Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
FAMÍLIA PAES LANDIM TENTA ESQUECER DIVERGÊNCIAS EM SÃO JOÃO

TRADICIONAL CLÃ POLÍTICO DEVE MARCHAR UNIDO NAS ELEIÇÕES DESTE ANO, MAS RESSENTIMENTOS DE PLEITOS PASSADOS AINDA MEXE COM ELEITORES

15/06/2020 11:05 - Atualizado em 15/06/2020 11:31

Paes Landim, Eduardo Moura e Amparo Landim (Fotos: PD/Reprodução/Alepi)

A disputa política pela prefeitura de São João do Piauí, a 450 km de Teresina, promete ser novamente acirrada. No dia 8 deste mês, o Política Dinâmica noticiou a união de Alexandre Mendonça (PSB), Vilmar Paulo (PSDB) e Pauliana Ribeiro de Amorim (PL), três pré-candidatos de oposição. Dos três, o acordo é lançar apenas um como candidato.

Mas por lá, a oposição tem mais alternativas. Fora desse acordo oposicionista está a pré-candidatura do médico Eduardo Moura (PSD). 

Genro da ex-deputada estadual Amparo Paes Landim, ele deverá ser o candidato da família Paes Landim, tradicional clã político do município. O deputado federal Paes Landim sinaliza apoio à candidatura de Eduardo. O ex-prefeito Murilo Paes Landim garante presença no palanque.

O médico tem aparecido bem em pesquisas internas e conta, segundo o seu partido, com apoio de 30 pré-candidatos a vereador, incluindo quatro parlamentares da oposição.

QUEIXAS E RESSENTIMENTOS DO PASSADO

Na cidade, muita gente se remete às eleições de 2016 e 2018 quando o assunto é a candidatura do genro de Amparo Paes Landim. Se hoje Amparo está perto de contar com o apoio do irmão mais ilustre, o deputado federal Paes Landim, ele não contou com o apoio dela nos últimos pleitos. Em 2016, Paes Landim apoiava o médico Alexandre Mendonça, que perdeu para o atual prefeito Gil Carlos (PT) por uma margem pequena de votos.

Na época, Amparo aderiu à campanha de Gil Carlos nos últimos dias e muitos eleitores consideram a adesão dela crucial para a derrota de Alexandre Mendonça, nome apoiado à época por Paes Landim. Já nas eleições de 2018, Amparo e seu filho Robert, ex-prefeito da cidade, votaram em Heráclito Fortes para deputado federal. O apoio foi considerado por muitos como decisivo para a derrota de Paes Landim, que ficou na suplência.

Para as eleições deste ano, as discordâncias entre Amparo e Paes Landim parecem estar ficando para trás, mas muitos eleitores fiéis ao velho deputado federal não esquecem as derrotas de 2016 e 2018, atribuídas em grande parte ao apoio que Amparo deixou de dar.

Por conta desse ressentimento do passado, alguns segmentos do eleitorado ligados a Paes Landim evidenciam que tendem a votar em Alexandre Mendonça. Ele foi o candidato do deputado Paes Landim nas duas últimas eleições, ambas perdidas para o prefeito Gil Carlos. Em 2016, a diferença entre Gil e Mendonça foi de apenas 319 votos.

Daqui para a eleição, muita coisa ainda promete acontecer em São João Piauí. As campanhas eleitorais na cidade costumam ser agitadas e em 2020 não será diferente. Alexandre Mendonça, Eduardo Moura e o candidato a ser escolhido no esquema do atual prefeito não vão entrar na disputa para brincar. O cenário eleitoral na cidade promete.

ANTERIOR

CONSELHEIRO LUCIANO NUNES TESTA POSITIVO PARA COVID-19

PRÓXIMA

NOVO PRESIDENTE DO PT VAI SER UM DEPUTADO ESTADUAL