Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
MOÇÃO DE REPÚDIO PARA FLORENTINO NETO

CÂMARA MUNICIPAL DE TERESINA APROVA MOÇÃO DE REPÚDIO PARA SECRETÁRIO APÓS PACIENTE PERDER TRANSPLANTE DE RIM POR FALTA DE PASSAGENS

13/11/2019 23:05 - Atualizado em 13/11/2019 23:39

Inércia de secretário provoca reação (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

A Câmara Municipal de Teresina aprovou nesta quarta-feira (13) uma moção de repúdio ao secretário de Saúde do Piauí, Florentino Neto (PT). A moção foi proposta pelo vereador Ítalo Barros (PTC). O motivo foi o caso do paciente renal José Ramos, que deixou de adquirir um rim por falta de uma passagem que deveria ser garantida pelo Estado. Ele espera pelo transplante há 11 anos e perdeu a oportunidade devido à negligência do governo.

O vereador Stanley Freire (PL), que é paciente renal, levou o caso à tribuna da Câmara e criticou duramente a situação. O discurso dele foi aparteado por vários vereadores que também condenaram a ineficácia do secretário por não garantir a viagem do paciente para fazer o procedimento em Fortaleza. Até mesmo o vereador Dudu (PT) lamentou o episódio.

Em um aparte ao discurso de Stanley, o vereador Joaquim do Arroz se disse estarrecido com a inércia de Florentino. Para ele, perdeu-se a chance de mudar a vida do paciente José Ramos por incompetência administrativa. "Peço a atenção em relação ao governador, porque nesse caso o único erro que eu vejo no governador é apostar num gestor que não tem iniciativa, que não tem o mínimo de coração e nem capacidade de gestão", desabafou.

A moção de repúdio foi aprovada com 17 votos favoráveis. Nenhum vereador votou contra.

O QUE DIZ A SESAPI

Sobre a moção de repúdio ao secretário Florentino Neto, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) informou ao Política Dinâmica que não vai se pronunciar.

Em relação ao episódio do paciente José Ramos, a Sesapi alega que ocorreu um "infortúnio". O órgão justifica que no mesmo fim de semana garantiu 40 passagens para pacientes do TFD (Atendimento Fora de Domicílio). No entanto, diz que tentou buscar a passagem de José Ramos, mas quando confirmada a possibilidade de efetivação do transplante em Fortaleza, as empresas áreas não tinham vagas em seus voos disponíveis.

Segundo a Sesapi, o paciente precisava embarcar às 14h e só tinha vaga no voo das 22h. A secretaria se defende afirmando que a passagem não deixou de ser comprada por omissão da administração estadual, mas devido à ausência de vagas nos voos para Fortaleza.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
REGIME DE URGÊNCIA PODE CONFIGURAR PROIBIÇÃO
REGIME DE URGÊNCIA PODE CONFIGURAR PROIBIÇÃO
CLIMA ESQUENTA NA ASSEMBLEIA
CLIMA ESQUENTA NA ASSEMBLEIA
O PIAUÍ DAS URGÊNCIAS QUE NÃO URGEM
O PIAUÍ DAS URGÊNCIAS QUE NÃO URGEM
HUGO: VARGAS FOI BOM, MAS FOI DITADOR
HUGO: VARGAS FOI BOM, MAS FOI DITADOR