NOTÍCIAS

MAIS UM PIAUIENSE ESTÁ PRESO POR ATOS EM BRASÍLIA

MINISTRO ALEXANDRE DE MORAIS ANALISA CASO DE 200 PRESOS POR ATAQUES EM BRASÍLIA E DECIDE SOLTAR 60 PESSOAS ENVOLVIDAS NOS ATOS

18/01/2023 13:54

A Secretaria Estadual de Segurança Pública, através do Gabinete de Crise Contras Atos Antidemocráticos, confirmou a prisão da piauiense Edigleuma Maria da Rocha, em Brasília. Ela é acusada de envolvidos de atos contra o Estado Democrático de Direito, no dia 08 de janeiro no Distrito Federal. Até o momento foram presos dois piauienses nos atos terroristas em Brasília.

Piauiense teria juntando dinheiro e ido para capital federal (foto: redes sociais)

A prisão não foi realizada pela Polícia Civil do Piauí, mas o nome consta na lista do preso do Ministério da Justiça. Além de Edigleuma, outro piauiense já havia sido identificado entre os presos, trata-se de João de Oliveira Antunes Neto, de 19 anos. De acordo com a investigação, ele já é morador da cidade de Ceilândia, cidade satélite da região do DF e em suas redes sociais se identifica como Barbeiro profissional. Foi descoberto, ainda, que ele é natural de Dirceu Arcoverde, Sul do Piauí, mas já mora há um tempo no Centro-Oeste. Em sua rede social, não há, postagens com menções políticas. (Veja matéria!)

SOLTURA DE PRESOS

Nesta quarta-feira (18), foi informado à imprensa que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, havia analisado a prisão de 200 pessoas que estão presas e decidiu pela soltura de 60 pessoas investigadas pelo envolvimento nos atos terroristas em Brasília. Outras 140 pessoas permanecerão reclusos.

Ao todo, 1.459 pessoas foram presas, a maior parte após o acampamento em frente ao quartel general do Exército que foi desmontado na capital Federal. Todas essas pessoas passaram por audiências de custódia entre os dias 13 e 17 de janeiro, sendo que a previsão é que o magistrado conclua a análise dos casos até a sexta-feira (20/01).

 Os 60 presos que foram soltos é porque, não há, até o momento, provas de invasão, depredação ou prática de violência, praticados por esses que foram liberados.

Comente