Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
DEPUTADO DIZ SER VÍTIMA DE ARBITRARIEDADE NO PDT

FLÁVIO NOGUEIRA CRITICA PARTIDO QUE LHE SUSPENDEU HÁ QUASE TRÊS MESES E FALA QUE A LEGENDA VIVE APEGADA AO TEMPO DE GETÚLIO VARGAS

15/10/2019 17:19 - Atualizado em 15/10/2019 17:45

Deputado piauiense critica postura do PDT (Foto: Divulgação/Assessoria Flávio Nogueira)

Durante a entrevista coletiva em que deputados do PDT e do PSB anunciaram que vão entrar com ações na Justiça para poderem deixar seus partidos após terem sido suspensos, o deputado federal Flávio Nogueira fez duras críticas ao PDT, partido que ele preside no Piauí.

Nogueira, um dos que vão à Justiça, condenou o fato da legenda querer impor a forma dos seus membros votarem. O político chamou de arbitrariedade a atitude da direção nacional do partido com relação a ele, que é presidente estadual do partido no Piauí há quase 20 anos.

"Quanto a mim que sou presidente do partido no Piauí, nem sequer tenho o direito mais de exercer essa função de presidente. Fui cassado. Cassado numa arbitrariedade e por isso agora nós recorremos ao Tribunal Superior Eleitoral", falou o parlamentar.

PDT VIVE A DÉCADA DE 40

Flávio Nogueira afirmou que o PDT ainda vive a realidade das décadas de 30 e 40. Segundo ele, leis daquela época eram inovadoras porque o país entrava na era da industrialização. No entanto, critica o fato do partido até hoje viver apoiado numa legislação do passado.

"O partido vive ainda a década de 30 e 40, do tempo de Getúlio Vargas, com leis que naquela época eram inovadoras. O Brasil saía de uma grande fazenda agrícola e entrava na era da industrialização. Por isso o Getúlio passou a formatar aquelas leis trabalhistas. O partido ainda vive apoiado nessas leis antigas, mas hoje tudo está moderno, a economia está moderna e precisamos de mais leis para flexibilizar a economia e empregar mais gente. Nós precisamos modernizar os partidos, principalmente os que se dizem trabalhistas", disse.

A deputada Tábata Amaral, de SP, também vai à Justiça (Foto: Assessoria Flávio Nogueira)

AÇÕES INDIVIDUAIS NA JUSTIÇA

Nesta terça-feira (15), sete deputados (quatro do PDT e três do PSB) anunciaram que vão ingressar no TSE para poderem deixar os partidos sem perderem os mandatos. Eles alegam perseguição das legendas após terem votado a favor da reforma da Previdência na Câmara.

As ações serão individuais, mas todas com um mesmo objetivo. Uma das alegações principais dos pedetistas é que o partido aplicou suspensão e, passados quase três meses, se nega a dar uma definição para cada um deles. Prejudicados, os deputados decidiram ir à Justiça.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
UM CASO INUSITADO NA POLÍTICA DO PIAUÍ
UM CASO INUSITADO NA POLÍTICA DO PIAUÍ
PROJETO GARANTE LIVRE LOCOMOÇÃO DE DEVEDORES
PROJETO GARANTE LIVRE LOCOMOÇÃO DE DEVEDORES
LUCY DIZ QUE GOVERNO POLITIZA SECRETARIAS
LUCY DIZ QUE GOVERNO POLITIZA SECRETARIAS
CONVITE POLICIAL
CONVITE POLICIAL