PESSOA PODE QUEBAR ACORDO

AÇÕES DE DOUTOR PESSOA DIFICULTAM PLANOS DE THEMÍSTOCLES PARA CHEGAR A DISPUTA DA VICE-GOVERNADORIA EM 2022

Redação Redação
16/07/2021 11:46 - Atualizado em 16/07/2021 13:12

Que o diretório do MDB no Piauí sempre teve problemas e desavenças internas para se unir em torno de um objetivo em comum isso ninguém pode negar, foi assim no último pleito de 2018 quando o agora senador Marcelo Castro (MDB) e o deputado Thémistocles Sampaio (MDB) não se acertavam do espaço que queriam na chapa de reeleição de Wellington Dias (PT), se o senado, a vice ou os dois. Dessa vez, o que não se esperava era um desentendimento tão precoce novamente envolvendo o deputado Themístocles, mas agora com o “não grato” prefeito eleito de Teresina, Doutor Pessoa (MDB).

Doutor Pessoa e Themístocles Filho

Nessa última semana, que completa 200 dias da administração de “Pessoa” a frente da Prefeitura de Teresina o gestor da capital se sentiu incomodado com as cobranças feitas pelo aliado Themístocles Sampaio que relembrou ao prefeito da capital o acordo firmado em 2020 para fazê-lo Prefeito da capital. Em entrevista à imprensa o deputado, que é também presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, relembrou ao Prefeito que conta com o apoio dele para eleições de 2022, quando o parlamentar deve se arriscar em deixar a Alepi para concorrer a vice-governadoria na chapa majoritária ao governo do Piauí encabeçada por Rafael Fonteles (PT), com o apoio do atual governador Wellington Dias (PT).   

Sobre as cobranças de Themístocles, Doutor Pessoa disse, visivelmente chateado, que o deputado deveria deixar de “lenga lenga” deixando ainda a entender que já não deve mais nada para o parlamentar.

A CONTA ESTÁ CHEGANDO

Apesar de Pessoa achar que já não tem mais dívidas com Themístocles, a conta por ter contado com o imprescindível apoio do líder emedebista nas eleições da capital será cobrada pra valer em 2022. Ano que o deputado precisa não só da força da presidência da Alepi, mas também da segunda maior máquina política do Estado [Prefeitura de Teresina], que só perde para o Governo do Estado, para se viabilizar à candidatura de vice na chapa majoritária do PT.

Em 2018, Themístocles esperava ser o candidato à vice na Chapa de Wellington, mas foi desprezado pelo Governador, que escolheu Regina Sousa.

Com esse legado político, de apoio de prefeituras de cidades importantes no Norte do Piauí [ em Esperantina (PI) Themístocles tem apoio da prefeita que é sua esposa], com a presidência da Alepi e ainda com o apoio da Prefeitura de Teresina ficará difícil do deputado ser “jogado para escanteio” mais uma vez na disputa pela vaga de vice, como ocorreu nas eleições de 2018. Na época, aos “45 do 2º tempo” Wellington Dias (PT) numa manobra política conseguiu tirar a raposa do MDB da sua chapa na disputa ao governo do Estado, se dando ao luxo de uma chapa pura petista, tendo como candidata a vice, a escudeira fiel Regina Sousa (PT).

A DESCONFIANÇA EM PESSOA

Apesar de não está sendo tão bem reconhecido pelo gestor da capital, o presidente da Alepi tem seus méritos na conquista do MDB a Prefeitura. Vale lembrar que a campanha contra hegemônica gestão do PSDB que perdurou por quase 30 anos a frente da Prefeitura de Teresina, começou ainda em março de 2019, quando Themítocles chamou os órgãos de imprensa para dizer que os pré-candidatos à Prefeitura de Teresina seriam os antagônicos Doutor Pessoa (MDB) e Robert Rios (PSB). Aposta arriscada visto que eram dois políticos sem mandatos eletivos, derrotados nas últimas eleições e vistos com desconfiança pelos próprios partidos na época.

Doutor Pessoa e Robert Rios na campanha de 2020.

Mesmo assim, dadas as mãos, Themístocles ladeado pelos novos pré-candidatos enfrentou a desconfiança dentro do próprio partido e conseguiu emplacar a campanha iniciativa previamente contra a hegemonia tucana vindo a derrotar o candidato do prefeito Firmino Filho nas últimas eleições. Vale lembrar ainda que a vitória tem ainda um gosto de vingança, visto que nas eleições de 2016, o presidente da Alepi apoiou a reeleição de Firmino para Prefeitura de Teresina tendo até indicado como vice o ex-reitor da UFPI Luís Junior (MDB), aliado de Themítocles. (abaixo vídeo na campanha de 2016)

Na época, além da vice, o presidente da Alepi ganhou outros espaços na gestão de Firmino tendo indicado o delegado James Guerra e o familiar Ricardo do Rêgo Monteiro, esse último ocupou a SDR do município. Porém, Firmino Filho se sentiu incomodado com a ausência de eficiência na Secretaria de Desenvolvimento Rural e teceu críticas ao próprio secretário. Logo após, Firmino se sentiu traído por Themístocles que não vetou a reeleição de Jeová Alencar para presidência da Câmara, que estava de saída do PSDB para o MDB. Depois dessa confusão, Firmino e Themístocles romperam politicamente e as indicações do deputado foram exonerados, com exceção do vice que não poderia sair do seu cargo.

A HISTÓRIA SE REPETE

Se naquela época, Firmino se sentiu incomodado com a atuação do Ricardo Monteiro, indicado de Themístocles para SDR, além da presença constante do parlamentar na Secretaria municipal. Desta vez, a desavença com o atual prefeito da capital, Doutor Pessoa, também começou após o gestor visitar comunidades rurais e reclamar de buracos, cobrando solução por parte do secretário da SDR, que é novamente Ricardo Monteiro por indicação do presidente da Alepi.

Na época, o deputado chegou a pedir desculpas à população de Teresina e chamou Firmino Filho de Traídor. “Essa ação do tucano mostrou que ele desejava apenas o apoio do PMDB. Porém, não tem respeito a legenda peemedebista. “Eu peço desculpas ao povo de Teresina, do Piauí, porque essa não é atitude de um gestor e muito menos de alguém que quer se candidatar ao governo do Estado”, disse Themístocles em 2017.

Ricardo na posse como secretário da SDR na gestão do Firmino / Ricardo e esposa Larissa com doutor Pessoa.

Agora em 2021, após a desavença com Dr. Pessoa, o presidente da Alepi voltou a pedir desculpas. “"Quero pedir desculpas ao povo de Teresina e Piauí. Esse assunto será tratado em 2022. Não tem 10 dias que estive com Doutor Pessoa e nem tratei de política. A única coisa que falei foi na imprensa que o Themístocles e o Jeová ajudaram o Pessoa. Se há um deputado que vai ficar quatro anos sem incomodar [o Pessoa] é o Themístocles. Isso vai ser resolvido em 2022. Meu amigo Doutor Pessoa eu lhe ajudei na campanha. Teresina sabe. Só tenho um jeito de dizer que não o apoiei, é voltar no tempo em 2020", disse o deputado em entrevista nessa quinta-feira (15/07) à TV Cidade Verde.

Nos bastidores o que se comenta é que Themístocles precisa estar dentro da Prefeitura para garantir que terá o poder político do município para emplacar sua candidatura Vice, visto que a hegemonia dentro da Assembleia pode estar prestes a ruir, já que com a perpetuação com mais de 16 anos na presidência daquela Casa não é tida com bons olhos por nenhum outro partido para próxima disputa à presidência, além dos tribunais de Contas e de Justiça no Estado estarem de olho nessa perpetuação de poder já desmoronada em outros Estado com intermédio do judiciário.

Outro receio do parlamentar é que Pessoa possa sair do MDB e vislumbrar uma sonhada candidatura ao Governo do Estado e por ainda mais terra nos planos do presidente da Alepi na busca pela candidatura a vaga de vice em 2022.

O QUE PENSA O MDB NA CAPITAL

Com três vereadores eleitos em Teresina, sendo um deles o presidente da Câmara Jeová Alencar, os emedebistas acreditam que o desentendimento político entre Doutor Pessoa e Themítocles deverá ser resolvido no diálogo. Por outro lado, caso as coisas piorem, os parlamentares devem seguir pro “lado mais pesado da balança” que é o do deputado, podendo deixar isolado politicamente o prefeito, que já é visto com desconfiança pelos outros políticos na hora de cumprir acordos. Vale lembrar, que tão logo usou o MDB para se eleger prefeito da capital e todos seus caciques políticos do Estado, o Prefeito visitou o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) e disse que poderia deixar o MDB para seguir o presidente, caso ele fosse à algum partido.

VEREADOR ZÉ NITO (MDB)

 O vereador Zé Nito (MDB), que ocupa o cargo de Superintendente da SAAD Sudeste na Prefeitura [indicado por Themístocles], disse ser amigo e aliado fiel ao deputado. “Sigo ele politicamente há 30 anos e estarei onde ele estiver. Eu ainda não conversei com os dois, mas acredito que isso deve se resolver logo logo. O MDB tem orgulho de ter a presidência da ALepi e agora a Prefeitura de Teresina, não é o momento para desentendimentos. Temos uma eleição pela frente em 2022 e a bancada na Câmara e a Prefeitura deve estar marchando juntos em favor da cidade e do Estado, sem se preocupar em interesses pessoais”, disse Zé Nito.

Vereador Luiz Lobão

O vereador Luiz Lobão (MDB) foi também enfático em dizer que não há motivos para descontentamento de nenhuma das partes. “O Pessoa já tem a Prefeitura e o Themístocles foi bastante contemplado com a indicação de secretarias, o que podem querer mais”, destaca.

Para o parlamentar, o pequeno desentendimento é normal e não deve ganhar repercussão maior. “O Themístocles é muito hábil e sabe que foi muito bem contemplado, não há motivos para chateações”.

Comente!

ANTERIOR

PTB NA PREFEITURA E FORA DO GOVERNO

PRÓXIMA

PRESIDENTE QUER 'APURAÇÃO ABERTA'