Coluna Gustavo Almeida Política Dinâmica
HOSPITAL NO VERDÃO: MP-PI PEDE SUSPENSÃO DE PAGAMENTOS

PARA O MINISTÉRIO PÚBLICO, GOVERNO DE WELLINGTON DIAS FAVORECEU EMPRESA CONTRATADA PARA MONTAR HOSPITAL DE CAMPANHA

01/05/2020 09:37 - Atualizado em 01/05/2020 19:01

Contratação feita pela gestão de Wellington Dias levanta suspeitas e é alvo de ação civil pública (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O Ministério Público do Estado do Piauí (MP-PI) ajuizou ação civil pública com pedido de liminar para que o Governo do Piauí suspenda pagamentos à empresa responsável pela construção do Hospital de Campanha no Ginásio Verdão. De acordo com o MP, a contratação teria sido direcionada para a Progen - Projetos Gerenciamento e Engenharia S/A. 

A apuração foi motivada por denúncias de supostas irregularidades na construção do hospital. O MP constatou que a contratação da empresa e a emissão da nota de empenho da primeira parcela foram feitos antes mesmo da assinatura do contrato. A primeira parcela paga pelo Governo do Piauí à Progen foi no valor de R$ 2,7 milhões. 

"A contratação da empresa Progen Projetos Gerenciamento e Engenharia já havia sido acertada antes mesmo da abertura do Processo Administrativo de Dispensa de Licitação. De modo que se poderia dizer que o referido valor fora determinado pela própria empresa, eis que, ao formular sua proposta, apresenta, na página 45 do doc. 05, tabela comparativa de preços feita a partir de um único parâmetro: outros serviços prestados pela própria Progen", diz um trecho da ação.

Em nota à imprensa no dia 2 de abril onde negava as denúncias, a Superintendência de Parcerias e Concessões do Governo do Piauí (Suparc) apontou que todo procedimento de contratação da Progen havia sido concluído. Mas, a empresa só encaminhou a proposta, com cópia para o governador, no dia seguinte. A assinatura do contrato só ocorreu em 8 de abril.

Hospital de Campanha está sendo finalizado (Foto: Divulgação/Sesapi)

Para o Ministério Público, a conclusão da contratação da Progen envolveria, ainda, a empresa Sistema Integrado de Mídias Ltda - SIM, do empresário Raniere Pinto, que administra o Ginásio Verdão por meio de concessão. Tudo teria sido feito com prévio ajuste entre ela, o Governo, a Secretaria de Saúde e a Suparc, com dispensa de licitação.

FALTA DE TRANSPARÊNCIA

Outro ponto que chamou atenção é que, segundo o MP, o extrato de dispensa de licitação e a cópia do contrato não constam nos autos do processo administrativo e nem foram publicados no Diário Oficial do Estado. Vale lembrar que o Política Dinâmica, que também denunciou os indícios de irregularidades, cobra do Governo Estadual cópias do contrato há várias semanas, mas nunca foi atendido. O valor total da contratação passa de R$ 4,8 milhões.

O Hospital de Campanha do Verdão será destinado ao atendimento de pessoas com Covid-19. O MP também questiona os valores praticados no contrato. De acordo com órgão, o Governo do Piauí considerou como parâmetro de preços uma tabela da própria Progen. 

Narra a denúncia que: "O secretário estadual de Saúde, tentando demonstrar que os valores praticados são compatíveis ao valor contratado pelo Governo do Estado do Piauí, repete, letra por letra, a tabela apresentada pela empresa Progen na página 45 do doc. 05, e lhe dá uma nova roupagem com o título de 'Hospitais de Campanha no Brasil' (página 50 do doc. 05), como se referisse a preços praticados por diferentes empresas que construíram/implantaram hospital de campanha em várias cidades".

SUSPENSÃO DE PAGAMENTOS 

Diante dos fatos, o MP-PI pede, em caráter liminar, a suspensão dos pagamentos da segunda e terceira parcelas e a realização de uma perícia a fim de determinar o real valor do contrato. No mérito, o órgão pede que o erário público seja ressarcido e que os responsáveis pela prática de suposto ato de improbidade administrativa sejam responsabilizados.

O QUE DIZ A SUPARC

O Política Dinâmica procurou, na manhã desta sexta-feira (1º), a superintendente de parcerias e concessões do Governo do Piauí, Viviane Moura. Ela informou que quem tem que se posicionar sobre o assunto é a Sesapi, pois a Suparc não contratou o hospital de campanha.

O QUE DIZ A SESAPI

A Secretaria de Saúde do Piauí informou apenas que o hospital passa pelos últimos ajustes e deve começar a funcionar na próxima semana. 

Veja a denúncia assinada pelo promotor Fernando Santos, na íntegra, clicando AQUI.

Notícias relacionadas
MARGARETE CELEBRA ANIVERSÁRIO DO PARQUE SERRA DA CAPIVARA
MARGARETE CELEBRA ANIVERSÁRIO DO PARQUE SERRA DA CAPIVARA
PREFEITURA DE DOM INOCÊNCIO ANUNCIA LOCKDOWN
PREFEITURA DE DOM INOCÊNCIO ANUNCIA LOCKDOWN
PROFISSIONAIS DE SAÚDE AMEAÇAM ENTREGAR CARGOS EM FLORIANO
PROFISSIONAIS DE SAÚDE AMEAÇAM ENTREGAR CARGOS EM FLORIANO
CONVENÇÕES VIRTUAIS: SEM FESTA NO INTERIOR
CONVENÇÕES VIRTUAIS: SEM FESTA NO INTERIOR