Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
FALCATRUA EM PICOS CHAMOU ATENÇÃO DA PF

AGENTES FIZERAM BUSCAS NA PREFEITURA DO MUNICÍPIO. LÁ, UMA DISPENSA DE LICITAÇÃO FRAUDULENTA DESENCADEOU A INVESTIGAÇÃO.

02/07/2020 09:05 - Atualizado em 02/07/2020 09:51

Uma dispensa de licitação feita de forma fraudulenta na Prefeitura de Picos, a 306 km de Teresina, foi o ponto de partida para a operação Reagente, deflagrada nesta quinta-feira (2) pela Polícia Federal no Piauí. De acordo com a PF, a dispensa de licitação nº 21/2020 foi feita com utilização de documentos falsos por agentes públicos e empresários.

Como resultado das fraudes nesse processo de dispensa, os contratos foram direcionados à empresa integrante do grupo criminoso que, segundo a PF, é responsável pela venda de exames de Covid-19 com preços superfaturados. A Prefeitura de Picos, administrada por Padre Walmir Lima (PT), foi alvo de buscas nesta quinta-feira. 

Os mesmos testes eram vendidos a clínicas particulares pelos preços de R$ 120 a R$ 150. Já os órgãos públicos pagaram valores de R$ 170 a R$ 210, o que representa superfaturamento de aproximadamente 40%, com prejuízo direto a recursos oriundos de emendas federais.

Além de Picos, a Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em Teresina, Bom Jesus e Uruçuí. De acordo com a PF, os indícios apontam que o mesmo esquema criminoso atua em mais 28 cidades do Piauí. Não houve mandados de prisão.

LEIA TAMBÉM:
Covid-19: PF deflagra operação no Piauí

ANTERIOR

EX-PREFEITO PIAUIENSE MORRE DE COVID-19

PRÓXIMA

COM COVID, MARGARETE RELATA QUE ESTÁ “TOTALMENTE INDISPOSTA”