Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
2ª Turma do STF nega pedido de Lula contra Sérgio Moro

PREVALECEU ENTENDIMENTO DO RELATOR, MINISTRO EDSON FACHIN, QUE NÃO VIU AGRESSÃO À CONSTITUIÇÃO FEDERAL

23/08/2019 16:03 - Atualizado em 23/08/2019 17:10

Por unanimidade, a 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal rejeitou um pedido apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra atuação do ministro da Justiça, Sergio Moro, quando ele era juiz. A votação aconteceu no plenário virtual.

Prevaleceu o entendimento do relator, ministro Luiz Edson Fachin, que "não viu atos do ex-juiz que ferissem a Constituição".

O pedido do ex-presidente era para anular atos de Moro em uma das ações penais contra ele, que apura supostas fraudes no Instituto Lula. A Justiça ainda não decidiu se condena ou absolve Lula pelas acusações.

A votação começou na quinta-feira (16) e terminou nesta quinta-feira (22), com resultado publicado nesta sexta-feira (23).

Os ministros analisaram no plenário virtual um recurso de Lula contra uma decisão tomada por Fachin em abril deste ano. À época, o relator da Lava Jato disse no processo que não viu ilegalidades nos atos de Moro.

Os advogados contestaram a autorização para a realização de perícia em documentos da Odebrecht, que foram mantidos em sigilo durante o processo, sem que houvesse oportunidade da defesa de contestá-los.

DESISTÊNCIAS HOMOLOGADAS
No dia 17/8, a defesa do ex-presidente Lula desistiu de dois pedidos de suspeição contra o ex-juiz Sergio Moro que estavam pendentes de julgamento no Supremo. Fachin, relator do casos, homologou a desistência.

Segundo a defesa do petista, a desistência se dá por conta de já haver um Habeas Corpus com elementos mais atualizados que está para ser julgado. Este novo processo inclui o fato de Moro ter ido para o governo e as mensagens vazadas pelo The Intercept Brasil.


FONTE: Com informações do Conjur

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
Planejamento e gestão compartilhada elevam nível de eficiência do TJ-PI
Planejamento e gestão compartilhada elevam nível de eficiência do TJ-PI
Réu é condenado a 24 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado
Réu é condenado a 24 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado
ARTIGO: A URGÊNCIA DA REFORMA TRIBUTÁRIA
ARTIGO: A URGÊNCIA DA REFORMA TRIBUTÁRIA
ANACRIM realiza 1º Encontro da Advocacia Criminal dia 11 de outubro
ANACRIM realiza 1º Encontro da Advocacia Criminal dia 11 de outubro