Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
OS GORDOS SALÁRIOS NO CONSÓRCIO NORDESTE

GRUPO OFICIALIZADO EM 2019 POR GOVERNADORES DOS ESTADOS NORDESTINOS TEM ESTRUTURA DE CARGOS COM ALTAS REMUNERAÇÕES

12/06/2020 13:13 - Atualizado em 12/06/2020 13:27

Consórcio é formado por estados do Nordeste (Foto: Divulgação/Governo do Piauí)

O Consórcio Nordeste, formado por governadores dos estados do Nordeste, é uma estrutura que ainda precisa ser melhor conhecida. Criado em 2019, o Consórcio permite aos nove governadores, todos com o mesmo viés ideológico, fazerem compras conjuntas.

Pelo menos duas compras de respiradores feitas este ano pelo Consórcio estão no centro de uma polêmica. Os governadores alegam ter levado um calote de empresas que não forneceram o material, mas cujo pagamento foi antecipado. O caso está sendo investigado.

Quando se fala do Consórcio Nordeste, o que se tem de certo mesmo são os gordos salários em sua estrutura. A resolução 04/2019, assinada pelos nove governadores, entre eles Wellington Dias (PT), do Piauí, instituiu cargos e salários dentro do consórcio.

O cargo de secretário-executivo do consórcio teve remuneração fixada em R$ 19.500 e foi dado a Carlos Gabas, ex-ministro dos governos Lula e Dilma, do PT. Em 2016, Gabas foi alvo de uma operação da Lava Jato, suspeito de recebimento de propina.

Os outros cargos também são bem generosos.

Secretário-executivo = R$ 19.500
Analista técnico / chefe de gabinete = R$ 17.500
Analista Técnico / Subsecretário de Programa = R$ 17.500
Analista Técnico / Diretor Administrativo Financeiro = R$ 17.500
Analista Técnico / Gerente Administrativo = R$ 15.500
Analista Técnico / Gerente Financeiro = R$ 15.500

LEIA TAMBÉM:
Deputados no rastro do Consórcio Nordeste

ANTERIOR

MAURO TAPETY VENCE COVID-19 E DEIXA HOSPITAL

PRÓXIMA

MERLONG JÁ FOI EXONERADO PARA TOMAR POSSE NA CÂMARA