MATEMÁTICA PARA WELLINGTON E RAFAEL

BOLSONARO APONTA CONTRADIÇÃO EM DISCURSO DE WELLINGTON DIAS E SUGERE QUE PETISTA COMPLEMENTE AUXÍLIO EMERGENCIAL COM DINHEIRO QUE ESTARIA "SOBRANDO" NO PIAUÍ

Marcos Melo Marcos Melo
02/04/2021 11:08 - Atualizado em 02/04/2021 11:45

Se Wellington Dias (PT) queria virar matéria nacional, desta vez ele conseguiu. Após um vídeo em que o petista critica redução no valor do auxílio emergencial -- agora serão apenas R$ 250 --, Jair Bolsonaro (sem partido) citou o governador do Piauí em sua live desta quinta-feira (1º). O presidente da República alegou que se um relatório do Banco Central aponta que Estados e Municípios têm dinheiro sobrando em caixa, Wellington deveria pegar esses recursos e complementar o auxílio emergencial até o valor de R$ 600 para todos os piauienses.

Wellington Dias e Rafael Fonteles: qual é a matemática que faz dinheiro sobrar para obras do PROPiauí e faltar para o auxílio emergencial? (foto: Jailson Soares | PoliticaDinamica)

"Wellington Dias, se tem matéria na imprensa que seu estado é superavitário, você poderia criar um complemento ao auxílio emergencial. Nós estamos dando R$ 250 você dá mais R$ 350 e chega nos R$ 600", disse o presidente, ressaltando o que seria uma incoerência de Wellington cobrar o Governo Federal e fazer vista grossa sobre a capacidade das gestões estaduais pagarem auxílios emergenciais também.

Veja o vídeo:

PIAUÍ NO NEGATIVO

Na verdade existe um equívoco na fala de Bolsonaro. O superávit (dinheiro a mais em caixa do que o previsto para as despesas) que o presidente cita está registrado em um relatório do Banco Central, divulgado na última semana. De fato, Estados e Município, juntos, tiveram um superávit de mais de R$ 38 bilhões. Uma folga no caixa que, segundo especialistas, está diretamente relacionada aos recursos que o Governo Federal distribuiu em 2020 por conta da pandemia.  

Porém, o Piauí, é um dos 7 estados que ficaram no vermelho. Literalmente, um saldo negativo. O governo de Wellington Dias ficou devendo R$ 1,2 bilhão.

Três estados do Nordeste comandados pelo PT ficaram no negativo em 2020, apesar do auxílio do Governo Federal (imagem: Correio Braziliense)

Em entrevista ao Correio Braziliense, concedida há 15 dias, o secretário de Fazenda do Piauí falou que a folga de caixa não é "sustentável" nem foi igual pra todo mundo. Falando em nome do Comitê Nacional de Secretários da Fazenda, Finanças, Receitas ou Tributação dos Estados e Distrito Federal (Comsefaz), Rafael Fonteles explicou que “estados terminaram o ano com uma situação fiscal um pouco melhor em função dos auxílios. Porém, alguns estados tiveram uma compensação superior à perda de arrecadação, outros, não. E há uma preocupação com os meses seguintes. O cenário futuro é diferente, pois esses auxílios acabaram e ninguém esperava uma segunda onda tão forte”.

BRIGA BOA

O presidente pode ter usado o exemplo errado, mas existe uma boa lógica para reflexão no que ele disse.

Há algumas semanas, Rafael Fonteles anunciou um auxílio emergencial específico para trabalhadores do setor de eventos e alimentação, mas cheio de falhas que impedem o alcance geral.

Está na hora de Wellington e Rafael explicarem como está sobrando dinheiro para o PROPIAUÍ -- programa de retomada econômica que tem sido o palanque eleitoral da sucessão de Wellington e propaganda de Fonteles --, mas está faltando para o auxílio urgente e imediato dos piauienses.



Marcos Melo

Marcos Melo

Jornalista

Comente!

ANTERIOR

TÁ COMIGO, OU TÁ COM MEDO?

PRÓXIMA

PODERIA ATÉ QUERER, MAS...