Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
MPT espera fim da greve dos motoristas, mas não descarta dissídio coletivo

SE A GREVE NÃO ACABAR AMANHÃ (01/07), MPT JÁ PROPÔS FUNCIONAMENTO DE 70% NOS HORÁRIOS DE PICO E 30% NOS DEMAIS HORÁRIOS

30/06/2020 16:02 - Atualizado em 30/06/2020 17:31

O procurador regional do Trabalho, João Batista Machado Júnior, reuniu-se com representantes da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (STRANS), do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) e do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (SINTETRO). Na audiência, o Ministério Público do Trabalho no Piauí (MPT-PI) ouviu as partes e propôs o fim da greve dos motoristas de ônibus da capital, iniciada em maio.

O procurador regional sugeriu que fosse acatada a proposta de manutenção do salário de dezembro de 2019 aos trabalhadores, antes da redução determinada pelo Tribunal superior do Trabalho (TST), sem ticket-alimentação e plano de saúde, com a ressalva de se tratar de uma supressão momentânea. 

João Batista Júnior aguardará até esta quarta-feira (01/07) para que as partes se manifestem a sua decisão. Caso não haja acordo, o MPT-PI já propôs o funcionamento de 70% da frota nos horários de pico e de 30% nos demais horários, levando-se sempre em consideração as ordens de serviço da STRANS. Persistindo a paralisação, o MPT-PI irá ajuizar um dissídio coletivo de greve.



FONTE: Com informações da Assessoria

ANTERIOR

Projeto Transparência Ativa do MPF-PI concorre ao Prêmio Innovare 2020

PRÓXIMA

Campanha rompe silêncio de mulheres agredidas, afirma presidente da Amapi