Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
POLÍTICOS E ENTIDADES LAMENTAM MORTE DE NOÉ FORTES

CONCEITUADO MÉDICO PIAUIENSE FOI PROFESSOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ E OCUPOU CARGOS PÚBLICOS NA CAPITAL

13/05/2020 11:52 - Atualizado em 13/05/2020 12:20

Médico Noé Fortes tinha vasto currículo (Foto: Reprodução/Facebook)

Vários de políticos piauienses e instituições lamentaram a morte do médico Noé Fortes, 75 anos, ex-professor da Universidade Federal do Piauí, ex-secretário de Saúde de Teresina e ex-vereador da capital. Ele morreu na manhã desta quarta-feira (13) no Hospital HTI Sul, onde havia sido internado para tratar um problema gastrointestinal. 

Tão logo foi anunciada a morte do médico, considerado um dos mais renomados do Piauí, diversas autoridades e instituições se manifestaram. O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), disse que Noé Fortes tem uma bonita história com a capital e afirmou que ele “amava Teresina como poucos e merece todas as homenagens”.

O governador Wellington Dias (PT) classificou Noé Fortes como um dos grandes destaques da medicina do Piauí. “Ele exerceu com maestria diversas funções públicas, como a direção do Hospital Getúlio Vargas e do Hospital Infantil Lucídio Portela, dando sua contribuição para o desenvolvimento do nosso estado”, destacou em nota.

O deputado federal Flávio Nogueira (PDT) lembrou que Noé foi seu professor de pediatria na Faculdade de Medicina do Piauí. “Ícone da medicina piauiense. Pessoa singular. Preservava com consciência e obediência os preceitos de ética e moral”, disse o deputado lamentando não poder se despedir presencialmente devido o atual momento de pandemia do novo coronavírus.

Quem também se manifestou foi o senador Elmano Férrer (Podemos). Ele afirmou que Noé Fortes será sempre lembrado como referência na medicina do Piauí, tanto na pediatria como também como nutrólogo e terapeuta complementar. “Ocupou diversos cargos na capital e deu sua contribuição como secretário de Saúde da Prefeitura de Teresina, diretor do Hospital Infantil, do HGV, além de outras atuações”, listou Elmano.

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) divulgou nota de pesar pela morte do médico. No texto, a instituição afirma que Noé Fortes foi um dos professores que consolidou o ensino da pediatria na UFPI desde 1973. "Foi o primeiro chefe do Departamento Materno Infantil", lembra a nota.

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) disse que Noé teve grande importância como médico, professor e gestor público na área da saúde. “Noé Fortes protagonizou avanços da Medicina e da saúde pública do Piauí, sendo fundamental para a nossa Universidade Federal, em sua área de saúde”, escreveu Ciro em postagem nas redes sociais.

A deputada federal Rejane Dias (PT) afirmou que o Piauí amanheceu de luto pela morte do médico. “Dr. Noé Fortes, homem respeitado na sua área e relevantes serviços prestados ao Piauí, desde a sala de aula como professor da Universidade Federal do Piauí a estar como gestor, em anos anteriores, do nosso Hospital Getúlio Vargas”, postou.

A Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) também destacou que Noé era um dos mais renomados profissionais da área no Piauí. A nota mencionou que Noé presidente do Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) e da Associação Piauiense de Medicina. "Dr. Noé nos deixa como legado o seu admirável trabalho em favor da saúde dos piauienses e seu exemplo de profissional dedicado e ético", diz um trecho da nota assinada pelo secretário Florentino Neto. 

Ao longo do dia, outros políticos e entidades se manifestaram sobre a morte do médico.

Comente!

ANTERIOR

CANDIDATO PROMETE MARÍLIA MENDONÇA: “É DISSO QUE O POVO GOSTA”

PRÓXIMA

CANDIDATO A PREFEITO DE TERESINA JÁ FOI VEREADOR EM DUAS CAPITAIS