Coluna Marcos Melo Política Dinâmica
UM EMPRESÁRIO SE ESCONDE; OUTRO FOI PRESO

OPERAÇÃO BOCA LIVRE INVESTIGA EMPRESAS PARTICIPANTES DE PREGÃO EM 2014; FLÁVIO AGUIAR SE ESCONDEU DA IMPRENSA; ALANO RODRIGUES FOI PRESO

20/03/2019 22:57 - Atualizado em 20/03/2019 23:27

O empresário Alano Rodrigues foi preso por posse ilegal de arma, quando a PF fazia buscas em sua residência (imagem: redes sociais)

O inquérito e o processo estão sob sigilo. Mas já é possível avançar em algumas informações. Durante uma das visitas da Polícia Federal em um dos endereços relacionados nos mandados de busca e apreensão, foi preso o empresário Alano de Sousa Rodrigues.

Para não confundir: este que foi preso não é o ex-secretário de Educação, o advogado Alano Dourado. Vale frisar a diferença até porque o nome não é a única coincidência: os contratos investigados entraram em vigência exatamente durante a gestão de Alano Dourado na SEDUC. Mas Dourado não foi alvo da operação Boca Livre.

O empresário Alano Rodrigues foi preso em casa, por outro motivo: posse ilegal de arma de fogo. Ele seguirá para audiência de custódia nesta quinta-feira (21).


EMPRESÁRIOS E EMPRESAS

O Política Dinâmica esteve na sede da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (20), por motivo da coletiva de imprensa marcada para as 10h. Curiosamente, também na sede da PF estavam empresários sócios de algumas das empresas investigadas.

Ao notar nossa presença, o empresário Flavio Henrique Rocha de Aguiar, da Norte Sul Alimentos (NS Distribuidora de Alimentos Ltda) escondeu-se atrás de um dos pilares da sala. Ao seu lado, sentado, José Carlos Carvalho, da CR Distribuidora.

As setas vermelhas apontam Flávio Aguiar; as amarelas mostram José Carlos (foto: Marcos Melo | PoliticaDInamica.com)

De acordo com as declarações do delegado Reinaldo Camelo — responsável pelo núcleo de combate ao crime organizado na PF do Piauí — as empresas investigadas são especificamente aquelas participantes e vencedoras do Pregão Presencial Nº 001/2014.

As empresas vencedoras desse pregão e seus respectivos sócios administradores são:

CR DISTRIBUIDORA DE PRODUTOS GERAIS LTDA

CNPJ: 05.106.833/0001-55

Sócio-Administrador: José Carlos de Carvalho

NORTE SUL ALIMENTOS LTDA

CNPJ: 03.586.001/0001-58

Sócio-Administrador: Flavio Aguiar

SILVA E ALVES FRUTOS TROPICAIS LTDA

CNPJ: 01.542.171/0001-05

Sócio-Administrador: Sinval Alves da Silva

SP COMERCIAL E DISTRIBUIDORA LTDA

CNPJ: 08.728.961/0001-29

Sócio-Administrador: Sebastião Paulino


Veja como consta no Mural de Licitações do Tribunal de Contas do Estado:



Outras empresas e empresários devem ser investigados na esteira da Operação Boca Livre. Primeiro porque os quadros societários de algumas destas empresas mudaram desde 2014. Segundo, porque a Polícia Federal investiga a movimentação bancária destas empresas e de seus sócios-administradores, que por sua vez, na maioria dos casos, também possuem outras empresas. No mesmo ramo de serviço!

 Ainda não há informações específicas sobre a Futura Distribuidora de Alimentos Ltda (CNPJ: 15.260.400/0001-03), mas sabe-se que seu sócio-administrador Alano Rodrigues já trabalhou com a Norte Sul, de Flávio Aguiar.


SERVIDORES

Também segundo a Polícia Federal, os servidores envolvidos no esquema seriam aqueles diretamente ligados aos atos licitatórios. Foi apurado que um montante de R$ 300 mil teria sido repassado a agentes públicos. A PF não informou quantidades individuais.

No Diário Oficial do Estado do dia 26 de maio de 2014 foi publicado o aviso de resultado do Pregão Presencial 001/2014. Consta o nome de Maria José Alcântara Viana como pregoeira.

Veja:

Ela é professora efetiva dos quadros da Secretaria de Estado da Educação e ocupava o cargo de pregoeira desde pelo menos o dia 2 de janeiro de 2014, tendo sido nomeada para o exercício da função por meio de uma portaria assinada pelo ex-secretário de Educação Átila Lira, hoje deputado federal.

Veja:

Extra-oficialmente, também se fala de investigação da PF sobre os atos de três outros servidores: o também professor efetivo da SEDUC Leovídio Bezerra Lima Neto; o engenheiro ocupante de cargo comissionado Luiz Felipe de Alcântara Mendes Raulino — estes dois sendo parte da equipe licitatória nomeada na gestão de Átila Lira, como mostra o documento acima —; e a nutricionista Jucira Macêdo Lopes Reis, comissionada exclusiva, que à época era gerente de Gestão Escolar e Programas de Alimentação.

Uma portaria também assinada por Átila em 12 de março de 2014 designou a nora do atual senador Marcelo Castro (MDB) para a função.

Veja:

LEIA TAMBÉM:
Átila e Alano: ex-secretários se defendem

Ação da Polícia Federal na Seduc; Veja fotos

Boca Livre: mais uma na Seduc

ANTERIOR

PRESIDÊNCIA DA CMT: EVANDRO X VENÂNCIO

PRÓXIMA

"TEMOS 44 CANDIDATOS"