NOTÍCIAS

BRIGA PELOS CARGOS DO PP

ALIADOS QUEREM MAIS ESPAÇO NO GOVERNO WELLINGTON DIAS APÓS SAÍDA DOS PROGRESSISTAS DA BASE

13/10/2021 12:10

Após o início da saída dos progressistas da base do governo Wellington Dias (PT) começou a disputas pelos cargos abertos nas secretarias estaduais. Há poucas semanas, o prefeito de Floriano, Joel Rodrigues (Progressistas), anunciou que deixou de apoiar o governador e ‘perdeu’ todos os cargos estaduais que indicava em sua cidade. Mais recente, a deputada progressista Margarete Coelho, também, anunciou a saída da sua irmã Sádia Castro do comando da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado (SEMAR).

Políticos do Progressistas estão deixando a base do governador Wellington Dias.

Além desses cargos, é aguardada a abertura de vagas na Secretaria Estadual de Mineração do Governo, até pouco tempo ocupada pelo deputado estadual Wilson Brandão (Progressista). O parlamentar se afastou do comando da pasta em setembro deste ano para concorrer à vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado e não voltou mais ao cargo, mesmo tendo perdido a disputa na Alepi. Ao que tudo indica, Brandão deve anunciar nos próximos dias a saída da base do governador ao qual não poupou críticas ao saber da interferência do chefe do executivo nas eleições para conselheiro do Tribunal, que para ele pode ter sido fator determinante para sua derrota na disputa pela vaga no TCE.

Outros cargos que poderão ter vacância no governo Wellington são os da Secretaria de Transportes que, atualmente, tem como secretário o deputado estadual Hélio Isaias (Progressistas). O parlamentar até chegou a sair em setembro do cargo para voltar à Alepi e participar da votação para escolha de conselheiro do TCE, porém, dias depois voltou ao comando da secretaria, negando qualquer desentendimento com o governador. Mas, a permanência dele na base ainda é uma incógnita, visto que se decidir ficar terá que abandonar o Progressista, principal partido de oposição ao governo do Piauí, e se filiar a outro sigla que comungue com os ideais da base governista. Nos bastidores, o que se comenta é que Hélio tem protelado o quanto pode essa decisão, a intenção seria conseguir realizar o máximo de obras em seus municípios através da Secretaria e fortalecer suas bases eleitorais para reeleição em 2022. Entretanto, com a aproximação do período eleitoral a vaga ocupada por ele deverá ser cobrada por outro parlamentar que já tem apoio definido ao projeto eleitoral do governo do Estado.

MDB, PSD E REPUBLICANOS QUEREM VAGAS

Com as lacunas de vagas abertas nas secretarias pelos políticos do Progressistas, outros partidos já aguardam a decisão do governador em repartir essa “fatias do bolo’ para as agremiações fieis a base. Mas, o chefe do executivo poderá usar esses cargos para atrair novos apoiadores ou mesmo acalmar os ânimos de partidos maiores que pensam em deixar a base e o projeto político do governo para eleições de 2022.

Dentre os partidos que quer furar a 'fila do bolo' está o Republicanos, comandando pelo deputado estadual Gessivaldo Isaias, que em entrevista à imprensa declarou que o partido pode reivindicar mais espaço no governo. Porém, com um colégio eleitoral ainda menor frente a outros que também desejam essas vagas, pode ficar difícil para o partido de um parlamentar só ganhar mais uma fatia do governo, visto que a sigla já comanda a Secretaria do Estado do Trabalho e Empreendedorismo (SETRE).

Líderes dos partidos da base querem vagas deixadas pelos Progressistas.

Com um rol de deputados na Alepi e sempre em busca de mais espaço no governo, o MDB deve também reivindicar as vagas deixadas pelos progressistas. Mas, ultimamente os líderes da sigla não tem procurado 'discussões' com o governador. Basta lembrar que nas eleições para escolha de conselheiro do TCE o deputado Zé Santana (MDB) retirou seu nome da disputa para apoiar a também candidata deputada Flora Isabel (PT) que contou com o apoio do governador e foi eleita conselheira. O que se comenta nos bastidores é que o partido tem seguido as riscas o que determina o executivo, para que não haja motivos para que o partido não fique sem a vaga de candidato a vice na chapa majoritária para disputa ao governo em 2022, a qual é pretendida pelo deputado Temístocles Filho (MDB).  

Por outro lado, o governador poderá usar essas vagas nas secretarias para acalmar os ânimos com o PSD, do deputado Federal Júlio César. O parlamentar já disse que vai disputar com o MDB a vaga de candidato a vice na chapa do governo nas eleições do próximo ano e para isso aposta no rol de prefeituras conquistados pelo partido nas eleições municipais de 2020. Em entrevistas recentes à imprensa, Júlio tem se mostrado descontente com o espaço que tem no governo Wellington e já admite conversas com a oposição liderada por Ciro Nogueira. Assim, para que não perca um importante aliado e consiga agradar tanto o MDB quanto o PSD, o governador pode usar esses espaços deixados para acalmar os ânimos do PSD que reclama tanto de espaço. 

Comente