Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
MEDO DE QUEM TEM VOTO PODE DAR PREJUÍZO

PARTIDOS DA BASE ALIADA DO PREFEITO FIRMINO FILHO REJEITAM FILIAÇÃO DE CAIO BUCAR, VEREADOR CUJA REELEIÇÃO É DADA COMO QUASE CERTA

30/11/2019 11:02 - Atualizado em 30/11/2019 11:27

Disputa proporcional gera impasse na capital (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Com o fim das coligações proporcionais, muitos partidos enfrentam dificuldades para garantir viabilidade eleitoral a quem tem mandato, principalmente legendas que possuem apenas um ou dois políticos no exercício de cargos eletivos. Diante disso, alguns nomes decidem deixar seus atuais partidos e buscar agremiações que lhe deem viabilidade.

Em Teresina, essa realidade tem provocado dor de cabeça em muitos vereadores, principalmente os da base do prefeito Firmino Filho (PSDB). A dor de cabeça é maior porque partidos considerados fortes impõem dificuldades para receber políticos com previsão de grande votação. Quem está na legenda não aceita que alguém bem votado entre nela.

Um dos exemplos é o do vereador Caio Bucar, hoje no PRTB. Bucar é apontado como candidato de reeleição encaminhada, com bases organizadas e estrutura de campanha. No entanto, o PRTB não montou e nem vai conseguir montar chapa que favoreça sua reeleição. Com isso, o parlamentar busca um novo partido, mas é rejeitado em alguns por ser "forte".

Aliado do prefeito Firmino Filho, Caio tem como uma de suas opções o próprio PSDB, mas encontra resistência de alguns nomes que estão no partido ou que acertaram filiação. O entendimento de alguns é que o vereador "tomaria" uma vaga, já que tem expectativa de grande votação e, dessa forma, reeleição quase assegurada. A situação causa incômodo.

Caio Bucar causa medo em concorrentes (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Bucar se elegeu em 2016 num grupo de oposição ao prefeito, com quase 6 mil votos, na sexta colocação geral. O parlamentar já cravou que não fica no PRTB, mas também adiantou que não vai integrar nenhum "grupo da morte". Quem conhece Caio sabe que ele é pragmático quando o assunto é sua segurança eleitoral e por isso não descarta possibilidades.

Traduzindo em miúdos, se os partidos viáveis na base não o quiserem, a oposição não é desconsiderada. Bucar, aliás, mantém boa relação com o Palácio de Karnak e outros setores da oposição. Em muitos eventos do Governo do Estado ele está presente. Atualmente no comando da Empresa Teresinense de Serviços Urbanos (Eturb), o vereador assiste comedido à rejeição do seu nome em alguns partidos, mas a reação pode não ser na mesma proporção.

A acomodação de todos os vereadores de mandato em partidos competitivos é visivelmente um gargalo na grande base aliada de Firmino. O prefeito e seus aliados vão precisar trabalhar o tema com inteligência, afinal, quem tem voto pode até ser renegado em alguns setores, mas certamente será aceito em outros. Nesse "outros" inclua-se a oposição.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
O PIAUÍ DAS URGÊNCIAS QUE NÃO URGEM
O PIAUÍ DAS URGÊNCIAS QUE NÃO URGEM
HUGO: VARGAS FOI BOM, MAS FOI DITADOR
HUGO: VARGAS FOI BOM, MAS FOI DITADOR
PARA HUGO NAPOLEÃO, JK NÃO FOI ASSASSINADO
PARA HUGO NAPOLEÃO, JK NÃO FOI ASSASSINADO
FAMÍLIA UNIDA E TAMBÉM MUITO OURIÇADA
FAMÍLIA UNIDA E TAMBÉM MUITO OURIÇADA