Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
RELAÇÃO
O GOVERNO E A NOVA GESTÃO NA APPM: COMO SERÁ?

EX-PRESIDENTE GIL CARLOS FOI CRITICADO PELA COMPLACÊNCIA DIANTE DO PALÁCIO DE KARNAK. O QUE PROMETEM OS NOVOS GESTORES DA ENTIDADE?

11/01/2019 12:16 - Atualizado em 11/01/2019 12:45

Gil sempre foi muito ligado ao governador (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Ao longo da gestão do prefeito Gil Carlos (PT) na presidência da Associação Piauiense de Municípios (APPM), uma parcela de prefeitos demonstrou insatisfação com o que taxavam de complacência da entidade em relação ao governo do Estado. Muitos gestores municipais avaliaram que Gil, bastante ligado ao governador Wellington Dias (PT) e a primeira-dama Rejane Dias (PT), teria deixado de defender com dureza alguns dos interesses dos municípios.

Questões graves como as que envolveram o transporte escolar, por exemplo, não teriam recebido da APPM uma cobrança merecida. Rejane Dias era secretária de Educação nesse período e enquanto milhares de estudantes ficavam meses sem transporte escolar nos municípios do interior, ela pouco teria sido pressionada pela entidade municipalista presidida por seu aliado. Gil é prefeito de São João do Piauí, terra natal da primeira-dama.

Nova diretoria da entidade foi empossada (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Na quinta-feira (10), o petista se despediu da presidência da APPM. Ele achou melhor não disputar a reeleição e apoiou a chapa única encabeçada por Jonas Moura (PSD) e Tairo Mesquita (PSB), presidente e vice-presidente, respectivamente. O PD questionou os dois se a postura da entidade será mais dura na hora de cobrar o governo estadual.

Tairo Mesquita, que impôs uma derrota a Wellington nas eleições de 2018 na cidade de Santo Inácio do Piauí, prometeu "ir pra cima" e disse que vai cobrar aquilo que é direito dos municípios. Na última eleição, ele apoiou o candidato Luciano Nunes (PSDB) para o governo e deu ao tucano 53,15% dos votos válidos contra 36,14% de Wellington Dias. Santo Inácio, no semiárido piauiense, foi um dos oito municípios do estado onde Wellington não venceu.

Tairo promete ser duro na cobrança (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

"Exatamente [vai ser diferente a postura]. Nós queremos apenas o que é de direito nosso. Fizemos a conciliação na eleição da APPM, mas o intuito é cobrar do governo do estado aquilo que for de direito dos municípios, independente de partido político. Nós vamos pra cima. O que for de interesse dos municípios nós vamos defender incansavelmente", avisou o vice-presidente que promete ser atuante e protagonista no cargo.

Já o novo presidente Jonas Moura, prefeito de Água Branca, não demonstrou a mesma firmeza do seu vice quando questionado sobre a forma de cobrar o governo. Segundo ele, a intenção é "consolidar ainda mais a parceria" com o Karnak. Ele destaca, no entanto, que a postura da APPM nesse nova gestão será pedir ao governador prioridade para os municípios.

O novo presidente da APPM, Jonas Moura (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

"A questão do relacionamento com o governo estadual, pelo contrário, nós queremos é consolidar ainda mais a parceria. O que nós vamos pedir para o nosso governador é uma prioridade para os municípios. Então vamos levantar todos os dados que nós temos, tudo que os municípios têm direito e sentar com o governador. Tenho certeza que pela sensibilidade que ele tem e pelo apoio fortíssimo que ele teve dos municípios, ele vai colocar a gente como prioridade nesse novo governo", falou.

Comentários (338)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
CORRENTE
POLITICAGEM NA EXPOSIÇÃO
POLITICAGEM NA EXPOSIÇÃO
PARTIDO
MAIS ESPAÇOS NO GOVERNO
MAIS ESPAÇOS NO GOVERNO
MUDANÇA
JOAQUIM DO ARROZ ANUNCIA DESFILIAÇÃO DO PRP
JOAQUIM DO ARROZ ANUNCIA DESFILIAÇÃO DO PRP
ATRITO
PEGOU OU NÃO PEGOU CARONA NO PROJETO?
PEGOU OU NÃO PEGOU CARONA NO PROJETO?