Coluna Lídia Brito Política Dinâmica
ELEIÇÕES 2018
PODEMOS DISCUTE APOIO À CANDIDATURA DE JOÃO VICENTE

DEPUTADO SILAS FREIRE AFIRMA QUE SOFRE PRESSÃO DE LÍDERES DA LEGENDA PARA DEIXAR A BASE DE APOIO AO GOVERNADOR WELLINGTON DIAS

16/01/2018 12:23

A permanência do Podemos na base de apoio do governador Wellington Dias (PT) não é prego batido. O presidente da sigla no Piauí, deputado Silas Freire, afirma que sofre pressão de setores da sigla para romper com o petista.

Segundo ele, alas do partido desejam apoiar a candidatura do ex-senador João Vicente Claudino a governador. Silas afirma que na próxima semana o partido irá se reunir para discutir o caminho que seguirá na eleição de outubro.

Silas Freire não garante apoio do Podemos a Wellington Dias (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

 “Confesso que tenho levado uma pressão grande para que o Podemos deixe a base de apoio ao governador Wellington. Tenho tentado manter essas conversas para que possamos decidir isso pelo menos em abril, para não politizarmos logo o momento. Mas tenho sido pressionado. Não é uma posição majoritária do Podemos deixar o governo. Agora se o JVC for candidato, há muitos simpatizantes do partido à candidatura dele”, declarou.

Silas disse defender a permanência do partido no governo. Mas afirma que não irá impor nenhuma decisão. “O podemos não é só o Silas. Eu já sai do PR porque o presidente de lá carregava o partido dentro de um pasta. Era ele, a mãe dele e o cunhado. Eu sai para promover a democracia. No Podemos vamos ter candidatos à Assembleia Legislativa em todos os cantos do estado. Tenho que ouvir todos eles. Eu acho que Wellington conseguiu segurar uma barra onde grandes estados como Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul mergulharam no caos. Tivemos a habilidade do governador, isso é um êxito. Precisa ser levado em conta”, afirmou.

Sobre o filho Stanley Freire, que é coordenador de Piscicultura do Piauí, Silas afirma que ele deve se afastar da pasta por questões de saúde e não políticas. “Há a pressão do partido para que o Stanley entregue o cargo. O cargo dele foi nomeação dada ao grupo político do deputado Silas e não ao Podemos. Até porque na eleição de 2014 não estávamos no partido. Vamos fazer uma reunião na semana que vem para discutir o futuro.  Tem gente da executiva que defende que o Stanley entregue. Ele passa por um tratamento de saúde, é um paciente renal, busca um transplante. Se deixar é por recomendações médicas e não partidárias”, comentou.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
ELEIÇÕES 2018
WELLINGTON ACEITA SUGESTÃO DE CIRO DE FAZER PESQUISA PARA DEFINIR VICE
WELLINGTON ACEITA SUGESTÃO DE CIRO DE FAZER PESQUISA PARA DEFINIR VICE
VIAGEM
GOVERNO TEM PRESSA NA FORMAÇÃO DAS COMISSÕES
GOVERNO TEM PRESSA NA FORMAÇÃO DAS COMISSÕES
ELEIÇÕES 2018
“MAIORES PARTIDOS DEVEM FICAR COM AS VAGAS MAJORITÁRIAS”, DIZ MARCELO CASTRO
“MAIORES PARTIDOS DEVEM FICAR COM AS VAGAS MAJORITÁRIAS”, DIZ MARCELO CASTRO
DISPUTA
“É CHOVER NO MOLHADO”, DIZ FIRMINO SOBRE DECLARAÇÕES DE JEOVÁ
“É CHOVER NO MOLHADO”, DIZ FIRMINO SOBRE DECLARAÇÕES DE JEOVÁ