NOTÍCIAS

PP SEM PUNIÇÃO AOS INFIÉIS

PROGRESSISTAS DO PIAUÍ NÃO PREVÊ PUNIÇÃO PARA OS ‘TRAÍDORES’ DA SIGLA QUE PASSARAM A MILITAR NA PRÉ-CAMPANHA DO PT NO ESTADO

18/07/2022 14:21

Longe do que fazia o Governo de Stálin na antiga União Soviética, que tinha como plano político a perseguição a seus opositores e traidores, cobrando um alto preço aos infiéis até mesmo com suas vidas, as brigas políticas e traições tem se tornado naturais e cada vez mais comuns no Piauí.  

Com a infidelidade em alta no Piauí, os vereadores Neto do Angelin e Valdemar Virgino, ambos do Partido Progressistas, não deverão sofrer nenhuma represália por declararem voto a favor da pré-campanha de Rafael Fonteles (PT) para o governo e Wellington Dias (PT) para o senado.  

Vereadores progressistas dizem que partido fechou as portas pra eles e, em represália, migraram para oposição com o PT (foto: ascom)

Os Progressistas formam chapa para o Governo do Estado, tendo como pré-candidatos Sílvio Mendes (União Brasil) ao governo e Iracema Portella (PP) para vaga de vice. A liderança dessa chapa é feita pelo ministro-Chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP).  

Além dos vereadores da capital, a base do pré-candidato ao governo Rafael Fonteles (PT) acredita ainda que pelo menos 10 prefeitos filiados ao Progressistas pelo interior do Piauí vão anunciar adesão à chapa petista. Os prefeitos citados são os das cidades de Cocal de Telha, Riacho Frio, Simões, Sigefredo Pacheco, Currais, Madeiro, São Jose do Peixe, São Raimundo Nonato, Palmeira do Piauí e São Gonçalo.  

INFIÉIS, MAS CONVIVENDO NA MESMA CASA 

Sobre a punição aos infiéis, no caso dos já declarados vereadores da capital, o Política Dinâmica conversou com o presidente estadual do Progressistas, deputado Júlio Arcoverde, e com o presidente municipal do PP, vereador Aluísio Sampaio, mas ambos não foram objetivos sobre a punição aos “traidores” e mais uma vez “passaram o pano”.  

Presidente estadual do PP, Júlio Arcoverde, disse que decisão de punir infieis é do diretório municipal (foto: Jailson Soares / PD)

“Esse caso não é o diretório estadual que vai tratar. Como foi em Teresina, é coisa de vereador para vereador. O presidente municipal, Aluísio Sampaio, é quem vai trata disso com eles, futuramente”, desconversou Júlio Arcoverde.  

Já o presidente municipal do PP em Teresina, Aluísio Sampaio, discordou do presidente estadual e revelou que a cúpula do partido é quem vai decidir sobre essa questão dos infieis no PP. “Não é questão de punir, a cúpula do partido vai se reunir e vamos tratar deste assunto. A orientação é que o diretório estadual iria expedir uma carta de recomendação a todos mandatários do partido para que sigam as coligações que o partido apoia. Temos que ser coesos”, disse Aluísio.  

Para Aluísio, até as convenções partidárias que devem ocorrer no fim deste mês de julho, os membros do partido têm que ter um direcionamento único. “Se não haver entendimento nas convenções, a falta de unidade pode gerar até por parte deles uma falta de sentido estar juntos com o Progressistas”, explicou. 

Vereador Aluísio Sampaio disse que punição será da cúpula estadual do partido (foto: Jailson Soares/ PD)

O vereador Neto do Angelin (PP) disse em entrevista à imprensa que estaria saindo do PP porque o partido estaria de “portas fechadas” pra ele. “Eu discordo, porque aqui nem porta temos, estamos sempre abertos para todos. O vereador Neto tem livre acesso e sempre me coloquei a disposição, no mesmo nível, de vereador para vereador. Por exemplo, têm verbas de uma emenda do ano passado do senador Ciro Nogueira para asfalto em Teresina, e os vereadores do partido puderam indicar. A divisão foi feita igualitariamente, sem distinções. Então, não há discriminação ou qualquer outra desculpa para deixarem o partido”, reforçou Sampaio.  (Veja matéria!)

Questionado, mais uma vez, sobre qual será a punição aos infiéis. O vereador voltou a confirmar que ainda não há uma decisão pela cúpula do partido.    

Comente