Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
UNIDOS PELO AMOR

CIRO NOGUEIRA ADMITE CONFLITOS COM O GOVERNADOR, COLOCA DÚVIDAS NO FUTURO DA ALIANÇA, MAS DIZ PORQUE CONTINUA NO GOVERNO DO PETISTA

27/01/2020 12:56 - Atualizado em 27/01/2020 13:23

Ciro voltou a falar da relação com Wellington (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) voltou a reconhecer nesta segunda-feira (27) que existem divergências entre ele e o governador Wellington Dias (PT). Ele também afirmou que só o tempo dirá até quando a aliança política resistirá a esses conflitos. Questionado pelo Política Dinâmica se apoia a gestão de Wellington porque aprova o jeito do petista governar, Ciro disse que está aliado ao petista pelo amor que tem ao estado do Piauí.

"Tem algumas divergências, eu não vou negar. Somos partidos diferentes. O PT é um partido de extrema esquerda e o Progressistas um partido de centro. Nós temos visões diferentes de gestão, de tamanho do estado, mas o que nos une é o amor por esse Estado. Eu acho que uma divisão minha e do governador hoje vai prejudicar o Piauí e eu não quero isso. O que me une ao governador, muito mais que minhas divergências, é meu amor pelo Piauí", falou.

Amor ao Piauí sustenta a aliança, garante Ciro (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Ao falar sobre disputas municipais onde os dois estarão em lados opostos, Ciro admitiu que os conflitos existem e colocou dúvida sobre o futuro da aliança com o PT no Piauí.

"Nós temos que saber conduzir o processo político. É uma eleição municipal, tanto que nós já tivemos separados nas eleições municipais passadas e tivemos juntos pelo Governo do Estado. Não quer dizer que estaremos separados. Tem alguns conflitos, eu não vou negar. Cabe ao tempo dizer se nós vamos estar juntos ou não", comentou o senador.

Ciro diz que se tivesse rompido com Wellington lá atrás o Piauí estaria hoje numa situação muito difícil. Ele ainda se auto-intitulou "o grande homem que trouxe recursos para o Piauí". Para ele, é preciso apoiar Wellington mesmo nos momentos em que o petista está mal.

"O que seria do Estado se eu tivesse rompido com o Wellington lá atrás? O estado estaria hoje com as contas muito difíceis. Eu fui o grande homem que trouxe recursos para o Piauí. Tenho que ter responsabilidade quanto a isso. Não é só fazer oposição. As vezes o governador está mal em alguma situação e eu vou sair atirando? Isso não é justo. Tenho responsabilidade com a gestão também, porque fui para os palanques pedir voto pra ele", lembrou.

Ciro cumpriu agenda com Firmino em Teresina (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Nesta segunda-feira (27), Ciro visitou bairros da Zona Sudeste de Teresina acompanhado do prefeito Firmino Filho (PSDB). Ele reforçou a aliança com o tucano na capital e disse que o Progressistas apoia qualquer nome que for escolhido por Firmino para disputar a prefeitura.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
DEPUTADO PIAUIENSE VIAJA DE BRASÍLIA A TERESINA DE MOTO
DEPUTADO PIAUIENSE VIAJA DE BRASÍLIA A TERESINA DE MOTO
EM 2004, FIRMINO ANUNCIOU CANDIDATO EM ABRIL
EM 2004, FIRMINO ANUNCIOU CANDIDATO EM ABRIL
“DR. PESSOA ESQUECE QUE É DO MDB”
“DR. PESSOA ESQUECE QUE É DO MDB”
VINCULADO AO CÉU
VINCULADO AO CÉU