Coluna Lídia Brito Política Dinâmica
CHAPA PROPORCIONAL
“TODOS TERÃO QUE CEDER, NÃO SÓ O PT”, DIZ DUDU

VEREADOR FALA SOBRE A DISPUTA DENTRE DA BASE ALIADA DE WELLINGTON DIAS E DIZ QUE TODOS TERÃO QUE ABRIR MÃO DE ALGO

24/01/2018 12:44

O vereador Dudu (PT) falou sobre a polêmica na base aliada com relação a construção das chapas proporcionais. Enquanto lideranças do PT, como o presidente estadual Assis Carvalho e o deputado João de Deus, são contra a formação das chamadas “chapinhas”, aliados como o deputado Evaldo Gomes (PTC) busca o apoio do governador Wellington Dias para sair com as coligações menores.

As diferentes opiniões se transformaram em trocas de farpas públicas e criaram um mal-estar na base, ameaçando a estabilidade. Para Dudu, o mais importante é a reeleição de Wellington. Segundo ele, em nome desse objetivo maior, o PT e todos os partidos da base devem ceder em algum ponto.

Vereador Dudu afirma que disputas na base não podem prejudicar Wellington (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

“Nenhum partido vai abrir mão para perder. O que nós temos que entender é o que é ganhar e o que é perder. O que é ganhar para o PT? É perder o governo e ganhar na bancada? O que é ganhar para os partidos aliados? É ganhar na Assembleia e perder o governo. O que temos que ter entendimento é que quando se sentar para discutir, todos têm que abrir mão de algo. Todos, sem exceção terão que ceder. O PT, o MDB, o PTC, o PDT, todos esses partidos que querem continuar trabalhando para o Piauí. Temos que pensar no estado, não no partido. Alguém vai ter que ceder, ou todos, para que possamos chegar tranquilos em 2018. Dialogando com o povo do Piauí”, disse.

Para Dudu, o importante é evitar que as disputas entre os partidos da base possam provocar um rachar e prejudicar Wellington. Ele afirma que o Partido dos Trabalhadores quer espaço maior na Assembleia Legislativa, mas não irá impedir o projeto de crescimento dos demais.

Sem querer polemizar com os demais partidos, Dudu evitou defender abertamente um posicionamento com relação ao “chapão”. Ele deve ser candidato a uma vaga na Câmara Federal.

“O que está em jogo são projetos maiores. Não podemos querer eleger o governador sem deputados. E também não queremos eleger deputados sem governador. Tudo isso vai ser pesado e medido e precisamos fazer uma discussão ampla, pé no chão. Existe o real, ideal e o possível. Temos que trabalhar com o real e o possível. Discutir com todos na mesa e saber quem é quem. De forma que quando se terminar essa discussão todos possam ter o pensamento único de trabalhar e continuar com esse rumo do desenvolvimento dado por Wellington Dias. Esse tem que ser o objetivo maior. Com certeza dentro do partido iremos chegar a um bom termo com todos os demais. O PT não vai impedir o crescimento de nenhum partido que queira crescer conosco e ajudar esse projeto de Estado e de Brasil”, afirmou.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
ELEIÇÕES 2018
WELLINGTON ACEITA SUGESTÃO DE CIRO DE FAZER PESQUISA PARA DEFINIR VICE
WELLINGTON ACEITA SUGESTÃO DE CIRO DE FAZER PESQUISA PARA DEFINIR VICE
VIAGEM
GOVERNO TEM PRESSA NA FORMAÇÃO DAS COMISSÕES
GOVERNO TEM PRESSA NA FORMAÇÃO DAS COMISSÕES
ELEIÇÕES 2018
“MAIORES PARTIDOS DEVEM FICAR COM AS VAGAS MAJORITÁRIAS”, DIZ MARCELO CASTRO
“MAIORES PARTIDOS DEVEM FICAR COM AS VAGAS MAJORITÁRIAS”, DIZ MARCELO CASTRO
DISPUTA
“É CHOVER NO MOLHADO”, DIZ FIRMINO SOBRE DECLARAÇÕES DE JEOVÁ
“É CHOVER NO MOLHADO”, DIZ FIRMINO SOBRE DECLARAÇÕES DE JEOVÁ