Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
POLÍCIA FEDERAL EM ENDEREÇOS DE VALTER ALENCAR

ADVOGADO PIAUIENSE TEM ENDEREÇOS VISITADOS PELA PF EM INVESTIGAÇÃO QUE APURA ESQUEMA DE CORRUPÇÃO NO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO

28/08/2020 08:31 - Atualizado em 28/08/2020 10:41

Piauiense é alvo de buscas da Polícia Federal (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta sexta-feira (28) mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao advogado e político Valter Alencar (PSC), em Teresina. 

A ação é um desdobramento da Operação Placebo, que investiga uma organização criminosa voltada para desvio de recursos da saúde, principalmente no Rio de Janeiro. O governador Wilson Witzel (PSC) foi afastado do cargo pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). No total, são 17 mandados de prisão, sendo seis preventivas e 11 temporárias, e 72 de busca e apreensão.

Em Teresina, Valter Alencar foi alvo em razão de ter sido assessor especial de Wilson Witzel em 2019. Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), o governo do Rio de Janeiro nomeou parentes do advogado piauiense e outras pessoas ligadas a ele para diversos cargos públicos no Rio de Janeiro. A investigação aponta fortes indícios de que os indicados de Valter Alencar eram funcionários fantasmas no Rio, já que mantinham atividades no Piauí.

Na capital piauiense, os agentes da Polícia Federal estiveram na sede do portal Clube Sat, da família de Valter, e no Diretório Regional do PSC, partido que o advogado preside no Piauí. Valter foi candidato a governador do Piauí em 2018 pelo PSC e é pré-candidato a prefeito de Teresina.

Valter Alencar nega as acusações. Ele já havia admitido que realmente fez as indicações, mas alega que todos trabalhavam nos cargos para os quais foram nomeados no governo do Rio. Sobre a operação desta sexta-feira, Valter confirmou que endereços ligados a ele foram alvos de operação padrão de busca e apreensão. Ele negou que tenha ligação societária com o portal de notícias Clube Sat, um dos endereços alvos da PF. O portal pertence à família dele.

"Foi realizada uma operação padrão de busca e apreensão da Polícia Federal na sede do partido PSC, no Piauí. Assim como no portal de notícias Clube Sat, apesar de não existir qualquer tipo de ligação societária com esse noticiante. Tal operação trata-se de uma ramificação das investigações que estão ocorrendo no Governo do Rio de Janeiro, que é do mesmo partido político", disse Valter através de nota distribuída à imprensa.

Ele completou: "Cabe ressaltar que ocupei um cargo de assessoria no governo de Witzel, no qual estou há mais de um ano afastado, por decisão minha, e por esse motivo a Polícia Federal está cumprindo protocolos no estado do Piauí. Estou tranquilo e colaborando com o trabalho da polícia, que visa combater a corrupção no Brasil, em um momento tão complicado de pandemia. Confio na Justiça e no meu direito de defesa", falou o advogado.

Pastor Everaldo Pereira foi preso na operação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

A Polícia Federal também cumpre mandados de busca e apreensão e de prisão em outros estados. O presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo, foi preso na operação.

LEIA TAMBÉM:
STJ afasta governador do Rio

Comente!

ANTERIOR

ASSESSORIA DE QUIRINO DIZ QUE OPERAÇÃO TEM VIÉS POLÍTICO; ELE ESTÁ FORAGIDO

PRÓXIMA

QUIRINO AVELINO SEGUE SENDO PROCURADO PELA POLÍCIA