Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
TCU MANDA GOVERNO PUBLICAR NOMES DE TODOS QUE RECEBEM AUXÍLIO

DE ACORDO COM O MINISTÉRIO DA CIDADANIA, SÃO MAIS DE 50 MILHÕES DE BRASILEIROS BENEFICIADOS PELO AUXÍLIO CONHECIDO COMO CORONAVOUCHER

14/05/2020 09:52 - Atualizado em 14/05/2020 10:06

Governo Federal terá que divulgar todos os nomes (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O Tribunal de Contas da União (TCU) determinou na quarta-feira (13) que o Ministério da Cidadania divulgue a lista completa de quem recebe e quanto recebe do auxílio emergencial (o coronavoucher), pago durante a pandemia da covid-19. A medida foi proposta pela ministra Ana Arraes e aceita por unanimidade.

Os dados devem ser inseridos no Portal da Transparência do governo federal em até 15 dias depois de cada pagamento. A decisão foi tomada durante a votação da medida cautelar proposta pelo ministro Bruno Dantas, que obrigava à interrupção do pagamento indevido do benefício a militares. No dia anterior, o Ministério da Defesa reconheceu que 73.242 militares estão cadastrados para receber o benefício.

O auxílio de R$ 600 mensais é reservado a trabalhadores informais e pessoas de baixa renda, economicamente mais vulneráveis aos efeitos da pandemia do novo coronavírus. O valor pode chegar a R$ 1.200 em casos como o de mães solteiras.

O Ministério da Cidadania coordena os pagamentos, feitos pela Caixa Econômica Federal.

No acórdão, o TCU determina que a pasta “adote providências para, no prazo de 15 dias após cada pagamento, incluir no Portal da Transparência as informações referentes a todos os cidadãos contemplados com o auxílio, discriminando a informação por município”.

De acordo com a Caixa, 50 milhões de pessoas já receberam o coronavoucher. Foram liberados R$ 35,5 bilhões.

Fonte: Poder 360

Notícias relacionadas
ANDRADE GUTIERREZ SUSPENDE OBRA NO PIAUÍ
ANDRADE GUTIERREZ SUSPENDE OBRA NO PIAUÍ
NÃO COLOU
NÃO COLOU
EMPRESÁRIOS FAZEM MANIFESTAÇÃO PELA REABERTURA DO COMÉRCIO
EMPRESÁRIOS FAZEM MANIFESTAÇÃO PELA REABERTURA DO COMÉRCIO
"LIBERDADE DE IMPRENSA NÃO É CONSTRUÍDA POR ROBÔS"