Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
Renata Gil vence eleição e será a primeira mulher a assumir presidência da AMB

PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO RIO DE JANEIRO OBTEVE 6.584 VOTOS, O QUE CORRESPONDEU A 79,32%

14/11/2019 06:31

A presidente da Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro (Amaerj), Renata Gil, candidata pela chapa 2 “AMB + Forte, Uma só Magistratura”, venceu o pleito promovido pela AMB para escolha dos novos integrantes dos Conselhos Executivo e Fiscal. Primeira mulher a ocupar o cargo desde a criação da Associação, há 70 anos, a magistrada foi eleita com um total de 6.584 votos (79,32%).

A chapa 1 “Magistratura Independente”, liderada pelo juiz Luiz Gomes da Rocha Neto, ficou em segundo lugar com 951 votos. A chapa 3 – “Unidade (da carreira) e (é) Independência (da Magistratura)” -, encabeçada pelo presidente da Associação dos Magistrados Trabalhistas da 12ª Região (Amatra 12), José Carlos Külzer, ficou em terceiro lugar com 765 votos.

Com a vitória da juíza Renata Gil, o presidente Jayme de Oliveira conseguiu fazer o seu sucessor, resultado da sua liderança à frente da entidade e de seu empenho nas atividades associativas. O fato não ocorria desde 2010. Renata Gil fez parte da diretoria da AMB até 3 de setembro, como vice-presidente Institucional, quando teve que se licenciar para concorrer ao cargo, conforme estabelece o Estatuto da entidade.

“Muito obrigada a todos os magistrados que apoiaram o nosso projeto de unidade nacional. A vitória confirma o anseio da Magistratura em trabalhar unida pela defesa da classe. É com enorme orgulho e satisfação que representarei a Magistratura brasileira neste próximo triênio. Magistratura firme, dedicada, independente e, sobretudo, competente”, disse a magistrada após o anúncio do resultado. Ela destacou que a chapa vencedora conta com dirigentes de todos os estados e do Distrito Federal. “Agora, mais do que nunca, é hora de nos irmanarmos em torno da classe. Magistrados unidos, Judiciário forte. Muito obrigada, contem comigo”, acrescentou.

Em entrevista ao AMB Informa 186, a magistrada afirmou que sua principal bandeira de gestão será o fortalecimento da Magistratura. “A carreira é vitalícia, o que impõe tratamento igual a aposentados e ativos. Atuarei pela independência do Judiciário, pela autonomia dos tribunais e por condições de trabalho na primeira instância, que atende às metas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e dos tribunais sem meios suficientes para tanto”.

CURRÍCULO
Juíza titular da 40ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), nascida no Rio de Janeiro (RJ), formou-se em Direito na Universidade Estadual do Rio de Janeiro, em 1994. Ingressou na Magistratura fluminense em janeiro de 1998, por concurso de provas e títulos, e atuou nas comarcas de Macabu, Silva Jardim, Rio Bonito e Rio de Janeiro.

Na Amaerj, tornou-se a primeira mulher a assumir a presidência em 2016-2017, sendo reeleita para o biênio 2018-2019. Na AMB, foi também vice-presidente de Direitos Humanos no triênio 2011-2013.

Atuou como coordenadora adjunta da pesquisa “Quem somos. A Magistratura que queremos” realizada em conjunto pela AMB e Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Integra grupo de trabalho, criado pela Presidência do CNJ, para tratar sobre o cumprimento da Resolução CNJ 255/2018, que institui a política nacional de incentivo a participação institucional feminina no Poder Judiciário.


FONTE: Com informações da AMB

Notícias relacionadas
OAB aciona CNJ para retomada facultativa das audiências de instrução
OAB aciona CNJ para retomada facultativa das audiências de instrução
Justiça nega pedido para abertura de academias, barbearias e salões
Justiça nega pedido para abertura de academias, barbearias e salões
Município não é obrigado a criar cargos de advocacia pública; entenda
Município não é obrigado a criar cargos de advocacia pública; entenda
MPPI cobra assistência aos venezuelanos que moram em Teresina
MPPI cobra assistência aos venezuelanos que moram em Teresina