessoria Ciro)

    AGORA É GOVERNISTA

    Se tem coisa que Átila não gosta é de ficar na oposição. Ao anunciar filiação ao Progressistas, ele agora passa a ser da base aliada do governador Wellington Dias (PT). O partido de Ciro Nogueira, que possui a maior quantidade de políticos enrolados na Lava Jato, foi um dos principais aliados de Wellington na reeleição do petista em 2018.

    MUDOU DE IDEIA

    Com a ida para o Progressistas, Átila descartou o Democratas. Em várias entrevistas, antes mesmo de ser expulso do PSB, ele havia declarado que seu destino mais provável era o DEM. Depois de algumas reuniões com Ciro Nogueira, mudou totalmente de ideia.

    MAIOR BANCADA

    Com a filiação de Átila, o Progressistas passa a ter a maior bancada de deputados federais do Piauí. Agora são três parlamentares. Antes, o partido dividia essa liderança com o PT, que tem dois deputados federais. No Progressistas, Átila se junta a Margarete Coelho e Iracema Portella. O PSB, por sua vez, fica sem nenhum parlamentar federal no Estado.

    Elmano assinou mais uma vez a CPI da Lava Toga (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    VEÍN QUER A LAVA TOGA

    O senador Elmano Férrer (Podemos) assinou o terceiro requerimento que tenta criar no Senado Federal a CPI da Lava Toga. Ele foi o 27º senador a se colocar favorável ao pedido. Segundo o site O Antagonista, Elmano já começou a ser pressionado pela “turma do acordão”, grupo que luta de forma voraz para impedir a criação da CPI.

    VEÍN QUER A LAVA TOGA 2

    Essa não é a primeira vez que o Veín assina requerimento para criar a polêmica CPI. Em março, ele já havia assinado um primeiro requerimento que tentou instalar a Lava Toga. Ao assinar desta vez, Elmano reforça a coragem, já que a pressão de setores do governo contra a CPI é muito maior. Ele é um dos vice-líderes do governo no Senado.

    NÃO É COMIGO

    O governador Wellington Dias (PT) se esquivou como pôde de falar sobre o banco Brasil Plural, onde o Estado do Piauí vai pegar mais de R$ 2 bilhões emprestados. Questionado sobre as dúvidas em relação à capacidade financeira do banco e sobre as citações da instituição na Lava Jato, Wellington disse que quem controla banco é o Banco Central.

    Garoto de 12 anos critica falta de transporte escolar (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

    TRANSPORTE ESCOLAR

    Repercutiu bastante nas redes sociais um vídeo de um menino reclamando da falta de transporte escolar no município de Inhuma. Na gravação, o garoto caminha para a escola debaixo de sol forte e critica o prefeito pelo descaso. Situação vergonhosa, mas que não é exclusividade de Inhuma. Em Bonfim do Piauí, na região de São Raimundo Nonato, o transporte do Governo do Estado não funcionou em 2019.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 12 de setembro de 2019, às 15:36h

    Wellington se esquisa de perguntas sobre banco (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O governador Wellington Dias (PT) respondeu nesta quinta-feira (12) às críticas da oposição sobre a escolha do banco Brasil Plural para empréstimos bilionários. Indagado sobre o fato do banco ter sido citado na Lava Jato e sobre as dúvidas em relação à sua capacidade financeira, o petista optou por se esquivar da responsabilidade de saber disso.

    Para Wellington, é o Banco Central do Brasil quem monitora a atividades dos bancos. Essa mesma resposta foi dada tanto para a pergunta sobre a capacidade financeira do banco, já que a oposição afirma que o patrimônio ativo da instituição não chega sequer a R$ 1 bilhão [o Piauí vai pedir mais de R$ 2,7 bilhões], e sobre a presença na Lava Jato.

    "Quem faz acompanhamento dos bancos é o Banco Central do Brasil", disse em resposta à primeira pergunta, sobre a capacidade financeira do Banco Brasil Plural.

    "Quem controla banco é o Banco Central do Brasil. Eu aqui cuido de investimentos para aquilo que precisa de infraestrutura e de equipamentos. É assim que eu vou trabalhar", falou respondendo a segunda pergunta, sobre as citações na Lava Jato.

    Em outras palavras, o governador demonstra que não quer saber muita coisa sobre o banco onde fará uma dívida tão grande para os piauienses pagarem. Ele só quer saber mesmo do dinheiro emprestado caindo na conta do governo. O resto é resto, inclusive as parcelas e os juros que cada cidadão do Piauí terá que pagar durante muitos anos.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quinta, 12 de setembro de 2019, às 7:37h

    Para alguns deputados, banco é desconhecido (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    Alguns deputados estaduais da base governista ouvidos ontem, quarta-feira (11), pelo Política Dinâmica, admitiram que nunca ouviram falar no banco Brasil Plural, onde o Governo do Piauí pretende pedir quase R$ 2 bilhões emprestados. Chama atenção o fato deles não saberem e ao mesmo tempo fazerem fervorosa defesa do empréstimo.

    Os deputados repetem o mesmo discurso que têm feito a cada pedido de empréstimo que o governador Wellington Dias manda para Assembleia. Dizem que vão votar a favor porque querem o bem do Piauí e que nenhum parlamentar estadual deve trabalhar contra o Estado. 

    É bom saber que eles querem o bem do Piauí, mas nem por isso precisam defender tudo que Wellington manda sem ao menos pesquisar o assunto. Entre os deputados da base governista é notória essa inversão de ordem das coisas. Antes mesmo de saberem do que trata uma determinada matéria, eles já defendem com unhas e dentes. 

    Dão entrevistas sem estarem minimamente informados, mas, acima de tudo, defendem “a importância daquilo que ainda não conhecem”. Primeiro, para mostrarem serviço ao chefe, fazem a defesa fervorosa diante de câmeras, gravadores e microfones. Apenas depois se debruçam sobre os detalhes da matéria que estão a defender.

    Gustavo Neiva questiona banco escolhido (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    NA LAVA JATO

    O deputado estadual Gustavo Neiva (PSB), líder da oposição, parece ter sido único que teve o trabalho de pesquisar um pouquinho sobre o tal banco. De cara, encontrou que ele está bichado na Lava Jato e que, ao contrário de todos os bancos do país, sofreu perdas financeiras nos últimos anos. Verificou ainda que o banco não possui nenhuma agência aberta ao público. Segundo ele, é um banco somente de escritório.

    NA LAVA JATO 2

    O doleiro Lúcio Funaro, delator da Lava Jato, mencionou em seus depoimentos o banco Brasil Plural. Gustavo Neiva quer saber como o governador Wellington Dias chegou à conclusão de que o ideal é pedir dinheiro ao emprestado ao Brasil Plural. "Como um banco que vive tendo prejuízos pode oferecer taxas de juros menores do que bancos oficiais, do que bancos maiores que possuem patrimônio muito maior?", questiona.

    A sede da APPM, na Zona Sul de Teresina (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    REFORMA NA APPM

    A sede da Associação Piauiense de Municípios (APPM) deverá passar por uma reforma em breve. O assunto foi discutido esta semana durante reunião do Conselho Diretor e Fiscal da entidade. Fundada em 1979 por Joaquim Mamede Lima, então prefeito de Campo Maior, a APPM já teve sede em outros três endereços na capital.

    REFORMA NA APPM 2

    Antes de passar a funcionar no prédio próprio na avenida Pedro Freitas, no Centro Administrativo, na Zona Sul, a APPM funcionou durante 10 anos na rua Paissandu, no Centro; oito anos na rua 24 de janeiro, também no Centro e quatro anos na avenida Frei Serafim. Desde 2001, a entidade funciona no atual prédio que será reformado.

    Elmano e Marcelo durante audiência com o ministro (Foto: Divulgação/Assessoria Marcelo)

    DUPLICAÇÃO DAS BRs

    Os senadores Marcelo Castro (MDB) e Elmano Férrer (Podemos) tiveram audiência ontem, quarta-feira (11), com o ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas. A pauta foi a ampliação da duplicação das saídas de Teresina. O objetivo é que as duplicações das BRs 343 e 316 sejam estendidas até as cidades de Altos e Demerval Lobão, respectivamente. A duplicação que está sendo feita pelo Governo do Piauí só deve se estender por oito quilômetros.

    DUPLICAÇÃO DAS BRs 2

    O senador Ciro Nogueira (Progressistas) não compareceu à audiência, mas justificou e foi representado pelos colegas. A reunião com Tarcísio Freitas foi considerada positiva pelo senador Marcelo Castro, o homem do asfalto. "Tivemos uma boa audiência com o ministro Tarcísio. A BR-343 vai ser licitada agora com o projeto para fazer a duplicação até Altos e a BR-316 para duplicar a rodovia até Demerval Lobão", informou Castro após a audiência.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 11 de setembro de 2019, às 16:48h

    Augusto Aras se reuniu com a bancada do PP (Foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil)

    Na busca para ser aprovado na sabatina do Senado, o indicado do presidente Jair Bolsonaro para o cargo de procurador-geral da República, Augusto Aras, jantou com a bancada do Progressistas na casa do senador piauiense Ciro Nogueira.

    A informação é da jornalista Bela Megale, do O Globo.

    Na publicação, a jornalista destaca que Ciro Nogueira é presidente nacional do Progressistas e lembra que o piauiense é um dos políticos mais enrolados na operação Lava Jato. O senador já foi alvo de buscas da Polícia Federal várias vezes.

    Enrolado na Lava Jato, Ciro recebeu futuro procurador-geral em jantar na sua casa em Brasília (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica)

    É o procurador-geral o responsável por apresentar denúncias contra os senadores. Para ser aprovado no cargo, Augusto Aras terá que passar pela sabatina no Senado e ter a aprovação de pelo menos 41 senadores, ou seja, pela maioria do Senado.

    A sabatina deve acontecer na semana do dia 22 deste mês.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 11 de setembro de 2019, às 15:22h

    Hélio fala sobre a estrada de Dom Inocêncio (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    O deputado estadual Hélio Isaías (Progressistas) afirmou nesta quarta-feira (11) ao Política Dinâmica que o asfaltamento da estrada para o município de Dom Inocêncio, a 615 km de Teresina, será concluído até o fim da primeira semana de outubro. Depois da conclusão, a expectativa é que o governador Wellington Dias (PT) viaje até a região para entregar a obra.

    "A empresa nos comunicou que até a primeira semana do outubro deve concluir os serviços e entregar a obra pronta", falou Hélio Isaías. O parlamentar foi o deputado estadual mais votado no município de Dom Inocêncio nas eleições de 2018, com 1.792 votos.

    SONHO ANTIGO E MUITAS PARALISAÇÕES

    O asfaltamento da estrada para Dom Inocêncio é prometido há duas décadas. Quase todos os anos, o município sofria com o isolamento nos períodos chuvosos, já que a cheia de riachos interrompia o tráfego. Depois de muitas promessas em gestões anteriores, a obra foi iniciada em 2011 pelo então governador Wilson Martins (PSB), que asfaltou um primeiro trecho.

    Ponte sem acessos virou manchete nacional em 2018 (Foto: Reprodução/TV Clube)

    Na terceira gestão de Wellington Dias (PT), a obra foi retomada e paralisada diversas vezes. Em 2018, a estrada foi destaque no Jornal Nacional, que mostrou uma ponte sem cabeceiras. Os moradores eram obrigados a escalar a estrutura inacabada do governo estadual para fazer a travessia durante a cheia de um riacho e poderem chegar à cidade de Dom Inocêncio.

    A última paralisação aconteceu poucos dias após Wellington ser reeleito governador em 2018, depois de dois meses de serviços no período eleitoral. No mês passado, a construtora responsável retomou a obra e, até que enfim, o asfaltamento da via deverá ser concluído. O trecho total da estrada é de 83 km, entre São Lourenço do Piauí e Dom Inocêncio.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados
  • quarta, 11 de setembro de 2019, às 7:48h

    No dia 15 de agosto, médicos cobraram salários e avisaram que poderiam parar

    A crise na saúde pública do Piauí ganhou mais um capítulo ontem, terça-feira (10). Um grupo de 10 médicos contratados da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Raimundo Nonato resolveu entregar as escalas médicas. Eles pararam as atividades por conta da falta de diálogo sobre os pagamentos atrasados de abril e maio.

    A UPA de São Raimundo Nonato recebe pacientes de pelo menos 15 municípios da região. A entrega das escalas médicas ocorreu por volta das 19h. Os profissionais alegam que o secretário estadual de Saúde, Florentino Neto (PT), prometeu solucionar a falta dos pagamentos e havia marcado uma reunião para a última segunda-feira (9).

    Apesar da promessa, Florentino não compareceu e nem deu solução para os atrasos. Por conta disso, os 10 médicos entregaram as escalas. No dia 15 de agosto, eles haviam enviado requerimento para a Secretaria de Saúde pedindo solução para os atrasos. No documento, avisaram que entregariam as escalas este mês se o impasse não fosse solucionado.

    Líder da oposição na Alepi relata mais atrasos (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    URUÇUÍ E FLORIANO

    Durante sessão ontem (10) na Assembleia Legislativa do Piauí, o deputado estadual Gustavo Neiva (PSB) disse ter recebido a informação de que médicos das cidades de Floriano e Uruçuí estão há cinco meses sem receber salários. Ainda conforme a fala do parlamentar, os profissionais vão iniciar uma paralisação para cobrar providências.

    OU FICA OU VAZA

    O vereador Luís André, presidente estadual do PSL, resolveu botar pressão para cima do vereador Ricardo Bandeira. Bandeira ainda não definiu se vai para a reeleição ou se coloca o filho, Sérgio Bandeira. O problema é que Sérgio não é do PSL e isso incomoda Luís André. Ele quer que Ricardo decida a questão logo, sob pena de expulsá-lo da sigla.

    Sérgio Bandeira fala em desespero de Luís André (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

    DESESPERADO

    Em resposta ao ultimato de Luís André, Sérgio Bandeira afirmou que entende o desespero do vereador, já que ele está tentando a duras penas montar a chapa proporcional do PSL. Bandeira diz que a decisão se ele ou o pai será o candidato é exclusivamente do grupo político deles e Luís André não deve se meter no assunto. Ele e o pai não têm pressa.

    ADIARAM O JULGAMENTO

    Estava previsto para acontecer ontem (10) no Tribunal Regional Eleitoral do Piauí e foi adiado o julgamento de um recurso do prefeito do município de Paes Landim, Gutemberg Araújo, o Gutim (PT). O gestor foi cassado em 2018 numa decisão de 1ª instância, acusado de compra de votos e abuso do poder político e econômico nas eleições de 2016.

    O prefeito Gutim Araújo (PT), do município de Paes Landim (Foto: Reprodução/Internet)

    PRIMO DO GOVERNADOR

    O prefeito Gutim Araújo é primo do governador Wellington Dias (PT), cuja família é natural do município de Paes Landim. A defesa de Gutim no TRE-PI é feita pelos advogados Willian Guimarães e Emmanuel Fonseca. Outra ré na mesma ação, a vereadora Taliane Moraes (PT), é defendida pelo ex-secretário de Justiça Daniel Oliveira.

    NA PRÓXIMA SEMANA

    Com o adiamento, o julgamento do recurso do primo do governador ficou para a próxima terça-feira (17). A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) foi movida pela coligação "A vitória que o povo quer", que ficou em segundo lugar nas eleições de 2016 em Paes Landim. O parecer da Procuradoria Eleitoral é pela cassação do prefeito Gutim Araújo.

    Flávio Nogueira com o prefeito Firmino Filho em Brasília (Foto: Divulgação/Assessoria Flávio)

    COM O PREFEITO

    O deputado federal Flávio Nogueira (PDT) recebeu na tarde de ontem, terça-feira (10), em seu gabinete em Brasília, a visita do prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB). Na capital do Piauí, o partido de Flávio faz parte da base aliada do tucano. Evandro Hidd, o único vereador do PDT em Teresina, é um dos principais membros da equipe do prefeito.

    • Casa do Carneiro - Rações e Derivados


voltar para 'Política Dinâmica'