Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
Advogada piauiense Noélia Sampaio tomará posse na nova diretoria da ABRAT

Com atuação de destaque no Direito do Trabalho, a advogada estará liderando a Comissão Feminista da associação na gestão 2020/2022

13/10/2020 12:59 - Atualizado em 13/10/2020 23:31

A advogada piauiense Noélia Sampaio tomará posse nesta terça-feira (13/10) na nova direção da  ABRAT (Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas). A eleição ocorreu na noite do dia último dia 08/10, em reunião eleitoral do Conselho de Representantes da entidade, pela primeira vez, de forma virtual.

À frente da gestão (2020/2022) estarão os advogados Otavio Pinto e Silva (SP) e Elise Correia (DF),  como Presidente e vice-presidente, respectivamente. A advogada Noélia Sampaio (PI) estará liderando a Comissão Feminista. Outro advogado piauiense, Téssio Tôrres, que é presidente da AATEPI, fará parte da Diretoria Executiva da ABRAT na próxima gestão.

"O programa desta gestão está embasado em treze pontos fundamentais, que podemos citar resumidamente:  1. A Defesa intransigente dos direitos sociais, 2. Prerrogativas da Advocacia Trabalhista, 3. Equidade de gênero, 4. Diversidade regional, 5. Relações Institucionais, 6. Relações Internacionais, 7. Acompanhamento de decisões legislativas, 8. Comissões Especializadas, 9. Temas estratégicos, 10. Escola da ABRAT, 11. pje, 12.   Associativismo regional e 13. O CONAT (maior congresso nacional Trabalhista)", afirmou a advogada Noélia Sampaio.

Noélia Sampaio destacou ainda que no tocante a Equidade de Gênero, a gestão valorizará a efetiva participação da mulher na atividade associativa da ABRAT. A Comissão Feminista, que já existia, continuará a atuar, com a produção técnica, abordando questões de gênero (como o livro de Feminismo, Pluralismo e Democracia) e dando atenção permanente a todos esses pontos fundamentais acima citados,  com a ideia da sororidade e inclusão, sendo presidida pela advogada Noélia Sampaio, que é bastante atuante no  Estado do Piauí.

Comente!

ANTERIOR

Juiz reconhece menor como trabalhadora rural e concede salário maternidade

PRÓXIMA

CCJ do Senado aprova piauiense Kassio Marques para ministro do STF