Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
UMA GRANDE BAGUNÇA

FÁBIO ABREU CRITICA ARTICULAÇÃO DO GOVERNO EM TORNO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA E SINALIZA QUE NÃO VAI VOLTAR À CÂMARA PARA VOTÁ-LA

03/06/2019 11:46 - Atualizado em 03/06/2019 11:58

Fábio criticou articulação do governo federal (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O deputado federal licenciado e secretário de Segurança Pública do Piauí, capitão Fábio Abreu (PR), classificou nesta segunda-feira (3) a articulação do governo federal sobre a reforma da Previdência como uma bagunça. Para ele, o presidente da República Jair Bolsonaro não toma as rédeas da reforma que o governo dele propôs ao Congresso.

"Primeiro que tá uma grande bagunça. Porque temos uma reforma indicada pelo presidente e ele, de uma certa forma, não está encampando essa reforma. Fica encaminhando apenas o ministro da Economia. E a outra situação mais recente é a proposta de uma Previdência alternativa por parte do Congresso. Nós precisamos ter apenas uma proposta e que ela seja debatida da melhor forma possível. Esse imbróglio ainda vai durar muito e a principal coisa, que é a aprovação, fica sendo postergada por conta de discussões improdutivas", falou.

Fábio informou que não deve retornar à Câmara para votar a reforma, já que, segundo ele, os pontos que em que se posiciona contra deverão ser retirados ou aperfeiçoados.

"Os principais pontos, como o dos trabalhadores rurais, estão sendo praticamente retirados de pauta. E os outros, com o aperfeiçoamento, acredito que estão no caminho que a gente defende. Então não há essa necessidade [de voltar] nesse momento", concluiu.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
CIRO COMPARTILHA POSTAGEM DE BOLSONARO
CIRO COMPARTILHA POSTAGEM DE BOLSONARO
NÃO SE GANHA PERDENDO
NÃO SE GANHA PERDENDO
HENRIQUE DIZ QUE TEM PRÉ-REQUISITOS PARA SER CANDIDATO
HENRIQUE DIZ QUE TEM PRÉ-REQUISITOS PARA SER CANDIDATO
DE NOVO, DE NOVO, DE NOVO
DE NOVO, DE NOVO, DE NOVO