Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
PRÉ-CANDIDATO
“NÃO QUEREMOS TOMAR A VAGA DE NINGUÉM”, DIZ MARCOS VINÍCIUS

PRINCIPAL APOSTA DO PTC PARA A DISPUTA DE DEPUTADO FEDERAL, EX-PREFEITO DE NOVO ORIENTE FALA EM REPRESENTAR AS MINORIAS

06/02/2018 08:39 - Atualizado em 06/02/2018 08:47

Marcos Vinícius, pré-candidato a deputado federal (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O ex-prefeito de Novo Oriente e pré-candidato a deputado federal pelo PTC, Marcos Vinicius Dias, falou com o Política Dinâmica sobre as estratégias do partido para levá-lo à Câmara Federal. Atualmente no cargo de coordenador de Modernização e Qualificação dos Empreendimentos Públicos do Piauí, ele disse que não quer tomar a vaga de ninguém.

Na entrevista, ele admitiu que o partido pode mudar os planos caso a ideia da "chapinha" não seja concretizada, mas disse confiar no governador Wellington Dias (PT) para dar apoio a essa estratégia do PTC. A formação da chapinha enfrenta grande rejeição por parte dos partidos grandes que integram a base do governo.

"O governador Wellington Dias é, acima de tudo, um homem muito democrático. É claro que a pressão [contra a chapinha] existe. Os partidos que detém um mandato de deputado federal não querem perder a vaga. Mas aqui nós não queremos tomar a vaga de ninguém, apenas queremos o espaço da representação popular na Câmara Federal", falou.

Marcos ressaltou que não é fácil disputar com os políticos que já exercem o mandato no Congresso e lembrou que eles possuem a vantagem das emendas parlamentares e da maior presença na mídia. Por isso, defende a articulação do PTC para aglutinar partidos pequenos e diz que o objetivo é dar representatividade às minorias e aos movimentos sociais.

"Obviamente que uma disputa para a Câmara Federal não é fácil, pois para atingir o quociente eleitoral e alcançar a primeira vaga precisa-se de 170 mil votos. Então a gente precisa se aproximar das lideranças políticas regionais, lideranças comunitárias e de pessoas com tenham alguma representatividade para que possamos formar um conglomerado de pessoas e partidos que possa dar isonomia à disputa", explicou.

MUDANÇA DE PLANOS
O pré-candidato foi questionado sobre como ficará sua candidatura caso a chapinha defendida pelo PTC não vingar, como deseja a maioria dos partidos grandes da base do governador. Nesse caso, Marcos Vinícius disse que o partido pode repensar as estratégias e até mesmo lançar outro nome que não seja o dele para a disputa.

"Se chegarmos lá e não houver a intenção desses partidos emergentes em formar esse bloquinho, obviamente que a gente tem que repensar nossa estratégia. Mas, de fato, o PTC lançará, ou com meu nome ou com outro nome, mais outros dois, três ou quem sabe quatro candidatos a deputado federal", encerrou.

Comentários (0)

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Nome:
mensagem:
Notícias relacionadas
INDEFINIDO
NÃO TEM CHAPA FECHADA
NÃO TEM CHAPA FECHADA
PROPOSTA
REJANE QUER ABOLIR EXPRESSÃO “PORTADORES DE DEFICIÊNCIA”
REJANE QUER ABOLIR EXPRESSÃO “PORTADORES DE DEFICIÊNCIA”
ESPAÇOS
REGINA SOUSA NEGA POSSIBILIDADE DE SER VICE; JÁ WELLINGTON, NÃO
REGINA SOUSA NEGA POSSIBILIDADE DE SER VICE; JÁ WELLINGTON, NÃO
OPINIÃO
CHAPA, CHAPINHA, CHAPÃO E ‘CHAU POVO’
CHAPA, CHAPINHA, CHAPÃO E ‘CHAU POVO’