Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
MP em Picos apura suposta festa privada com aglomeração de pessoas

PROMOTOR MAURÍCIO VERDEJO AFIRMA QUE A CONDUTA, EM TESE, CONFIGURA O CRIME PREVISTO NO ART. 268 DO CÓDIGO PENAL

02/05/2020 11:13

O Grupo de Trabalho para Auxílio e Execução de Medidas de Enfrentamento à Covid-19 de Picos, por meio da 6ª Promotoria de Justiça da comarca, instaurou notícia de fato para apurar denúncias sobre um evento festivo realizado na cidade no dia 25 de abril, com aglomeração de pessoas em local fechado, sem qualquer espécie de proteção contra o contágio pelo novo coronavírus. 

O promotor de Justiça Maurício Verdejo pontua que a conduta caracteriza, em tese, o crime indicado no artigo 268 do Código Penal:  infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa. A pena prevista é de detenção, de um mês a um ano, e multa. Em Picos, está em vigor decreto municipal que determina a suspensão de eventos em local fechado com a aglomeração de pessoas.

 As denúncias foram subsidiadas por vídeo publicado na rede social Instagram, no perfil da dona da residência em que teria ocorrido a festa.

 O Ministério Público oficiou a Delegacia Regional da Polícia Civil para que, no prazo de cinco dias, instaure procedimento investigatório. Devem ser imediatamente informados à Promotoria de Justiça a data de abertura e o número de registro do processo.


FONTE: Com informações da Assessoria

Notícias relacionadas
Especialistas vão debater sobre a coordenação da saúde pública no Brasil
Especialistas vão debater sobre a coordenação da saúde pública no Brasil
OAB e Abraji lançam cartilha para garantir segurança de jornalistas
OAB e Abraji lançam cartilha para garantir segurança de jornalistas
MPT e COREN vão fiscalizar condições de trabalho nos hospitais do Piauí
MPT e COREN vão fiscalizar condições de trabalho nos hospitais do Piauí
Impulsionar conteúdo pode configurar propaganda eleitoral ilícita, alerta MP
Impulsionar conteúdo pode configurar propaganda eleitoral ilícita, alerta MP