Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
ORDEM DE SERVIÇO E NADA É QUASE A MESMA COISA

POLÍTICOS COSTUMAM FAZER EVENTOS FESTIVOS PARA ASSINATURA DE ORDENS DE SERVIÇO, MAS ESSE ATO BUROCRÁTICO NÃO QUER DIZER MUITA COISA

06/06/2019 19:20 - Atualizado em 06/06/2019 19:59

Wellington Dias, Wilson Martins, Dilma e Fernando Bezerra no dia em que ordem de serviço da adutora Padre Lira foi assinada (Foto: Moisés Saba)

No dia 18 de janeiro de 2013, a então presidente Dilma Rousseff (PT) veio ao Piauí. Na ocasião, ela esteve no município de São Julião, a 392 km de Teresina, e ali assinou algumas ordens de serviço. Entre as assinaturas estava a ordem para construção da adutora Padre Lira, que levará água da barragem Jenipapo até a cidade de Dom Inocêncio, um dos municípios mais castigados pela seca no semiárido do Piauí. Na época, o governador era Wilson Martins (PSB).

Foi uma alegria para o povo de Dom Inocêncio e o governo estadual fez muita propaganda. Eu ainda era estudante de jornalismo na Universidade Federal do Piauí (UFPI), estava no terceiro período do curso. Empolgado e ainda com um certo grau de ingenuidade com relação à coisa pública, escrevi um artigo sobre aquele fato. O texto foi publicado no espaço de opinião do jornal Meio Norte cerca de uma semana depois, em um dia de domingo.

No artigo, eu celebrava a ordem de serviço de uma obra muito sonhada pela população da minha terra e ainda destacava que o nome de Dom Inocêncio havia ganhado holofotes na imprensa. Num trecho, escrevi: "A maior autoridade da República não esteve em solo inocentino, mas deixou nele a alegria espalhada no rosto de cada sertanejo. A assinatura da ordem de serviço da adutora Padre Lira significou o início de um sonho dos moradores do ressequido município piauiense. Um sonho que agora começa a virar realidade".

Ledo engano. Passados mais de seis anos, a adutora nunca virou realidade. Até hoje, os moradores sonham com a conclusão da obra, que até foi iniciada, mas nunca chegou ao fim. O prazo inicial de conclusão era para 2014. Os recursos para a construção, superiores a R$ 16 milhões, são oriundos do Ministério da Integração Nacional, mas a execução da obra cabe ao governo do Estado do Piauí. O Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi) é o órgão responsável pelos serviços, responsabilidade que, na verdade, não existe.

Obra parou e foi esquecida no sertão (Foto: Gustavo Almeida/PoliticaDinamica.com)

Em 2016, já no Política Dinâmica, fiz matéria sobre o abandono da obra. Na época, o Ministério da Integração informou que os valores estavam sendo liberados conforme o andamento e que era preciso eu procurar o Governo do Piauí para saber porque a obra parou. O governo do Estado alegou, por sua vez, que as obras pararam porque a empresa responsável pelo fornecimento dos tubos tinha atrasado a entrega do material. Até hoje, a tão sonhada adutora segue sem conclusão. A Comunicação do governo de Wellington Dias (PT) já esteve por lá fazendo belas imagens para divulgar, mas a realidade não tem beleza.

Portanto, sempre que você ver ou ouvir propagandas de assinatura de ordem de serviço, desconfie, pois, elas não querem dizer muita coisa. Cito a adutora Padre Lira porque é da cidade onde cresci, mas poderia citar tantas outras. O Porto de Luís Correia um dia já teve sua ordem de serviço assinada, o Centro de Convenções de Teresina (que aos trancos e barrancos chega perto da conclusão) teve sua ordem de serviço. Riscar papel e aparecer na propaganda, todo político quer, mas ter responsabilidade com as obras, poucos têm.

No Piauí, se gasta absurdos com propaganda. Só isso já é, por si só, muito grave. Mas pior ainda é quando vemos que se propaga o que nem existe. O nosso povo leva "balão" quase todos os dias, mas antes de levar, a propaganda tem que rodar. É balão em dose dupla.

LEIA TAMBÉM:
Obras esquecidas nos confins do sertão

Comentários (3)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
    João Antônio de Sousa Filho em 08 de junho de 2019 às 12:06

    Bom dia. Sempre que posso leio as matérias aqui colocadas, hoje mais uma vez estou lendo esta matéria que trata de assinaturas de ordens de serviços. Tomei a liberdade de enviar esta mensagem porque exatamente concordo plenamente com que aqui foi colocado, sempre que via e vejo governos seja Federal, Estadual ou Municipal fazer um carnaval com assinatura de ordens de serviços me pergunto por que ali naquele momento não edito que aquela verba já está depositada e que se está depositada em conta aquele dinheiro não pode ser deslocado pra lugar nenhum. Assim vejo que ato de assinatura de ordens de serviços não passa de um ato de palhaço e gozação da cara de todos nós. Por isso concordo plenamente com o que foi colocado nesta matéria.continuarei a acompanhar o senhor neste espaço, precisamos muito destas informações e que as mesmas sejam colocadas para o conhecimento geral da população de esfolado e estrupando Estado. O meu e-mail é verdadeiro e pra maior transparência o número do meu telefone é: (86)994 609059 não coloco aqui o número do meu CPF , digo que o mesmo está em dias com a receita federal e que não me escondo nas sombras como este pedimos administradores Estadual que temos no Estado do Piauí. Gostei muito da matéria, parabéns. Bom dia.

    Pedro em 07 de junho de 2019 às 23:06

    Essa é a principal marca da Administração do excelentíssimo Governador que tem eleitores desinformados que o mantém no poder.

    Jose em 07 de junho de 2019 às 10:06

    Não sei que milagre essa nota foi publicada, pois nós sabemos que toda imprensa e comprada.

Notícias relacionadas
“NÃO ME ASSOCIO A QUADRILHAS”
“NÃO ME ASSOCIO A QUADRILHAS”
BANDIDAGEM E PISTOLAGEM
BANDIDAGEM E PISTOLAGEM
CIRO COMPARTILHA POSTAGEM DE BOLSONARO
CIRO COMPARTILHA POSTAGEM DE BOLSONARO
NÃO SE GANHA PERDENDO
NÃO SE GANHA PERDENDO