Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
“NÃO ESTAMOS NUMA DITADURA”

LÍDER DA OPOSIÇÃO NA ASSEMBLEIA DEFENDE DECISÃO DO TJ-PI E AFIRMA QUE PRESSA DO GOVERNO EM APROVAR REFORMA FERE A DEMOCRACIA

09/12/2019 15:11 - Atualizado em 09/12/2019 15:24

Deputado condena pressa de Wellington (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O líder da oposição na Assembleia Legislativa do Piauí, deputado estadual Gustavo Neiva (PSB), afirmou nesta segunda-feira (9) que é imprescindível ampla discussão sobre a proposta de reforma da Previdência estadual. Para ele, a forma como o governo de Wellington dias (PT) quer tocar o assunto é coisa de regime de exceção, onde o diálogo é cerceado.

"A grande maioria dos estados não vai fazer a reforma esse ano. Cito dois governados por petistas: o Ceará e a Bahia. Eles sequer encaminharam as mensagens para a Assembleia. Eles estão debatendo com as classes dos servidores e escutando sugestões para que em fevereiro, aí sim, essa proposta esteja melhorada e possa ser discutida na Assembleia. A toque de caixa como aqui no Piauí nem os servidores e nem nós da oposição podemos aceitar, até porque não estamos numa ditadura. Nós estamos numa democracia", desabafou.

Gustavo Neiva e os deputados Marden Menezes (PSDB), Lucy Soares (Progressistas) e Teresa Britto (PV) foram até o Tribunal de Justiça do Piauí na manhã desta segunda. Eles querem que uma liminar do desembargador Raimundo Nonato Alencar concedida no domingo (8) seja mantida. A liminar proibiu a Assembleia Legislativa de votar a proposta encaminhada pelo Governo do Estado em regime de urgência. Assembleia e governo já recorreram da decisão.

Notícias relacionadas
MARGARETE CELEBRA ANIVERSÁRIO DO PARQUE SERRA DA CAPIVARA
MARGARETE CELEBRA ANIVERSÁRIO DO PARQUE SERRA DA CAPIVARA
PREFEITURA DE DOM INOCÊNCIO ANUNCIA LOCKDOWN
PREFEITURA DE DOM INOCÊNCIO ANUNCIA LOCKDOWN
PROFISSIONAIS DE SAÚDE AMEAÇAM ENTREGAR CARGOS EM FLORIANO
PROFISSIONAIS DE SAÚDE AMEAÇAM ENTREGAR CARGOS EM FLORIANO
CONVENÇÕES VIRTUAIS: SEM FESTA NO INTERIOR
CONVENÇÕES VIRTUAIS: SEM FESTA NO INTERIOR