NOTÍCIAS

LIRA FICA NA CÂMARA

SUPLENTE DEVE JUDICIALIZAR BRIGA POR CADEIRA NA CÂMARA, MAS ENQUANTO ISSO ANTÔNIO JOSÉ LIRA DEVE 'CURTIR' O CARGO DE VEREADOR DE TERESINA

23/06/2022 11:08

O suplente de vereador de Teresina Júnior Macedo (PSD) deverá mesmo ficar sem sua vaga na Câmara. Na última segunda-feira (20/06) o suplente protocolou um pedido na casa legislativa para que tomasse posse da vaga de vereador que atualmente está ocupada pelo, também, suplente Antônio José Lira (Republicanos).

Suplentes, Zé Lira e Júnior Macedo, disputam por vaga de vereador na Câmara de Teresina (foto: Jailson Soares / PD)

Todo esse imbróglio começou com a saída do vereador Renato Berger (PSD) no início do mês de maio deste ano. Na ocasião, Renato se afastou do mandato de vereador para assumir a função de Secretário Municipal de Esporte e Lazer (Semel). A saída dele abriu vaga para os suplentes na Câmara.

Pela ordem da suplência, o suplente Eduardo Draga Alana (PSD) assumiria o cargo, porém, ele foi deslocado pela Prefeitura de Teresina para o comando da Secretaria Municipal da Juventude. A Câmara convocou então a 2º suplente, Cida Santiago (PSD), porém, Cida já comanda a Coordenadora Estadual de Enfrentamento às Drogas do Governo do Estado do Piauí, e preferiu ficar na coordenadoria. Foi então chamado o 3º suplente Júnior Macedo, porém, na época ele assinou uma carta dizendo estar impossibilitado de assumir o cargo e autorizando o chamamento do suplente seguinte, no caso o suplente Antônio José Lira.


É com base neste documento que o presidente da Câmara, Jeová Alencar (Republicanos), afirmou que a saída de Antônio José Lira (Republicanos) é inviável. “Sabemos que no documento ele [Júnior Macedo] não fala em renúncia. Mas, estamos fazendo cumprir o artigo 41, parágrafo 2, da Lei Orgânica da Câmara, que diz que no caso de vacância do cargo de um vereador deve-se chamar o suplente, caso esse desista deve-se chamar o subsequente. Foi assim que ocorreu, o Berger saiu e chamamos o Draga Alana. Ele não pode, chamamos a Cida, que também não quis. Chamamos o Júnior, que assinou a carta desistindo, e então chamamos o Zé Lira. Segundo a nossa assessoria jurídica, o Júnior não pode mais retornar à vaga neste caso, neste fato que culminou desde a saída do Berger. Teria que ser um fato novo”, explicou Jeová Alencar.

Trecho da Lei Orgânica da Câmara que Jeová Alencar citou na entrevista (foto: divulgação)

"AGORA PRONTO"
No início da semana, o suplente Júnior Morais chegou a polemizar o assunto dizendo que sabia da relação próxima entre o presidente Jeová Alencar e o vereador Antônio José Lira, mas que a Câmara não poderia ser usada para acomodação de aliados políticos. (Veja matéria: CASA LEGISLATIVA DE COMPADRES)

Jeová Alencar já confirmou para imprensa que o suplente Júnior Macedo não vai assumir; "agora não" (foto: Jailson Soares/ PD)

Morais também, reclamou sobre a demora na resposta sobre seu requerimento protocolado na Câmara que pede sua posse na Câmara. “O Antônio José Lira tomou posse em duas horas. Já nós protocolamos um pedido, já se passaram quase 72 horas e ainda não obtivemos resposta. Fomos a procuradoria, à presidência e agora, soubemos que o nosso pedido está na diretoria legislativa. Porém, ainda não tivemos respostas”, reclamou Júnior Morais.

Ainda segundo o suplente, caso haja a negativa para o pedido apresentado, ele irá entrar com ação judicial contra a Câmara de Vereadores de Teresina.

Comente