Coluna Lídia Brito Política Dinâmica
OPERAÇÕES DE CRÉDITO
PAGAMENTO DE EMPRÉSTIMO SUPERA INVESTIMENTOS EM SEGURANÇA PÚBLICA

GOVERNO VAI DESEMBOLSAR MAIS R$ 600 MILHÕES PARA PAGAR DÍVIDA EM 2018, QUE CORRESPONDE A 8% DO ORÇAMENTO DE 2018

17/11/2017 09:29 - Atualizado em 17/11/2017 09:57

O governo do Estado tem feito festa para comemorar que o Piauí tem o menor endividamento da história. Para a gestão do governador Wellington Dias (PT), o dado significa a possibilidade de contrair novos empréstimos garantindo dinheiro para investimentos. Mas a “farra” dos empréstimos pode trazer consequências para a economia do estado em médio e logo prazo.

Governo quer mais empréstimos e dívida deve aumentar (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

A cada novo empréstimo contraído, é necessário aumentar a fatia do orçamento que será destinada para o pagamento da dívida. De acordo com a proposta orçamentária de 2018, no próximo ano, mais de 600 milhões serão desembolsados para pagar a dívida com operações de crédito.

Esse número representa 8% do orçamento do próximo ano. Se novos empréstimos forem contraídos, essa porcentagem deve aumentar. A conta ficará para as próximas gestões que devem substituir o governo atual. Mais dinheiro para dívida pode significar menos dinheiro para áreas sociais.

 Segundo a proposta orçamentária em estudo na Assembleia Legislativa do Estado, o orçamento para 2018 tem previsão de R$ 12,9 bilhões. Porém, após deduções como o repasse para municípios, a receita líquida final é de R$ 7,85 bilhões. O dinheiro que sairá para pagamento da dívida faz parte da receita líquida final.

O aumento do valor destinado ao pagamento da dívida pode comprometer investimentos em outras áreas consideradas essenciais pela população. Analisando a proposta do próximo ano, é possível perceber que a fatia do bolo orçamentário para pagar a dívida é maior do que está previsto para ser investimentos em áreas como segurança pública.

Gustavo Neiva diz que números preocupam (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

Segundo o orçamento de 2018, o governo vai usar R$ 2,7 bilhões para pagamento de pessoal no próximo ano. A saúde tem orçamento previsto em 1.181.607.443. Educação terá receitas de R$ 1.957.519.354. A área de segurança pública terá orçamento de R$ 258.626.004.

O deputado de oposição, Gustavo Neiva (PSB), alerta para os riscos futuros e os encargos que o governo pode deixar para as próximas administrações. “O governo só fala na capacidade de endividamento, mas e a capacidade de pagamento. Como pagar esses empréstimos no futuro. Alguma área vai ser comprometida para sobrar dinheiro para pagar a dívida. Me preocupa que a Assembleia possa aprovar proposta que permite ao estado conseguir dinheiro até em instituição não financeira. É preciso pensar nas consequências futuras. Esse valor supera o que se investe em segurança pública por exemplo”, declarou.

O secretário de Planejamento, Antônio Neto, defende a necessidade dos empréstimos para os investimentos.  “O governo não tem de onde tirar recursos para investir. Os empréstimos são fundamentais para isso. É preciso fazer obras, o estado não pode apenas pagar salários. Ninguém quer um governo que apenas paga folha. No momento que vivemos os empréstimos são importantes”, afirmou.

Antônio Neto defende a importância dos empréstimos (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

O governo afirma que no ano passado, o Estado ocupou o 3º lugar no país entre as unidades da federação que mais realizaram investimentos. Foram aplicados 10,7% da RCL em investimentos. "O Estado está contratando novas operações de crédito, mas, ao mesmo tempo, está amortizando parcelas de outras operações e está aumentando a sua receita. Por isso o endividamento está diminuindo ano a ano", garante o secretário Rafael Fonteles.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
DISPUTA
DEOLINDO DIZ QUE BASE RECEBE ORDENS PARA ATACAR OPOSIÇÃO
DEOLINDO DIZ QUE BASE RECEBE ORDENS PARA ATACAR OPOSIÇÃO
DISCUSSÃO
O APARTE MAIS PROFUNDO DA HISTÓRIA DA CÂMARA
O APARTE MAIS PROFUNDO DA HISTÓRIA DA CÂMARA
CONFLITO
“DIA DO JACARÉ”, DIZ DUDU SOBRE DEMISSÃO DE COMISSIONADOS
“DIA DO JACARÉ”, DIZ DUDU SOBRE DEMISSÃO DE COMISSIONADOS
CÂMARA
"CHEGA, FIRMINO!", DIZ MAJOR PAULO ROBERTO