Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
CLIMA TENSO
SOB PROTESTOS E APLAUSOS, LEI DO UBER É APROVADA

APENAS UM VEREADOR VOTOU CONTRA, TRÊS SE ABSTIVERAM E 20 SE POSICIONARAM A FAVOR DO PROJETO; AGORA SÓ FALTA O PREFEITO SANCIONAR

11/12/2018 14:04 - Atualizado em 11/12/2018 15:34

Motoristas de Uber protestaram na Câmara (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Teve galerias lotadas, confusão, gritaria, vaias, aplausos e reforço policial no plenário. Mas depois de intenso debate e propostas de emendas apresentadas durante a sessão, a Câmara Municipal de Teresina aprovou nesta terça-feira (11) o Projeto de Lei 190/2018, conhecido como "Lei do Uber", que regulamenta a atividade do transporte por aplicativo em Teresina e impõe normas ao serviço. No final, taxistas saíram comemorando a aprovação e os motoristas de Uber protestando muito contra a decisão tomada pelo Parlamento Municipal.

Ao todo, 20 vereadores foram favoráveis ao projeto, três se abstiveram e apenas Deolindo Moura (PT) votou contra a proposta. Quatro parlamentares não compareceram à sessão.

Em diversos aspectos, vereadores que eram críticos do projeto passaram a ser favoráveis depois de terem emendas aprovadas durante a sessão. No entanto, o ponto mais polêmico defendido pela prefeitura e criticado pelos operadores do aplicativo acabou sendo aprovado: a limitação do número de veículos do Uber em circulação. Ficou definida a quantidade proporcional ao número de táxis existentes na cidade, algo em torno de 2.040 veículos.

Deolindo foi o único a votar contra o PL (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Único a votar contra o PL, o vereador Deolindo Moura (PT) argumentou que a limitação compromete todo o projeto. Ele reconhece que a Prefeitura cedeu em alguns aspectos, mas sustenta que não poderia votar a favor da proposta se dentro dela havia a limitação. Para ele, a medida é inconstitucional e não foi adotada em nenhum lugar do Brasil onde o transporte por aplicativo foi regulamento. O petista acredita que o caso vai parar na Justiça.

"Eu acho que esse projeto vai seguir para a Justiça, porque tanto as empresas quanto os motoristas por aplicativo vão ajuizar ações. É um projeto muito danoso e busca interromper o fornecimento do trabalho [dos motoristas de Uber]. A limitação, que era o ponto mais crítico, não aconteceu em nenhum lugar do Brasil. Houve uma tentativa em São Paulo, mas caiu na Justiça. Eu votei conforme a minha consciência de que, mesmo tendo proposto emendas, aquilo que era fator crucial no projeto, eu discordava. Então votei contrário", explicou.

Painel mostra como votou cada vereador (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

A vereadora Graça Amorim (PMB), líder do prefeito, avaliou que mesmo havendo divergências, o projeto aprovado foi bom para as duas categorias. Ela esclarece que a limitação do número de Ubers ocorreu porque a Prefeitura não tem dados sobre a quantidade de Ubers em Teresina. Segundo ela, conforme a plataforma indique esses números, a prefeitura pode ampliar a quantidade, tal como ficou definido em um parágrafo no projeto.

"No momento em que a plataforma apresentar os dados de quantos operadores por aplicativo existem na cidade de Teresina, a prefeitura está autorizada a fazer a ampliação. Então cabe à plataforma e a eles motoristas pressionarem para que a empresa forneça esses dados à Prefeitura. No projeto prevê prazos e tudo. Ao contrário do que diziam, vereadores não são contra o Uber. Apenas tramitava nesta Casa uma regulamentação para criar regras e normas, até porque é um serviço que será prestado ao povo de Teresina", justificou.

Graça Amorim comemorou aprovação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O presidente da Câmara, vereador Jeová Alencar (PSDB), avaliou como natural os ânimos exaltados durante a sessão. Segundo ele, a Câmara não pode se furtar de discutir temas importantes. Jeová entende que o projeto acabou sendo bom para as duas categorias.

"É natural os ânimos acirrados. Cada categoria defende seus interesses e isso é legítimo. Essa casa não pode se furtar dessas discussões. Buscamos o reforço policial porque os ânimos ficaram exaltados, mas se você analisar direitinho o projeto, todos saíram ganhando", falou.

Protestos ocorreram dentro e fora da Câmara (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Como foram duas sessões seguidas nesta terça (11), a proposta já obteve aprovação em duas votações e agora segue para sanção do prefeito Firmino Filho (PSDB).

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
NÃO SERIA BOM!
ELMANO NÃO QUER RENAN CALHEIROS
ELMANO NÃO QUER RENAN CALHEIROS
VEREADORES
CASAL NO PARLAMENTO
CASAL NO PARLAMENTO
CRÍTICA
FÁBIO SÉRVIO CHAMA WELLINGTON DE “CARA DE PAU”
FÁBIO SÉRVIO CHAMA WELLINGTON DE “CARA DE PAU”
OPINIÃO
QUANDO A CONTRADIÇÃO ENFRAQUECE A RENOVAÇÃO
QUANDO A CONTRADIÇÃO ENFRAQUECE A RENOVAÇÃO