Coluna Justiça Dinâmica Política Dinâmica
MPE pede Polícia Federal para investigar pré-candidata em Marcos Parente

Ministério Público disse que “os fatos narrados, caso comprovados, podem configurar crimes contra a honra no âmbito eleitoral, crimes estes de ação penal pública”

03/09/2020 00:58 - Atualizado em 03/09/2020 01:03

O Ministério Público Eleitoral (MPE) através da Promotora de Justiça, Dra. Ana Sobreira Botelho Moreira, da 46ª Zona Eleitoral, instaurou Notícia de Fato no dia 25 de agosto para apurar supostos crimes eleitorais em Marcos Parente - PI.

A promotora eleitoral pediu abertura de Inquérito da Polícia Federal para investigar a pré-candidata a vereadora Elizabeth Guimarães, do partido MDB, mesmo partido de seu pré-candidato a prefeito, Gedison Alves, que tem como pré-candidata a vice-prefeita, Iara Santana, pelo PT.

O Ministério Público disse que “os fatos narrados, caso comprovados, podem configurar crimes contra a honra no âmbito eleitoral, crimes estes de ação penal pública”.

Segundo o despacho, Elizabeth Guimarães (MDB), supostamente cometeu crimes eleitorais previstos nos artigos 324 e 326 do Código Eleitoral, ou seja, Calúnia Eleitoral e Injúria Eleitoral, contra outros pré-candidatos a prefeito e vice-prefeito de Marcos Parente, em áudios publicados no grupo de WhatsApp chamado de “Opiniões Democráticas”, com 188 participantes.

Após o registro da Notícia de Fato, a promotora Ana Botelho determinou o envio de ofício requisitório à Superintendência da Polícia Federal para instauração de Inquérito Policial, onde iniciará as investigações que servirão de base para eventual atuação ministerial.

VEJA O DESPACHO.pdf


FONTE: Com informações da Assessoria

Comente!

ANTERIOR

Piauiense Kássio Nunes Marques deve ser indicado ao STF, aponta colunisa de O Globo

PRÓXIMA

TRF1 autoriza realização das perícias faltantes do JEFIT Oeiras