Coluna Lídia Brito Política Dinâmica
IRREGULARIDADES
MINISTÉRIO PÚBLICO DE CONTAS PEDE CONDENAÇÃO DO EX-PRESIDENTE DA AGESPISA EM R$ 87 MILHÕES

RAIMUNDO TRIGO FOI PRESIDENTE DA EMPRESA NOS PRIMEIROS ANOS DA GESTÃO DO GOVERNADOR WELLINGTON DIAS

26/09/2017 10:30 - Atualizado em 26/09/2017 10:44

Raimundo Trigo pode ser condenado a pagar R$ 87 milhões (Foto:Ascom/Alepi)

A Corte do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) irá julgar nesta quarta-feira (27) a prestação de contas da Agespisa no período de 2015. O parecer do Ministério Público de Contas aponta diversas irregularidades e pede a condenação do ex-presidente Raimundo Nonato Farias Trigo a ressarcir o erário público no valor de R$ 87 milhões.

O Ministério Público de Contas pede ainda que o Ministério Público Estadual acompanhe o efetivo ressarcimento ao erário do valor condenado em débito e para as providências cabíveis em relação às irregularidades apontadas. O governo realizou processo de subconcessão da Agespisa ao alegar uma dívida de R$ 1 bilhão que inviabilizaria a continuidade do serviço prestado pela empresa. Atualmente a empresa Aegea faz o trabalho que deveria ser feito pela Agespisa em Teresina. Apesar do governo alegar crise financeira, o relatório mostra que além de problemas de falta de dinheiro, há também problemas de gestão.

O relatório aponta irregularidades em contrato firmado com a empresa TICKET SERVIÇOS S/A. O contrato seria para prestação do serviço de gestão de  frota,  com  o  objetivo  de  favorecer  o  controle  e  otimizar  o  atendimento  da  frota  de veículos em postos de gasolina, assim como a possibilidade de disponibilização de uma rede  de  oficinas  e  concessionárias  credenciadas  para  os  serviços  de  manutenção  e rastreamento de veículo. Mas a análise do DFAE mostra o contrário.

Wellington Dias alega problemas financeiros para realizar PPP da Agespisa (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

“A análise do contraditório da DFAE destaca que o objeto do contrato  analisado não abrange a compra de combustível, nem a prestação do serviço de manutenção dos   veículos, abrange apenas o controle e   gerenciamento do   atendimento   destes serviços.  Desta  forma,  as  despesas  com  combustível  e  manutenção  de  veículos  realizados pela  AGESPISA  se  mostraram  ilegais,  já  que  não  foram  amparadas  em prévio procedimento licitatório”, diz o relatório.

A gestão de Raimundo Trigo também é acusada de ter contratado escritório de forma irregular, burlando a lei de licitações. O contrário com escritório Almeida e Costa  Advogados é alvo de suspeitas. Outra suspeita recai sobre o contrato realizado com a SERVI SAN LTDA. A empresa foi contratada para prestação de serviços em 19 postos  de  vigilância  armada  para  12  horas  noturnas - escala  12/36  horas,  postos  12 horas com dobra 24 hs sdf, 7 postos 24 horas ininterruptas, no total de 33 postos, para servirem na Capital e no Interior do Estado do Piauí. Para o Tribunal Público de Contas, o acordo feito entre a Agespisa e a empresa fere o art. 57, II da Lei 8.666/93 que limita a sessenta meses a prestação dos serviços a serem executados de forma continuada.

A multa no valor de R4 87 milhões se deve a irregularidades na constatação de despesas decorrentes de juros e multas decorrentes de pagamentos em atraso. De acordo com a denúncia “a DFAE apontou a apropriação de despesas com juros e multas no valor de R$ 87.101.794,04 e pagamento no valor de R$ 3.116.367,31”. O relatório cita ainda irregularidades com relação a despesas com o INSS. “Caracteriza dano ao erário, decorrente de ato de gestão ilegal, ilegítimo ou antieconômico, nos termos do art.122, III, da Lei Estadual no 5.888/09, o pagamento de multa, juros e demais encargos de natureza compensatória em virtude do recolhimento intempestivo de contribuições previdenciárias, salvo comprovação inequívoca que não deu causa à mora”.

Na defesa apresentada, os advogados do presidente afirmam que “sobre os fatos acima apontados, a defesa do gestor argui que o valor das multas de R$ 12.013.487,99 e o dos juros no aporte de R$ 71.971.938,74 são referentes a apropriação contábil pelo regime de competência mensal durante o exercício de 2015 e correspondem aos impostos e contribuições em atraso. Destaca que sua gestão não deu causa aos vultosos débitos e não tem medido esforços para barrar ou mesmo diminuir o passivo resultante. Quanto ao valor de R$ 3.116.367,74, salienta que R$ 222.505,91 é referente às multas consolidadas aplicadas em parcelamentos de débitos de faturas de energia elétrica contraídos junto a ELETROBRAS PIAUÍ não configurando, portanto, pagamento em atraso, e o valor de R$ 2.893.861,40 é referente a apropriação contábil de juros vincendos de 1% a.m pagos no ano de 2015, também não sendo pagamento em atraso. Do mesmo modo, o valor de R$ 2.745.056,37 que são referentes a apropriação contábil de juros vincendos de 1% a.m a ser pago no ano de 2017, não caracterizando assim, pagamento em atraso”.

Apesar da defesa, o Ministério Público de Contas afirma que as irregularidades não foram explicadas e pede a aplicação da multa no valor de R$ 87 milhões. “Não restando afastada a responsabilidade do gestor, nem tampouco comprovada que a administração do órgão implementou medidas, oportuno tempore, com o fim de alcançar o responsável pelos pagamentos de multas e juros e reaver os valores pagos a tal título, entende este MPC que cabe ao gestor Raimundo Nonato Farias Trigo o ressarcimento do montante de R$ 87.101.794,04 aos cofres públicos”, diz o relatório.

A reportagem tentou entrar em contato com Trigo, mas não obteve retorno. A redação está aberta à esclarecimentos.

Comentários (1)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
    Francisco dos Santos em 27 de setembro de 2017 às 07:09

    trigo

Notícias relacionadas
ELEIÇÕES 2018
“TRÊS ALBERTÕES DE VOTOS PARA REJANE DIAS”, PEDE DANIEL OLIVEIRA
“TRÊS ALBERTÕES DE VOTOS PARA REJANE DIAS”, PEDE DANIEL OLIVEIRA
REELEIÇÃO
DE OLHO EM 2018, WELLINGTON E REJANE DIAS REÚNEM PREFEITOS
DE OLHO EM 2018, WELLINGTON E REJANE DIAS REÚNEM PREFEITOS
DISPUTA
LÍDER REAGE E CRITICA OPOSIÇÃO A WELLINGTON DIAS
LÍDER REAGE E CRITICA OPOSIÇÃO A WELLINGTON DIAS
DISPUTA
“VOU PEDIR A DISSOLUÇÃO DA CÂMARA DE TERESINA”, DIZ DUDU
“VOU PEDIR A DISSOLUÇÃO DA CÂMARA DE TERESINA”, DIZ DUDU