Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
OPERAÇÃO DO GAECO MIRA PREFEITOS; GESTOR E PRIMEIRA-DAMA SÃO PRESOS

OPERAÇÃO NÃO TINHA MANDADOS DE PRISÃO, MAS FLAGRANTE DE CRIME ELEITORAL ACABOU LEVANDO PREFEITO E MULHER PARA A CADEIA

08/10/2020 10:26 - Atualizado em 08/10/2020 13:36

Agentes fazem busca na sede de prefeitura (Foto: Divulgação/Gaeco/MP-PI)

O Ministério Público do Estado do Piauí, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou nesta quinta-feira (8) a operação IBI CLAUSUS. A ação policial conta com o apoio de agentes das polícias Civil, Militar, Rodoviária Federal e ainda do Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI).

Os alvos principais são os prefeitos de Passagem Franca, Raislan Farias (Progressistas), e de Agricolândia, Walter Alencar (Progressistas). Os dois são suspeitos de liderar uma organização criminosa especializada em fraudes em licitações e lavagem de dinheiro com atuação em vários municípios piauienses. 

Ao todo são cumpridos 19 mandados de busca e apreensão nos municípios de Passagem Franca, Agricolândia, Barro Duro, São Pedro do Piauí, Demerval Lobão, Lagoinha do Piauí e Teresina. Os mandados foram expedidos pelo desembargador Joaquim Dias de Santana Filho, do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI).

Agentes na prefeitura de Passagem Franca (Foto: Divulgação/Gaeco/MP-PI)

A investigação apura desvio de recursos públicos, organização criminosa, corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e fraude à licitação, envolvendo contratos de empresas com o município de Passagem Franca, no período entre os anos de 2013 a 2020. Segundo o Gaeco, o prefeito de Agricolândia, Walter Alencar, é proprietário de empresas com participação no esquema fraudulento em Passagem Franca, além de demais agentes públicos e empresários.

PREFEITO E PRIMEIRA-DAMA PRESOS

A operação não tinha mandados de prisão para serem cumpridos, mas durante as buscas na casa do prefeito Walter Alencar, em Agricolândia, a polícia encontrou materiais que seriam usados para supostamente comprar eleitores do município de Lagoinha do Piauí, onde a esposa dele, Kelly Alencar (PTB), disputa a prefeitura. O casal acabou sendo preso em flagrante.

"No cumprimento do mandado de busca e apreensão na cidade de Agricolândia, foi realizada prisão em flagrante pela suposta prática de crime eleitoral. A PRF, em conjunto com o Ministério Público e o TCE, apreendeu, além de lista de eleitores com a respectiva vantagem indevida, uma série de bens que seriam oferecidos aos eleitores em troca de votos. Foi ainda apreendido cerca de R$ 87 mil em dinheiro e R$ 40 mil em cheques", disse o promotor Mário Normando.

Comente!

ANTERIOR

DEPUTADO JÚLIO CÉSAR VIRA “META ELEITORAL” EM CURRAL NOVO DO PIAUÍ

PRÓXIMA

JOÃO PEREIRA DEFENDE INCENTIVO NA CONTRATAÇÃO DE JOVENS PARA 1º EMPREGO