Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
TCE-PI RETOMA INSPEÇÕES EM OBRAS NO INTERIOR

DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO VOLTA A INSPECIONAR OBRAS PÚBLICAS PARA TENTAR EVITAR FALCATRUAS E SERVIÇOS DE QUALIDADE DUVIDOSA

25/08/2020 18:11 - Atualizado em 25/08/2020 18:20

Técnicos do TCE-PI durante fiscalização no interior (Foto: Divulgação/TCE-PI)

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) retomou na semana passada as inspeções em obras públicas no interior do Piauí. A Diretora de Fiscalização de Obras e Serviços de Engenharia (DFENG) realizou inspeção in loco em objetos de restauração e construção de estradas vicinais nos municípios de São João do Piauí, Eliseu Martins e Guadalupe, na região Sul do Estado.

A inspeção foi realizada no período de 17 a 21 de agosto e faz parte do Plano Anual de Controle externo do Tribunal de Contas do Estado do Piauí. As três obras somam um montante de mais de R$ 3 milhões e são realizadas por secretarias estaduais e pela prefeitura de Guadalupe.

A equipe de auditoria fez análise sobre a quantidade e a qualidade do material utilizado nas vias. Para isso, foi utilizado o Dynamic Cone Penetration (DCP), ferramenta de avaliação das características físicas da obra, além das ferramentas já utilizadas em auditoria de obras.

O DCP permite análise de suporte de camadas de infraestrutura de vias pavimentadas e não pavimentadas, quando estão previstos, ou não, serviços de compactação do solo. A ferramenta, adquirida pelo TCE-PI em 2019, fortalece as auditorias de obras públicas.

Inspeções verificam qualidade das obras públicas (Foto: Divulgação/TCE-PI)

A inspeção com o equipamento pode ser realizada tanto antes quanto após a execução dos serviços. Em ambos os casos, o DCP permite extrair dados que posteriormente serão comparados com as informações de projeto e das medições na fase de execução, como por exemplo, a espessura da via e o grau de compactação.

As inspeções têm por objetivo verificar a qualidade das obras públicas e identificar fraudes na execução delas. Um dos pontos mais inspecionados é a qualidade do material usado. A intenção é evitar que gestores públicos usem materiais de qualidade duvidosa ou em quantidade insuficiente. Na prática, o TCE-PI tenta evitar o chamado “serviço porco” nas obras.

Com informações da assessoria do TCE-PI

Comente!

ANTERIOR

MAIS DA METADE DOS GOVERNADORES JÁ TEVE COVID-19

PRÓXIMA

AVELINO NEIVA DESISTE DA PRÉ-CANDIDATURA EM FLORIANO