Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
CONVENÇÕES VIRTUAIS: SEM FESTA NO INTERIOR

TRADICIONAIS MULTIDÕES EM CONVENÇÕES PARTIDÁRIAS NO INTERIOR DEVEM DAR LUGAR A EVENTOS REALIZADOS DE FORMA REMOTA PELA INTERNET

04/06/2020 15:17 - Atualizado em 04/06/2020 16:26

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou nesta quinta-feira (4) a realização de convenções partidárias de forma virtual nas eleições municipais de 2020, em razão da pandemia do novo coronavírus. Segundo a decisão, os partidos têm autonomia para utilizar as ferramentas tecnológicas que entenderem necessárias para as convenções.

Se assim acontecer, será uma realidade bastante diferente. No interior do Piauí, os políticos vão estranhar muito essa nova realidade. Até alguns anos atrás, as convenções eleitorais no interior eram a primeira grande demonstração de força política dos candidatos.

Em muitos casos, a multidão nas convenções era a primeira "pesquisa eleitoral" nos municípios. O candidato que botasse mais gente na convenção, largava como grande favorito na disputa pelas prefeituras das pequenas cidades. Em alguns casos, o vitorioso despontava ali.

Os candidatos mobilizavam todo o município para levar o povo para a convenção. Era uma festa gigante, com foguetório, comida, filas de carros chegando das comunidades rurais e entrando ao mesmo tempo nas cidades. Nas rádios da região, avisos informavam os horários em que os carros passariam nas comunidades pegando o povo.

De uns anos para cá, a Justiça Eleitoral no Piauí tem restringido a participação de multidões nas convenções. Em alguns casos no interior do estado, promotores firmaram Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com partidos para apenas filiados participarem. Esses acordos são quase sempre desobedecidos, mas o público, de fato, diminuiu bastante. 

As convenções de hoje nem de longe se parecem com aqueles mega eventos que aconteciam até alguns anos atrás. Em 2020, sendo as convenções realizadas de forma virtual, muita gente vai sentir saudade das convenções tradicionais. Nas cidades pequenas, não será fácil fazer nessa modalidade, até mesmo por conta a estrutura tecnológica local.

Mas em tempos de pandemia, tudo muda. Se até o mês das eleições pode mudar, por que não mudar o jeito de fazer convenção? São as marcas da Covid-19.

ANTERIOR

CONSELHEIRO LUCIANO NUNES TESTA POSITIVO PARA COVID-19

PRÓXIMA

NOVO PRESIDENTE DO PT VAI SER UM DEPUTADO ESTADUAL