NOTÍCIAS

APOIO EM TROCA DE ASFALTO E CALÇAMENTO

VEREADOR AFIRMA SEU "PREÇO" PRA VOTAR EM RAFAEL FONTELES FORAM OBRAS EM TERESINA APÓS CIRO NOGUEIRA PROMETER E NÃO CUMPRIR

10/08/2022 10:18

Os vereadores de Teresina Neto do Angelim (PP) e Waldemar Virgílio (PP) anunciaram dias atrás que haviam aderido a campanha ao governo do Piauí do candidato Rafael Fonteles (PT) e de Wellington Dias (PT) ao senado. O fato chamou a atenção e desgostou os líderes dos Progressistas, que são idealizadores e pertencem a chapa de candidatura ao governo de Sílvio Mendes (União Brasil), que se coloca com a principal opositor à Rafael.

Vereador disse que é político comunitário e que precisa da realização de obras (foto: Jailson Soares/ PD)

Dias atrás, em entrevista à TV Cidade Verde, Sílvio disse que “todo homem tem o seu preço, eu não tenho nada a considerar, apenas fiquei decepcionado. Na política, gente conhece o melhor e o pior das pessoas, apenas isso”, expressou o candidato sobre a posição dos vereadores.

Sobre a fala de Sílvio, o vereador Neto do Angelim disse que não tem nenhuma dificuldade com o ministro Ciro Nogueira (PP), que é idealizador e principal apoiador da campanha de Sílvio Mendes. Para o vereador, as várias fofocas e ‘zumzuns’ nos bastidores que deixaram a questão mais forte do que deveria ficar.

“Fomos convidados e nos reunimos com o Rafael Fonteles. Temos obras no ProPiauí, que calçou várias ruas do Angelin e da Chapadinha. E é isso que o povo espera da gente. Queremos convidar o povo a conhecer o nosso trabalho. Esse que eu digo é o nosso preço, entrei na política pra representar o povo. Não para se tratar de acordos políticos ou qualquer acordo financeiro não passa por mim”, se explica Angelim.

Vereador Aluísio Sampaio - presidente do PP de Teresina - tem ameaçado vereadores infiéis, mas desconversa sobre possível punição (foto: Jailson Soares / PD)

Para o vereador, a cobiça pelo apoio dos vereadores e a disputa pelos votos de Teresina trouxe um clima ruim para Câmara da capital. “Na outra eleição, mesmo a gente estando com o Firmino e o PSDB tendo candidato, ele liberou a gente para votar no Wellington Dias, não tivemos tantos problemas. Mas, essa [eleição de 2022], acho que o clima eleitoral tá deixando todo mundo tenso ainda. Como a eleição não é nossa, estamos correndo na campanha dos nossos deputados federais e estadual, vamos ficar bem calmos com isso”, afirmou Neto.

O vereador reafirmou ainda que não foi comprado e disse acreditar que a fala do candidato Sílvio Mendes foi distorcida para ganhar mais repercussão. “Como a gente acabou de falar o nosso preço é de representar a comunidade, poder correr atras da reinvindicação delas. Nosso preço, é um calçamento, um asfalto, um campo de futebol como vamos entregar um no Angelin no aniversário da cidade. Um modelo de arena, esse é o preço. Não acredito que ele tenha querido falar no setor financeiro”, justificou Neto do Angelim.

Sobre a possibilidade de deixar o Progressistas, o vereador disse acreditar que não será expulso. “Continuamos junto com Rafael e no Progressistas. O Aluísio [vereador Aluísio Sampaio – presidente do PP de Teresina] ficou de sentar com o diretório. Mas não temo punição, o partido ficará bem à vontade”, afirma o vereador Neto do Angelim.

Vereadores progressistas dizem que partido fechou as portas pra eles e, em represália, migraram para oposição com o PT (foto: Ascom)

MATÉRIAS RELACIONADAS:
PP SEM PUNIÃO AOS INFIÉIS 
VEREADORES INFIÉIS NO PROGRESSISTAS

BASTIDORES

Após gravar as entrevistas com a imprensa, o vereador Neto do Angelim disse que o Progressistas através do ministro Ciro Nogueira havia conseguido emendas no valor de R$ 400 mil para obras em Teresina, através da Codevasf. Porém, apesar das indicações dele e outros parlamentares do PP da capital, o discurso nunca saiu do papel e as obras não vingaram. “Quem visitou e prometeu lá foi o vereador. Quando eu voltar na comunidade é eu que vou ser cobrado”, disse Neto.

Vereador disse que Ciro prometeu emenda, mas não realizou obras (foto: redes sociais)

Comente