Coluna Lídia Brito Política Dinâmica
GOVERNO TEM PRESSA NA FORMAÇÃO DAS COMISSÕES

WELLINGTON DIAS DEVE VIAJAR A PORTUGAL E PRECISA DAS COMISSÕES PARA RECEBER AUTORIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

09/02/2018 08:42 - Atualizado em 09/02/2018 14:54

Os partidos e blocos partidários começaram a indicar seus líderes na Assembleia Legislativa. Essa etapa é importante porque só depois de todas as indicações serem feitas, a Casa irá definir quem serão os presidentes das comissões técnicas.  

Governo quer a formação de Comissões para aprovar viagem de Wellington (Foto:JailsonSoares/PoliticaDinamica.com)

No MDB, partido com a maior bancada da Casa, o deputado Severo Eulálio assumirá o lugar de líder que foi do deputado João Madison. O partido quer o comando da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), considerada a mais importante da Assembleia.

Já o deputado Júlio Arcoverde (PP) anunciou a indicação do deputado B. Sá para o bloco composto pelo Progressistas (PP) e Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Compõe o bloco os deputados Júlio Arcoverde, Belê Medeiros (PP), B. Sá, Liziê Coelho (PTB) e José Hamilton (PTB). O PP deve indicar um nome para presidir a comissão de Finanças.

O deputado Dr. Pessoa (PSD) continuará como líder do Partido Social Democrático. “Quero antecipar que eu devo continuar na liderança do partido”, disse.

O presidente da Assembleia, deputado Themístocles Filho, afirma que as comissões já tem como primeira missão aprovar viagem internacional do governador Wellington Dias (PT). “É importante a formação das comissões. Hoje recebemos uma mensagem do governador solicitando autorização para uma viagem internacional. E esse documento precisa do parecer da Comissão para vir a Plenário e ser devidamente votado”, disse

Wellington Dias deve ir a Portugal para conversar com empresa que pode assumir a lacuna deixada pela Suzano, que iria se instalar no Estado para a produção de celulose. 

Comente!

ANTERIOR

WELLINGTON ACEITA SUGESTÃO DE CIRO DE FAZER PESQUISA PARA DEFINIR VICE

PRÓXIMA

“MAIORES PARTIDOS DEVEM FICAR COM AS VAGAS MAJORITÁRIAS”, DIZ MARCELO CASTRO