Coluna Política
  • 26 de julho 2021

    sexta, 23 de julho de 2021, às 9:54h

    O presidente municipal do PTB e vereador, Bruno Vilarinho, destacou em entrevista que o partido deve seguir com o apoio e participando da gestão do prefeito Doutor Pessoa (MDB) em Teresina. Já sobre qual grupo político o partido deverá apoiar nas eleições de 2022 o parlamentar é mais categórico e diz que isso será definido pela presidência estadual do PTB.

    “Atualmente temos dois deputados estaduais, o deputado Nerinho e a Janaínna Marques, os dois fazem parte do governo Welington Dias (PT), mas acredito que eles devam sair do partido para continuar apoiando a base do governo”, destaca Bruno.

    Vereador de Teresina Bruno Vilarinho (PTB)

    Em setembro de 2020, após reunião deliberativa da Comissão Executiva do PTB nacional, foi aprovado a resolução PTB/CEN Nº 89/2020 que em seu artigo primeiro veda que o partido realize coligações com o PT, PSOL, PDT, PCdoB, Rede, PSB, PSTU e PCO. Como a decisão nacional vale para todo país, nas eleições de 2020 o PTB não deve apoiar o candidato do PT ao governo do Piauí ou de qualquer um dos partidos citados.

    Sobre o impasse, o vereador diz que o PTB no Piauí deve seguir e a discussão cabe a presidência do partido. “A política mudou, o PTB municipal não pode e não vai intervir numa decisão da cúpula nacional, mas a decisão para onde o partido seguirá é com o presidente estadual do partido, que atualmente, está ocupado pelo ex-prefeito Vinicius do O”, ressalta.

    O vereador destacou ainda que ficou feliz com a permanência de João Vicente Claudino no partido. “É sem dúvida um grande nome e fortalece o partido para o próximo ano. O ex-senador tem um trabalho respeitado no Piauí, além de ser um grande formador de opinião”, afirma.

    O parlamentar disse ainda que não pretende deixar o cargo de vereador de Teresina para concorrer à deputado Federal ou Estadual. “É chance zero. Quero continuar meu mandato aqui na Câmara, para o qual fui eleito”, finaliza.

    • R&G Feet
  • quinta, 22 de julho de 2021, às 14:41h

    O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a se manifestar sobre as eleições de 2020, desta vez em entrevista à Rádio Banda B, nesta quinta-feira (22), o presidente disse que não vai admitir que a apuração da eleição seja feita em sala secreta no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na entrevista, o presidente também confirmou a mudança ministerial onde colocará um senador do Centrão, Ciro Nogueira (PP-PI), como ministro-chefe da Casa Civil.

    “Não posso admitir que meia dúzia de pessoas tenham a chave criptográfica de tudo e, de forma secreta, contém votos numa sala secreta lá no Tribunal Superior Eleitoral. Isso não é admissível. A própria Constituição fala em contagem pública dos votos, quero transparência”, ameaça o presidente.

    Bolsonaro vou a insistir que houve fraude nas eleições de 2014, onde Dilma Rousseff (PT) venceu o 2º turno das eleições contra o candidato Aécio Neves (PSDB). De acordo com o presidente, ele vai apresentar as provas de sua fala na semana que vem. Além disso, afirmou que venceu as eleições de 2018 no 1º turno e que também tem provas disso. “Vou aguardar dados da minha eleição, que, no meu entendimento, nós ganhamos no 1º turno”, confirmou.

    Na entrevista à Rádio, o presidente também reclamou da postura do ministro do STF Roberto Barroso que teria tido um entendimento com os parlamentares para não aprovação do projeto que prevê a realização das eleições do próximo ano com voto impresso.

    Com ironia, o chefe do executivo disse “de repente, ministro Barroso, do nada, vai para dentro do Parlamento se reunir com líderes partidários. Nos dias seguintes, os líderes trocam integrantes da comissão e colocam parlamentares contrários à aprovação desse projeto, ou seja, querem ver se matam o projeto na comissão. Isso é interferência clara do ministro Barroso no processo legislativo”, argumentou Bolsonaro.

    Presidente da Câmara, Arthur Lira, e presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso. Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

    O presidente ainda induziu que o ministro estivesse com receio de alguma coisa. “Ele tem medo do quê? Tá apavorado, por quê? Ele estaria refém de alguém? Acredito que não, mas é um dado bastante preocupante. Nós estamos nos antecipando a possíveis problemas”, reforçou.

    • R&G Feet
  • quinta, 22 de julho de 2021, às 13:29h

    O vereador de Teresina Evandro Hidd (PDT) disse em entrevista ao Política Dinâmica que o partido vai lançar chapas para deputado Estadual e Federal nas eleições de 2022 e confirmou que seu nome é um dos indicados para candidatura à deputado Federal. Além da corrida em busca de nomes para montar chapas competitivas o partido visa se interioriza pelo estado para dar base à candidatura de Ciro Gomes à presidência da república.

    “Estamos organizando o partido para lançar chapa tanto para Estadual quando para deputado Federal, vislumbramos também que o partido participe como protagonismo na campanha majoritária do ano que vem, principalmente, pelo fato de termos um candidato viável e que tem crescido nas pesquisas, que é o Ciro Gomes”, destaca Evandro.

    NOVOS NOMES

    Ainda segundo o parlamentar, o Partido tem buscado novos nomes não só na capital, mas também no interior. “Estamos trabalhando para somar forças e interiorizar o partido, para assim levar o nome do nosso candidato a presidência e todo o PDT do Piauí está a disposição para fazer parte desse projeto. Já coloquei meu nome à disposição, teremos também novos nomes, mas por enquanto, vamos fazer igual foi feito em 2020, um trabalho de formiguinha diário para montar uma chapa competitiva e vitoriosas. Mas, novos nomes só mesmo em abril de 2022”, afirmou Hidd.

    SAÍDA DOS NOGUEIRAS

    Sobre a saída dos únicos deputados do partido eleitos no Piauí, o deputado federal Flávio Nogueira e o filho dele deputado estadual Flávio Nogueira Júnior, o vereador destaca que são grandes nomes, mas que isso não deixará o partido inviável para montar uma chapa. “Os dois são nomes importantes dentro do PDT no Piauí com suas histórias de trabalho, mas teve aquele episódio com a direção nacional e nesta parte ele que devem tratar disso. Independente disso, o PDT terá candidatos em 2022”, afirmou Evandro Hidd.

    Deputado estadual Flávio Nogueira Júnior e o pai, deputado Federal Flávio Nogueira.

    A saída dos Nogueiras do PDT já é dada como certa e o provável destino dos dois deputados será o Republicanos. Vale lembrar que a desavença do deputado Federal Flávio Nogueira com o PDT começou na votação da Reforma da Previdência em 2019 quando a direção nacional do partido determinou que seus filiados votassem contra a reforma, o que foi contrariado por Flávio Nogueira e iniciado todo o embate.  Desde então, o deputado federal aguarda apenas a janela partidária das eleições de 2022 para mudar de partido sem o risco de sofrer qualquer ação por parte do PDT. A ação do PDT nacional enfraquecerá o PDT do Piauí, visto que os dois deputados, pai e filho, vão deixar o partido e disputar a reeleição por outro sigla no próximo ano.

     

    • R&G Feet
  • quinta, 22 de julho de 2021, às 10:39h

    Em entrevista nesta quinta-feira (22) à Rádio Banda B, de Curitiba-PR, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) confirmou a ida do senador Ciro Nogueira (PP-PI) para a Casa Civil do Governo. Ainda segundo o presidente, o senador foi convidado e aceitou e já deve assumir a pasta na semana que vem como parte da reforma Ministerial.

    Barros, Bolsonaro, Nogueira e Lira.

    O presidente disse que já conversou com ele [Ciro Nogueira]. “A princípio é ele, conversei e ele já aceitou, está de recesso e chega em Brasília na segunda-feira converso com ele para certamos o ponteiro para tocar o barco. Chegou na câmera em 95, conheço a bastante tempo e eu cheguei em 91”, disse Bolsonaro.

    Na entrevista à rádio, o presidente também confirmou a recriação do Ministério do Trabalho, que terá novo nome Ministério do Emprego e Previdência. O atual ministro da Secretaria Geral, Onyx Lorenzona, deverá ser o titular do novo ministério, já Luiz Eduardo Ramos, que deixará a Casa Civil para chegada de Ciro Nogueira, ocupará o cargo de Secretário Geral.

    Senador Ciro Nogueira (PP-PI) - (Edison Rodrigues / Agência Senado)

    O presidente também disse que não terá mais um ministério, apesar da criação do Ministério do Trabalho, visto que o Banco Central perdeu o status há dois meses. “Restabelecemos os 23 ministérios com a criação desse que será o Ministério do Emprego e Previdência. Esse é o quadro pintado até agora. Nenhuma mudança drástica no meu entender. Acho que melhora a interlocução com o parlamento”, destacou Bolsonaro.

     

    • R&G Feet
  • quarta, 21 de julho de 2021, às 14:37h

    O senador Ciro Nogueira (PP-PI) lidera a corrida ao Governo do Piauí com mais do dobro do percentual das intenções de votos do segundo nome que aparece numa pesquisa do Instituto Opinar realizada nos dias 16 a 18 de julho de 2021 em todo Estado.

    Na pesquisa estimulada foi perguntado ao eleitor em quem votaria nas eleições do próximo ano, tendo Ciro Nogueira aparecido com 33,46% das intenções de votos no primeiro turno, contra 15,99% dos que preferem votar em Silvio Mendes (PSDB). Os números dos que não sabem ou preferem não responder à pesquisa estimulada somaram 14,79%.

    Já num segundo pelotão, aparece como terceiro nome com intenção de votos o ex-senador João Vicente Claudino (PTB) com 11,37%; seguido por Rafael Fonteles (PT) com 6,01%; e por último aparece o nome da deputada Iracema Portela (PP) com 5,73% dos entrevistados. Rafael é o candidato que será apoiado pelo atual governador do Piauí, Wellington Dias (PT).

    OPOSIÇÃO UNIDA É MAIS FORTE QUE GOVERNO

    Vale lembrar que, recentemente, os pré-candidatos Ciro Nogueira e Silvio Mendes se reuniram com outras lideranças de seus partidos e definiram que vão marchar juntos nas eleições de 2022, o que aumenta ainda mais a distância deles em relação ao outro pré-candidato citado na pesquisa. Além de PP e PSDB, o ex-senador João Vicente Claudino também já declarou que deve apoiar a candidatura de Ciro Nogueira ao governo do Piauí, possivelmente, com uma vaga na disputa ao senado. Já sobre o nome da deputada Iracema Portella, que aparece citada por 5,73% dos entrevistados, nem se precisa comentar que ela estará com ex-marido Ciro. Com isso, somado as intenções de votos desses pré-candidatos citados na pesquisa, a chapa que deve ser liderada pelo senador Ciro Nogueira nas eleições de 2022 somaria 66,55% das intenções de votos, vencendo até mesmo num primeiro turno.  

    ELEITORES APOSTAM EM VITÓRIA DE CIRO

    A pesquisa também fez aos entrevistados a seguinte pergunta: “Independente do candidato para Governador do Piauí que você votar, quem você acha que realmente vai ganhar?”

    Quando esse questionamento, 37,99% dos entrevistados disseram acreditar que Ciro Nogueira vai vencer as eleições para Governador; já 23,11% apostam numa vitória de Silvio Mendes; outros 7,76% apostam no nome de João Vicente Claudino; para 4,44% dos entrevistados o pré-candidato Rafael Fonteles é quem vai vencer a eleição; mas para 3,51% a vitória seria da deputada Iracema Portella. Outros 23,11% disseram que não sabem ou preferem não opinar.

    O levantamento do Instituto de Pesquisa Opinar foi realizado entre os dias 16 a 18 de julho de 2021 e ouviu 1.082 eleitores em 60 municípios de todo o Piauí. Tendo como contratante o Partido Progressista (PP).

    • R&G Feet
  • quarta, 21 de julho de 2021, às 9:20h

    A mídia nacional já está dando como certa a nomeação do senador Ciro Noguera (PP-PI) para o cargo de Ministro-Chefe da Casa Civil, hoje ocupado por Luiz Eduardo Ramos, que poderá ser remanejado para outra pasta do Governo Bolsonaro. Nos bastidores em Brasília, o que se comenta, é que a decisão da equipe do presidente em dar o mais importante ministério ao presidente do PP é reorganizar politicamente o governo que passa por dificuldades políticas, inclusive com seu maior aliado do Centrão, o Progressistas.

    Segundo a CNN, o próprio presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira, já teria dado sinais de insatisfação com o governo Bolsonaro, que recentemente fez críticas ao Ministério da Economia que liberou cerca de R$ 800 milhões para o Piauí, por meio de operação de crédito (empréstimos). O recurso pode turbinar a pré-campanha política no Estado, onde o atual governador Wellington Dias (PT) pretende ter como seu sucessor ao governo o secretário de Fazenda Rafael Fonteles (PT), já o senador Ciro Nogueira pretenda disputar o governo em oposição ao atual governo.

    Outro ponto a favor de Ciro é o fato do Governo do presidente não ter nenhum senador do ato escalão num ministério de relevância. A indicação poderia também amenizar o impacto do futuro veto do presidente Jair Bolsonaro ao fundão eleitoral bilionário aprovado na Câmara dos Deputados com apoio do presidente da Câmara, deputado Artur Lira (PP).

    A mudança e escolha de Ciro Nogueira como ministro foram discutidos numa reunião no Palácio do Planalto nessa última terça-feira (20), mas pode não ser a única a ocorrer no Governo. Para chegada de Ciro à pasta, o atual ministro Luiz Eduardo Ramos deve ganhar outro posto no governo, possivelmente sendo alocado da Secretaria-Geral da Presidência, hoje ocupada por Onyx Lorenzoni. Esse último poderia ganhar uma nova função com um novo ministério que trabalharia ao lado do Ministério da Economia.

    Porém, as mudanças ainda não foram confirmadas e o próprio senador Ciro Nogueira não deu nenhuma declaração sobre o assunto.

    • R&G Feet
  • terça, 20 de julho de 2021, às 11:22h

    O Partido Solidariedade, comandado no Piauí pelo deputado estadual Evaldo Gomes, se reuniu nessa última segunda-feira (19) para definir os rumos do partido, fazer novas afiliações e bater o ‘martelo’ sobre a permanência e candidatura da deputado federal Marina Santos nas eleições de 2022.

    Nos bastidores, o que se comentava era que o partido poderia ficar enfraquecido com a saída da deputada federal ou mesmo com a candidatura no marido dela, Marcos Vinicius, ex-prefeito da cidade de Novo Oriente (PI). Porém, na coletiva o deputado Evaldo Gomes tratou de desmentir qualquer uma dessas informações e confirmou que Marina Santos será candidata a reeleição como deputada federal pelo Solidariedade.

    O líder do partido reforçou ainda que além de Marina, o partido está se renovando e terá novos nomes não só para deputado Estadual, mas também candidatos à deputado federal.

    “vamos ter nomes já testados nas urnas e outros que tem simpatia com as ideologias do partido. A decisão dos candidatos não será minha, mas de todos que fazem o partido, vamos reunir todos os nossos pré-candidatos e em conjunto, numa conversa, o desejo da maioria será respeitado”.

    ALIANÇA COM O GOVERNO

    O presidente do partido, deputado Evaldo Gomes, também descartou que o Solidariedade possa estar fora do palanque político liderado pelo governador Wellington Dias (PT) em 2022. “O partido está e vai estar com o Wellington Dias no palanque no ano que vem. Nós já temos um pré-candidato ao governo, que é o secretário Rafael Fonteles, que acreditamos ser um nome preparado para disputa, não terão dificuldades a nível local e nem nacional”, disse o deputado.

    NOVOS NOMES

    Sobre as novas filiações, se juntaram ao solidariedade o coronel Lídio Filho, o professor Werton Costa [climatologista] e ainda Flávia Dourado. Essa última é irmã do ex-vereador Fábio Dourado (PL). Flávia deve disputar uma vaga ao cargo de deputado estadual, tendo como concorrente o próprio irmão que vai disputar também uma vaga na Alepi pelo PL.

    Além desses nomes, o solidariedade conta ainda com nomes como o do ex-deputado estadual e suplente Henrique Rebelo, e dos ex-candidatos a vereador de Teresina – Delegada Anamelka e o empresário Floro Manoel.


    • R&G Feet
  • terça, 20 de julho de 2021, às 9:18h

    O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), se reuniu na noite dessa segunda-feira (19) com o prefeito de Teresina, Doutor Pessoa (MDB), com o objetivo de afinarem as relações entre Estado e Município. No jantar, os gestores disseram que apenas alinharam as ações administrativas entre os dois poderes, mas o que se comenta nos bastidores é que no encontro também foi ‘posto a mesa’ como será o apoio da Prefeitura na eleição do próximo ano. Em 2022, o governador deve apoiar como candidato ao governo o secretário de Fazenda, Rafael Fonteles (PT), tendo como pretendente a vice o deputado Themístocles Sampaio (MDB). Rafael inclusive esteve presente no encontro de ontem à noite.

    Na oportunidade, Pessoa teria cobrado novamente o repasse de recursos da Saúde e de Infraestrutura que deveriam ser enviados pelo Governo à Prefeitura de Teresina, mas estariam em atraso. Apesar da cobrança, o prefeito negou qualquer rumor de que estaria “brigado” ou com algum desentendimento com o govenador.

    “Aqui tratamos de diversas pautas administrativas. Eu na Prefeitura e o governador no Estado, estamos caminhando juntos para que essa parceria administrativa possa fluir”, disse o prefeito.

    O Governador preferiu não falar à imprensa, diretamente, sobre eleições de 2022 e uma possível união com a Prefeitura de Teresina, mas destacou que Governo e Prefeitura estão trabalhando juntos por Teresina. “Foi um encontro muito produtivo, a Prefeitura trouxe pautas de muito interesse público, como a preocupação da educação para as crianças, a ampliação de creches, para termos uma parceria nas escolas dos municípios e estado. Queremos essa mesma parceria na Saúde, melhorando o atendimento. Na parte de infraestrutura falamos sobre uma avenida para promovermos mais integração no Jacinta Andrade. Com isso, quem ganha é o povo de Teresina”, destaca Wellington Dias.  

    Resta saber se essa parceria entre Governo e Prefeitura vai perdurar até o próximo ano e ajudar o deputado Themístocles Sampaio, um dos principais idealizadores e apoiadores da campanha vitoriosa de Doutor Pessoa à prefeitura de Teresina. O parlamentar ainda sonha com a vaga de vice na chapa do PT em 2022, porém teme que ocorra o que aconteceu nas eleições passada quando o governador preferiu escolher como candidata a vice Regina Sousa (PT), ao invés do presidente da Alepi.

    Doutor Pessoa e Wellington Dias (foto: @robertaalinne)

    Na semana passada, Themistocles chegou a reclamar da falta de empatia do Prefeito ao nome do deputado, que já cobrou o apoio do gestor da capital nas eleições de 2022. Doutor Pessoa acabou reagindo de forma mais dura e pareceu se incomodar com as cobranças, mas pelo visto com essa maior aproximação do governo Wellington Dias, o prefeito da capital mostra que dará seu apoio a chapa que deverá ter o colega deputado como candidato a vice.

    “Nós aqui procuramos dialogar para fazer mais para o Piauí e fazer mais em parceria. Pontuamos vários assuntos, estradas e pontes, saneamento básico. Foi uma noite abençoada. Essa é uma parceria Pública Publica que vai fluir”, revela Doutor Pessoa.

    Além de Rafael Fonteles, Doutor Pessoas e Wellingnton Dias, também estiveram presentes no jantar o vice-prefeito de Teresina, Robert Rios, o secretário municipal de administração, João Henrique Sousa, o secretário Estadual de Governo, Osmar Júnior, e outros secretários municipais.

    RECURSOS PARA TERESINA

    Sobre o débito do Estado com recursos a serem enviados para Saúde municipal, a dívida já teria baixado de R$ 17 para 15 milhões, após serem feitos um cruzamento de dados entre os poderes. Além desse recurso, o governo também teria autorizado R$ 6 milhões para asfalta ruas e avenidas da capital.

    As obras de asfaltamento seguirão a mesma linha do que foi feito pelo Estado às vésperas da eleição de 2018 e 2020 quando o Estado asfaltou ruas de várias cidades do Piauí, pelo menos desta vez, a capital não vai ficar de fora.  

    SEM CAVIAR

    No cardápio do jantar, que foi servido após a conversa entre os gestores, foi servido aos convidados muito salmão, carne de sol, maria Isabel e capote.

    • R&G Feet
  • segunda, 19 de julho de 2021, às 11:11h

    O secretário estadual de Saúde do Piauí, Florentino Neto, fez uma visita de “cortesia” ao ex-adversário político e prefeito de Parnaíba, Mão Santa (DEM). Ao que tudo indica a visita do secretário é para tentar apoio do prefeito para candidatura à deputado Federal em 2022, porém, convencer o prefeito a apoiar a candidatura de um membro da base do governo Wellington Dias (PT) pode não ser tarefa fácil.

    Florentino visita Mão Santa na casa de praia do prefeito. (foto: divulgação)

    A visita aconteceu neste fim de semana, logo no início da segunda quinzena do mês de julho, quando os partidos e pré-candidatos já começam suas visitas aos prefeitos e lideranças do interior do Estado em busca de apoio para as eleições do próximo ano. Além de Mão Santa, a primeira-dama Adalgisa Sousa, o ex-presidente do PT de Parnaíba Ribamar Silva e o ex-vereador Daniel Miranda participaram do encontro, ocorrido na casa da praia do prefeito no Litoral.  

    Além de tratarem de política e busca da paz entre Florentino e Mão Santa que foram adversário políticos na campanha para Prefeitura de Parnaíba em 2016, eleição essa vencida por Mão Santa, eles também teriam falado sobre a história da cidade de Parnaíba e Literatura.

    Vale saber agora se esse encontro terá algum resultado, visto que o prefeito Mão Santa parece bem mais aliado a oposição liderada pelo senador Ciro Nogueira (PP) e o que não faltará é candidato a deputado Federal na chapa de Ciro querendo o apoio do prefeito da cidade com o segundo maior eleitorado do Estado.

    Ciro e Mão Santa em evento político este ano em Parnaíba.

     FLORENTINO NÃO É PT “PURO SANGUE”

    Nos bastidores o que se comenta é que a aliança entre Florentino e Mão Santa pode ser concretizada, visto que o secretário não é tido como uma figura legítima do PT. Vale lembrar que em 2019, chegou-se a cogitar a saída de Florentino da pasta da Saúde em 2020, justamente para disputar o cargo de prefeito de Parnaíba, novamente contra Mão Santa. Porém, isso não ocorreu. Há também quem diga que o secretário possui fortes ligações com os progressistas. senador Ciro Nogueira e o deputado estadual Júlio Arcoverde.

    • R&G Feet
  • segunda, 19 de julho de 2021, às 9:22h

    O publicitário Marcos Marques, mais conhecido como “Marquinhos Show”, disse em entrevista à CNN Brasil disse que está pronto para depor na CPI da Pandemia no Senado. Marquinhos é a pessoa que gravou o vídeo do ex-ministro Eduardo Pazuello com empresários da vacina Coronavac supostamente negociando a compra da vacina com trilo do valor já adquiro anteriormente, cerca de US$ 28 por dose.


    Ainda segundo o publicitário, o então ministro entrou na reunião apenas para “dar um oi” e que na época, em março deste ano, não divulgou a gravação no mesmo dia porque um dos empresários pediu para esperar que tudo estivesse certo com o contrato. “Não houve negociação. Nem eu lembrava mais desse vídeo. Passei ao senhor chinês e apaguei em seguida”, disse.

    Meses depois, agora em Julho, o vídeo chegou até os senadores na CPI da Pandemia, o ex-ministro passou a desconfiar de que o vazamento partiu de alguém de sua ex-equipe, mas a CPI disse que o material chegou através de um informante. Há também a suspeita de amigos do Pazuelo, que em troca de informações, Marquinhos tenha conseguido sair do radar da CPI.

    Apesar de já ter sido aprovado pela Comissão, o depoimento do aprovado ainda não tem data marcada para acontecer. “"A hora que me chamarem para falar dos dois meses que tentei trabalhar (no ministério), eu irei sem pedir nada de proteção ao STF porque estou em paz. Minha paz vale ouro. O resto é lixo, é irrelevante. Sou amigo do Pazuello e Élcio", afirmou se referindo ao ex-secretário executivo do Ministério da Saúde.

     

    (Com informações do CNN Brasil)

    • R&G Feet
  • sexta, 16 de julho de 2021, às 11:46h

    Que o diretório do MDB no Piauí sempre teve problemas e desavenças internas para se unir em torno de um objetivo em comum isso ninguém pode negar, foi assim no último pleito de 2018 quando o agora senador Marcelo Castro (MDB) e o deputado Thémistocles Sampaio (MDB) não se acertavam do espaço que queriam na chapa de reeleição de Wellington Dias (PT), se o senado, a vice ou os dois. Dessa vez, o que não se esperava era um desentendimento tão precoce novamente envolvendo o deputado Themístocles, mas agora com o “não grato” prefeito eleito de Teresina, Doutor Pessoa (MDB).

    Doutor Pessoa e Themístocles Filho

    Nessa última semana, que completa 200 dias da administração de “Pessoa” a frente da Prefeitura de Teresina o gestor da capital se sentiu incomodado com as cobranças feitas pelo aliado Themístocles Sampaio que relembrou ao prefeito da capital o acordo firmado em 2020 para fazê-lo Prefeito da capital. Em entrevista à imprensa o deputado, que é também presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, relembrou ao Prefeito que conta com o apoio dele para eleições de 2022, quando o parlamentar deve se arriscar em deixar a Alepi para concorrer a vice-governadoria na chapa majoritária ao governo do Piauí encabeçada por Rafael Fonteles (PT), com o apoio do atual governador Wellington Dias (PT).   

    Sobre as cobranças de Themístocles, Doutor Pessoa disse, visivelmente chateado, que o deputado deveria deixar de “lenga lenga” deixando ainda a entender que já não deve mais nada para o parlamentar.

    A CONTA ESTÁ CHEGANDO

    Apesar de Pessoa achar que já não tem mais dívidas com Themístocles, a conta por ter contado com o imprescindível apoio do líder emedebista nas eleições da capital será cobrada pra valer em 2022. Ano que o deputado precisa não só da força da presidência da Alepi, mas também da segunda maior máquina política do Estado [Prefeitura de Teresina], que só perde para o Governo do Estado, para se viabilizar à candidatura de vice na chapa majoritária do PT.

    Em 2018, Themístocles esperava ser o candidato à vice na Chapa de Wellington, mas foi desprezado pelo Governador, que escolheu Regina Sousa.

    Com esse legado político, de apoio de prefeituras de cidades importantes no Norte do Piauí [ em Esperantina (PI) Themístocles tem apoio da prefeita que é sua esposa], com a presidência da Alepi e ainda com o apoio da Prefeitura de Teresina ficará difícil do deputado ser “jogado para escanteio” mais uma vez na disputa pela vaga de vice, como ocorreu nas eleições de 2018. Na época, aos “45 do 2º tempo” Wellington Dias (PT) numa manobra política conseguiu tirar a raposa do MDB da sua chapa na disputa ao governo do Estado, se dando ao luxo de uma chapa pura petista, tendo como candidata a vice, a escudeira fiel Regina Sousa (PT).

    A DESCONFIANÇA EM PESSOA

    Apesar de não está sendo tão bem reconhecido pelo gestor da capital, o presidente da Alepi tem seus méritos na conquista do MDB a Prefeitura. Vale lembrar que a campanha contra hegemônica gestão do PSDB que perdurou por quase 30 anos a frente da Prefeitura de Teresina, começou ainda em março de 2019, quando Themítocles chamou os órgãos de imprensa para dizer que os pré-candidatos à Prefeitura de Teresina seriam os antagônicos Doutor Pessoa (MDB) e Robert Rios (PSB). Aposta arriscada visto que eram dois políticos sem mandatos eletivos, derrotados nas últimas eleições e vistos com desconfiança pelos próprios partidos na época.

    Doutor Pessoa e Robert Rios na campanha de 2020.

    Mesmo assim, dadas as mãos, Themístocles ladeado pelos novos pré-candidatos enfrentou a desconfiança dentro do próprio partido e conseguiu emplacar a campanha iniciativa previamente contra a hegemonia tucana vindo a derrotar o candidato do prefeito Firmino Filho nas últimas eleições. Vale lembrar ainda que a vitória tem ainda um gosto de vingança, visto que nas eleições de 2016, o presidente da Alepi apoiou a reeleição de Firmino para Prefeitura de Teresina tendo até indicado como vice o ex-reitor da UFPI Luís Junior (MDB), aliado de Themítocles. (abaixo vídeo na campanha de 2016)

    Na época, além da vice, o presidente da Alepi ganhou outros espaços na gestão de Firmino tendo indicado o delegado James Guerra e o familiar Ricardo do Rêgo Monteiro, esse último ocupou a SDR do município. Porém, Firmino Filho se sentiu incomodado com a ausência de eficiência na Secretaria de Desenvolvimento Rural e teceu críticas ao próprio secretário. Logo após, Firmino se sentiu traído por Themístocles que não vetou a reeleição de Jeová Alencar para presidência da Câmara, que estava de saída do PSDB para o MDB. Depois dessa confusão, Firmino e Themístocles romperam politicamente e as indicações do deputado foram exonerados, com exceção do vice que não poderia sair do seu cargo.

    A HISTÓRIA SE REPETE

    Se naquela época, Firmino se sentiu incomodado com a atuação do Ricardo Monteiro, indicado de Themístocles para SDR, além da presença constante do parlamentar na Secretaria municipal. Desta vez, a desavença com o atual prefeito da capital, Doutor Pessoa, também começou após o gestor visitar comunidades rurais e reclamar de buracos, cobrando solução por parte do secretário da SDR, que é novamente Ricardo Monteiro por indicação do presidente da Alepi.

    Na época, o deputado chegou a pedir desculpas à população de Teresina e chamou Firmino Filho de Traídor. “Essa ação do tucano mostrou que ele desejava apenas o apoio do PMDB. Porém, não tem respeito a legenda peemedebista. “Eu peço desculpas ao povo de Teresina, do Piauí, porque essa não é atitude de um gestor e muito menos de alguém que quer se candidatar ao governo do Estado”, disse Themístocles em 2017.

    Ricardo na posse como secretário da SDR na gestão do Firmino / Ricardo e esposa Larissa com doutor Pessoa.

    Agora em 2021, após a desavença com Dr. Pessoa, o presidente da Alepi voltou a pedir desculpas. “"Quero pedir desculpas ao povo de Teresina e Piauí. Esse assunto será tratado em 2022. Não tem 10 dias que estive com Doutor Pessoa e nem tratei de política. A única coisa que falei foi na imprensa que o Themístocles e o Jeová ajudaram o Pessoa. Se há um deputado que vai ficar quatro anos sem incomodar [o Pessoa] é o Themístocles. Isso vai ser resolvido em 2022. Meu amigo Doutor Pessoa eu lhe ajudei na campanha. Teresina sabe. Só tenho um jeito de dizer que não o apoiei, é voltar no tempo em 2020", disse o deputado em entrevista nessa quinta-feira (15/07) à TV Cidade Verde.

    Nos bastidores o que se comenta é que Themístocles precisa estar dentro da Prefeitura para garantir que terá o poder político do município para emplacar sua candidatura Vice, visto que a hegemonia dentro da Assembleia pode estar prestes a ruir, já que com a perpetuação com mais de 16 anos na presidência daquela Casa não é tida com bons olhos por nenhum outro partido para próxima disputa à presidência, além dos tribunais de Contas e de Justiça no Estado estarem de olho nessa perpetuação de poder já desmoronada em outros Estado com intermédio do judiciário.

    Outro receio do parlamentar é que Pessoa possa sair do MDB e vislumbrar uma sonhada candidatura ao Governo do Estado e por ainda mais terra nos planos do presidente da Alepi na busca pela candidatura a vaga de vice em 2022.

    O QUE PENSA O MDB NA CAPITAL

    Com três vereadores eleitos em Teresina, sendo um deles o presidente da Câmara Jeová Alencar, os emedebistas acreditam que o desentendimento político entre Doutor Pessoa e Themítocles deverá ser resolvido no diálogo. Por outro lado, caso as coisas piorem, os parlamentares devem seguir pro “lado mais pesado da balança” que é o do deputado, podendo deixar isolado politicamente o prefeito, que já é visto com desconfiança pelos outros políticos na hora de cumprir acordos. Vale lembrar, que tão logo usou o MDB para se eleger prefeito da capital e todos seus caciques políticos do Estado, o Prefeito visitou o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) e disse que poderia deixar o MDB para seguir o presidente, caso ele fosse à algum partido.

    VEREADOR ZÉ NITO (MDB)

     O vereador Zé Nito (MDB), que ocupa o cargo de Superintendente da SAAD Sudeste na Prefeitura [indicado por Themístocles], disse ser amigo e aliado fiel ao deputado. “Sigo ele politicamente há 30 anos e estarei onde ele estiver. Eu ainda não conversei com os dois, mas acredito que isso deve se resolver logo logo. O MDB tem orgulho de ter a presidência da ALepi e agora a Prefeitura de Teresina, não é o momento para desentendimentos. Temos uma eleição pela frente em 2022 e a bancada na Câmara e a Prefeitura deve estar marchando juntos em favor da cidade e do Estado, sem se preocupar em interesses pessoais”, disse Zé Nito.

    Vereador Luiz Lobão

    O vereador Luiz Lobão (MDB) foi também enfático em dizer que não há motivos para descontentamento de nenhuma das partes. “O Pessoa já tem a Prefeitura e o Themístocles foi bastante contemplado com a indicação de secretarias, o que podem querer mais”, destaca.

    Para o parlamentar, o pequeno desentendimento é normal e não deve ganhar repercussão maior. “O Themístocles é muito hábil e sabe que foi muito bem contemplado, não há motivos para chateações”.

    • R&G Feet
  • quinta, 15 de julho de 2021, às 13:03h

    A relação entre o prefeito de Teresina, Doutor Pessoa (MDB), e o presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, deputado Themístocles Filho (MDB), está cheia de atritos e tá “por um fio”. Nesta quinta-feira (15), o gestor municipal participou de uma ação política da prefeitura no campo do Bariri, zona Norte da capital, e quando foi falar com a imprensa acabou sendo questionado sobre a relação com seus colegas partidários e logo elevou o tom, se mostrando indignado com o que chamou de “lenga lenga” do deputado Themístocles.

    “Tenho visto na televisão um grande amigo. Toda vez que meu amigo vai na televisão diz que o Pessoa foi ajudado e não é possível que agora que estou precisando dele. Vejo o Temístocles dizendo ele vai reconhecer. Não, eu sou seu amigo, estou no MDB, mas não fique aqui, alegando uma coisa que já tá cansando (sic)”, reclama Doutor Pessoa.

    Jogou os pés: Pessoa descarta Themístocles alegando que também já lhe ajudou (fotos: Jailson Soares | Política Dinâmica)

    O prefeito da capital ainda afirmou que já ajudou Temístocles na eleição para presidência da Assembleia, além de já te ajudado também o governador Wellington Dias (PT), o ex-governador. “Quero que pare esse lenga lenga de que 'ele é quem sabe', 'é do MDB', 'eu ajudei ele'... você também já foi ajudado pelo Doutor Pessoa”, afirma o prefeito.

    As declarações de Pessoa foram feitas após o deputado Themístocles ter dito em entrevista à imprensa, dias atrás, que espera o apoio do prefeito em 2022. O presidente da Alepi que ter o máximo de apoio possível para emplacar seu nome como candidato à vice-governador na chapa encabeçada pelo secretário de Fazenda, Rafael Fonteles (PT), que deverá ser a indicação do governador Wellington Dias (PT) na disputa ao governo.

    Em sua declaração, Themístocles “cobrou” que Pessoa declare apoio à pré-campanha dele e do secretário Rafael, lembrando que na campanha para Prefeitura de Teresina em 2020, o deputado esteve ao lado e até conseguiu apoios para eleição do atual prefeito e do vice Robert Rios (PSB). Esse último já teve diversas desavenças políticas com o PT e pode ser uma “pedra no sapato” da Prefeitura no apoio à campanha do candidato de Wellington Dias em 2022.

    • R&G Feet
  • quinta, 15 de julho de 2021, às 10:59h

    Em entrevista para o programa Bancada Piauí, da TV Antena 10, nesta semana, o prefeito de Teresina, Doutor Pessoa (MDB), causou reboliço e descontentamento na sua base política na capital ao afirmar que está de olho em quem poderá usar a “máquina pública da Prefeitura” para fazer pré-campanha e campanha visando a disputa de alguma vaga na campanha eleitoral de 2022. Segundo o prefeito, aquele secretário que quiser ser candidato vai se afastar do cargo, mas já sabe que não voltará e nem mais terá a indicação da pasta.

    Eu não firmei apoio à ninguém e não aceito que nenhum dos secretários fazer política com dinheiro público nem neste ano e nem ano que vem. Agora conversar sem pontuar candidato a ou b é normal, mas usar a máquina pública num ano de pandemia e declínio econômico eu não aceito. jogarei fora, inclusive meu filho que está lá, ele tá me escutando sabendo que faço isso”, avisou Doutor Pessoa.

    Doutor Pessoa em entrevista à TV Antena 10

    O prefeito foi ainda mais duro e disse que não aceitará nem mesmo que o candidato que sair da prefeitura nem mesmo indique um novo gestor. “Quem for candidato vai e não volta mais pro lugar e nem tem colocação de irmão ou parente. Nem mesmo o Pessoinha, se ele perder, não volta mais para o lugar e nem aceito colocar outro no lugar, quem vai colocar sou eu”, afirma Pessoa.

    APOIO EM 2022

    Sobre quem a Prefeitura de Teresina e o Doutor Pessoa devem apoiar nas eleições de 2022, o prefeito desconversa e diz que pode estar de olho numa terceira via, deixando a entender que espera aparecer uma terceira pessoa como candidato como opção para não ter que escolher entre o candidato do governador Wellington Dias (PT) e o candidato do senador Ciro Nogueira (PP) que já protagonizada a pré-campanha para o governo em 2022. Doutor Pessoa disse ainda que a nível nacional a situação é a mesma, deixando a entender que também espera o surgimento de uma terceira via para não ter que optar entre os pré-candidatos Lula (PT) e Bolsonaro (sem partido).

    Prefeito Doutor Pessoa em visita ao presidente Bolsonaro em Brasília.

    “Estou com o olho direito de um lado e outro esquerdo de outro. Mas, também estou com um olhar frontal, quem sabe assim não apareça uma terceira via, tanto a nível local, quanto a nível estadual”, explicou Doutor Pessoa.

    HÁ AINDA PROMESSAS A PAGAR

    A fala do prefeito pode ter assustado os secretários da Prefeitura que já deixaram claro que pretendem ser candidatos nas eleições de 2022. A dúvida deles é se o prefeito vai cumprir essa promessa, visto que há várias outras promessas ainda do tempo de campanha que não foram cumpridas pelo gestor. Segundo levantamento feito pelo Portal G1 Piauí, das 75 promessas de campanha feitas pelo gestor durante a campanha à prefeito de Teresina, até os seis primeiro meses de gestão, nenhuma havia sido cumprida.

    A mais famosas dessas está a promessa de solução para o problema do sistema de transporte público da capital que enfrenta problemas há sete meses. Dentre outras promessas ainda não cumpridas estão: Criar novos Centros de Convivência da Terceira Idade; Colocar biblioteca, quadra e laboratórios e dar tablets para todas as escolas; Construir Centro Olímpico Municipal; Criar 30 campos agrícolas na zona rural de Teresina; Reorganizar a configuração espacial da rede de linhas de ônibus coletivos de Teresina, criando novas ligações, rotas e terminais; Realizar atendimentos itinerantes (saúde); dentre outras promessas.

    SECRETÁRIOS CANDIDATOS

    Ao que tudo indica as ameaças do gestor não vão intimidar aqueles que já se colocam como pré-candidatos nas eleições de 2022. Dentre esses está o secretário da Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano (ETURB), Pessoinha (MDB) [filho de Doutor Pessoa], que ganhou de presente do pai a poderosa ETURB, responsável dentre outras coisas pelo asfaltamento de ruas da cidade.

    Com a "máquina do asfalto" na mão e anunciando a compra de outras pela Prefeitura, o secretário Pessoinha tem na agenda várias entrevistas à imprensa anunciando asfaltamento de ruas por toda cidade. Como diria um bom crítico de político, o gestor – filho do prefeito não precisa de um apoio maior do que esse dado pelo pai prefeito [uma secretaria].

    Outro também que pode não se sentir ameaçado com a “promessa” de Pessoa, é o “supersecretário” e vice-prefeito Robert Rios (PSDB). Ele ganhou esse apelido nos bastidores porque, além de acumular a vice-prefeitura, tem ainda a secretária de Finanças e a indicação de outras secretarias na capital. Em entrevista à imprensa, o próprio Robert Rios já ameaçou ser candidato a governador, caso o senador Ciro Nogueira (PP) também se candidate.

    Posse de Pessoinha como secretário da ETURB / Visita do novo secretário à usina de asfalto. 

    A ameaça do prefeito também pode atingir uma aliada tida como “revelação” na campanha eleitoral à Prefeitura de Teresina em 2020. A candidata do PSC ao cargo municipal na época, Gessy Fonseca (PSC), que ficou com o relevante terceiro lugar no primeiro turno do pleito e foi cortejada pelos dois candidatos, Pessoa e Kleber Montezuma, para apoio no segundo turno, tendo optado pelo lado do emedebista. Com a eleição de Pessoa, Gessy foi convidar à assumir secretaria de Economia Solidária. A secretária já avisou que pode até disputar o cargo ao governo em 2022, tendo inclusive surpreendido o prefeito durante uma ação com a imprensa com um “pré-pedido” de apoio, tido como “deselegante” por parte da administração municipal, causando ciúmes políticos em outros secretários.  

    Além desses pré-candidatos que estão nas secretarias municipais, o prefeito também deve estar de olho nos vereadores que tem indicações na Prefeitura e planejam sair candidatos no próximo pleito, que é caso do vereador Dudu (PT) e do presidente da Câmara, Jeová Alencar (MDB).

    Enquanto os secretários esperam que o “santo de casa faça sim milagres” o bom mesmo é doutor Pessoa se concentrar na administração municipal que ainda padece das promessas feitas na campanha.

    • R&G Feet
  • quinta, 15 de julho de 2021, às 9:16h

    A quarta-feira (14) foi um dia exemplar para valorização da participação feminina na política, tendo dentro dos projetos aprovados um que destina 30% dos recursos do Fundo Partidário para as candidatas. Ainda no mesmo dia, o plenário aprovou outro projeto que prevê que as mulheres deverão representar ao menos 30% das vereadoras e das deputadas (estaduais, distritais e federais) de todo país. Com as aprovações, o projeto segue agora para aprovação pela Câmara dos Deputados.

    Deputadas estaduais e federais eleitas em 2018 no Piauí

    Os projetos aprovados são uma reivindicação antiga da bancada feminina no Senado que busca aumentar a representatividade feminina na política nacional, para as senadoras o projeto, inclusive, já deveria começar a valer nas eleições de 2022. Porém, o projeto apresentado pelo senador Angelo Coronel (PSD-BA) e aprovado com versão apresentada pelo relator, Carlos Fávaro (PSD-MT), traz prazos escalonados para chegar ao percentual mínimo de 30% de participação feminina.

    No projeto aprovado, é previso que o percentual de vagas mínimas destinadas seja escalonado a partir das eleições de 2022 e se concretize só nas eleições de 2040. Ficando da seguinte forma:

    Mínimo de 18% nas vagas para mulheres nas eleições de 2022 e 2024

    Mínimo de 20% nas vagas para mulheres nas eleições de 2026 e 2028

    Mínimo de 22% nas vagas para mulheres nas eleições de 2030 e 2032

    Mínimo de 26% nas vagas para mulheres nas eleições de 2034 e 2036

    Mínimo de 30% nas vagas para mulheres nas eleições de 2038 e 2040

    Vale destacar que para mudança no sistema eleitoral já começar a valer em 2020 é necessário que a Câmara analise e aprove o projeto até outubro de 2021, ou seja, um ano antes da eleição de 2022.

    Na Câmara de Teresina quase 20% das vagas foram preenchidas por vereadoras nas eleições de 2020.  

    • R&G Feet
  • quarta, 14 de julho de 2021, às 13:09h

    Após concluir a votação de alguns projetos, o plenário da Câmara de Teresina encerrou a sessão e deu início ao recesso parlamentar da casa, que começa a partir desta quinta-feira (15). A próxima Sessão Ordinária deverá ser realizada no dia 2 de agosto, quando se iniciará o segundo semestre para os vereadores. Nesses seis primeiros meses de gestão, os vereadores que apoiam a gestão do prefeito Doutor Pessoa avaliaram como positiva a relação da Prefeitura com a Câmara, entretanto há aqueles que esperam mais ações resolutivas por parte da prefeitura para o segundo semestre.

    Logo após encerar o semestre e ‘limpar a pauta’ de votações dos projetos, o vereador e presidente da Câmara, Jeová Alencar, disse em entrevista que avalia como positivo o diálogo estabelecido entre os poderes executivo e legislativo. “Esse é meu terceiro mandato como vereador e posso afirmar que nunca um poder executivo foi tão aberto ao diálogo quanto essa gestão atual. Aqui não existe história do vereador ser da base ou da oposição para ser recebido e ter suas demandas dos seus bairros resolvidas. Isso é muito bom, porque quem ganha é a população com essa sintonia entre os poderes”, reforça Jeová.  

    O vereador da oposição, Venâncio Cardoso (PSDB), avalia que nestes primeiros meses a gestão municipal andou mais “devagar” e precisam acelerar no próximo semestre. “A Prefeitura teve seis meses para adequação ao modelo que já existia, acredito que nos próximos seis meses a coisa tem que tender a se organizar num tempo mais célere para a população poder ter um voto de confiança da população. Acredito que tem ainda o que melhorar, mas esses primeiros meses foi um momento de arranjamento da atual gestão e torcemos para que façam uma gestão mais ativa e mais voltada a população a partir de agosto”, pontua.

    O parlamentar também considerou tranquilo, visto que não foi enviado à Câmara nenhum projeto polêmico. “O que teve de mais importante em relação a articulação foram as reformas e, particularmente, acredito que quem ganha a eleição tem que aprovar a sua estrutura administrativa, e isso foi aprovado com tranquilidade na Câmara. Outro ponto foi que sempre que demandamos a vinda de técnicos para explicar determinados projetos para que assim pudéssemos votar foi enviado. Então, por enquanto, tá tranquila a relação”, afirma Venâncio.

    Já o vereador Evandro Hidd (PDT) disse que a gestão municipal deixou a desejar no setor da Educação municipal. O parlamentar destacou que projetos de sua autoria foram aprovados na Câmara para vacinação de professores e servidores do sistema de ensino municipal, sendo que essa vacinação deve em breve finalizada, mas até agora a Prefeitura não se manifestou em relação a volta as aulas.

    “Não vimos nenhum programa da retomada das atividades escolares. A rede municipal foi bastante afetadas devido à Pandemia, só que já temos a vacina, várias cidades no país já colocaram a retomada das aulas em seus planos e nós batalhamos para que as aulas comecem a serem retomadas a partir de agosto para as crianças não sejam mais ainda penalizadas. Para isso, já solicitamos a vinda do secretário de Educação à Câmara e estamos aguardando ele vir para cobramos isso novamente”, destaca Evandro Hidd.

    • R&G Feet


voltar para 'Política Dinâmica'