Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
CNJ confirma eleição para presidência do Tribunal Regional Eleitoral

DESEMBARGADOR PAES LANDIM HAVIA QUESTIONADO O ATO DO TJ-PI; ERIVAN LOPES E JOSÉ JAMES FORAM OS ELEITOS

07/11/2019 05:13 - Atualizado em 07/11/2019 06:13

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) julgou improcedente um procedimento de controle administrativo formulado pelo Desembargador Paes Landim, que havia pedido ao Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) o adiamento da eleição para a escolha de dois desembargadores para assumir a presidência e vice-presidência do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PI).

Com a decisão do CNJ fica mantida a eleição feita pelo TJ-PI na última segunda-feira, em que foram eleitos os desembargadores Erivan Lopes e José James.

ENTENDA A DEMANDA NO CNJ
O desembargador Paes Landim, atual presidente do TRE-PI, afirmara na demanda encaminhada ao CNJ que "a comunicação foi utilizada impropriamente para deflagrar o processo de escolha dos dirigentes do próximo biênio, pois designada a eleição para a data de 04/11/2019, muito embora o Regimento preveja que as eleições somente deverão ocorrer em até 60 dias antes do término dos mandatos dos seus antecessores".

Diante do quadro o desembargador Paes Landim requereu a anulação da decisão de "reconsideração proferida pela Presidência do TJ/PI que designou a data de escolha dos dirigentes do TRE/PI para o dia 04/11/2019.

Em nova petição, o formulou pedido de aditamento à inicial para requerer a suspensão da eleição e, subsidiariamente, caso não haja tempo hábil de suspendê-la, que se declare a nulidade da sessão plenária designada para o dia 04/11/2019.

Em sua decisão terminativa, o relator do procedimento no CNJ, Conselheiro Luiz Fernando Tomasi Keppen afirmou que "pelas informações prestadas pela Presidência do TJ/PI, não houve inobservância do prazo regimental de 5(cinco) dias, posto que a decisão que designou a sessão de escolha dos dirigentes do TRE/PI foi disponibilizada no dia 23/10/2019, e considerada publicada no dia 24/10/2019. O prazo de 5 (cinco) dias iniciou-se portanto no dia 25/10/2019, finalizando no dia 01/11/2019.

Dessa forma, entendeu o conselheiro que inexiste "qualquer ilegalidade flagrante a macular o procedimento, entendo deve ser respeitada a autonomia do Tribunal para resolver suas questões internas, prerrogativa garantida pelo texto constitucional nos arts. 96 e 99.

Assim, julgou improcedente o procedimento, restando prejudicado o pedido da liminar.

CONFIRA A DECISÃO NA ÍNTEGRA.pdf

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
TCE-PI aprova contas de gestão e de governo do ex-prefeito de Bocaina
TCE-PI aprova contas de gestão e de governo do ex-prefeito de Bocaina
Facebook não deve indenizar família de assassinada em decorrência de fake news
Facebook não deve indenizar família de assassinada em decorrência de fake news
Tribunal de Justiça do Piauí suspende prazos processuais de 24 a 26 de fevereiro
Tribunal de Justiça do Piauí suspende prazos processuais de 24 a 26 de fevereiro
MPPI expede recomendações sobre torcidas organizadas nos estádios
MPPI expede recomendações sobre torcidas organizadas nos estádios