Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
PF PRENDE MILITANTE BOLSONARISTA SARA WINTER

MANDADO DE PRISÃO FOI AUTORIZADO PELO MINISTRO ALEXANDRE DE MORAES APÓS ATO COM FOGOS DE ARTIFÍCIO NA FRENTE DO SUPREMO

15/06/2020 09:20 - Atualizado em 15/06/2020 09:40

Sara é militante pró-Bolsonaro e foi presa após ataques ao STF (Foto: Reprodução/Internet)

A Polícia Federal prendeu na manhã desta segunda-feira (15) a ativista Sara Winter. A prisão ocorre dentro do inquérito que apura manifestações com conteúdos anticonstitucionais e não tem relação com a investigação sobre fake news, em que Sara Winter também é investigada.

Ao todo, 6 pessoas foram presas. As identidades dos outros cinco detidos ainda não foram divulgadas. Os mandados foram autorizados pelo ministro Alexandre de Moraes. 

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o ministro Gilmar Medes disse que as prisões preventivas podem ser um remédio adequado para a situação neste momento.

SARA X STF

Membros do “300 do Brasil” fizeram vários atos contra ao Supremo Tribunal Federal nos últimos meses. Chegaram a montar acampamentos em Brasília.

Em maio, Sara afirmou querer “trocar socos com o ministro Alexandre de Moraes. “A gente vai infernizar a tua vida. A gente vai descobrir os lugares que o senhor frequenta, a gente vai descobrir quem são as empregadas domésticas que trabalham para o senhor, a gente vai descobrir tudo da sua vida.

Todos os acampamentos foram desmontados no fim de semana pelo governo do Distrito Federal. Em revolta, no sábado (13), Sara e seus aliados subiram no telhado do Senado. À noite, dispararam fogos de artifício em frente à sede do STF, simulando um bombardeio.

Em outro ato, em 30 de maio, os ativistas usaram máscaras e carregavam tochas em uma marcha em direção à Corte. O ato reuniu cerca de 30 pessoas. Eles gritavam palavras de ordem: “Viemos cobrar, o STF não vai nos calar” e “Careca togado, Alexandre descarado”.

Com informações do Poder 360

ANTERIOR

MAURO TAPETY VENCE COVID-19 E DEIXA HOSPITAL

PRÓXIMA

MERLONG JÁ FOI EXONERADO PARA TOMAR POSSE NA CÂMARA