Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
Presidente do TJ-PI suspende pagamentos de precatórios pelo Estado até junho

DECISÃO PODE RESULTAR EM ECONOMIA DE ATÉ R$ 600 MILHÕES PARA O EXECUTIVO ESTADUAL E CONSIDERA A ATUAL PANDEMIA

06/05/2020 11:43 - Atualizado em 06/05/2020 11:53

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI), desembargador Sebastião Ribeiro Martins, determinou, em resposta a procedimento administrativo movido pelo Governo do Estado, a alteração do cronograma de pagamentos de precatórios devidos pelo Executivo estadual, suspendendo tais pagamentos referentes ao período entre janeiro e junho de 2020. Estima-se que a decisão leve uma economia de até R$60 milhões para os cofres estaduais. Além disso, a decisão também possibilita que o Estado mantenha Certidão Negativa. A decisão levou em consideração o entendimento de Conselho formado pelo TJ-PI, pelo Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região (TRT-22) e pelo Tribunal Regional Federal da 1.ª Região (TRF-1).

De acordo com o desembargador Sebastião Ribeiro Martins, a atual situação que o Estado passa em relação ao enfrentamento à Covid-19 não pode ser ignorada e demanda uma revisão do plano de pagamento homologado anteriormente. “É inegável a situação excepcional que todos estão enfrentando com a pandemia decorrente da Covid-19 e o esforço que os entes públicos estão fazendo para manter seus serviços básicos em funcionamento”, diz o presidente do TJ-PI em sua decisão.

Ainda segundo com o documento, é necessário que “se permita que os recursos públicos sejam destinados ao combate” da doença do novo coronavírus — mas “sem descurar, no entanto, da viabilidade do cumprimento da obrigação constitucional para com o pagamento de precatórios”. Em sua decisão, o presidente cita decisões similares tomadas pelos Tribunais de Justiça do Rio Grande do Norte e de São Paulo, que também autorizaram a suspensão dos pagamentos de precatórios pelo governo dos seus respectivos estados pelo mesmo prazo de seis meses.

Contudo, o Estado do Piauí permanece com “a obrigação do repasse anual de R$122.174.238,70” para o TJ-PI, “que serão divididos pelos seis meses restantes”. Ademais, a atual decisão não suspende o pagamento aos atuais credores dos precatórios do TJ-PI.

PRECATÓRIOS
Precatórios são dívidas de entes públicos junto a pessoas físicas e jurídicas, reconhecidas pelo Judiciário. Pelo cronograma em vigor até então, o desembolso mensal do Governo do Estado destinado ao pagamento dos precatórios administrados pelo TJ-PI era de R$ 10,1 milhões.

VEJA A DECISAO NA INTEGRA.pdf

FONTE: Com informações da Assessoria

Notícias relacionadas
Advogado fala sobre violência contra a mulher e assédio sexual em escolas
Advogado fala sobre violência contra a mulher e assédio sexual em escolas
Justiça determina abastecimento da Farmácia do Povo com insulina
Justiça determina abastecimento da Farmácia do Povo com insulina
TJ-PI suspende validade dos concursos para magistrados e servidores
TJ-PI suspende validade dos concursos para magistrados e servidores
TSE pode propor adiar eleições para novembro, mas sem prorrogar mandatos
TSE pode propor adiar eleições para novembro, mas sem prorrogar mandatos