Coluna Lídia Brito Política Dinâmica
OPOSIÇÃO DENUNCIA FAVORECIMENTO DE VIVIANE MOURA EM CONTRATO

SUPERINTENDENTE DE PARCERIAS E CONCESSÕES É ACUSADA DE TER SIDO BENEFICIADA COM CONTRATO ENTRE O GOVERNO E FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS

02/08/2017 08:09 - Atualizado em 28/03/2019 09:12

O deputado Robert Rios (PDT) não é o único em apontar suposta irregularidade em contrato firmado entre o governo de Wellington Dias (PT) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O deputado Rubem Martins (PSB) também defende que o suposto beneficiamento da empresa do marido da Superintendente de Parcerias e Concessões, Viviane Moura, seja apurado.

De acordo com o deputado, Viviane tem ligações familiares com o governador. A empresa do marido dela teria terceirizado serviço em que a Fundação Getúlio Vargas (FGV) teria sido contratada por R$ 10 milhões. O contrato ocorreu em caráter de emergência e sem licitação.

Outro parlamentar que exige auditoria no contrato é o deputado Gustavo Neiva. Segundo ele, a FGV foi contratada para acompanhar os contratos de Parcerias Público Privadas que são de responsabilidade de Viviane Moura. Sendo assim, a empresa do marido dela não poderia prestar o serviço de forma terceirizada.

Gustavo Neiva denuncia problemas graves nas PPP’s realizadas no estado que deveriam ser fiscalizadas pela FGV. “Não entendo como uma empresa como a FGV recebe R$ 10 milhões para orientar e acompanhar PPPs e não deu certo nenhuma. Não pode ser a FGV que esteja fazendo esse acompanhamento. Tem algum erro, algum problema. A informação é que uma empresa terceirizada presta o serviço”, disse.

A reportagem tentou entrar em contato com Viviane Moura, mas não obteve retorno. 

ANTERIOR

WELLINGTON ACEITA SUGESTÃO DE CIRO DE FAZER PESQUISA PARA DEFINIR VICE

PRÓXIMA

GOVERNO TEM PRESSA NA FORMAÇÃO DAS COMISSÕES