Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
TSE rejeita contas de 2014 do PEN por omissão de receitas e despesas

DECISÃO DO TRIBUNAL TAMBÉM SUSPENDEU REPASSES DO DUODÉCIMO DO FUNDO PARTIDÁRIO E DEVOLUÇÃO DE R$ 332 MIL AO ERÁRIO

16/08/2019 09:33

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral rejeitou a prestação de contas do Partido Ecológico Nacional (PEN), hoje Patriota (Patri), da campanha eleitoral de 2014. Foram verificadas omissões de receitas e despesas.

Em julgamento ontem quinta-feira (15/8), o colegiado suspendeu os pagamentos de seis duodécimos do Fundo Partidário e determinou que o partido devolva R$ 332 mil ao erário.

O relator do processo, ministro Og Fernandes, apontou que foram encontradas irregularidades que ultrapassam R$ 1 milhão – valor que corresponde a 66% do total arrecadado pela legenda para a campanha eleitoral daquele ano.

As irregularidades foram identificadas com o cruzamento de prestações de contas individuais de candidatos do partido apresentadas à Justiça Eleitoral. "O partido pode repassar diretamente recursos da sua conta do Fundo Partidário para seus candidatos, mas esses valores devem obrigatoriamente constar como receitas e despesas na prestação de contas da agremiação", diz Og.

A maioria da Corte acompanhou o voto do relator, ficando vencido o ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, que propôs a suspensão de três duodécimos do Fundo Partidário. 


FONTE: Com informações do TSE

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
Advogado Edson Araújo é empossado como Juiz Substituto do TRE-PI
Advogado Edson Araújo é empossado como Juiz Substituto do TRE-PI
Ministro Fux suspende 'juiz das garantias' por tempo indeterminado
Ministro Fux suspende 'juiz das garantias' por tempo indeterminado
Especialistas apontam fatores que contribuem para crimes passionais
Especialistas apontam fatores que contribuem para crimes passionais
PL quer extinguir pagamento de honorários de sucumbência a advogados públicos
PL quer extinguir pagamento de honorários de sucumbência a advogados públicos